25-05-2019

  Diretor Ivo Moreira | Periodicidade Diária

Sobre Nós  |  Fala Connosco     

Boom, na Bélgica, é uma cidade com menos de 20 mil habitantes. Durante os próximos dias 24, 25 e 26 de julho, a localidade vai receber milhares de festivaleiros unidos por um objetivo: a música eletrónica, vivida nos vários palcos do festival Tomorrowland.
 
A edição deste ano conta com nomes como Alesso, Avicii, David Guetta, Dyro, Nicky Romero, Oliver Heldens, Steve Aoki, Ummet Ozcan, W&W, Armin van Buuren, Axwell /\ Ingrosso, Blasterjaxx, Deorro, Martin Garrix e muitos outros.
 
Pelo segundo ano consecutivo, o Portal 100% DJ foi ao encontro de alguns portugueses que vão embarcar na experiência Tomorrowland e que têm uma única paixão: a música eletrónica.
 

“NÃO É UM FESTIVAL, É UMA RELIGIÃO!”

 
Já tentei explicar a centenas de pessoas. É mais do que um festival, é uma religião! Não se explica, sente-se. Uma vez ‘Tomorrowlander, Tomorrowlander’ até à morte! Estranho? Depois de lá irem vão entender”, são as palavras de João Santos, de 48 anos e natural de Sintra, que parte para o festival belga pela terceira vez. Na sua mala de viagem constam produtos de higiene e roupa prática para ver alguns dos seus artistas favoritos como Coone e Brennan Heart.
 
Em relação às expetativas para a edição deste ano, João afirma que “as lágrimas ameaçam quando começo a pensar só de entrar no avião e ouvir aquela mensagem arrepiante do comandante: ‘flight to Tomorrowland’”. O sintrense considera ainda que “este festival é muito caro, mas é um facto que as pessoas como eu, que adoram electronic dance music (EDM) e apesar da minha idade e de já ter ido duas vezes... ainda vou uma terceira. Isto tem a ver com um facto: o Tomorrowland não é um festival, é uma religião!”.
 
Apesar de achar que Portugal tem falta um evento deste género, João Santos não acredita “que fosse possível um espírito igual ao da Bélgica”.
 

“TENTO NÃO CRIAR EXPETATIVAS”

 
Bruno Alves tem 31 anos e vai ao festival pela primeira vez, diretamente de Vizela. “Tento não criar muitas expetativas para poder ser completamente surpreendido por tudo! Mas como é lógico, são elevadíssimas”, confessou o festivaleiro em exclusivo ao Portal 100% DJ. Na sua mala, além da bandeira nacional, leva a GoPro, telemóvel, óculos de sol e a camisola do seu ídolo: Francesco Totti (jogador do Roma).
 
No festival pretende assistir às atuações de Axwell /\ Ingrosso e Oliver Heldens, e destaca “o ambiente, os palcos que são mágicos, as pessoas e claro, a música”. Em relação a Portugal, Bruno considera que o público não se pode queixar com o que já tem, visto que já existem “eventos que vão decorrendo ao longo do ano e onde podemos ver os melhores DJs do mundo”.
 

“VALE TODOS OS CÊNTIMOS GASTOS”

 

Com 33 anos, Marco Reis parte da Trofa em direção à Bélgica pela segunda vez consecutiva. “Tudo no Tomorrowland é especial. É o festival que promove a magia e o amor. Isso nota-se a cada passo que damos: existe magia no ar e é tudo feito ao pormenor. Não se consegue exprimir em palavras o que é o Tomorrowland”, salientou Marco.
 
As suas expetativas “são sempre elevadas”, principalmente para “ver como será o palco Main Stage”. Na bagagem leva “o essencial”, como a máquina fotográfica e telemóvel “para registar todos os momentos e mais tarde recordar”, comida, bebida, um impermeável e objetos de higiene.
 
“É um festival caríssimo. Temos de poupar um ano inteiro para termos três dias de loucura inesquecível. Mas vale todos os cêntimos gastos. É talvez a maior e melhor memória que teremos para o resto das nossas vidas”, destaca Bruno.
 
O português garante que Portugal não necessita de um festival desta envergadura, pois existe o MEO Sudoeste e outras festas com grandes nomes da música eletrónica, porém, atesta que “o país em si, não inspira confiança para um festival do género”.
 

“É O MAIOR FESTIVAL DO MUNDO”

 
Rui Sá, natural de Braga, tem 22 anos e também é estreante no Tomorrowland, prometendo que vai “aproveitar ao máximo aquele que é o maior festival do mundo. Sentir o ambiente proporcionado pelos artistas e que entusiasma o público e, acima de tudo, conhecer malta que, tal como eu, ‘vive’ a música eletrónica!”.
 
A bandeira portuguesa e a camisola de Steve Angello, o seu “artista de eleição” que não quer perder, vão bem guardadas na mala de viagem. Para conseguir ir à Bélgica, Rui confessa que quem “tem o sonho de ir ao Tomorrowland, que nunca desista desse objetivo, pois mais cedo ou mais tarde, há-de conseguir”, apesar de não ser fácil economicamente.
 

“UM SONHO DO QUAL QUEREMOS FAZER PARTE”

 
Depois de viajar até ao Ultra Music Festival de Miami e Ultra Europe na Croácia, Cristina Lima parte agora para o Tomorrowland pela segunda vez. A portuguesa de 31 anos e natural do Porto confessou estar “bastante ansiosa por ver o Main Stage” e afirma que os organizadores do evento “vendem um sonho do qual queremos fazer parte”.
 
Dois pares de sapatilhas e uma câmara fotográfica “para captar os melhores momentos” são os objetos essenciais que destacou em exclusivo ao Portal 100% DJ. Após ver Tiesto no Ultra Europe, Cristina está “curiosa por vê-lo no Tomorrowland”.
 
“Em Portugal fazem-se festivais à medida das mentalidades. Neste momento temos bons festivais, com bons cabeças de cartaz de EDM”, respondeu a portuense quando questionada sobre a falta de um festival do género no nosso país. Para viajar até Boom, “desejar apenas não chega, é preciso querer. Quando se quer algo temos de fazer opções, ir menos vezes ao café, despender menos dinheiro na noite... para quando chegar a hora temos tudo a postos para comprar o sonho!” confessou Cristina Lima.
 

“É A DISNEYLAND PARA ADULTOS!”

 
Laëtitia Esteves, de 29 anos e natural de Guimarães, viaja pela terceira vez consecutiva até Boom e espera voltar a “ser surpreendida com a magia que se respira durante aqueles três dias”, destacando ainda “um dos momentos marcantes e mais emocionantes” de cada ano como “a descoberta do Main stage”.
 
“Na realidade, tudo é especial. Eu costumo dizer que não se consegue descrever, é preciso vivê-lo e toda a gente deveria de lá ir pelo menos uma vez na vida. Tudo é pensado ao pormenor de forma a marcar as nossas vidas para sempre. E marca mesmo!”, confessou Laëtitia.
 
A amante de EDM destaca ainda que “a música é sem dúvida o ponto alto do festival com os seus inúmeros artistas de renome internacional. Mas a decoração, a organização, o ambiente que se vive... é a Disneyland para adultos! São mais de 200 mil pessoas vindas dos quatro cantos do mundo com a mesma paixão. Não interessa a cor, raça, idade, sexo e nacionalidade, porque no fundo a música une-nos”.
 
Na mala de viagem não vai poder faltar a bandeira nacional, roupas leves, calçado confortável, óculos de sol, protetor solar e a camisola do seu ídolo, Alesso. Quando questionada sobre que atuações mais deseja assistir, Laëtitia salienta Alesso, Armin van Buuren, Steve Angello e Axwell /\ Ingrosso, deixando ainda uma sugestão à organização: “um dia gostava de ver Pete Tha Zouk no Tomorrowland. É o meu ídolo nacional”.
 
Relativamente aos seus gostos musicais, a vimaranense considera que Portugal tem falta de um festival como o Tomorrowland, mas tem dúvidas em relação à adesão das pessoas. E porquê? “A entrada para o Tomorrowland é cerca de três vezes mais cara do que a de um MEO Sudoeste” e “neste momento está enraizada uma ‘onda’ de Kizomba no nosso país. As casas foram praticamente obrigadas a apostarem nessa ‘onda’ porque é o que se vende”.
 
O investimento para uma aventura como estas não é “nada fácil”. “Termina um Tomorrowland e já estamos a poupar para o próximo, porque os bilhetes são vendidos cerca de seis meses antes da realização do festival. Fica caro pelo facto de serem apenas três dias, mas vale cada cêntimo investido”, confessou Laëtitia Esteves ao Portal 100% DJ.

 

{youtube}NtDG-Cnj-pw{/youtube}

 

Publicado em Tomorrowland
Os ingressos para o Tomorrowland estão praticamente esgotados e mais uma vez o Festival belga está prestes a aumentar a lista dos seus recordes. Se ainda não adquiriste o teu bilhete, ainda estás a tempo (!), pois só existe em Portugal e em número limitado, os pacotes “Global Journey” que incluem o tão desejado bilhete de acesso, voo, estadia e transferes. Tudo isto com acesso ao campismo pelo preço aproximado de 918 euros (taxas incluídas) desde o Porto, Lisboa e Faro.
 
Milhares de pessoas dos quatro cantos do mundo vão rumar até Boom, na Bélgica, nos dias 21, 22, 23 e 28, 29 e 30 de julho, e segundo Laëtitia Esteves, responsável pela “Tomorrowland Crew Portugal”, o nosso país estará representado por mais de uma centena de festivaleiros. 
 
O cartaz para esta edição de dois fins-de-semana ainda está a ser divulgado, e até ao momento já conta com vários nomes da música eletrónica como Armin van Buuren, Oliver Heldens, Martin Garrix, Dimitri Vegas & Like Mike, Deadmau5, Marshmello e David Guetta, Sven Väth, Ricardo Villalobos, Seth Troxler, Luciano e Kerri Chandler.
 
 
Publicado em Tomorrowland
A sua atuação no Tomorrowland está a dar que falar. Por um lado, muitos foram aqueles que apreciaram o seu espetáculo e o seu set, por outro, fazem-se críticas à prestação excêntrica do artista que muitos desconhecem e que só agora se tornou viral, muito por culpa da sua forma de estar atrás da cabine. Eis Salvatore Ganacci.

Mas quem é? Para a grande maioria, é um artista que, além de DJ, exibe uns passos de dança brilhantes que contagiam tudo e todos. Na verdade, Salvatore conta com uma sólida carreira no mercado da música de dança desde 2014, quatro anos depois de entrar para a escola Musikmakarna, na Suécia.

Ao longo da sua carreira, Ganacci já lançou várias colaborações com artistas de renome, como é o caso de Major Lazer, Dillon Francis, Sebastian Ingrosso, Axwell, Pusha-T, entre muitos outros. Do seu currículo fazem ainda parte vários remixes oficiais para os Swedish House Mafia, Knife Party, Dada Life, Afrojack, Snoop Dogg e Alesso.

Além da música eletrónica, o artista oriundo da Bósnia aprecia também moombahton, trap e dancehall. É também reconhecido por editoras como a Universal Music Group, STMPD RCRDS, Dim Mak, Def Jam Recordings, Virgin Records ou a Warner Music Group.

Depois de duas atuações em anos consecutivos no Tomorrowland e no Ultra Music Festival em Miami, quem não gostaria de ver este verdadeiro showman ao vivo em Portugal?
 
Publicado em Artistas
21 de Julho, partida para aquela que considero a ‘terra dos sonhos’. É a 4ª vez mas sinto o nervosismo e a ansiedade como se fosse a primeira.
 
No aeroporto já se vive um ambiente especial. Temos a sensação que nos conhecemos todos há imensos anos. Mas, na realidade, é a primeira vez que estamos juntos. Todos temos algo em comum: um sorriso no rosto.
 
Chegamos a Bruxelas e já se experiencia um ambiente único! Bandeiras de inúmeros países, pessoas de todas as idades… todas com uma paixão louca por música electrónica.
 
Apanhamos o autocarro e finalmente avistamos o tão famoso arco-íris do mais famoso campismo do mundo: Dreamville. Os comentários dos estreantes são sempre os mesmos: “estamos aqui! Nem acredito! Vi isto em tantos vídeos mas nunca imaginei estar aqui!".
 
Toca a montar rapidamente as tendas porque a festa já começou: o "The Gathering". Música, música e mais música! Milhares de pessoas vindas dos quatro cantos do mundo numa loucura impossível de descrever! Mas que ambiente! Arrepiante!
 
O Tomorrowland prometeu duas surpresas nas últimas duas horas de receção ao campista. E que surpresas! Primeiro, Afrojack num set de 1h. Terminado Afrojack, começa uma introdução com uma produção nunca antes vista numa recepção ao campista no Tomorrowland! Milhares de pessoas com os olhos postos à espera de quem seria a surpresa! Palpites eram muitos: Dimitri Vegas & Like Mike ou ainda Yves V por serem residentes do Tomorrowland!
 
Mas não. O Tomorrowland surpreendeu-nos como o faz a cada ano que passa. A surpresa era Tiësto. O senhor Tiësto! O público estava ao rubro. Afinal tínhamos um dos maiores DJ's do mundo à nossa frente. Obrigado Tomorrowland! Uma receção que mais parecia um festival enorme.
 
Que venha o primeiro dia de Tomorrowland! As expectativas são altíssimas e o momento chave será sem dúvida a descoberta do palco principal.

 

Laetitia Esteves (Tomorrowland Crew Portugal)
Publicado em Tomorrowland
quarta, 18 novembro 2015 23:27

Tomorrowland anuncia datas para 2016

A edição belga e original do Tomorrowland já tem datas. Nos dias 22, 23 e 24 de julho do próximo ano, a cidade de Boom, na Bélgica, volta a receber os festivaleiros de várias partes do mundo, que se juntam apenas por um motivo: a música eletrónica.
 
Ainda sem cartaz definido para a edição belga, vai ser lançado em dezembro o filme “This Was Tomorrow”, que promete retratar os dias vividos naquele festival pelos seus visitantes e também pelos DJs e produtores que sobem aos vários palcos do recinto.
 
A organização do evento, a SFX, tem vindo a sofrer com a crise económica nos últimos tempos e muitos são os rumores que circulam na internet sobre o assunto, chegando a falar-se da falência da empresa. A última edição norte-americana, o TomorrowWorld, ficou marcada pelas piores razões devido às más condições climatéricas, que até levaram ao cancelamento do último dia do evento.
 
Em relação ao Tomorrowland Brasil, a primeira confirmação para o line-up será revelada na próxima segunda-feira.
 
{youtube}HuAxVfZasUk{/youtube}
Publicado em Tomorrowland
O dia começa cedo! Por volta das 7 horas já todos estamos acordados. Avizinha-se um dia longo e cheio de emoções. Os que vêm pela primeira vez ficaram tão surpreendidos com a festa da receção que acham que mais nada os pode surpreender! Estão bem enganados.
 
Começamos com um mega pequeno-almoço porque o segredo para se aguentar estes 5 dias passa mesmo por uma boa alimentação.
 
Fomos cedo porque o Tomorrowland avisou-nos que as regras de segurança seriam mais apertadas. E realmente mudaram. Passamos pela primeira porta onde nos entregaram uns sacos transparentes e onde tínhamos de colocar todos os nossos bens. A seguir, passamos pela segunda porta onde este ano temos um detector de metais.
 
Entrámos finalmente! O ambiente é sempre o mesmo: pura magia e felicidade. Dirigimo-nos logo ao Mainstage para descobrir o fantástico palco! O meu palpite era que fosse uma árvore pelo facto de aparecer uma árvore nas garrafas de cerveja que patrocinam o Tomorrowland. E foi mesmo! Um palco enorme e imponente como o Tomorrowland sempre nos habituou.
 

A noite cai e o palco surpreende cada vez mais! Aquelas luzes, toda a produção é fantástica. Provoca arrepios.

 
Fomos de seguida ao restaurante para almoçar. Terminado o almoço, é tempo de descobrir os palcos deste ano. Muitas novidades, mas sempre com aquele toque de magia que o Tomorrowland nos habituou. Os estreantes estão de boca aberta! Dizem que agora me dão razão: não há palavras que descrevam a magia deste festival e que não sabem como irão descrever estes dias aos familiares e amigos.
 
Este ano é muito especial para os portugueses! Quando nos perguntam de onde vimos e respondemos "Portugal", a resposta é sempre a mesma: "oh Portugal, campeões!". Os cânticos dos portugueses em torno da seleção repetem-se sem fim porque temos um orgulho enorme de representar as cores do nosso país no maior festival do mundo de música electrónica. O grito do Cristiano Ronaldo também é uma constante.
 
Após uma concentração de portugueses em frente ao Mainstage, decidimos ir todos para a frontline durante o set de David Guetta. Afinal, ele iria tocar a música do Euro 2016 e os campeões tinham de estar bem lá na frente.
 
A noite cai e o palco surpreende cada vez mais! Aquelas luzes, toda a produção é fantástica. Provoca arrepios. O meu ídolo Alesso encerrava o Mainstage do primeiro dia e era impensável para mim sair da frontline. A seguir a Guetta, Armin van Buuren surpreendeu-nos com um set de cortar a respiração. Tiësto é o senhor que se segue e finalmente, o grande Alesso.
 
E termina assim o primeiro dia. Estamos cansados mas felizes e prontos para o segundo dia.
 
Laetitia Esteves (Tomorrowland Crew Portugal)

 

 

Publicado em Tomorrowland
segunda, 20 janeiro 2014 00:43

Quanto custa entrar no Tomorrowland?

 

Há preços para todas as carteiras e "crise" é palavra que aqui não entra. No ano em que cumpre 10 anos, o gigantesco Festival europeu Tomorrowland, duplicou os dias da sua realização para dois fins-de-semana, aumentando desta feita, a procura dos ingressos. 

 
 
Muita procura significa muita oferta. Recorde-se que em fevereiro de 2013 foram vendidos 180 mil bilhetes para 214 países diferentes, em apenas... um segundo. Por esse facto, a organização do Festival que anda nas bocas do mundo há 10 anos, mais uma vez, irá disponibilizar uma vasta e reforçada oferta de ingressos onde apresenta vários tipos de pacotes para todos os interessados em viajar até Boom, na Bélgica.
 
Nos dias 18, 19, 20, 25, 26 e 27 de julho a província De Schorre, localizada em Boom, na Bélgica, volta a ganhar vida com um dos festivais mais procurados de sempre. Os festivaleiros que desejam ir ao festival mais internacional do mundo, deverão fazer o seu pré-registo no site do evento até dia 15 de fevereiro e aguardar todas as informações.
 
No gráfico em baixo, poderás conferir os preços dos vários tipos de ingressos.
Importa ressalvar que em Portugal, a agência de viagens certificada pela produção do evento para a venda de pacotes é a Ocean Tour sediada em Póvoa do Varzim.
 
 
 
Publicado em Tomorrowland

 

A One World Bridge, conhecida ponte presente no recinto do festival belga Tomorrowland, recebeu recentemente uma nova mensagem da Organização das Nações Unidas (ONU) para o “People of Tomorrow”.
 
Numa parceria entre o Tomorrowland e a ONU, este novo painel pretende passar uma mensagem positiva aos festivaleiros, para partilharem valores como a amizade, dignidade, respeito, diversidade e solidariedade. Além de uma imagem de uma rosa dos ventos e várias nuvens, pode-se ler a frase “Vamos trabalhar todos juntos para proporcionar dignidade a todos”.
 
A ponte de mandeira 600 metros contém 210 mil mensagens de pessoas de todo o mundo e é um símbolo de união. Foi construída no ano passado, para comemorar os 10 anos do Tomorrowland, em colaboração com a região de Antuérpia e do artista Arne Quinze.
 
O festival Tomorrowland decorre entre os próximos dias 24 e 26 de julho em Boom, na Bélgica. Os bilhetes para a edição deste ano já se encontram esgotados.
 
 
Publicado em Tomorrowland
Atire a primeira pedra, quem nunca levou para casa um copo, uma chávena ou outro qualquer objeto. Foi devido a esses furtos descontrolados que um bar na cidade belga de Bruges viu-se obrigado a instalar um alarme contra "turistas pouco honestos". O prejuízo tem sido enorme com milhares de copos de vidro roubados.
 
O bar tem cerca de 1600 cervejas e para cada uma há um copo exclusivo. O sucesso que os copos têm feito faz com que os turistas acabem por levar alguns como "recordação".
 
Por esse motivo, os proprietários do The Beer Wall decidiram investir cerca de quatro mil euros na instalação de um alarme que emite um som com uns valentes decibéis cada vez que alguém tirar um copo do lugar.
 
Philip Maes, dono do bar, diz que o alarme foi uma medida drástica mas necessária, uma vez que chegou a um ponto em que viu que já não tinha escolha. No bar existem placas a informar que os copos estão à venda na loja ao lado, mas mesmo assim algumas pessoas acabam por tentar a sua sorte.
 
"Todos os anos perdemos pelo menos quatro mil copos", disse Maes ao jornal britânico Telegraph. "Por algum motivo os clientes pensam que quando pagam por uma bebida, recebem o copo como presente", acrescentou.
 
Maes revelou que o modelo preferido dos ladrões é o Brugse Zot e que "todos os meses pedimos à empresa uma nova palete de 400 copos".
Publicado em Mix
O maior festival do mundo está a chegar e este ano pretende oferecer o elixir da vida a todos os seus visitantes, que esperaram ansiosamente um ano pela abertura das portas. No fim-de-semana de 22 a 24 de julho, a cidade de Boom, na Bélgica, volta a tornar realidade os sonhos de qualquer amante de música eletrónica.
 
Deadmau5, Eric Prydz, Armin van Buuren, Diego Miranda, Blasterjaxx, Fedde Le Grand, Marshmello, W&W, Yves V, Dimitri Vegas & Like Mike, Don Diablo, Maceo Plex, Sven Väth e muitos outros artistas já confirmaram a sua presença. Este ano, a falta mais sentida pelos fãs do festival é de Hardwell, que a exemplo da edição brasileira, também estará fora do cartaz.
 
Apesar dos atentados terroristas que abalaram a Europa nos últimos meses, a organização do Tomorrowland não baixa os braços e pretende continuar com o festival, com redobrada atenção nas medidas de segurança. “Por vários anos seguidos a nossa maior preocupação e foco é a segurança dos visitantes. Baseados em diferentes fontes de informação, tomaremos decisões em conjunto com as autoridades locais de forma a garantir a maior segurança possível”, revelou Debby Wilmsen, representante do Tomorrowland, em exclusivo ao Portal 100% DJ.
 
LIVESTREAM
Mais uma vez o festival vai ser transmitido em direto para todo o mundo, através da conta oficial de Youtube do evento. Vão estar disponíveis várias câmaras, para que tenhas acesso aos teus palcos e artistas preferidos, durante os três dias de festa.
 
PAZ, CONVÍVIO E HUMILDADE
David Bessa tem 24 anos, vive no Luxemburgo e vai ao Tomorrowland pela terceira vez. “Os DJs são simplesmente o melhor que existe no mundo”, referiu o português em exclusivo ao Portal 100% DJ, destacando Dimitri Vegas & Like Mike, Tiësto e DJ Snake como os seus favoritos.
 
Entre os pormenores que mais gosta no festival estão a “paz, convívio e humildade das pessoas”, não esquecendo ainda do “ar mágico e misterioso ao mesmo tempo que o Tomorrowland nos faz sentir”.
 
Uma das dicas que deixa a quem gostaria de um dia realizar o sonho de ir ao festival é “estar bem organizado para tudo e para gastar o menos possível”. “Estou a ver cada vez mais portugueses interessados no Tomorrowland e seria bom o nosso país receber um festival deste género, para o mundo ficar a conhecer melhor Portugal”, concluiu David Bessa.
 
NÃO HÁ RAÇAS, POLÍTICAS NEM RELIGIÕES DIFERENTES
Pela segunda vez, Márcia Pinto, de 21 anos e natural de Lousada, parte para o Tomorrowland com as expectativas “muito elevadas”, pois “o facto de já ter estado presente na última edição deixa-me ainda mais ansiosa para que chegue o dia de levantar voo para os melhores dias da minha vida, porque não duvido que a organização vai-nos surpreender mais uma vez”, afirmou a jovem.
 
“O Tomorrowland tem tudo de especial. Tudo começa logo na viagem de avião, porque é aí que começa o convívio e a diversão. A organização até na viagem proporciona-nos momentos espetaculares como mais nenhum festival no mundo proporciona”.
 
Segundo a festivaleira, ao entrar no recinto “chegamos a uma terra encantada”, com tudo “pensado ao pormenor” e onde “não falha absolutamente nada”. “As pessoas vão única e exclusivamente pela música e para se divertir e aproveitar, ninguém está preocupado em arranjar confusões com ninguém, há um companheirismo muito grande e todos os dias a toda a hora conhecemos pessoas novas. Ali dentro não há raças, políticas nem religiões diferentes e todos se respeitam”, referiu.
 
Esta viagem “não é um investimento fácil e torna-se um bocado dispendioso. Se compararmos com o preço de outros festivais que são mais perto, como os portugueses, sem dúvida que a diferença de preço é muita”. Mas uma coisa Márcia sabe, “se há destino de ‘férias’ que merece cada cêntimo gasto é sem dúvida o Tomorrowland”.
 
BILHETE DOURADO É QUASE INACESSÍVEL 
Vindo da Suíça mas com nacionalidade portuguesa, Frédéric Cunha tem 30 anos e vai viver a experiência do Tomorrowland pela segunda vez. “As expectativas são altas, principalmente a nível temático. No ano passado fiquei estupefacto com a dimensão do palco e espero que este ano seja algo do género ou ainda melhor”, revelou o português ao Portal 100% DJ.
 
Uma das coisas que o faz regressar ao festival é o “ambiente multicultural, com o mesmo gosto pela música eletrónica”. Na mala leva consigo a camisola do Futebol Clube do Porto, a GoPro e uma roupa mais quente “porque no ano passado foi um pouco fresco”.
 
Relativamente ao garantir a sua presença no evento, Frédéric considera “que o maior problema não é a nível financeiro, mas sim a dificuldade em obter o bilhete dourado na ‘lotaria’ da venda”.
 
EXPERIÊNCIA A VIVER PELO MENOS UMA VEZ NA VIDA
Hugo Silva tem 31 anos e vai de Gondomar diretamente para o Tomorrowland pela primeira vez “Tenho a certeza que irá ser uma experiência única que se tem que viver pelo menos uma vez na vida”.
 
Para o festivaleiro, o evento belga “é simplesmente o maior evento musical do planeta” e “uma união de culturas, que consegue reunir pessoas de todos os cantos do mundo e toda a gente está unida para o mesmo. É como se fosse um mundo à parte de tudo o resto”.
 
Na sua mala leva uma GoPro “para registar os melhores momentos” e a bandeira de Portugal, para se destacar durante as atuações que mais quer ver: Alesso, Dimitri Vegas & Like Mike e Axwell /\ Ingrosso.
 
Esta não é a primeira vez que Hugo tenta ir ao Tomorrowland. “Desde 2013 que sempre tentei arranjar bilhete normal, por ser mais acessível, mas nunca consegui. Tive de juntar mais uns trocos para comprar um Global Journey e garantir a minha presença. Não é barato, mas na minha ideia cada euro gasto vai valer a pena”, admitiu.
 
 
 
 
VIVER O TOMORROWLAND COM A FAMÍLIA
Olivier Cunha, português de 22 anos e residente na Bélgica, vai com o irmão ao Tomorrowland. Para ele, “vai ser uma coisa de outro mundo e ainda por cima vou acompanhado por um membro da minha família”.
 
Olivier decidiu ir ao festival belga depois de ouvir a “experiência do ano passado que o meu irmão, um primo e um amigo viveram” e também depois de ver os aftermovies dos anos anteriores.
 
“A bandeira da nossa pátria” vai na sua mala e o festivaleiro não querer perder nem um minuto do set de Dimitri Vegas & Like Mike, apesar de querer “ver um pouco de todos”.
 
Na sua opinião, “Portugal tem muitos festivais” mas “tem falta de um festival como este, ou parecido. Um dos conselhos que deixa a quem gostaria de ir ao Tomorrowland é que “para quem tiver um trabalho estável, que vá juntando algum dinheiro” para depois conseguir viver uma experiência inesquecível.
 
MEDO DE NÃO QUERER SAIR 
Aos 26 anos, Sofia Ribeiro Silva deixa a capital, pela primeira vez, em direção a Boom, “apesar de já ter tentado no ano passado”.
 
“Não quero manter as expectativas muito altas, mas está a ser quase impossível”, confessou Sofia ao Portal 100% DJ. “Não tenho medo que alguma coisa me desiluda. O meu medo é... de não querer sair de lá!”
 
O ambiente e o cartaz que inclui os melhores DJs do mundo foi aquilo que mais lhe chamou a atenção. “Com milhares de pessoas reunidas com a mesma paixão, este é um ambiente mágico”, incluindo ainda a “música, ver o mainstage pela primeira vez, a decoração, o fogo de artifício, conhecer pessoas novas”, que no fundo são “três dias pensados ao máximo pormenor e que tenho a certeza que vão ser os melhores três dias da minha vida”, revelou.
 
Na mala de viagem leva calçado confortável como prioridade “para poder estar o mais à vontade possível e curtir o máximo”, óculos de sol, cachecol do Sport Lisboa e Benfica e a bandeira da Tomorrowland Crew Portugal, que vai marcar presença em grande número. Em relação a artistas que quer ver, estão entre as suas escolhas Alesso, Axwell /\ Ingrosso, Martin Garrix, Armin van Buuren e espera ainda “ser surpreendida por muitos outros”.
 
Na sua opinião, “Portugal ainda não tem logística para um festival deste género. Seria difícil alcançar um ambiente semelhante, com as mentalidades que ainda vamos tendo por cá. No entanto, acho que já se começa a notar uma evolução nos festivais em Portugal”.
 
Para realizar este sonho, Sofia afirma que “não é nada fácil, mas quem corre por gosto não cansa”. O investimento é “bastante grande” e que pode levar a que “por vezes termos de cortar um bocadinho mais ‘aqui e ali’”.
 
A PRIMEIRA DE MUITAS
Gaspar Magarreiro tem 50 anos e parte de Terrugem (Elvas) para o Tomorrowland pela primeira vez com “um desejo enorme que já vem desde há vários anos”. Esta viagem proporcionou-se numa conversa com um amigo que partilhava do mesmo desejo “e resolvemos ir. Espero que seja a primeira de muitas!”.
 
O responsável pela conceituada empresa “Retiros Místicos”, irá estar atento à parte mais técnica e da produção do evento, e espera que “o festival venha a servir de inspiração para eventos que estamos a preparar para o futuro, embora numa escala diferente” revelou.
 
“Estou curioso com os cenários, os efeitos especiais e a iluminação - são sempre deslumbrantes, certamente que ao vivo serão bem mais surpreendentes”, confessou Gaspar Magarreiro, referindo também que “as expectativas são enormes” e que está “curioso para ver a organização e a dinâmica do espaço”.
 
Agradecimentos: Laetitia Esteves (Tomorrowland Crew Portugal)
 
Publicado em Reportagens
Pág. 1 de 5
100% DJ. Projeto editorial independente cujos valores se guiam pelo profissionalismo, isenção e criatividade, tendo como base de trabalho toda a envolvente da noite nacional e internacional, 365 dias online.

Newsletter

Recebe novidades e conteúdos exclusivos no teu e-mail.