25-02-2020

  Diretor Ivo Moreira | Periodicidade Diária

Sobre Nós  |  Fala Connosco     

A 8ª edição do Festival Bienal de cultura independente e expressão artística - Boom Festival tem lugar entre os dias 18 e 26 de Agosto na Herdade da Granja, em Idanha-a-Nova.

Tal como em edições anteriores este evento mantém a sua tradição de ser o evento português com mais projecção no estrangeiro. A par de ser um festival intercultural, é um acontecimento multidisciplinar, transgeracional e sustentável. Diferencia-se por ser um festival de cultura independente e expressão artística, ambiental e eticamente consciente.

Depois do Boom ter figurado em livros, de ser granjeado com o Greener Festival Award e ser convidado pela ONU para fazer parte da United Nations Music & Environment Stakeholder Initiative, o festival regressa com inúmeras novidades.

A mais importante é o novo local junto a um magnífico lago e uma grande aposta em bioconstrução, mais concretamente no bambú.
A isto junta-se o perfil a que o Boom já habituou os seus seguidores - projectos ambientais de vanguarda, uma atmosfera intercultural com público de todo o mundo, uma mostra de arte e cultura singulares, um espaço onde o público e a mensagem são mais importantes do que o apreço a estrelas da música.
Publicado em Festivais
O prémio é atribuído por um júri que avalia festivais de todo o mundo, tendo em conta vários aspetos, como emissões de Co2 (dióxido de carbono), tratamento de águas, saneamento, gestão de resíduos, promoção de transportes públicos, utilização de materiais reutilizáveis, energias renováveis, entre outros.

Para além deste prémio, o Boom Festival foi ainda distinguido numa nova categoria apelidada 'Green Inspiration', a qual pretende realçar tecnologias pioneiras em festivais.
"A atribuição da STAR Water System foi concedida ao Boom graças à tecnologia de tratamento de águas utilizadas na Herdade da Granja", explica a organização.

O desenvolvimento de casas de banho compostáveis, a reutilização do óleo utilizado, o tratamento de águas através da permacultura e a utilização de energia fotovoltaica são algumas das medidas promovidas pelo Boom e distinguidas no Greener Festival Award 2012, iniciativa que premeia os melhores 21 festivais realizados nos Estados Unidos da América, Europa e Austrália.

A organização foi convidada para integrar o painel de discussão do 'Green Events Europe', evento que decorrerá nos dias 5 e 6 de novembro, em Bonn, na Alemanha, uma conferência para discutir a sustentabilidade na indústria musical e dos eventos.
Os organizadores salientam ainda que o Boom Festival foi um dos dez festivais mundiais (o único português) convidado pela Organização das Nações Unidas (ONU) a integrar o grupo United Nations Music & Environment Stakeholder Initiative, o qual pretende promover a consciencialização ambiental junto do público.

A nona edição do Boom Festival decorreu este ano entre os dias 28 de julho e 4 de agosto na margem da barragem Marechal Carmona, em Idanha-a-Nova, e contou com cerca de 25 mil pessoas provenientes de mais de 100 países.
 
Publicado em Festivais
Num comunicado oficial divulgado através do Jornal de Notícias, a organização do prestigiado Boom Festival anunciou a compra de 150 hectares da Herdade da Granja, em Idanha-a-Nova, por mais de um milhão de euros.
 
Este investimento vem consolidar a relação deste evento com a região de Castelo Branco, mas a organização pretende também produzir novos programas de bem-estar, cultura, atividades físicas e eventos, além do festival bienal, sempre com o tema da sustentabilidade como objetivo principal.
 
Outra das metas da organização do Boom Festival é a realização de vários programas ambientais de reflorestação, preservação de espécies animais e bioconstrução com permacultura e agricultura biológica.
 
Há dois anos atrás foi também adquirido pelo Boom Festival um terreno de 30 hectares e com a nova área de 180 hectares estão também previstos eventos durante a primavera e verão, sempre relacionados ao bem-estar e ambiente.
 
O Boom Festival regressa a Idanha-a-Nova entre os dias 22 e 29 de julho do próximo ano.
 
{youtube}UABFY1AHihw{/youtube}
Publicado em Festivais
O Boom Festival, que decorre na Idanha-a-Nova, recebeu pela terceira vez o Greener Festival Award 2014, um galardão que é atribuído a festivais sustentáveis.
 
Este prémio tem em conta as emissões de dióxido de carbono, o tratamento de águas, gestão de resíduos, utilização de materiais reutilizáveis, energias renováveis e promoção de transportes públicos.
 
Na edição do ano passado, o festival recebeu pessoas de 152 países diferentes, e volta em 2016, entre os dias 11 e 18 de agosto.
 
Publicado em Festivais
A Guarda Nacional Republicana e a Policia Judiciária detiveram durante o passado fim-de-semana 69 pessoas por tráfico de estupefacientes no Boom Festival, em Idanha-a-Nova, além de apreensão de drogas e autos de contra-ordenação.
 
As operações “Egitânea” e “Lua Cheia” decorreram entre os dias 16 e 29 de julho no recinto do festival e nas vias rodoviárias de acesso ao evento. Além das 69 pessoas detidas, foram fiscalizadas 996 pessoas, com o levantamento de 85 autos de contraordenação por consumo de estupefacientes e 31 por infrações ao Código da Estrada. 
 
Os detidos têm idades entre os 22 e os 48 anos e quatro deles ficaram em prisão preventiva, com a proibição de entrar no Boom Festival. Recorde-se que o Boom Festival é um dos eventos mais prestigiados a nível internacional e acontece a cada dois anos, em Idanha-a-Nova, recebendo visitantes de todo o mundo.
 
Perante todas as notícias que invadiram a comunicação social, a organização do Boom Festival divulgou um comunicado oficial, que pode ser lido abaixo:
 
"Na sequência das notícias sobre os resultados de operações policiais desencadeadas pela Diretoria do Centro da Polícia Judiciária (PJ) e pelo Comando de Castelo Branco da GNR no Boom Festival, divulgados por estas polícias numa conferência de imprensa conjunta realizada no dia 30 de julho, a organização do Boom Festival gostaria de:
 
  • - Reforçar que é um evento que decorre dentro da mais escrupulosa legalidade e que é alvo de escrutínio rigoroso por parte todas as entidades, que não apenas o licenciam como o inspecionam, tendo inclusive sido alvo de elogios por parte da Autoridade Nacional de Protecção Civil em relação ao seu plano de “Medidas de Auto Proteção” (prevenção de incêndios), o qual  foi considerado um exemplo a nível nacional; 
  • - Esclarecer que as referidas operações policiais só foram possíveis graças à total coordenação entre a PJ, a GNR e a organização do Boom Festival;
  • - Realçar que nesta edição do Boom Festival participaram mais de 30.000 visitantes, 508 dos quais crianças. Entre os visitantes, encontravam-se milhares de famílias que vêm no festival uma oportunidade para apresentar aos seus filhos um modo de vida sustentável em plena natureza e com o máximo respeito pela mesma e pelas artes e cultura;
  • - Lamentar que este que é um festival considerado de referência a nível internacional (arrecadando inúmeros prémios na área do ambiente; reconhecimento da ONU; ou de media como o “The Guardian” ou a “Rolling Stone”) continue a ser maltratado e ostracizado em Portugal – quer por entidades com responsabilidades políticas e judiciais, quer pela comunicação social – e a ser continuamente relacionado com um tema com que a organização não se revê;
  • - Lamentar também que, numa edição, em que marcou presença Leo Hoffman-Axthelm, representante europeu da Campanha Internacional para a Abolição das Armas Nucleares, que conquistou o Prémio Nobel da Paz em 2017, os meios de comunicação optem por maximizar mediaticamente os resultados de operações policiais que acontecem em qualquer evento desta magnitude, em detrimento da promoção da presença de um Nobel em Portugal, que atesta a credibilidade deste evento;
  • - Mostrar-se expectante por ver se as forças policiais e os média fazem a mesma divulgação sobre operações deste género em outros festivais ao longo de 2018. Segundo dados da APORFEST, Portugal acolheu 272 festivais em 2017. Não podemos deixar de nos surpreender que, nestre universo, apenas o Boom Festival mereça tanta associação ao tema das drogas por parte de forças policiais e mediáticas;
  • - Realçar que defendemos o escrupuloso cumprimento da lei como garante de uma sociedade segura, bem como o jornalismo factual e rigoroso como valor essencial da democracia. Apenas não podemos continuar a assistir a que um festival que cumpre todas as obrigações legais e fiscais, que contribui para o desenvolvimento do interior do país - com grande impacto económico, social e cultural na região e a nível nacional -,  que é alvo de constantes elogios fora de Portugal, continue, no seu próprio país, ser vilipendiado, ultrajando não apenas o seu bom nome como também o do seu público e o da região de Idanha-a-Nova;
  • - Questionar por que razão um festival que, em 2018, recebeu mais de 30.000 visitantes de 147 nacionalidades; quase um milhar de artistas de diversos países; workshops; palestras; inúmeras ações de promoção da sustentabilidade ambiental; continua a merecer esta atenção maioritariamente negativa, não encontrando paralelo na cobertura realizada a outros eventos, onde as operações policiais também acontecem, ainda que eventualmente não sejam divulgadas;
  • - Informar que a organização do festival já está a recorrer a todos os meios que a lei coloca à disposição dos cidadãos para combater esta atuação preconceituosa, parcial e abusiva em relação ao Boom Festival."
  •  
 
Publicado em Festivais
sexta, 20 julho 2018 20:50

Boom Festival regressa a Idanha-a-Nova

Os 150 hectares da Boomland, em Idanha-a-Nova, preparam-se para receber o regresso do Boom Festival, no próximo dia 22 de julho. A 12ª edição do evento termina no dia 29 deste mês.
 
Este ano, a organização espera festivaleiros de 147 nacionalidades estrangeiras, sendo que 85% do público será também proveniente de outros países. Nesta edição o país convidado será a Costa Rica.
 
“O Boom Festival é um dos principais ativos de Idanha-a-Nova enquanto Cidade da Música, no âmbito da Rede de Cidades Criativas da UNESCO. Tem dado um contributo essencial para o sucesso da estratégia de desenvolvimento do município, por todo o valor que cria na região, direta e indiretamente. Podemos referir a criação de riqueza e emprego, toda a inovação em termos de práticas de sustentabilidade ambiental e social ou a projeção internacional muito positiva de Idanha e de Portugal”, referiu Armindo Jacinto, presidente da Câmara Municipal daquela localidade.
 
A sustentabilidade ambiental é um dos grandes objetivos a ser destacados pelo Boom Festival, tendo já vindo a ganhar o prémio de “Outstanding Greener Festival Award” durante vários anos.
 
Segundo Joaquim Morão, antigo presidente das Câmaras Municipais de Idanha-a-Nova e Castelo Branco, o festival tem “um impacto na economia nacional a rondar os 35 milhões de euros”.
 
Publicado em Festivais
segunda, 11 agosto 2008 18:51

Boom Festival arranca hoje

Arranca hoje em Idanha-a-Nova o Boom Festival. Neste festival, a música electrónica e os DJs assumem a sustentabilidade ambiental e interculturalidade como lemas, adianta a organização.

O evento bienal, que acompanha a Lua Cheia de Agosto e este ano avança para a sétima edição, ocupa 150 hectares da Herdade do Torrão nas margens da Barragem Marechal Carmona e decorre este ano de 11 a 18 de Agosto.

Segundo Artur Soares da Silva, da organização, são esperados de 20 a 25 mil pessoas durante os oito dias do festival, a maioria das quais estrangeiras e alguns milhares optando por acampar no recinto.

Matt Black, fundador da editora Ninja Tune e membro dos Coldcut, pioneiro no desenvolvimento de software que sincroniza som e imagem, é um dos destaques do programa musical.

Programa só é conhecido nas bilheteiras
Os portugueses Blasted Mechanism e os Gocoo, uma banda de doze músicos com tambores taiko do Japão, são outros dos pontos altos do programa que se divide por quatro espaços onde a música electrónica e os DJs dominam.
O dia e hora dos espectáculos só são conhecidos na bilheteira, onde é entregue o programa detalhado. «É tradição. Queremos manter a surpresa», refere Artur Soares da Silva da organização.

«Há uns anos atrás, o programa detalhado só era conhecido no jornal do Boom, no próprio dia», recorda. Para além de um jornal, nos dias do festival vai estar também em funcionamento uma rádio, em FM, a cobrir na zona do festival.

O Boom tem casas de banho compostáveis e uma equipa de 150 pessoas a limpar o recinto.

Para lá da música, haverá conferências que contam com, entre outros, Erik Davis, autor de «Technognose: Mito, Magia e Misticismo na Era da Informação», e Mark Pesce, investigador e professor especializado em antropologia digital. Haverá workshops de ioga, kung fu, astrologia, lado a lado com diversão, como sejam artes perfomativas e teatro. Há também um festival de cinema dentro do Boom..

O Boom tem outras características em destaque: casas de banho compostáveis, uma equipa de 150 pessoas a limpar o recinto 24 horas por dia e uma área para crianças com actividades monitorizadas por educadores de infância. «Este é um verdadeiro festival multi-geracional. Encontramos aqui famílias inteiras e pessoas de todas as idades», sublinha Artur Soares da Silva.

As entradas para todo o festival custam 160 euros, a partir de dia 15 o preço baixa para 120. Residentes no concelho de Idanha-a-Nova e em países em vias de desenvolvimento pagam 80 euros. Todos os anos é escolhido um país em desenvolvimento a cujos residentes os bilhetes são oferecidos. Este ano é a Macedónia que beneficia da oferta.
Publicado em Festivais
domingo, 16 novembro 2008 23:17

The Greener Festival Award 2008

O Boom Festival é vencedor do The Greener Festival Award 2008. É o único festival em Portugal - e na Península Ibérica - a ganhar este conceituado galardão.

Os projectos de sustentabilidade ambiental que o Boom Festival tem desenvolvido foram reconhecidos mundialmente. O Boom está no lote restrito de festivais que receberam o The Greener Festival Award. É o único evento em Portugal a receber o único prémio mundial que avalia os esforços ambientais de festivais.

O prémio é atribuído por um júri internacional que recompensa os festivais pelos seus esforços em promover eventos ambientalmente conscientes.

O The Greener Festival Award é baseado numa avaliação exaustiva que cobre a gestão do evento; planos de viagem e transporte; emissões de CO2 e outros gases com efeito de estufa; comércio justo; gestão de resíduos e de águas; reciclagem e compostagem; reutilização de materiais; e, por último, energia limpa.

No total, apenas trinta festivais em todo o mundo receberam o prémio que avalia as edições decorridas durante 2008.

Deste lote somente seis festivais receberam a distinção de mérito “Outstanding” pela parte do júri. O Boom Festival é um deles.

O prémio é o reflexo do estatuto do Boom enquanto um festival de vanguarda em Portugal e no mundo.

Este reconhecimento internacional vem ainda sublinhar o pioneirismo de um festival que ao longo dos anos tem sido demonizado, ou ignorado, por grande parte dos media portugueses, que têm menosprezado o vanguardismo cultural, social e ecológico do evento. O reconhecimento chega assim do estrangeiro através do ilustre The Greener Festival Award 2008.

O Boom Festival agradece a todos os que contribuíram para este prémio pela sua cidadania ambiental enquanto estiveram na 7ª edição do Boom Festival em Idanha-a-Nova no mês de Agosto de 2008.

Palco no Boom 2008: Bioconstrução através da reutilização de canas (design de
Jonhathan Corywright, arquitecto que participou na Expo Zaragoza 2008).

Estes são alguns dos factos de práticas ambientais do Boom Festival que contribuíram para o The Greener Festival Award 2008:

- 20 000 cinzeiros de bolso distribuídos gratuitamente à entrada;

- Foram utilizados 45 000 litros de óleo vegetal usado, evitando a emissão de 117 000 kg de CO2 para a atmosfera;

- O tratamento de águas dos chuveiros originou a evaporação intencional de 200 000 litros de água – significando que não foi desperdiçado nenhum litro de água dos chuveiros do Boom Festival;

- 1 milhão e 200 mil litros de água estão num lago artificial para tratamento utilizando plantas aquáticas como Typha sp, Eichornia sp ou Azolla sp;

- 106.5 m3 de excrementos foram utilizados para compostagem, evitando o tratamento em ETAR, ou seja, com produtos químicos;

- Foram colectados 42 000 kg de matéria orgânica dos 17 restaurantes do Boom Festival, e estão a ser alvo de um processo de compostagem;

- Dentro de seis meses, a matéria orgânica dará origem a 20 000 kg de composto que será disponibilizado a agricultores locais para fertilizante;

- 59 000 kg de excrementos humanos foram retirados dos sanitários compostáveis e estão neste momento num processo de vermicompostagem que resultará em 30 000 kg de composto orgânico;

- O Boom estabeleceu uma parceria com o Rock in Rio Lisboa e o Festival Internacional de Banda Desenhada da Amadora para reutilização de matérias-primas. O resultado foi o reaproveitamento de 6 456 kg de plástico, 8 950 kg de metais, 77 kg de papel e 36 822 kg de madeira. Esta parceria resultou na não emissão de 167.04 toneladas de CO2 para a atmosfera;

- Cerca de 3 000 pessoas utilizaram o Boom Bus, o serviço de transporte público providenciado pelo Boom Festival.
Publicado em Eventos
O reforço da segurança e uma política de "tolerância zero" para questões ligadas ao tráfico de droga e à prevenção de incêndios é uma das novidades da edição deste ano do Boom Festival. O festival de música eletrónica vai acolher, a partir de sábado e durante uma semana, cerca de 33 mil pessoas nas margens da barragem Marechal Carmona, em Idanha-a-Nova.

Para garantir que as 102 nacionalidades de visitantes desfrutem do festival em segurança, a GNR terá um total de 1500 militares no terreno, 400 viaturas e um helicóptero ao longo de uma operação que irá durar 15 dias.

"Manter a segurança dos visitantes e residentes, assegurar a circulação rodoviária e prevenir incêndios são as principais preocupações. Há tolerância zero para campismo selvagem por causa de fogos e distúrbios", garantiu ao Jornal Correio da Manhã o capitão da GNR José Alves.

"Estão a decorrer várias acções de fiscalização em todos os acessos. Já detectámos drogas e armas", explicou o responsável. Doze homens foram já detidos – com droga (2030 doses de vários tipos foram apreendidas), armas brancas ou dólares falsos.

O evento escolheu como tema o 'fim do Mundo', seguindo o calendário Maia e as "teorias neo-mitológicas do mundo actual" associadas a 2012. Aproveitando a lua cheia de Agosto, o evento terá iniciativas como pintura, cinema ou fotografia.

O ponto forte será obviamente a música electrónica e psicadélica. Entre as atracções estão os russos Goatika, com um espectáculo de 'levitação trance' nos dias 30 (segunda-feira) e 1 de Agosto (quarta), ou os japoneses Gocoo, que actuam terça-feira.
Publicado em Festivais
A GNR deteve hoje no Boom Festival, a decorrer em Idanha-a-Nova, um indivíduo de 30 anos, na posse de cerca de 15 mil doses de heroína. Foi-lhe ainda aprendida uma balança de precisão digital, uma arma de fogo BBM 315 automática de calibre 6,35 milímetros e um carregador com seis munições do mesmo calibre.

Com este, são já 11 os detidos pela GNR, desde segunda-feira, altura em que começaram a chegar em força os participantes do Boom ao concelho de Idanha-a-Nova, todos pelo crime de tráfico de droga e estupefacientes.

Os detidos, 10 homens e uma mulher, têm idades entre os 25 e 36 anos e, no total, foram-lhes apreendidas 171 doses de haxixe, 15855 doses de heroína, 3240 doses de cocaína, 670 cogumelos, 72 doses de anfetaminas, duas doses de erva, 686 doses de ecstasy, 4448 selos de LSD e 358 pastilhas também de ecstasy.
O consumo de substâncias ilícitas é um dos principais riscos previstos no Plano Operacional Boom 2010 e ao qual as autoridades têm estado atentas.

O Boom Festival decorre até dia 26 de Agosto, realiza-se de dois em dois anos, durante o período da lua cheia de Agosto e começou por ser um evento musical, mas hoje assume-se em pleno como um festival multidisciplinar, transgeracional e intercultural de celebração da cultura alternativa onde cruza diversas correntes artísticas (pintura, escultura, instalações interactivas, música, vídeo, artes plásticas ou graffiti), propostas complementadas por um cartaz de conferências, workshops, tertúlias e apresentações de temas ligados a ciências e culturas alternativas.

Fontes: Diário Digital / Lusa.
Publicado em Festivais
Pág. 1 de 2
100% DJ. Projeto editorial independente cujos valores se guiam pelo profissionalismo, isenção e criatividade, tendo como base de trabalho toda a envolvente da noite nacional e internacional, 365 dias online.

Newsletter

Recebe novidades e conteúdos exclusivos no teu e-mail.