28-11-2020
  Diretor Ivo Moreira  \  Periodicidade Diária
quarta, 14 setembro 2011 22:55

A lata de cerveja que se transforma em copo

A marca brasileira de cerveja Brahma vai lançar, no seu mercado de origem, a “Brahma Copaço”, uma lata que se transforma em copo graças a um sistema de abertura total da tampa.
 
De acordo com a insígnia, a criação do produto teve por base investigações mensais realizadas pela Ambev, que envolveram mais de 2 mil pessoas, e que permitiram à Brahma concluir que o público prefere consumir a cerveja com a experiência do copo mas com a conveniência da lata, noticia a Exame brasileira.

A “Copaço” será brevemente comercializada em supermercados de São Paulo, em latas de 350 ml.
Publicado em Mix
sábado, 30 setembro 2017 00:25

Paranormal Attack estreia-se no Ultra Brasil

Além de Diego Miranda, o DJ e produtor Paranormal Attack é outro dos artistas portugueses confirmados para a próxima edição do Ultra Brasil, que vai decorrer no Sambódromo do Rio de Janeiro entre os dias 12 e 14 de outubro.
 
A atuação de Paranormal Attack está marcada para as 19 horas locais no palco Ultra Music Festival Radio. O português também já esteve a oportunidade de subir a palcos de outros festivais internacionais como é o caso do Tomorrowland Brasil.
 
“Vamos Ultra Brasil! Mais um sonho concretizado!”, revelou o DJ na sua página oficial de Facebook.
 
Recorde-se que Paranormal Attack foi um dos artistas mais votados para estar presente no Top 30 de 2016 do Portal 100% DJ, tendo ficado colocado em 19º lugar e foi o mais recente entrevistado para o nosso portal.
 
 
Publicado em Ultra Music Festival
Más notícias para os festivaleiros brasileiros. A edição do próximo ano do Tomorrowland Brasil acaba de ser cancelada, depois de vários rumores circularem pelas redes sociais.
 
O anúncio foi feito numa palestra realizada em Fortaleza, pelas palavras de Luiz Eurico Klotz, diretor da agência que produz o festival belga no Brasil. Em causa está o cenário macroeconómico brasileiro aliado ao risco de prejudicar os parceiros e todo o universo do festival. “Então não basta querer, é preciso conseguir fazer”, referiu Luiz Eurico, fundador da Plus Talent.
 
Mas a esperança ainda não morreu. O Tomorrowland pode regressar ao território brasileiro em 2018 com o tema “Elixir Of Life”, tal como outro grande festival intitulado de Electric Zoo que poderá embarcar no Brasil e breve.
 
Este é o segundo cancelamento da expansão do Tomorrowland pelo mundo, depois do TomorrowWorld que se realizava nos Estados Unidos da América também ter visto o seu fim.
 
{youtube}RS8YgfMQB-E{/youtube}
Publicado em Tomorrowland
Metallica, Iron Maiden e Bruce Springsteen são os primeiros nomes revelados para o cartaz do Rock in Rio 2013, a realizar no Rio de Janeiro em setembro do próximo ano.

A 15 de setembro de 2013, Bruce Springsteen e a The Street Band regressam ao Brasil 25 anos após o primeiro e único concerto no país. Em junho deste ano, o músico norte-americano e a sua banda fecharam com chave de ouro a mais recente edição portuguesa do Rock in Rio, em Lisboa, perante 80 mil pessoas.

Os Metallica, que também passaram pelo Rock in Rio Lisboa 2012, serão os cabeças-de-cartaz de do festival brasileiro no dia 19 de setembro. Esta será a sexta vez que a banda californiana atua no evento que nos últimos anos se tem dividido por Portugal, Brasil e Espanha.

Presentes no primeiro e no terceiro Rock in Rio, no Brasil, em 1985 e 2001, os Iron Maiden voltam ao Rio de Janeiro a 19 de setembro com o novo espetáculo, «Maiden England», que recria a digressão mundial da banda britânica em 1988.

O Rock in Rio 2013 acontecerá no Rio de Janeiro nos dias 13, 14, 15, 19, 20, 21 e 22 de setembro.
 
Publicado em Rock in Rio
Após ter comprado marcas como o Beatport, Tomorrowland e adquirido 50% do Rock in Rio, o grupo de entretenimento SFX criado em 2012, acaba de comprar da agência PlusTalent - uma das maiores empresas do Brasil liderada por Luiz Eurico Klotz, Edo Van Duyn e Silvio Conchon, responsável pelo agenciamento e management de DJs, e a criação e produção de eventos de música eletrónica, incluindo o Tomorrowland em terras de Vera Cruz.
 
“Ter os ingressos do Tomorrowland Brasil esgotados em tempo recorde é a consagração do poder da música eletrónica no Brasil. A Plus Talent é uma empresa talentosa, criativa e que possuí a mais profunda experiência no mercado brasileiro”, disse o presidente e CEO da SFX Robert F.X Sillerman em comunicado.
 
O Festival Tomorrowland - criado na Bélgica em 2005 - terá a sua primeira edição no Brasil nos dias 1, 2 e 3 de maio do próximo ano na cidade de Itu, interior de São Paulo. Com 870.000 pré-registos e 180.000 ingressos vendidos em menos de 3 horas, conseguiu-se constatar a força do mercado brasileiro no que diz respeito aos eventos de música eletrónica.
 
Além destas aquisições, a SFX obteve recentemente a marca de cerveja Skol - que já possui um longo e relevante histórico ligado à música eletrónica.
 
Publicado em Mix
sábado, 12 setembro 2015 22:46

Alok: 'O meu berço foi a música eletrónica'

Chama-se Alok e é um dos nomes da atualidade da música eletrónica brasileira, que mais destaque tem alcançado a nível internacional com atuações no Rock In Rio Las Vegas e em várias edições das famosas festas das cores Happy Holi. Depois de ser considerado como o DJ e produtor mais popular da terra do carnaval pela House Mag, o artista estreou-se em Portugal na edição de Cascais da Where’s The Party by Carlsberg. O Portal 100% DJ esteve à conversa com Alok numa entrevista exclusiva, acompanhada pelas filmagens do seu novo documentário, onde os temas destacados na mesma foram a sua carreira, o nosso país e o cenário da música eletrónica no Brasil.
 
 
O facto dos teus pais serem DJs influenciou a tua escolha desta profissão?
Com certeza. Eu nasci neste meio eletrónico. O meu berço foi a música eletrónica e os meus pais inspiraram-me muito e ainda inspiram.
 
Porque decidiste criar a tua própria editora “Up Club Records”?
Porque acho que há muitas pessoas talentosas por aí e muitas vezes não conseguem demonstrar o seu trabalho, porque não se conseguem encaixar ou adequar-se ao formato das editoras. A editora é aberta para todos os tipos de criatividade - o que importa é a criatividade, nós não rotulamos nada. É mais uma porta e uma oportunidade para as pessoas poderem mostrar o seu trabalho e não serem influenciados pelas editoras a criar a música que eles querem.
 
Que novos talentos tens debaixo de olho?
Há muito bom talento. É o caso de um rapaz chamado Illusionize - ele está a “rebentar”. Existe também o Dazzo, ele já toca há muitos anos, mas está agora a ter destaque. Também comecei a ver vários nomes novos que nunca tinha ouvido falar e vou fazer o lançamento. Possivelmente irei divulgar no melhor momento, depois de toda a parte burocrática, contrato, etc…
 

A editora é aberta para todos os tipos de criatividade - o que importa é a criatividade, nós não rotulamos nada.

 
Tens viajado em digressão por quase todo o Brasil. Qual é a tua visão do cenário da música eletrónica no país?
No Brasil, estamos a viver agora um momento de maior ascensão. Começamos a apercebermo-nos que as crianças hoje estão muito inseridas na música eletrónica e isso é algo inédito, porque anteriormente as pessoas só se inseriam na música eletrónica a partir dos 18 ou 19 anos.
 
Nos últimos meses, o Brasil tem recebido grandes e importantes festivais de música eletrónica, como é o caso do Tomorrowland, onde também atuaste. Qual foi a sensação de estar na cabine do Main Stage, daquele que é considerado o melhor festival do mundo?
Foi a realização de um sonho e não poderia ter sido melhor. Realmente foi o melhor gig da minha vida. Abriu portas a muitas coisas positivas na minha carreira, e bem... o Tomorrowland é um fenómeno, não é? Fiquei muito feliz por fazer parte desse palco e dividi-lo com grandes nomes.
 
Tencionas atuar na edição da Bélgica?
Este ano não, somente no TomorrowWorld, nos Estados Unidos da América.
 
Sabemos que o teu nome significa luz. Consideras a luz uma fonte de inspiração para as tuas produções?
Nunca tinha parado para pensar, mas pode-se dizer que sim.
 
Foste considerado pela House Mag como o DJ número 1 do Brasil. Com que sentimento recebeste essa distinção?
É curioso porque em todos os outros anos eu nunca tinha entrado. E na minha estreia, foi logo em primeiro lugar. Eu sei que há muitas pessoas muito boas no Brasil também, pela qualidade e até pessoas com mais técnicas que eu, só que de repente faltou um pouco de acreditar em si mesmo entendeu? E eu sempre acreditei, colhi frutos e acabei sendo... Os meus números falam muito alto, como o voto é de popularidade e não há juízes por trás, o DJ mais popular do Brasil hoje sou eu.
 
 
A tua vinda mais cedo para Portugal, deu para conheceres um pouco do nosso país?
Sim, eu dei uma volta por vários sítios e estou apaixonado. É muito porreiro.
 
Tencionas voltar?
Com certeza. Quero voltar e quero comer muito aqui nos restaurantes porque foi a melhor comida que comi na vida.
 
Como descreves a atuação no Where’s The Party em Cascais? Superou as expetativas?
Para ser sincero foi muito difícil... A minha sonoridade, no meio da “EDM” é muito mau para mim. Mas faz parte e nós temos que estar preparados para tudo. Criei muitas expectativas, uma ideia na minha cabeça e acabou por ser mais difícil do que eu imaginava. Nem tudo é assim tão fácil - o que é bom, porque saí da minha zona de conforto, que no Brasil para mim é tudo mais fácil, logo foi um desafio também.
 
Que artistas portugueses de música eletrónica conheces?
O Diego Miranda apenas.
 
Que projetos tens para desenvolver a curto e longo prazo?
A curto prazo vou lançar o meu álbum e a editora. Estamos também a produzir o documentário da minha vida que acho que vai levar um a dois anos para estar no ar, ou seja um projeto a longo prazo.
 
Vais fazer campanha este ano para o Top 100 da DJ Mag?
Estamos a fazer uma campanha muito forte. O ano passado nem apostámos muito e fiquei em 117º lugar.
 
Acreditas portanto na tua estreia no Top 100?
Vamos ver, acredito que sim.
 
Que mensagem queres deixar aos leitores do Portal 100% DJ?
Quero agradecer por me terem recebido tão bem aqui e quero voltar mais vezes, esperando que da próxima vez não me coloquem entre dois DJs de EDM, mas sim no horário certo.
 
 
Segue Alok nas redes sociais

     

 
Publicado em Entrevistas
O DJ e produtor Português, Pete Tha Zouk, foi convocado para atuar no jogo inaugural do Mundial 2014, a 12 de junho próximo, no Estádio do Morumbi em São Paulo.
A atuação do artista Português acontece após o jogo Brasil - Croácia e terá lugar na Casa Pelé do Futebol, no Estádio do Morumbi. 
 
Pete Tha Zouk é o único DJ Português convocado a marcar presença nos jogos do campeonato Mundial de Futebol a decorrer no Brasil. Este convite surge na sequência da crescente visibilidade do artista nos palcos brasileiros, onde, ao longo dos últimos anos, atuou nos melhores clubs (como o Green Valley, Posh, Café de La Musique, Privilège, entre muitos outros) e nos eventos mais importantes (no Sambódromo em Sapucaí, no Winter Play, BH Dance Festival, Paradise Weekend, entre muitos outros).
 
O DJ internacional Inglês, Fatboy Slim, que vai atuar no jogo Brazil - México; os Belgas, Dimitri Vegas & Like Mike, que vão marcar presença no Brasil-Camarões e a cantora Brasileira Cláudia Leitte, que estará presente no jogo dos oitavos de final de 28 de junho, são outros dos nomes sonantes que irão ajudar a tornar a festa máxima do futebol num espetáculo ainda mais notável.
 
A recém-inaugurada "Casa Pelé do Futebol" vai receber um máximo de 18 eventos em função da campanha do Brasil neste Mundial 2014 e contará com a presença do ex-atleta. Além dos eventos é possível visitar a exposição “Rei Pelé Experience”, que narrará a carreira do ex-jogador em vários suportes audiovisuais. O espaço contará igualmente com a simulação de um vestiário para exposição de chuteiras e uniformes usados pelo camisa 10 da Seleção brasileira.
 
Publicado em Artistas
domingo, 10 janeiro 2010 18:55

Rio Music Conference em Fevereiro

Este ano, palestras e painéis foram divididos em 4 temas macro, que servem de orientação junto ao público visitante: CAPACITAÇÃO, TECNOLOGIA, MERCADO E ARTÍSTICO. Os temas, bem como os participantes, mais uma vez trazem ao domínio público o que de mais relevante vem a ser discutido, vendido e apresentado a quem vive e consome música electrónica, de forma a agregar conhecimento e informação para music lovers, executivos, djs, jornalistas, produtores e agentes.

O público assistirá, em dois dias, a uma extensa e rica programação.

Dia 10/02
Palestras - Auditório
18:00 - Economia e Mercado - pesos pesados da indústria do entretenimento discutem os caminhos e oportunidades que se abrem neste cenário pós-crise.
20:00 - Mundo Digital – as diferentes plataformas para se ganhar dinheiro em um universo de gigas e bytes.
22:00 -Questions & Answers (Q&A) – um formato inédito, onde o público participa activamente, com perguntas aos seus ídolos.
Painéis – Lounge RMC – Nos intervalos entre as palestras
19:15 - Legal Issues: Copyrights, Direitos Autorais
21:15 – Legal Issues: Leis de Incentivo


Dia 11/02
Palestras – Auditório
18:00 - Trilhas Sonoras – um debate sobre um dos mercados mais promissores para jovens produtores.
20:00 - Música Independente – como é este mercado que funciona (muito bem) à margem do mainstream.
22:00 - Momento DJ - A música electrónica, assim como a figura do dj, passa por um momento de transição no país. Como se manter em evidência num mercado tão acirrado?
Painéis – Lounge RMC – Nos intervalos das palestras
19:15 – E-Music na World Music – a música electrónica ultrapassou as fronteiras dos clubs e infiltrou-se em todas as camadas sociais.
21:15 – How to be a Rock Star? - Se você tem ou quer ter uma banda, saiba como se comunicar, como se relacionar com gravadoras, fãs e imprensa

Workshops
Para os aspirantes a djs e produtores, os workshops são um prato cheio! Em 6 actividades distintas, o público contará com a prática e a experiência de verdadeiras feras da produção musical, scratching, mixagem e masterização, performance, VJ e trilhas sonoras. Uma oportunidade imperdível de estar em contacto directo com os profissionais que são sucesso nas suas carreiras.

Feira de Negócios
Parte essencial da conferência, a feira de negócios traz um espectro desta indústria que não para de crescer! Agências, selos, clubs, moda, fabricantes de equipamentos e dj shops estarão presentes na conferência, comunicando-se com seu público alvo nesta espetacular plataforma; a fazer negócios ou simplesmente a apresentar as suas marcas.

Village
E, para que o público se sinta ainda mais à vontade no meio de tanta informação, nada melhor do que contar com o providencial suporte do 00 Cozinha Contemporânea, nesta edição homenageando a cidade a cada dia com um prato especialmente preparado. Se a sua for só uma cervejinha, sem problemas. O Bar da Skol estará lá, pronto para servir a mais gelada (e redonda) das “cervas’.
Está a faltar alguma coisa não? Claro, a música! Das 15:00 às 2:00, a radio RMC, sob o comando da lenda viva José Roberto Mahr, apresenta uma deliciosa programação musical, ao vivo, com djs a tocar o melhor do lounge, dub, deep house e tech house. Entre um set e outro, a RMC apresenta, pela primeira vez no Rio, as feras do DMC, o maior e mais tradicional torneio de scratching do mundo, um verdadeiro espetáculo das pick ups com performances de tirar o folego! Semi finais e finalíssima durante a programação.


Mais informações:
www.riomusicconference.com.br
www.twitter.com/rmc2010
Publicado em Eventos

O seu nome artístico é Leo Smillle, é cego e está a concretizar um sonho. Após uma formação na Academia Internacional de Música Eletrónica (AIMEC) foi convidado por Alok, o DJ mais popular do Brasil, a subir ao palco do Happy Holi em Campinas e atuar para milhares de pessoas.

 
A AIMEC é considerada a melhor escola para DJs do Brasil e deu um grande apoio a Leonardo Freire durante o curso e na preparação para a atuação no Club 88 e no Happy Holli. “Hoje o meu coração transbordou de todos os sentimentos lindos que existem. Sem palavras: meu aluno Leo Smille tocando na Happy Holi com Alok! Obrigado por abraçar esta causa comigo parceiro!”, salientou Rafaella de Vuono, DJ e professora na AIMEC, na sua página pessoal de Facebook.
 
O próprio Alok já partilhou várias fotografias e testemunhos nas redes sociais, incluindo um vídeo de bastidores e da atuação de Leo Smille no Happy Holi, onde é possível observar a felicidade do brasileiro ao ouvir o público.
 
“Ele é cego... Mas quem disse que isso impede ele de sonhar? O sonho dele é se tornar um DJ e hoje ele pôde viver um pouco disso comigo no palco! (...) Não é preciso de visão para enxergar, mas de sensibilidade. A mesma sensibilidade que a música pede e isso o Leo tem de sobra, alem de muita determinação e força de vontade”, referiu Alok na sua página oficial de Facebook.

 

 

 
DJ Leo Smille

Não é preciso de visão pra enxergar, mas de sensibilidade, a mesma sensibilidade que a música pede, e isso o Leo tem de sobra, além de muita determinação e força de vontade. Que seja apenas o primeiro passo na sua carreira Leo!

Posted by Alok on Segunda, 6 de julho de 2015
Publicado em Artistas
A primeira edição do Tomorrowland Brasil decorreu durante o passado fim de semana, com grandes nomes como NERVO, Hardwell, Armin van Buuren e Laidback Luke a atuarem para milhares de pessoas.
 
Com sucesso absoluto, a organização do festival de música eletrónica confirmou a presença do evento no Brasil por mais 5 anos, até 2020. No próximo ano, o Tomorrowland Brasil decorre entre os dias 21 e 23 de abril.
 
Esta primeira edição, completamente esgotada, teve os seus momentos de euforia mas sofreu alguns problemas que foram divulgados pela imprensa brasileira.
 
Segundo a Folha de São Paulo, foi encontrado um corpo de um homem sem vida, com a pulseira do festival, num caixote do lixo. A vítima era um funcionário que prestava o serviço de montagem do Tomorrowland, apresentava ferimentos e foi transferido para o Instituto Médico Legal de Sorocaba, para ser feita a autópsia e descobrir as causas da morte.
 
O mesmo meio de comunicação social escreveu que foram atendidas no centro médico pelo menos 500 pessoas por dia, com sintomas de uso de drogas, desidratação e ferimentos derivados de quedas.
 
O site UOL destacou a forte presença policial no recinto do Tomorrowland Brasil, que até usou cães para procurar drogas entre os visitantes. No primeiro dia do evento, foram registadas 335 ocorrências junto das autoridades devido a brigas e furtos. Duas das pessoas detidas por possuírem pequenas quantidades de estupefacientes pertenciam à organização, que acabou por demiti-las de imediato.
 
Apesar das críticas em relação ao preço dos alimentos e das bebidas, chegou a esgotar vodka em alguns bares do Tomorrowland. O protetor solar foi outro produto que esgotou no evento. 
 
Publicado em Tomorrowland
Pág. 1 de 6