23-01-2019

  Diretor Ivo Moreira | Periodicidade Diária

Sobre Nós  |  Fala Connosco     

×

Erro

[sigplus] Erro crítico: A pasta da galeria de imagens eventos-meoarena deve ter um caminho relativo para a pasta base das imagens especificada na back-end.

A votação mais famosa, concorrida e polémica do mundo da música eletrónica está a chegar ao fim. É já no próximo dia 14 de setembro, segunda-feira, que termina a fase de votações para a classificação dos DJs mais populares do planeta Terra, o Top 100 da revista DJ Mag.
 
Este ano a inicitiva tem o patrocínio da marca de bebida 7UP, que curiosamente também apoia Tiesto e Martin Garrix. Em 2014 foram contabilizadas 900 mil votações, provenientes de mais de 200 países de todo o mundo. Esta votação é feita desde 1993 e os resultados vão ser divulgados novamente na Amsterdam Dance Event.
 
Há vários meses que os DJs estão em ‘campanha eleitoral’, com o objetivo de ganhar votos dos seus fãs e subir na tabela classificativa. Os portugueses também entram na corrida, através de divulgação nas redes sociais e apelos durante as suas atuações, como é o caso de Kura, Tom Enzy, Diego Miranda ou The Fox.
 
Apenas três portugueses já estiveram presentes no Top 100: DJ Vibe, Pete Tha Zouk e Kura. Vibe foi o português estreante, na posição 36 em 1997, a mais alta até ao momento de um artista nacional. O Portal 100% DJ apela a todos os nossos leitores e seguidores para votarem em artistas portugueses, com o objetivo de levar o nome do nosso país por todo o mundo. Existe uma vasta lista de DJs e produtores nacionais que merecem um lugar de destaque na tabela de popularidade da DJ Mag.
 
Uma das campanhas mais originais foi a de Nicky Romero, que criou um jogo online com a sua própria personagem, que tem de alcançar vários obstáculos até chegar a um palco. No fim do jogo, é possível votar no artista.
 
No ano passado, alguns dias antes da lista oficial, foi divulgada na internet a suposta tabela classificativa de 2014, que acertou nas posições dos artistas até ao número 47.
 
E para ti, quem vai ser o grande vencedor deste ano do Top 100 da DJ Mag? Fica a conhecer algumas curiosidades sobre esta iniciativa aqui.
 
Confere abaixo as posições alcançadas pelos DJs portugueses no Top 100 da DJ Mag ao longo dos anos:
 
DJ Vibe:
  • 1997 - #36
  • 1998 - #87
  • 2004 - #80
  • 2005 - #40
  • 2006 - #47
  • 2007 - #40
  • 2008 - #79
  • 2010 - #100
  • 2011 - #84
 
Pete Tha Zouk:
  • 2010 - #80
  • 2011 - #37
  • 2012 - #47
 
Diego Miranda:
  • 2013 - #94
  • 2014 - #70
 
Kura:
  • 2014 - #42
 
 
{youtube}BmzuCN_88PU{/youtube}
Publicado em Mix

[sigplus] Erro crítico: A pasta da galeria de imagens eventos-meoarena deve ter um caminho relativo para a pasta base das imagens especificada na back-end.

Desde que foi inaugurada, em 1998, pela maior sala multiusos do país já passaram inúmeros eventos, das mais diferentes tipologias, desde congressos, exposições, concertos e até mesmo provas desportivas.
 
Localizada às portas de Lisboa, a (agora) Meo Arena dispõe de uma área total de construção de 47 mil metros quadrados e na sua capacidade máxima pode albergar 20 mil pessoas em pé e 12.900 sentadas. Tem dois balcões (1.º e 2.º andar) e a área total da arena é de 5.200 metros quadrados.
 
A ideia de construir este edifício remonta às primeiras discussões sobre o Plano de Urbanização da Expo 98. Ao contrário de outras cidades europeias, Lisboa não possuía uma sala polivalente para acolher eventos de grande envergadura. As salas existentes, tanto na capital como noutros pontos do país, ou tinham lotação limitada - até 4000 lugares -, ou eram dificilmente adaptáveis a eventos não convencionais, como o desporto de alta competição em recinto coberto. Além disso, não dispunham do aparato tecnológico exigido para coberturas televisivas modernas ou pelos grandes espetáculos musicais ou teatrais.
 

Na sua capacidade máxima pode albergar 20 mil pessoas em pé e 12.900 sentadas.

 
Recuando atrás no tempo, durante os 132 dias de Expo 98, o edifício era designado Pavilhão da Utopia, onde era realizado, quatro vezes ao dia, um espetáculo de efeitos teatrais clássicos com as modernas tecnologias multimédia, designado "Oceanos e Utopias". A sua autoria foi de François Confino e Philipe Genty, produzido pela empresa Rozon. 
 
Esta construção não foi feita ao acaso. A localização foi um dos pontos fortes aquando da fase de projeto, pois tinha a vantagem de servir não só a população da maior área metropolitana portuguesa, mas também o país no seu conjunto, dada a proximidade da Estação do Oriente (onde se interligam os principais meios de transporte público) e dos principais nós rodoviários.
 
Ao longo dos últimos anos, além dos concertos que estamos habituados a assistir com banda, também os espetáculos de música eletrónica têm vindo a ganhar o seu lugar cativo nesta arena portuguesa e a atingir um público-alvo cada vez maior. O primeiro evento com DJs aconteceu em 2003. O conhecido “Olá Love 2 Dance” contou com uma gigantesca produção, onde em destaque esteve a música e todo o conjunto de efeitos multimédia. Roger Sanchez, Luís leite, Carlos Manaça, Diego Miranda e Miss Blondie estreavam desta feita a maior “discoteca” do país. 
 
Na timeline em baixo, poderás conferir todos os eventos de música eletrónica que decorreram na Meo Arena a partir do ano 2003. De recordar que os dois últimos ainda vão acontecer este ano, dias 18 e 31 respetivamente.
 
 
{gallery}eventos-meoarena{/gallery}
 
Agradecimentos 
  • Meo Arena
  • Unilever Portugal
 
Publicado em Infografias
quinta, 08 março 2018 22:05

As mulheres na música eletrónica

Em quase todos os line-ups dos festivais internacionais, a presença de DJs femininas tem uma percentagem de apenas 10%. No ranking da revista Forbes, não existe nenhuma DJ feminina e no Top 10 da famosa tabela da DJ Mag, também nunca uma mulher figurou. O sexo forte representa apenas 4% de toda a lista. Quais foram as últimas três DJs mulheres que já ouviste ao vivo?

É do conhecimento geral que o mundo da música eletrónica é dominado pelo género masculino. Um mercado lucrativo em ascensão a nível mundial, onde a pouco e pouco as mulheres vão assumindo a sua posição de destaque na música de dança, área associada aos homens. 

"(...) neste campo uma mulher tem que trabalhar o dobro para alcançar metade do reconhecimento de um artista masculino", referiu Miss Sheila, na sua crónica de opinião publicada no Portal 100% DJ, “Djing no feminino”. No entanto, a artista portuguesa considera que “as coisas estão a mudar de uma forma mais positiva”.

Apesar desta lenta mudança de mentalidade, ainda é pouca a credibilidade que é dada às DJs, muito por culpa de algumas artistas que prejudicaram a imagem do género feminino da música eletrónica. Mariana Couto, na crónica de opinião publicada em 2014, intitulada "Teremos sempre Paris", criticava Paris Hilton por ter entrado no mundo da música eletrónica: "Presença habitual nos melhores clubs do mundo, Paris a Empreendedora conseguiu encontrar a forma certa de continuar a fazer dinheiro. (...) Mas é por isso que alguém "vai ver" a Paris Hilton? A expressão está lá: "ver", que ouvir é outra coisa. Afinal, ainda que separadas por um oceano de dinheiro, não há todo um segmento no mercado nacional que está na cabine para - essencialmente - ser visto?", remata.

Recentemente a dupla Krewella também comentou a presença de mulheres na área. “A indústria da música eletrónica pode ser assustadora para as mulheres. Se mais mulheres estiverem dispostas a assumirem grandes riscos e não terem medo do ridículo e quaisquer outros contratempos ou problemas, nós começaremos lentamente a ver mais mulheres a produzir músicas, espetáculos e festivais, e assim teríamos mais espaço no Top 100.”

É importante que a igualdade de género seja uma realidade e que a curto prazo consigamos ver mais DJs femininas no topo do mundo da música eletrónica. Em baixo, apresentamos algumas artistas nacionais e internacionais, referências na área da eletrónica, enquanto DJs e também produtoras de música.
 
  • - Miss Sheila
  • - Von di Carlo
  • - Kika Lewis
  • - Poppy
  • - Rita Zukt
  • - Joana Perez
  • - Rita Mendes
  • - Miss Pink
  • - DJoana
  • - Heartbreakers
  • - Lady M
  • - Lady Van
  • - Magalie
  • - Miss Blondie
  • - Miss Nutz
  • - Mónica Seidl
  • - NERVO
  • - Nicole Moudaber
  • - Krewella
  • - Juicy M
  • - Alison Wonderland
  • - Nina Kraviz
  • - Deborah de Luca
  • - Sophie Francis
  • - Ruby Rose
  • - Miss Nine
  • - Oriska
  • - Lovra

 

Publicado em Mix

 

O famoso produtor de reality-shows de talentos para a televisão, Simon Cowell, vai produzir um novo concurso, desta vez direcionado para DJs. O programa irá estrear no Yahoo e poderá chamar-se “Ultimate DJ”, em parceria com a SFX Entertainment.
 
Fatboy Slim foi um dos convidados para integrar o painel de jurís do programa, mas acabou por recusar, por achar que esta iniciativa é uma “ideia terrível”, segundo o Digital Spy.
 
Simon Cowell é uma das personalidades mais conhecidas da televisão mundial, tendo participado como jurí nos programas X-Factor, American Idol e Britain’s Got Talent. Leona Lewis, Cher Lloyd, One Direction, Fifth Harmony e Emblem 3 são alguns dos artistas descobertos pelo produtor.
 
Publicado em Mix

 

Ultimate DJ é o nome do novo reality show de talentos para a televisão, direcionado para DJs e produzido por Simon Cowell para a plataforma Yahoo Live, em parceria com a LiveNation e a Ultra Records. A data da estreia ainda não foi divulgada, mas está para breve.
 
O DJ vencedor do concurso televisivo vai assinar um contrato com a Sony Music e a Ultra Records e terá a oportunidade de atuar num grande festival de música. A votação ficará também a cargo do público, através da rede social Tumblr.
 
“A música eletrónica é um dos géneros mais importantes em todo o mundo e nós queremos respeitar o que está a acontecer no planeta”, afirmou Simon Cowell na conferência de imprensa e de apresentação do programa, na passada segunda-feira, em Nova Iorque.
 
O DJ e produtor Steve Aoki é um dos jurís do Ultimate DJ, depois de Fatboy Slim recusar o convite por achar que a iniciativa era uma “ideia terrível”, segundo o Digital Psy. Gordon City afirmou que será “mau para a indústria”.
 
Simon Cowell é uma das personalidades mais conhecidas da televisão mundial, tendo participado como mentor e jurí em reality shows como X-Factor, Britain’s Got Talent e American Idol. Leona Lewis, Cher Lloyd, One Direction, Fifth Harmony e Emblem 3 são alguns dos artistas descobertos pelo produtor.
 
Publicado em Mix
A Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania da Câmara dos Deputados do Brasil aprovou no passado mês de novembro, um projeto de lei que regulamenta a profissão de DJ. Entretanto foi alterado e volta em breve ao Parlamento brasileiro para que possa ser novamente discutido e, por sua vez, votado.
 
Para exercer a profissão de DJ no Brasil, os artistas têm de ter frequentado um curso técnico de 800 horas, em instituições reconhecidas pelo Ministério da Educação. Para realizar o curso, é obrigatório ter pelo menos 16 anos e o ensino médio completo (ou estar ainda a frequentar).
 
Esta nova regra não se aplica aos profissionais que já estejam a trabalhar na área há, pelo menos, cinco anos, nem para os DJ estrangeiros que permaneçam no Brasil até um mês.
 
A duração do trabalho de um DJ profissional também foi tida em conta e não pode superar as seis horas por dia e ir até 30 horas por semana. Essa duração é o período de apresentação ao público, incluindo também ensaios e atividades de promoção do artista. O DJ deverá ainda ter direito a um intervalo para refeição e descanso de 45 minutos, no mínimo. Em relação às horas extras, o pagamento tem uma subida de 100% sobre o valor normal. Se o artista trabalhar em condições perigosas, o projeto de lei prevê ainda que o mesmo deva receber um pagamento adicional.
 
Em Portugal, “Disc Jockey” é reconhecido como um profissional das artes do espetáculo. Isto é, desde 2010 que o Instituto Nacional de Estatística inclui o “Djing” na Classificação Portuguesa de Profissões com o número 26.59.1 e é conferido o direito de usar o C.A.E. 90010 a quem iniciar/exercer a atividade com esse número.
 
Em termos burocráticos, recorde-se que a PassMúsica (entidade legal de proteção dos direitos autor ligados à música) possui uma licença - a Licença de Reprodução para DJs - que abrange todas as pessoas que exerçam a atividade de DJ (profissional ou acessória) cujo objetivo objetivo passa por permitir aos DJs a utilização de gravações musicais em formatos diferentes daqueles em que foram adquiriram originalmente. A licença tem o valor anual de 350 euros.
Publicado em Mix

O seu nome artístico é Leo Smillle, é cego e está a concretizar um sonho. Após uma formação na Academia Internacional de Música Eletrónica (AIMEC) foi convidado por Alok, o DJ mais popular do Brasil, a subir ao palco do Happy Holi em Campinas e atuar para milhares de pessoas.

 
A AIMEC é considerada a melhor escola para DJs do Brasil e deu um grande apoio a Leonardo Freire durante o curso e na preparação para a atuação no Club 88 e no Happy Holli. “Hoje o meu coração transbordou de todos os sentimentos lindos que existem. Sem palavras: meu aluno Leo Smille tocando na Happy Holi com Alok! Obrigado por abraçar esta causa comigo parceiro!”, salientou Rafaella de Vuono, DJ e professora na AIMEC, na sua página pessoal de Facebook.
 
O próprio Alok já partilhou várias fotografias e testemunhos nas redes sociais, incluindo um vídeo de bastidores e da atuação de Leo Smille no Happy Holi, onde é possível observar a felicidade do brasileiro ao ouvir o público.
 
“Ele é cego... Mas quem disse que isso impede ele de sonhar? O sonho dele é se tornar um DJ e hoje ele pôde viver um pouco disso comigo no palco! (...) Não é preciso de visão para enxergar, mas de sensibilidade. A mesma sensibilidade que a música pede e isso o Leo tem de sobra, alem de muita determinação e força de vontade”, referiu Alok na sua página oficial de Facebook.

 

 

 
DJ Leo Smille

Não é preciso de visão pra enxergar, mas de sensibilidade, a mesma sensibilidade que a música pede, e isso o Leo tem de sobra, além de muita determinação e força de vontade. Que seja apenas o primeiro passo na sua carreira Leo!

Posted by Alok on Segunda, 6 de julho de 2015
Publicado em Artistas
Até ao ano passado, apenas quatro artistas portugueses tinham figurado no Top 100 da Revista britânica DJ Mag: Kura, Pete Tha Zouk, Diego Miranda e DJ Vibe, que possuí o título de melhor posição de um português até ao momento (#36), decorria 1997, o primeiro ano em que este Top estreava as diferentes posições, hoje bastante disputadas. Apesar de ser o artista nacional com mais posições alcançadas, DJ Vibe não faz parte deste Top desde o ano 2011 (#84).
 
O DJ e produtor algarvio Pete Tha Zouk estreou-se em 2010 com uma entrada direta para a 80.ª posição. No ano a seguir (2011) subiu até ao número 37, a segunda melhor posição de um português neste Top.
 
E porque é de popularidade que esta listagem se faz, também Diego Miranda - que nos últimos anos tem arrastado multidões com o seu carisma e interatividade - não poderia faltar e foi em 2013 que comemorou a sua estreia na posição número 94. O trabalho de apelo ao voto deu frutos e o ano passado escalou até ao 70.º “andar”.
 
Além de Diego Miranda, o ano de 2014 também foi feliz para Kura, que ao jeito de um “kamehameha”, entrou a grande velocidade na cauda do Top e só parou na posição 42 - o número da sua estreia nestas andanças.
 
Ao que tudo indica, este ano será de muitas oscilações, quiçá novas entradas de artistas portugueses, mas tudo ficará em aberto até ao próximo dia 16 de outubro, data em que se realizará a cerimónia de apresentação do Top 100 no Amsterdam Music Festival, evento inserido no ADE (Amsterdam Dance Event) aquele que é considerado o maior encontro de música eletrónica a nível mundial e que este ano realiza a sua edição de 14 a 18 de outubro.
 
Em baixo, poderás conferir todas as posições alcançadas pelos DJs portugueses ao longo dos anos.
 

DJ Vibe

1997 - #36
1998 - #87
2004 - #80
2005 - #40
2006 - #47
2007 - #40
2008 - #79
2010 - #100
2011 - #84
 

Pete Tha Zouk

2010 - #80
2011 - #37
2012 - #47
 

Diego Miranda

2013 - #94
2014 - #70
 

Kura

2014 - #42
Publicado em Mix
domingo, 31 agosto 2008 20:08

Setembro, com line up de luxo

Não é novidade para ninguém, que o 100% DJ já nos habitou aos melhores set's dos melhores DJ's e  diariamente a sua equipa, luta por ter uma página actualizada e diferente.

Setembro, é o mês da rentrée às aulas, ao trabalho e até mesmo de sintonizar a rádio preferida.

DJ PUTSOUZA, DJ MÓNICA SEIDL, DJ MÁRIO NEVES E DJ MARK VOXX, são os grandes DJ's que irão meter em delirio todos os ouvintes no mês de Setembro. (Todos eles pela primeira vez no 100% DJ.)


''O Line Up do Mês de Setembro foi muito bem conseguido. Escusado será dizer que trabalhamos para isso. O 100% DJ está com dimensões muito boas, as quais têm superado diariamente as minhas espectativas, o que é muito positivo e gratificante para o programa e para a própria rádio.

Orgulho-me de afirmar que o 100% DJ já é conhecido desde Viana do Castelo até Vila Real de Santo António, inclusivé pelas ilhas.
Em relação ao portal, diariamente é actualizado, tentamos sempre ter algo de dinâmico e novo, passatempos, entrevistas, TopChart, agenda e noticias actualizadas, o qual tem tido um feedback bastante positivo e favorável.

Como é obvio os próximos meses irão ter Line-Up's de luxo, com grandes DJ's.
Em Dezembro é de relembrar que fazemos 2 anos de existência e já estamos a trabalhar nesse assunto. Fiquem atentos/as.''  Disse Ivo Moreira, Gestor do 100% DJ.
Publicado em Mix
São mulheres, são DJs e partilham o mesmo gosto e paixão: a música de dança. O estilo musical é dos poucos itens que as diferencia.
 
O gráfico em baixo, demonstra bem que ser-se DJ, não é só profissão para homens. Antes pelo contrário. Portugal dá-se ao luxo de estar, e muito bem, representado no DJing - e também na produção musical - pelo 'sexo forte'.
 
Um pouco por todo o mundo, o número de mulheres a comandar as pistas de dança é cada vez maior e segundo o party people - elas sabem bem o que fazem.
 
Recorde-se que no ranking da revista DJ Mag - há apenas uma posição ocupada por mulheres entre os 100 melhores: o duo NERVO, formado pelas gémeas Miriam e Olívia Nervo que preenchem a 46ª posição.
 
O Portal 100% DJ associa-se ao Dia Internacional da Mulher e deixa a pergunta: "Quem disse que as cabines eram só para os homens?"
 
 
Publicado em Infografias
Pág. 1 de 5
100% DJ. Projeto editorial independente cujos valores se guiam pelo profissionalismo, isenção e criatividade, tendo como base de trabalho toda a envolvente da noite nacional e internacional, 365 dias online.

Newsletter

Recebe novidades e conteúdos exclusivos no teu e-mail.