06-06-2020
  Diretor Ivo Moreira  \  Periodicidade Diária

Miguel Berro: "É mais fácil aprender a fotografar graças ao Youtube"

Publicado em segunda, 04 maio 2020 21:40 | Escrito por
Miguel Berro: "É mais fácil aprender a fotografar graças ao Youtube" DR
Desde muito novo que se interessava em fotografar, mas foi há sete anos atrás que comprou a sua primeira máquina fotográfica. Desde então nunca mais a largou. A sua experiência conta com incríveis imagens de pessoas, paisagens, festivais e detalhes que só ele sabe captar. Na música eletrónica, a incursão de Miguel Berro acontece no festival One Fest e atualmente é fotógrafo oficial do DJ e produtor português Zinko. Fomos conhecer um pouco do percurso deste fotógrafo português de 23 anos.
 

Como começou a tua aventura no mundo da fotografia? E como ficou ligada à música eletrónica?
Sempre tive o “bichinho” pela fotografia. Desde muito novo que pegava em máquinas de amigos e ia fotografar. Na altura, nunca tinha pensado em seguir carreira na área da fotografia mas alguns anos depois, quando estava a tirar um curso de Multimédia e tive um módulo de fotografia, foi aí que tive um click na minha cabeça e disse a mim mesmo: "É isto! É isto que eu quero!” Um ano depois, em 2013, comprei a minha primeira máquina e desde então nunca mais parei de fotografar. Entre pessoas, paisagens, casamentos, festas corporativas, festivais, viagens de finalistas e fotografia de produto, já fiz de tudo um pouco. A minha entrada na música eletrónica foi num festival na minha cidade, o One Fest em Vendas Novas, onde fotografei Diego Miranda, Joey Dale, Karetus, Zinko, entre outros artistas.


Que artistas e festivais já tiveste a oportunidade de fotografar? Com qual ou quais gostaste mais de trabalhar?
Palmesus, MEO Sudoeste, Rebel Village, Revenge of the 90's e Freedom Festival, são alguns dos eventos onde já passei. Já tive oportunidade de fotografar Marshmello, Tiësto, The Chainsmokers, Macklemore, Alan Walker, Zinko, Ninja Kore, Karetus, Vini Vici, DJ Ride, Van Breda, Nokin, entre muitos outros.


E com quais gostarias de vir a trabalhar?
Adorava poder um dia fotografar um espetáculo do Drake, Martin Garrix ou Hardwell. Acho fascinante o nível de produção que está envolvido nas apresentações a solo deles.


Tens alguma história caricata que tenha acontecido durante algum dos teus trabalhos?
Não vou referenciar nomes, mas um dia tive oportunidade de fotografar um aniversário de uma figura pública portuguesa. A festa foi muito boa e as fotos estavam fantásticas. Ao fim da noite perdi o cartão com tudo o que tinha fotografado. Até hoje ainda me pergunto onde poderei ter perdido aquele cartão... Foi o pior dia da minha vida.
 
 

Que material fotográfico aconselhas para quem queira seguir os teus passos? E algumas dicas?
Acho que para começar qualquer máquina serve. O importante, na minha opinião, é ganhar prática e experiência no terreno. Hoje em dia é cada vez mais fácil aprender a fotografar graças ao Youtube.


Na edição de imagens, a criatividade é totalmente da tua autoria ou segues instruções dos clientes?
Posso-me orgulhar de dizer que todas as minhas edições são da minha autoria. Todos os meus clientes até hoje sempre me deram a maior liberdade na edição das fotografias.


És o fotógrafo oficial do Zinko. Conta-nos como tudo começou e como está a ser a experiência.
Já trabalho com o Zinko há 5 anos. Não me lembro ao certo como tudo começou, mas foi das poucas pessoas que acreditou em mim no início e desde então já viajámos de norte a sul do país, incluindo os Açores. Tem sido uma experiência fantástica poder trabalhar com ele e ver evolução a cada dia que passa.

Este artigo foi lido 793 vezes