23-01-2019

  Diretor Ivo Moreira | Periodicidade Diária

Sobre Nós  |  Fala Connosco     

 
O Instituto de Meteorologia prevê para este fim-de-semana boas condições climatéricas para a prática do desporto mais apetecido de sempre - audição de boa música. Apenas basta clicar no 'Play' e começar a surfar nas melhores ondas sonoras, com o volume no máximo!
(Se algum player não aparecer, faz refresh, clica em F5)
 
1
 
 
2
 
 
3
 
 
4
 
 
5
 
 
6
 
 
7
 
 
8
 
 
Publicado em Mix
quinta, 20 dezembro 2012 21:46

10 Músicas que vão impedir o fim do mundo

Não sabemos ao certo nem podemos prever se a "coisa", se "dá". Os grandes cérebros da NASA dizem que não, e é tudo mentira. O reboliço é tanto, que até já entrámos na onda.
Temos a certeza que as 10 músicas que apresentamos em baixo, impedem que isto algum dia acabe. Play!
 
1
 
 
2
 
 
3
 
 
4
 
 
5
 
 
6
 
 
7
 
 
8
 
 
9
 
 
10
 
 
Publicado em Mix

 

A época de festivais de verão está oficialmente aberta. De acordo com a Associação Portuguesa dos Festivais de Música (APORFEST), só este ano vão decorrer cerca de 150 festivais em território nacional.
 
Há para todos os gostos e géneros, espalhados pelos cantos de Portugal. Dentro da música eletrónica, o ano de 2015 conta com a presença de grandes estrelas mundiais como Steve Angello, Calvin Harris, Deep Dish e Nicky Romero.
 
A MÚSICA ELETRÓNICA ‘GANHA TERRENO’ NOS FESTIVAIS PORTUGUESES
 
O Portal 100% DJ destaca os festivais de grande dimensão MEO Sudoeste, EDP Beach Party, RFM SOMNII – O Maior Sunset de Sempre, NOS Alive ou o NEO POP, cujos cartazes apresentam uma enorme quantidade de artistas nacionais e internacionais com prestígio e talento. Alguns destes eventos contêm artistas de outros géneros musicais, mas a presença de grandes DJs e produtores é cada vez mais uma grande aposta por parte da organização dos mesmos.
 
O MEO Sudoeste apresenta, mais uma vez, um cartaz recheado de artistas de música eletrónica, de 5 a 9 de agosto. Calvin Harris, Steve Aoki, W&W, DJ Bl3nd, Dimitri Vegas & Like Mike, Wolfpack, C2C, Hardwell, Showtek, Oliver Heldens, Djeff Afrozila, Above & Beyond, Quentin Mosimann, DJ Ride e Kura estão confirmados para colocarem os festivaleiros da Zambujeira do Mar aos saltos.
 
Na Praia do Aterro, em Matosinhos, nos dias 3 e 4 de julho, vai decorrer a EDP Beach Party, que conta com outra ‘dose’ dos irmãos Dimitri Vegas & Like Mike, já considerados DJs residentes do evento. Durante os dois dias, vão passar pelo palco nomes como Dyro, Ummet Ozcan, Yellow Claw, VINAI, Steve Angello, DVBBS, R3hab, Sunnery James & Ryan Marciano e AN21, juntamente com os portugueses Digital Militia, Club Banditz e Miguel Psi.
 
Um pouco mais a sul, o RFM SOMNII – O Maior Sunset de Sempre acontece mais uma vez na Praia do Relógio, na Figueira da Foz, nos dias 11 e 12 de julho. Martin Solveig e Nicky Romero são os cabeças de cartaz, composto também por Dannic, MAKJ, The Chainsmoker, Julian Calor, MOTI, Robin Schulz, Dubvision, Michael Calfan, entre outros.
 
O NOS Alive, um dos festivais portugueses mais reconhecidos a nível internacional, tem confirmada a presença de Disclosure, Flume, Magazino, Moullinex, Fernando Alvim e muitos outros, distribuídos por vários palcos. O evento tem início no dia 9 de julho e termina no dia 11 do mesmo mês, no Passeio Marítimo de Algés.
 
Outro festival muito mediático ‘lá fora’ é o NEO POP. Um festival com uma sonoridade mais underground, mas com um cartaz de luxo, que comemora este ano a sua 10ª edição, com quatro dias de festa. Estão preparados dois palcos distintos para os dias 12, 13, 14 e 15 de agosto, que vão receber Marco Carola, Lewis Fautzi, Sven Vath, Magazino, Deep Dish, Luciano, The Martinez Brothers e muitos mais. Viana do Castelo é o local de encontro dos amantes deste estilo de eletrónica mais alternativo, mas de grande qualidade.
 
Este ano decorre também o festival Freedom, de 11 a 16 de agosto, em Elvas, também com um estilo musical mais alternativo, com base na comunidade trance. O line up ainda não foi revelado.
 
O Sumol Summer Fest regressa à Ericeira, com alguns nomes de música eletrónica no cartaz, como DJ Ride, Holly, Knife Party, DJ Glue, Dynamic Duo, Dan Maarten, Hugo Rizzo e Massivedrum.
 
Por fim, o Super Bock Super Rock vem diretamente do Meco para o Parque das Nações, em Lisboa, onde vão atuar artistas como Madeon, Xinobi, Djeff Afrozila e Stereossauro. O festival decorre entre os dias 16 e 18 de julho.
 
O QUE DEVO LEVAR PARA UM FESTIVAL?
 
Para qualquer festivaleiro, existe uma lista de objetos essenciais que devem ser levados para o evento. Para uns podem ser extremamente necessários, mas para outros podem ser um suplemento. O Portal 100% DJ elaborou uma pequena lista daquilo que é mais necessário para a época de festivais de verão.
 
  • Óculos de sol
  • Câmara fotográfica e/ou de filmar
  • Tenda (se o evento tiver campismo)
  • Bandeira, cachecóis ou cartazes
  • Horário das atuações e mapa do recinto
  • Telemóvel
  • Dinheiro
  • Documentos (Cartão de Cidadão ou Bilhete de Identidade, Carta de Condução...)
  • Bilhetes de acesso ao festival
  • Carregador para telemóvel e máquinas fotográficas/vídeo
  • Protetor solar
  •  
ALGUMAS DICAS PARA TUDO CORRER ‘ÀS MIL MARAVILHAS’
 
  • 1 – Informa-te sobre os mais pequenos pormenores
Todos os festivais têm as suas regras. Há certos eventos que não permitem a entrada de selfie sticks, por exemplo. Consulta os sites oficiais dos festivais de música e se for necessário, contacta-os por e-mail com as tuas dúvidas. Saber algumas regras sobre os acampamentos também é uma ‘peça’ fundamental para que tudo corra da melhor maneira possível. Podes também falar com amigos que já tenham ido a certos festivais, assim recebes algumas dicas de quem já passou pela mesma experiência.
 
  • 2 – Roupa para todas as ocasiões
Apesar de serem festivais de verão, as condições meteorológicas podem ser muito irregulares e inesperados. Além de muito calor durante o dia, à noite podes vir a precisar de uma sweatshirt ou de um casaco.
 
  • 3 – Faz planos com os teus amigos
Marcar um ponto de encontro pode ser uma boa ideia, caso algum amigo teu se perca do resto do grupo e não tenha bateria no telemóvel. Se fores acampar, combina com o teu grupo de amigos aquilo que cada um pode levar, pois há coisas desnecessárias que apenas podem ocupar espaço, tempo, trabalho e esforço a transportar. Conciliar os gostos musicais de todos pode ser difícil, por isso a melhor opção é dividir o tempo entre palcos, ou dividirem-se em pequenos grupos e dirigirem-se para a atuação que mais querem ver. Consulta também o mapa do recinto, para não perderes o norte e ficares a saber onde está o teu palco de eleição ou a enfermaria.
 
  • 4 – Com barriga cheia e corpo hidratado, ninguém fica indisposto
A água e uma boa alimentação são essenciais para um festival de verão. São muitas horas em pé, a dançar e a saltar, ou seja, a gastar energias. Para aguentar todas as horas e atuações dos teus artistas favoritos, enche bem a barriga e bebe muitos líquidos para não ficares mal disposto. Não te esqueças que o teu estômago também tem de estar preparado para o álcool...
 
ORÇAMENTO APERTADO?
 
A crise económica que o nosso país atravessa, faz com que tenhamos algumas dificuldades em nos deslocar a certos festivais de verão. Alguns meses antes de serem revelados os primeiros artistas para os eventos, alguns festivais disponibilizam os bilhetes a preços mais acessíveis. É uma questão de sorte e de pensamento positivo, para que o teu artista preferido faça parte do cartaz.
 
Outra opção é ir tentando os passatempos que decorrem por toda a internet. Vários sites, blogs e páginas de Facebook realizam passatempos, onde podes vir a ser o grande vencedor. Não custa tentar!
 
Alguns festivais de música têm também disponível alguns packs de bilhetes, que podes dividir com os teus amigos e família, tudo a um preço mais barato que o normal. 
 
{youtube}nI6ilaupC2k{/youtube}
Publicado em Festivais

 

A editora I Bounce Records vai lançar no próximo dia  1 de julho, pelo quarto ano consecutivo, a compilação Algarve Summer Grooves. O álbum vai estar à venda em exclusivo nas lojas FNAC.
 
O Algarve Summer Grooves seguiu novamente as vertentes do deep e da house music, focando a época do verão que está à porta. Nesta compilação estão presentes novos talentos da música de dança nacional, bem como artistas já consagrados no panorama eletrónico, mixados por Charlie Spot e Bruno Zarra.
 
Confere abaixo o alinhamento:
 
  • 1 – Mário Marques feat. Latasha Jordan – Come See About Me (Labsoul & Mastercris Mix)
  • 2 – Sorcha Richardson –Alone (David K & Lexer Remix)
  • 3 – Sylva Drums feat. Ana Rostron & João Kaiano – The Sun Of Freedom
  • 4 – Hugo Villanova – Good Luv
  • 5 – Alex Moraia & PedroP – Summer Daze
  • 6 – Double B – Enjoy Life
  • 7 – Charlie Spot e Bruno Zarra feat. Miss Kim – Turn Me On
  • 8 – Bruno Zarra e Pedro P – All Alone
  • 9 – Carlos Mantilla – Can’t Fake The Feeling
  • 10 – Charlie Spot e Bruno Zarra – Trompette
  • 11 - &lez – Styless
  • 12 – Pete Tha Zouk feat. Ethan Thompson – Paradise (Algarve Lounge Mix) – Bonus Track
 
 
Publicado em Mix
terça, 05 novembro 2013 16:31

Squad: Nova editora quer fazer a diferença

O mercado da música eletrónica tem agora uma nova editora. A SQUAD é uma nova marca para este segmento, apresentando-se como "jovem, dinâmica e irreverente". A ideia principal deste jovem projeto, pensado e idealizado durante o ano de 2013, é "dar uma lufada de ar fresco ao cenário eletrónico português". 
 
A nova editora pretende ocupar uma posição no mercado nacional e internacinal, apostando forte na imagem e conteúdos exclusivos, inovadores e extravagantes. A ideia principal dos seus responsáveis passar por "privilegiar a satisfação do consumidor final, com especial atenção para os seguidores da marca e do mercado da música electrónica". 
 
É possível ficares a saber mais sobre este novo projeto em squadrecordings.com ou em facebook.com/SquadRecordings.
 
Publicado em Mix
Há muito tempo que existem concertos direcionados para bebés, mas com o género de música eletrónica será a primeira vez, no próximo domingo no Teatro Miguel Franco em Leiria.
 
Paulo Lameiro, o diretor artístico, explicou à Lusa que o som vai sair por “oito canais independentes, quatro no solo e quatro no ar, criando uma espacialização” que “pode sugerir as memorias sonoras intrauterinas” nos bebés.
 
“A eletrónica em si, que se pode vestir de muitas roupagens, é por norma uma linguagem que se cultiva ou despreza, sendo por isso sempre uma grande surpresa o que acontece em cada concerto”, acrescentou o diretor artístico.
 
A estreia desta iniciativa decorreu em Espanha no passado mês de março. “As crianças estão sobretudo à procura de estímulos e interessam-lhes sons que são diferentes dos que estão habituados a ouvir no dia-a-dia. Não sei como vai ser a reação à eletrónica, pois não podemos ver a música de forma isolada”, salientou Nelson Brites à agência Lusa, que compôs e executou as músicas para estes concertos.
 
O Centro Cultural Olga Cadaval, em Sintra, vai ser outro dos locais por onde vai passar este novo projeto, no próximo dia 22 de novembro.
Publicado em Mix

 

A revista norte americana Billboard realizou uma lista dos melhores festivais de música eletrónica da Europa, que vão acontecer este verão. A tabela conta com 20 festivais, espalhados por vários países do velho continente, que englobam os diversos tipos de música eletrónica.
 
Os famosos festivais Tomorrowland, Mysteryland, Ultra Europe e Sonar constam na lista, liderada pelo Berlin Festival, que decorreu na Alemanha, nos dias 29, 30 e 31 de maio.
 
Confere a lista completa:
 
  • 1 – Berlin Festival (Berlim, Alemanha, 29 e 31 de maio) – Cabeças de cartaz: Richie Hawtin, Dixon
  • 2 – Sonar (Barcelona, Espanha, 18 a 20 de junho) – Cabeças de cartaz: The Chemical Brothers, Skrillex
  • 3 – Fusion Festival (Larz, Alemanha, 25 a 28 de junho)
  • 4 – Hideout Festival (Pag, Croácia, 28 de junho a 2 de julho) – Cabeças de cartaz: Duke Dumont, Gordon City, Loco Dice
  • 5 – Exit Festival (Navi Sad, Sérvia, 9 a 12 de julho) – Cabeças de cartaz: Hardwell, Martin Garrix, Dixon
  • 6 – Ultra Europe (Split, Croácia, 10 a 12 de julho) – Cabeças de cartaz: Afrojack, David Guetta, Carl Cox, Zedd
  • 7 – Dour Festival (Dour, Bélgica, 15 a 19 de julho) – Cabeças de cartaz: Flume
  • 8 – Melt Festival (Ferropolis, Alemanha, 17 a 19 de julho) – Cabeças de cartaz: Bonobo, Jamie XX
  • 9 – Secret Garden Party (Abbots Ripton, Reino Unido, 23 a 26 de julho) – Cabeças de cartaz: Jungle, Caravan Palace
  • 10 – Tomorrowland (Boom, Bélgica, 24 a 26 de julho) – Cabeças de cartaz: David Guetta, Tiesto, Avicii, Axwell /\ Ingrosso
  • 11 – Dekmantel (Amesterdão, Holanda, 30 de julho a 2 de agosto) – Cabeças de cartaz: Machindrum, Mano Le Tough, Recondite
  • 12 – Kazantip (Popovka, Geórgia, 31 de julho a 16 de agosto) – Cabeças de cartaz: Marco Carola, Ricardo Villalobos, Jamie Jones
  • 13 – Eastern Electric (Londres, Reino Unido, 1 de agosto) – Cabeças de cartaz: Jamie Jones, Joris Voorn
  • 14 – SonneMondeStern (Saalburg Beach, Alemanha, 7 a 9 de agosto) – Cabeças de cartaz: Calvin Harris, The Chemical Brothers, Steve Aoki
  • 15 – Barrakud (Pag, Croácia, 8 a 15 de agosto) – Cabeças de cartaz: Sven Vath, Dubfire
  • 16 – Sziget Festival (Budapeste, Hungria, 10 a 17 de agosto) – Cabeças de cartaz: Avicii, Martin Garrix, Major Lazer
  • 17 – Pukkelpop (Hasselt, Bélgica, 20 a 22 de agosto) – Cabeças de cartaz: Kygo, Madeon, Knife Party
  • 18 – Creamfields (Cheshire, Reino Unido, 28 a 30 de agosto) – Cabeças de cartaz: Avicii, The Chemical Brothers, Armin van Buuren, Martin Garrix
  • 19 – Mysteryland (Haarlemmermeer, Holanda, 29 e 30 de agosto) – Cabeças de cartaz: Alesso, Martin Garrix, Steve Angello, The Martinez Brothers
  • 20 – Bestival (Isle Of Wight, Reino Unido, 10 a 13 de setembro) – Cabeças de cartaz: The Chemical Brothers, Skrillex, Duke Dumont
 
Publicado em Festivais

São dois nomes incontornáveis da cena eletrónica e do hip hop, sobejamente conhecidos pelas suas atuações energéticas e pelas produções repletas de talento. Cruzfader e Stickup dão vida ao projeto Dynamic Duo, que anda imparável e tem percorrido o país em grandes eventos. Durante o Rock in Rio Lisboa, o Portal 100% DJ teve a oportunidade de estar à conversa com a dupla, onde ficámos a saber algumas curiosidades e novidades para o futuro.

 

Com tantas atuações a nível nacional e internacional, como é que vocês têm tempo para os vossos projetos paralelos?
Stikup: Vou dizer uma coisa que parece uma bocado estranha. Nós viemos de uma ‘escola’ chamada turntables, que te dá bastante técnica para se fazer tudo a nível de produção e mistura. O scratch é uma coisa que se ganha, treina-se e tem um complemento totalmente diferente dos outros tipos de DJs. Nós conseguimos fazer isso, conseguimos conciliar tocar aqui hoje, amanhã outro estilo, depois outro e ainda estar a produzir. É um bocadinho por aí. Ajuda-nos bastante.
 
Como é a reação do público aos vossos sets, recheados de hip hop nacional e internacional, que é muito habitual nas vossas atuações?
Stikup: É um complemento. O Cruzfader é o pilar do hip hop dos Dynamic Duo.
Cruzfader: Cada atuação é diferente e cada caso é um caso. Por vezes experimento tocar hip hop e não pega e aí vimos que neste caso será mais música eletrónica, mais comercial.
Stikup: Basicamente, eu acho que esse vai ser o futuro do DJ, ser uma pessoa, que não toque só uma linha de música. Eu vejo isto a longo prazo porque as pessoas cada vez mais estão “come e deita fora”, o chamado consumo rápido. E acho que o DJ já é isso. É aquele DJ que toca tudo, que o faz bem porque também não é fácil tocar todos os estilos musicais.
 

(...) as pessoas cada vez mais estão “come e deita fora”, o chamado consumo rápido.

 
Vocês conseguem observar esse aspeto logo no início das atuações?
Stikup: Não. Dynamic Duo é um projeto 100% freestyle. Se for uma Queima das Fitas como a de Coimbra, nós levamos algo já estruturado ou se for algo diferente usamos mais o microfone, o que conta também bastante hoje em dia, mas usamos muito o freestyle.
Cruzfader: Também tem a ver com o line-up do evento. Se for um cartaz com mais artistas de hip hop, obviamente que o público vai estar mais virado para esse estilo. Se há um cartaz mais virado para o kizomba e outros artistas, vai ser um set mais comercial. A leitura do cartaz em si indica mais ou menos como irá ser o set. Nos primeiros 10 a 15 minutos consegue-se ver o que o pessoal quer ouvir.
Stikup: Muitos DJs não têm noção disto. Como me disse sempre o Cruzfader, “os primeiros 15 minutos são a tua marca”. 
Cruzfader: Outra coisa importante que nós fazemos é criar picos de subida e descida dentro do nosso estilo musical. Por exemplo, quando tem de subir, passa-se por uma coisa mais afro, não propriamente hits. Às vezes o balanço da música, o bpm em si, chama pelo público. Depois vamos contornando. É muito importante fazer a gestão do set, que não é só disparar as músicas: é saber coordena-las com o público para criar um ambiente com altos e baixos.
 
Alguma vez pensaram atuar no Rock in Rio Lisboa?
Cruzfader: Sinceramente, não. Quer dizer, como dupla já me passou pela cabeça aquela vontade.
Stikup: Havia uma vontade mas nunca me passou pela cabeça vir ao Rock in Rio. Tem mais a ver connosco o MEO Sudoeste. Mas o Rock in Rio é o início.
 
O que representa esta atuação para vocês?
Cruzfader: Representa um reconhecimento da nossa rádio, a Mega Hits.
Stikup: Nós estamos aqui muito por causa da Mega Hits. É preciso referir isso. E também é certo que o Rock in Rio também tem a sua parte de dizer vai ou não vai. Por isso é um reconhecimento das duas partes.
 
Para quando um tema original dos Dynamic Duo?
Cruzfader: Não sabemos. Estamos sempre a produzir e a fazer coisas mas ainda não veio essa parte.
 
Que projetos pretendem desenvolver agora a curto prazo?
Stikup: Eu tenho um projeto novo com o Kking Kong, que trabalha com o Branko dos Buraka Som Sistema e com o Sensi, o irmão do Fred dos Orelha Negra, que se chama KNS, ou seja Kanalhas e estamos a vir aí com um registo mais trap, de música mais urbana, mais bass music. Temos os nossos projetos a solo.
Cruzfader: Estamos muito em estúdio, sempre a trabalhar.
 
 
Segue Dynamic Duo nas redes sociais

    

 
Publicado em Entrevistas
A história da música eletrónica em Portugal vai ser contada através de um documentário. “Tecla Tónica” é o nome da longa metragem realizada por Eduardo Morais e está neste momento a ser gravado, com o apoio da Jameson.
 
A imagem fica a cargo de João Pombeiro, enquanto que o som é obra de Helena Fagundes e as entrevistas feitas por Rui Miguel Abreu.
 
Rui Estêvão, DJ Vibe, DJ Ride e Carlos Lopes são algumas das caras conhecidas que foram entrevistadas para o documentário.
Publicado em Mix
Pela primeira vez na história, a música eletrónica irá ganhar uma cerimónia especial de prémios que será transmitida no próximo dia 23 de abril no horário nobre do canal norte-americano FOX.
 
A cerimónia, intitulada como “Electronic Music Awards & Foundation”, vai ser gravada no dia 14 de abril, no SLS Hotel em Los Angeles, nos Estados Unidos da América e está confirmada a presença de grandes estrelas do cenário da música eletrónica mundial. Com direito a passadeira vermelha, a entrega de prémios inclui ainda várias atuações, apresentadores especiais e entrevistas.
 
“Estou muito feliz por fazer parte de uma cerimónia de entrega de prémios que, finalmente, reconhece e celebra, em pleno horário nobre, um dos maiores géneros musicais do mundo da atualidade”, a música eletrónica, afirmou Paul Oakenfold, produtor executivo do “Electronic Music Awards & Foundation”.
 
As votações nas diversas categorias começam no próximo dia 15 de fevereiro, no site oficial do evento.
 
Publicado em Mix
Pág. 1 de 5
100% DJ. Projeto editorial independente cujos valores se guiam pelo profissionalismo, isenção e criatividade, tendo como base de trabalho toda a envolvente da noite nacional e internacional, 365 dias online.

Newsletter

Recebe novidades e conteúdos exclusivos no teu e-mail.