18-02-2019

  Diretor Ivo Moreira | Periodicidade Diária

Sobre Nós  |  Fala Connosco     

É cada vez mais comum artistas internacionais darem atenção e suporte a DJs e produtores portugueses. É o caso de Kerafix & Vultaire, que viram duas faixas originais serem reproduzidas pelos Blasterjaxx em duas datas distintas, uma no Canadá e outra durante o Electronic Daisy Carnival em Orlando, nos Estados Unidos da América.
 
Desde o início da sua carreira que os Blasterjaxx são uma referência para João Rosário e ter duas das suas faixas incluídas nos sets da dupla “é muito gratificante” e “um pouco surreal”. “Para mim, é o ‘topo do mundo’ chegar aos sets dos meus produtores de referência, ainda mais num palco como o Electronic Dance Carnival, que é especial. O sentimento é um género de felicidade em conjunto com realização profissional. Para mim está a ser a melhor semana da minha carreira!”, confessou João Rosário em exclusivo ao Portal 100% DJ.
 
Para os Blasterjaxx terem acesso às faixas dos Kerafix & Vultaire, “foi um misto de sorte com qualidade musical”. O jovem português acredita que a dupla “recebe milhares de e-mails diariamente” e acha que foi uma “sorte gostarem da “City Of Brass” e de a terem conseguido ouvir”, ficando mais fácil “mostrar a “Viper”. Felizmente, já estão na posse de mais uma música nossa que ainda não lançámos e é claro que aguardo para ver se a reproduzem também”, referiu João.
 

Foi um misto de sorte com qualidade musical

 
As faixas que foram reproduzidas são “Viper” e “City Of Brass”, em colaboração com DUUMIX. “São dois temas em que eu sentia que havia potencial para chegarem a alguém grande. Um deles acabou por ser assinado pela editora Peakhour Music e é um tema em conjunto com os produtores portugueses Energy System, que são não só colegas, mas também bons amigos. A “City Of Brass” é uma faixa com uma história diferente. Foi a música que, até hoje, mais gostei de produzir porque sinto que coloquei todos os meus sentimentos e energias na faixa. Acabou por ser um tema mais festivaleiro, com um break emocional, mas depois um drop forte”, revelou. A faixa “City Of Brass” foi lançada no mês passado e já conta com um total de 100 mil plays.
 
João Rosário afirmou ainda que aprendeu à custa dos seus erros e recomenda aos novos produtores que “para se começar a chegar a algumas metas, é importante fazer bastantes horas de estúdio, ser humilde, acreditar que é possível e que com vontade e trabalho, tudo se consegue”, além de ter “muita confiança no nosso trabalho, sem nunca desrespeitar os outros”.
 
Os Kerafix & Vultaire são compostos por João Rosário e Tiago Aldrabinha, mas o segundo membro encontra-se afastado das atuações por motivos pessoais. Recentemente atuaram no Festival da Povoação, nos Açores e João Rosário esteve presente no Amsterdam Music Event onde foi entrevistado juntamente com Julian Calor na rádio Slam! FM.
 
“Fui ao Amsterdam Dance Event pela primeira vez e aconselho a todos. Para além do que se aprende lá, temos a possibilidade de estar pessoalmente com inúmeros DJs e editoras. Sinto que naqueles quatro dias aprendi mais que num ano”, disse João Rosário, finalizando com o repto: “é arriscar!”
 
Os Blasterjaxx estiveram presentes em Portugal no passado mês de maio, com atuação na Queima das Fitas do Porto. A dupla anunciou recentemente que vai separar funções, devido a problemas de saúde de um dos membros.
 
{youtube}klmpNsecvDA{/youtube}
Publicado em Artistas

Momentos antes de entrar em palco, falámos com Thom, membro dos Blasterjaxx que atualmente se apresenta ao público a representar a dupla. A entrevista aconteceu em Agosto passado nos bastidores da Carlsberg Where’s The Party em Portimão. Entre os temas da conversa estiveram os portugueses KEVU, os novos talentos da música eletrónica, o nosso país e a mudança de carreira, quando Idir decidiu afastar-se dos palcos.

 
Conta-nos a vossa ligação com os KEVU.
Eles enviaram-nos algumas faixas, eu ouvi e pensei: “isto é mesmo bom”. Começámos a tocá-las e o público realmente gostou. É muito parecido ao nosso estilo, mas soa de maneira diferente. Definitivamente têm um estilo único. Depois aproximámo-nos mais, e falámos com eles: “malta, nós temos aqui algumas faixas mas temos o tempo muito limitado, conseguem fazem alguns bons bootlegs? Gostávamos de os tocar nos nossos set’s. Vamos ver o que vocês nos conseguem arranjar”. Eles fizeram-no e muito bem! A partir daí, julgo que reproduzo sempre três ou quatro faixas dos KEVU nos nossos espetáculos.
 
Já pensaram em trabalhar com outros artistas portugueses?
Penso que os KEVU são o maior talento português da atualidade. Por isso, é com eles que queremos trabalhar.
 
Que outros DJs portugueses já ouviram falar?
Kura e Energy System.
 
Consideras importante promover e divulgar novos talentos?
Por vezes o cenário da música eletrónica fica estagnado no mesmo estilo de som, principalmente no big room e no eletro house. Os novos talentos têm muito tempo para produzir e encontram novas sonoridades e novos estilos, isso faz com que os DJs mais conhecidos agarrem neles e os levem para palcos maiores.
 
Que novidades podem revelar acerca do futuro da carreira dos Blasterjaxx?
Vai ser ainda melhor do que já está a ser! Temos novas faixas a sair.
 

Sinto muitas saudades de atuar juntamente com o meu parceiro.

 
E Portugal? O que significa para vocês?
Portugal... Posso descrever em três palavras? Sol, KEVU e bom party people. A última são três palavras mas podemos combiná-la como sendo apenas uma.
 
Quais são as diferenças entre atuar sozinho ou com o teu parceiro dos Blasterjaxx?
Boa pergunta. Eu acho que até agora está a ser um pouco difícil. Tenho ainda mais trabalho, literalmente. Antes era tudo muito mais fácil, por exemplo, como éramos dois, um de nós poderia ir para a frente do palco interagir com o público enquanto o outro continuava a misturar as faixas. E agora tenho de fazer as duas coisas ao mesmo tempo, sozinho, o que é difícil.
 
Tens saudades de atuar com o Idir?
Sim, realmente sinto muitas saudades de atuar juntamente com o meu parceiro, especialmente de andar em digressão com ele. Passámos muito tempo juntos na estrada e foi muito bom. Infelizmente, agora é diferente.

 

 

Publicado em Entrevistas
A dupla Blasterjaxx, composta por Idir e Thom, vai separar funções devido a problemas de saúde do primeiro elemento, que pretende deixar de parte as cansativas viagens pelo mundo, focando-se apenas em trabalho de estúdio.
 
A decisão foi anunciada pelos DJs e produtores através da página oficial de Facebook, em comunicado, que descreveu todos os problemas de saúde de Idir, relacionados com aquela que é a vida de tours. Para evitar este e muitos outros problemas que podem vir a acontecer a outros artistas, a dupla decidiu oferecer dez dicas para quem tem o mesmo estilo de vida.
 
Confere abaixo as dicas de Blasterjaxx:
 
  • 1 – Certifica-te que tens mais do que um carregador para Iphone. Acreditem em nós, que perdemos pelo menos dois por mês (cada um de nós)!
 
  • 2 – Um bom pequeno-almoço é o começo do dia. Normalmente estás acordado, pegas em todas as tuas coisas e de seguida segues para o aeroporto. Há viagens longas, um voo com alguma alimentação desagradável, outro voo, ligações e por aí adiante. Pode parecer ridículo, mas não perguntes quantas vezes temos ignorado a comida. Após algum tempo, começamos a perceber o que isso faz ao nosso corpo e o quanto mal isso influencia os níveis de energia e de humor em geral.
 
  • 3 – Leva cartões SD com backup. Nós usamos cartões SD cheios com as músicas que reproduzimos durante as nossas atuações, então deves salvaguardar-te do stress que é descobrir que perdeste o teu cartão SD ‘mãe’.
 
  • 4 – Certifica-te que tens um bom tour manager. Essa pessoa vai estar ao teu lado cerca de 16 horas por dia.
 
  • 5 – Trabalha com um plano e certifica-te de utilizar todo o tempo do teu dia. Isso também significa que se não planeares o teu tempo livre, também não o irás ter.
 
  • 6 – Mantem-te em forma e livre do stress. Fazer exercício físico é a resposta para ficar apto e ter uma vida em mais equilibrada. Em vez de exercício físico, podes optar também por meditação ou yoga.
 
  • 7 – Não te esqueças de desfrutar de todas as boas coisas que podes experienciar ao explorar o mundo. Sim, a maioria do que vês são aviões, carros e hotéis, mas tenta visitar lugares e aprender mais sobre os países por onde viajas, mesmo se existir pouco tempo para isso.
 
  • 8 – Certifica-te que sabes algumas palavras básicas em espanhol. Isto pode ser estranho, mas existem vários países de língua espanhola que não falam inglês corretamente. Nós já tivemos essa experiência com muitas pessoas (motoristas, promotores, patrocinadores e fãs) que só conseguem comunicar connosco em espanhol. É sempre útil saber como perguntar a melhor forma de voltar para o hotel.
 
  • 9 – Fica preparado para más ligações de internet. Acreditem em nós, 99% dos lugares que vais visitar terão uma velocidade de internet terrível, em comparação com a velocidade de internet quando voltas a casa. Não só países da América do Sul, Ásia, África, mas também territórios como os Estados Unidos da América, Austrália e muitos mais. Alguém lá fora, com prazos semanais para podcasts, radioshows e entrevistas vai saber o quanto é importante estar preparado para uma má ligação. Fazer um download de um WAV ou MP3 pode levar até 50 minutos ou mais. Trabalhar com maior antecedência é uma maneira de evitar esse problema.
 
  • 10 – Fica preparado para viajar através de fusos horários diferentes. Às vezes, as únicas horas de sono que vais ter são exatamente o tempo em que estás acordado. Ter um pouco de melatonina ou música sonolenta, treinar um ritual para dormir e, mais importante, adormeceres quando, onde e como puderes.
 
{youtube}lkTO2QzXkAs{/youtube}
Publicado em Artistas
A dupla Blasterjaxx tem duas datas marcadas em Portugal, na Semana Académica de Lisboa do dia 15 e na Queima das Fitas do Porto no dia 8 de maio. Os DJs regressam assim ao nosso país, depois de terem atuado na edição do ano passado do Mega Hits Kings Fest, no MEO Arena.
 
As ‘noites mágicas’ das festas dos estudantes da capital estão de volta, com um cartaz que inclui ainda nomes como Kura, Dynamic Duo, Buraka Som Sistema, Nelson Freitas, Regula, Valete e D.A.M.A. Kura sobe ao palco do evento no dia 16 de maio (sábado).
 
Nas próximas semanas irão ser confirmados novos artistas para a Semana Académica de Lisboa. Alesso e Bob Sinclair já pisaram o palco da capital em edições anteriores.
 
Nota de Redação 16-04-2015, 22:30h - Adicionada a data da Queima das Fitas do Porto.
 
Publicado em Eventos
Um dos eventos de música eletrónica mais esperados do ano, o Mega Hits Kings Fest, decorreu no passado sábado, dia 22, com uma noite cheia de surpresas, espetáculo e emoções.
 
Kura, Blasterjaxx, Jay Hardway, DVBBS e Martin Garrix foram os artistas que subiram ao palco do MEO Arena, em Lisboa, transformando a maior sala de espetáculos do país numa autêntica pista de dança durante mais de seis horas. As portas do antigo Pavilhão Atlântico abriram meia hora antes do previsto, pelas 19h30, e uma contagem decrescente era visível no ecrã principal do palco, aumentando desta feita os nervos e a ansiedade do público. O logótipo da emissora radiofónica, uma gigante coroa laranja, estava colocada por cima da cabine - local por onde iriam passar os novos “reis” da música eletrónica. Um autêntico trono.
 
Tal como foi revelado numa entrevista exclusiva ao Portal 100% DJ por Nelson Cunha, diretor da Mega Hits, a festa contou com um sistema de som com mais 170.000 watts de potência, 200 m2 de ecrãs de vídeo e efeitos especiais de co2, pirotecnia e confetis que deixavam todo o público em delírio.
 

A abertura das "hostes"

O único português que atuou no evento, o número 42 do Top 100 da revista britânica DJ Mag, começou o espetáculo à hora marcada - 21 horas -, e foi recebido pelos fãs com muita euforia, felicidade e entusiasmo, provocando arrepios a quem assistia. Kura apresentou um set cheio de energia, incluindo produções suas como "Collide" e "Bumbershoot" e contagiou o público que esteve sempre de braços no ar e aos saltos. Poucos minutos antes de deixar o palco, o DJ e produtor português apresentou um novo tema, que vai ser lançado no próximo dia 29 de dezembro pela Revealed Records, editora de Hardwell. A rádio oficial do evento transmitiu todo o set em direto para os ouvintes.
Confere a entrevista exclusiva do Portal 100% DJ a Kura, após a sua atuação no evento.
 
 

A primeira vez dos Blasterjaxx 

A estreia da noite em solo nacional, os Blasterjaxx, subiram ao palco logo de seguida, para a felicidade de muitos fãs presentes no recinto que vestiam t-shirts alusivas à dupla e erguiam bandeiras de vários países e até mesmo do festival Tomorrowland. O duo composto por Idir Makhlaf e Thom Jongkind rendeu-se aos portugueses numa atuação musicalmente diversificada.
 
 

Jay Hardway voltou a surpreender

Uma das grandes promessas da música eletrónica, Jay Hardway, entrou em ação antes do cabeça-de-cartaz com a responsabilidade de continuar o bom trabalho de aquecimento que os seus colegas anteriores fizeram. Num set cheio de energia e êxitos como “Bootcamp”, da sua autoria, e “Viva La Vida”, dos Coldplay, Hardway demonstrou mais uma vez ao público português todo o seu talento de DJing e de interação com os presentes. O artista holandês tem sido uma presença constante no nosso país no último ano, com atuações no Porto, Algarve e no Festival Sudoeste. 
 
 

O "animal" de palco que mostrou as garras

Trinta minutos depois da meia-noite, é transmitido um vídeo no ecrã gigante sobre Martin Garrix, o cabeça de cartaz do Mega Hits Kings Fest. Os telemóveis e as máquinas fotográficas ergueram-se, tal como os cartazes de apoio ao jovem artista de 18 anos. "És o número 4, mas para mim és o número 1", era a frase que estava escrita num cartaz de uma rapariga presente na frontline do Golden Circle, e é uma possibilidade que será bastante provável acontecer nos próximos anos. 
 
As 10 mil pessoas presentes no Meo Arena gritaram e saltaram do início ao fim do seu energético set, que contou com temas do próprio como "Animals", "Turn Up The Speakers", "Tremor" e ainda "Locked Out Of Heaven" do Bruno Mars e "All Of Me" de John Legend. O seu grande amigo Jay Hardway juntou-se em palco, para um momento "back2back". Ao despedir-se do público, Garrix agradeceu pela noite e revelou o seu carinho pelos fãs portugueses: "I love you!". A mãe de Martin Garrix esteve sempre atenta à atuação no backstage, com um sorriso cheio de orgulho estampado no rosto. Apenas 45 minutos do set do número 4 do Top 100 da DJ Mag foram transmitidos em direto via Rádio.
 
 

"Tsunami" inundou Meo Arena

DVBBS deram início à sua atuação pouco passava das duas horas da madrugada e desde a primeira música demonstraram a sua energia invejável, com surpresas que foram reveladas aos poucos. Depois de "Pyramids", o novo single da dupla canadiana composta pelos irmãos Christopher e Alexandre van den Hoef, chegou um dos grandes momentos da noite: o verdadeiro "Tsunami". O primeiro êxito desta dupla fez tremer o Meo Arena. Mais tarde todos os colegas que atuaram anteriormente foram chamados ao palco, à exceção de Kura, que já tinha abandonado o evento. Com bandeiras portuguesas e uma pistola de Co2 nas mãos, todos os artistas divertiram-se juntamente com o público, com direito a uma viagem de Jay Hardway no barco insuflável, uma das exigências feitas por DVBBS à organização. Um dos irmãos canadianos ofereceu diversas garrafas de água aos fãs do Golden Circle e ainda um "champagne shower", como é habitual nos seus espetáculos. Martin Garrix, Jay Hardway e Blasterjaxx voltaram a meter as mãos na mesa de mistura, enquanto que, um dos elementos dos DVBBS elogiava o nosso país e deixava o agradecimento "Vocês têm um país bonito! Obrigado!".
 
 

Mega reforça 'Hits'

O posicionamento da rádio nacional Mega Hits foi mais uma vez reforçado com a segunda edição do Kings Fest. A rádio oficial do evento teve a oportunidade de entrevistar todos os artistas e ainda ofereceu aos mesmos, Mega Crows, que foram depois autografados. Foi também organizado um passatempo que dava direito aos vencedores a um Meet & Greet com Kura, que aconteceu pouco antes do início do evento. O artista demonstrou a sua simpatia para com os fãs, agradecendo todo o apoio, enquanto tirava fotografias e assinava bandeiras e bilhetes.
 
 

Reações nas redes sociais

As redes sociais dos artistas que formavam o cartaz do Mega Hits Kings Fest e da própria rádio encheram-se de fotografias e vídeos. Martin Garrix agradeceu a Lisboa e partilhou ainda uma fotografia com fãs da frontline do Golden Circle, com uma descrição motivadora: "Amo isto, muito obrigado pelo apoio! Vi muitas bandeiras/t-shirts em Portugal. Isto é surreal". Kura também se expressou na sua conta oficial do Instagram e do Facebook onde agradeceu aos seus fãs. A dupla DVBBS publicou uma fotografia no Instagram durante a tarde, no quarto de hotel, onde é possível ver uma paisagem de Lisboa. Após o espetáculo, partilharam com os fãs uma foto do espetáculo, juntamente com Martin Garrix e um dos membros dos Blasterjaxx. Jay Hardway publicou um vídeo e fotografias no Instagram, uma delas com Martin Garrix, onde faz o seu agradecimento em português com um "obrigado" e aproveita para descrever a noite como "louca". Os Blasterjaxx publicaram um vídeo de 15 segundos na sua conta do Instagram, onde é possível observar alguns dos melhores momentos do seu set. Na descrição pode ler-se "Obrigado pelo amor, Portugal. Voltaremos em breve!". Ficaremos à espera.
 

Os rostos conhecidos 

Luís Evaristo, Von Di Carlo, Rui Maria Pêgo, D’jay Rich, Agir, Mauro Barros, Mónica Sofia, Dynamic Duo (Cruzfader & Stikup), Tiago Caridade e António Manuel Pereira, o icónico "Blinds", foram algumas das personalidades que se deslocaram até à maior arena do país para assistir ao Mega Hits Kings Fest. As caras conhecidas não quiseram perder este evento eletrónico e marcaram a sua presença não só na zona VIP Meo Lounge, como também nas bancadas e na plateia.
 

Estrelas fiéis e agradecidas aos fãs

Sempre que podiam, os artistas juntavam-se aos fãs que estavam presentes nas primeiras filas. Desde pequenas conversas, abraços, fotografias e autógrafos, os DJ’s fizeram as delícias ao público, distribuindo sorrisos de um lado ao outro na zona que delimitava o backstage.
 

 
 
 
Publicado em Reportagens
Uma das festas deste verão está quase a chegar. É já no próximo sábado, dia 30 de julho, que o recinto do Nosolo Água em Portimão recebe a Carlsberg Where’s The Party, com um cartaz de luxo.
 
Blasterjaxx, LOVRA, Joe Stone, Club Banditz, Eddie Ferrer e Joana Perez compõem o line-up do evento, com festa garantida das 14h00 às 00h00 e cerca de sete mil pessoas a dançar ao som dos melhores êxitos e clássicos da música eletrónica internacional.
 
Os bilhetes estão à venda dos locais habituais com preços entre os 15 e os 30 euros.
 
{youtube}fpth_LeaBCs{/youtube}
Publicado em Eventos
O evento dos Melhores do Ano da rádio Nova Era está de volta à zona norte de Portugal, com data marcada para o próximo dia 27 de abril, na Exponor no Porto e conta com grandes nomes nacionais e internacionais no line-up.
 
Blasterjaxx, Carnage e a dupla portuguesa Club Banditz são os responsáveis pela after-party da noite de festa que contará ainda com nomes como Blaya, Boss AC, Diogo Piçarra, Putzgrilla, entre outros.
 
Os bilhetes estão disponíveis na Ticketline com preços entre os 17 e os 42 euros.
 
 
Publicado em Eventos
A festa prometia ser épica e assim foi. O Nosolo Água de Portimão recebeu no passado sábado, último dia de julho, a Carlsberg Where’s The Party com Blasterjaxx, Joe Stone, LOVRA, Eddie Ferrer, Club Banditz, Christian F e Joana Perez no line up.
 
Com o clima quente algarvio e num ambiente de festa, a praia de Portimão começou a encher durante a tarde, com pessoas a dançar ao som dos hits da música eletrónica do momento. Joana Perez, Eddie Ferrer e os internacionais LOVRA e Joe Stone ficaram encarregados do sunset mais épico do ano, cujo número de participantes foi aumentando ao longo do dia, numa pista de dança com o pé na areia e a poucos metros do mar.
 
Os Club Banditz subiram ao palco do Nosolo Água cheios de energia, a mostrar o seu talento e técnica. Com um espetáculo visual também composto por ecrãs LED, CO2, lasers e fogo, o set da dupla foi um verdadeiro sucesso para o público presente que vibrou do princípio ao fim.
 
O momento mais esperado da noite estava a chegar: Blasterjaxx. Agora apenas com a atuação a solo de Thom, cujo artista que apresentou um set repleto de bootlegs de músicas muito conhecidas do público, principalmente dos portugueses, com a introdução de temas de Regula e Buraka Som Sistema.
 
Os Blasterjaxx têm apoiado os jovens talentos da música eletrónica portuguesa e naquela noite não foi exceção. Além de reproduzir temas dos KEVU, Thom convidou a dupla portuguesa para subir ao palco e apresentar a sua mais recente produção, um bootleg de “Final Countdown”.
 
Agradecido ao público português, Thom subiu à cabine exibindo a bandeira nacional com orgulho, um momento apreciado pelo público e muito aplaudido.
 
A fechar a noite em grande, Christian F, uma vez mais, voltou a pôr o público ao rubro com grandes êxitos  e clássicos nacionais e internacionais, no meio de vários lasers que contagiaram o público até ao final da festa.

 

Publicado em Reportagens
Hoje foi um dia mau para os fãs de Blasterjaxx. A dupla anunciou através da sua página oficial de Facebook, um comunicado assinado por Idir e Thom, onde são descritos todos os motivos do afastamento de um dos membros dos Blasterjaxx das digressões.
 
Idir sofreu alguns problemas de saúde no último ano e isso impossibilitou-o de andar em digressão pelo mundo, decidindo assim ficar apenas em estúdio dedicado à produção, enquanto que Thom viaja pelo mundo como Blasterjaxx.
 
No entanto, até ao próximo dia 28 de novembro, os Blasterjaxx vão continuar a atuar como dupla. A partir de dezembro, as atuações ficam a cargo apenas de Thom.
 
Os Blasterjaxx estiveram em Portugal no ano passado, na segunda edição do Mega Hits Kings Fest, em Lisboa.
 
Confere abaixo o comunicado oficial:
 
“Não me estou a sentir bem há algum tempo. E quando digo algum tempo quero dizer a maior parte do ano passado. Tenho-me sentido muito mal na maior parte destes três anos em que temos vindo a conquistar o mundo como Blasterjaxx, mas só recentemente é que eu fui capaz de identificar o que está a acontecer. Ao início, estava tão envolvido no nosso sucesso instantâneo que não me apercebi. Bebia mais, dormia menos, comia pior... o ‘habitual’. Como resultado, eu senti – naturalmente – que tinha menos tempo livre para falar com amigos e familiares e também menos tempo para investir em estúdio na produção.
 
Gosto de pensar que sou um profissional e, por isso, o nível de stress que eu senti no início, tal como a pressão para manter tudo a correr bem, eu considerei como ‘parte do trabalho’. E assim continuei. A ansiedade que comecei a sentir quando novas datas foram aparecendo estava cada vez maior e eu não liguei importância – havia um trabalho que tinha de ser feito.
 
Mesmo quando eu não conseguia ver isso – estou rodeado de uma boa equipa de pessoas, que me avisavam que beber, ter uma infeção pulmunar e tomar antibióticos não foi uma escolha saudável e que as desculpas que eu estava a dar para não fazer um voo estavam à beira do ridículo. Mas tudo isso fazia sentido para mim naquela altura. Basicamente, eu estava a ser idiota para todas as pessoas à minha volta.
 
Nós tentámos todo o tipo de coisas para eu reduzir a ansiedade e stress, com passeios, mais tempo livre e opções de viagem mais relaxantes. Contruímos um estúdio, comprei a casa que precisava para chamar de lar e trouxe a minha namorada dos Estados Unidos da América para a Holanda. Isto tudo ajudou no início, mas a ideia de andar em digressão estava a sufocar-me... Eu simplesmente não estava a pensar bem e precisava de recuperar antes de voltar à estrada. Mas eu adoro atuar ao vivo.
 

A partir de dezembro, o Thom vai subir ao palco sozinho como Blasterjaxx mas nós vamos continuar em estúdio juntos.

 
Mas então aconteceu... o meu primeiro ataque de pânico... Eu não conseguia respirar... A minha cabeça estava às voltas e eu tinha de entrar em palco em menos de uma hora... Eu não sabia se queria desmaiar ou vomitar. O médico chegou e mandou-me correr à volta do quarteirão algumas vezes e me receitou alguns comprimidos... As corridas ajudaram, mas com os comprimidos eu senti-me muito bem. Essa foi uma solução fantástica! Antes dos voos, tomava também alguns comprimidos. De seguida, quando estava no carro de volta para casa... outro ataque de pânico... Nesse momento eu nem sequer tinha muitas datas, mas estávamos há um mês fora de casa... Eu não dormia em casa e os comprimidos eram a única coisa que me punha a andar, comecei a sentir que estava a ficar louco e não queria que os fãs vissem isso...
 
Por último, o meu manager sentou-se comigo e fez-me abrir os olhos em mim próprio e na minha situação. Falámos sobre a saúde física e mental e muitas coisas que ainda são tabu neste mundo. Pouco depois, descobri que, na verdade, para continuar a ser um membro dos Blasterjaxx eu precisava de dar um passo para trás e sair da estrada.
 
Fisicamente e mentalmente eu não consigo estar em digressão e precisava de tomar uma decisão certa antes que as coisas chegassem a um ponto sem retorno. Eu não quero ser um daqueles artistas que cancelam datas e vão ao hospital por ‘exaustão’. Trata-se de uma decisão difícil, não só para mim mas também para o Thom, com quem tenho partilhado esta jornada e que me tem apoiado ao longo da mesma.
 
Os Blasterjaxx sempre serão eu e o Thom, só que os nossos papéis vão mudar. A partir de dezembro, o Thom vai subir ao palco sozinho como Blasterjaxx mas nós vamos continuar em estúdio juntos, como antes, só que eu vou estar a fazer a minha parte estritamente a partir do estúdio que tenho em casa. Temos tudo preparado e sicronizado em estúdio para garantir que possamos continuar o nosso processo de produção como antes e eu sei que o Thom vai rebentar com os palcos como ele sempre fez.
 
Eu sei que estou aberto a criticas, que ainda há muitos que tentam tirar proveito da situação. Mas, ao experimentar o verdadeiro desafio de manter um corpo e mente saudável, é o mínimo que posso fazer para mantê-lo informado de tudo o que está a acontecer. Eu sei que vou estar bem – eu tenho o melhor parceiro, equipa e os melhores fãs do mundo.”
 
- Idir
 
“Todos aqueles que nos conhecem, sabem o quanto estamos próximos. Eu e o Idir somos irmãos para a vida e mesmo que eu esteja triste por não ter Idir comigo em digressão todos os dias, eu estava a sofrer por vê-lo passar por aquilo. Estou contente que tenhamos encontrado uma solução. Nós realmente precisamos desta nova configuração para garantir o futuro e o crescimento dos Blasterjaxx, para permitir a evolução do nosso som para algo ainda maior e melhor e para garantir a resistência da sonoridade dos Blasterjaxx. Mas o mais importante é garantir a saúde de Idir.”
 
- Thom
 
{youtube}MljHLXmA28c{/youtube}
Publicado em Artistas
O festival Dancefloor, que vai decorrer no Estádio Municipal Dr. Magalhães Pessoa, em Leiria, já conta com três nomes de peso no cartaz da edição deste ano, marcada para os dias 27 e 28 de julho.
 
Blasterjaxx, Audioctricz, Noisecontrollers e os portugueses KEVU são os primeiros nomes confirmados para o evento, que no ano passado recebeu mais de 13 mil visitantes. Na edição de 2017, Kura, Yves V, MakJ e Headhunterz faziam parte do line-up.
 
Este festival é uma grande aposta na música eletrónica, principalmente na sua vertente de hardstyle. Os bilhetes já se encontram à venda a partir de 10 euros.
 
Publicado em Festivais
Pág. 1 de 2
100% DJ. Projeto editorial independente cujos valores se guiam pelo profissionalismo, isenção e criatividade, tendo como base de trabalho toda a envolvente da noite nacional e internacional, 365 dias online.

Newsletter

Recebe novidades e conteúdos exclusivos no teu e-mail.