23-03-2019

  Diretor Ivo Moreira | Periodicidade Diária

Sobre Nós  |  Fala Connosco     

A primeira edição do Tomorrowland Brasil decorreu durante o passado fim de semana, com grandes nomes como NERVO, Hardwell, Armin van Buuren e Laidback Luke a atuarem para milhares de pessoas.
 
Com sucesso absoluto, a organização do festival de música eletrónica confirmou a presença do evento no Brasil por mais 5 anos, até 2020. No próximo ano, o Tomorrowland Brasil decorre entre os dias 21 e 23 de abril.
 
Esta primeira edição, completamente esgotada, teve os seus momentos de euforia mas sofreu alguns problemas que foram divulgados pela imprensa brasileira.
 
Segundo a Folha de São Paulo, foi encontrado um corpo de um homem sem vida, com a pulseira do festival, num caixote do lixo. A vítima era um funcionário que prestava o serviço de montagem do Tomorrowland, apresentava ferimentos e foi transferido para o Instituto Médico Legal de Sorocaba, para ser feita a autópsia e descobrir as causas da morte.
 
O mesmo meio de comunicação social escreveu que foram atendidas no centro médico pelo menos 500 pessoas por dia, com sintomas de uso de drogas, desidratação e ferimentos derivados de quedas.
 
O site UOL destacou a forte presença policial no recinto do Tomorrowland Brasil, que até usou cães para procurar drogas entre os visitantes. No primeiro dia do evento, foram registadas 335 ocorrências junto das autoridades devido a brigas e furtos. Duas das pessoas detidas por possuírem pequenas quantidades de estupefacientes pertenciam à organização, que acabou por demiti-las de imediato.
 
Apesar das críticas em relação ao preço dos alimentos e das bebidas, chegou a esgotar vodka em alguns bares do Tomorrowland. O protetor solar foi outro produto que esgotou no evento. 
 
Publicado em Tomorrowland

O seu nome artístico é Leo Smillle, é cego e está a concretizar um sonho. Após uma formação na Academia Internacional de Música Eletrónica (AIMEC) foi convidado por Alok, o DJ mais popular do Brasil, a subir ao palco do Happy Holi em Campinas e atuar para milhares de pessoas.

 
A AIMEC é considerada a melhor escola para DJs do Brasil e deu um grande apoio a Leonardo Freire durante o curso e na preparação para a atuação no Club 88 e no Happy Holli. “Hoje o meu coração transbordou de todos os sentimentos lindos que existem. Sem palavras: meu aluno Leo Smille tocando na Happy Holi com Alok! Obrigado por abraçar esta causa comigo parceiro!”, salientou Rafaella de Vuono, DJ e professora na AIMEC, na sua página pessoal de Facebook.
 
O próprio Alok já partilhou várias fotografias e testemunhos nas redes sociais, incluindo um vídeo de bastidores e da atuação de Leo Smille no Happy Holi, onde é possível observar a felicidade do brasileiro ao ouvir o público.
 
“Ele é cego... Mas quem disse que isso impede ele de sonhar? O sonho dele é se tornar um DJ e hoje ele pôde viver um pouco disso comigo no palco! (...) Não é preciso de visão para enxergar, mas de sensibilidade. A mesma sensibilidade que a música pede e isso o Leo tem de sobra, alem de muita determinação e força de vontade”, referiu Alok na sua página oficial de Facebook.

 

 

 
DJ Leo Smille

Não é preciso de visão pra enxergar, mas de sensibilidade, a mesma sensibilidade que a música pede, e isso o Leo tem de sobra, além de muita determinação e força de vontade. Que seja apenas o primeiro passo na sua carreira Leo!

Posted by Alok on Segunda, 6 de julho de 2015
Publicado em Artistas
sábado, 30 setembro 2017 00:25

Paranormal Attack estreia-se no Ultra Brasil

Além de Diego Miranda, o DJ e produtor Paranormal Attack é outro dos artistas portugueses confirmados para a próxima edição do Ultra Brasil, que vai decorrer no Sambódromo do Rio de Janeiro entre os dias 12 e 14 de outubro.
 
A atuação de Paranormal Attack está marcada para as 19 horas locais no palco Ultra Music Festival Radio. O português também já esteve a oportunidade de subir a palcos de outros festivais internacionais como é o caso do Tomorrowland Brasil.
 
“Vamos Ultra Brasil! Mais um sonho concretizado!”, revelou o DJ na sua página oficial de Facebook.
 
Recorde-se que Paranormal Attack foi um dos artistas mais votados para estar presente no Top 30 de 2016 do Portal 100% DJ, tendo ficado colocado em 19º lugar e foi o mais recente entrevistado para o nosso portal.
 
 
Publicado em Ultra Music Festival
Já se encontra disponível para venda a nova faixa do DJ e produtor Raul Mendes - "Strings" -, artista confirmado para o Tomorrowland Brasil 2015, que irá decorrer nos dias 1, 2 e 3 de maio, em Itu - São Paulo.
 
"Strings" conta com selo da editora BugEyed Records e foi produzida em parceria com o jovem produtor paulistano D-Stroyer, que recentemente viu uma das suas faixas tocadas por ícones internacionais como Tiësto, por exemplo.
 
A faixa que entrou no mercado de vendas online a semana passada, destaca-se pelo seu grande diferencial, onde contém diversos elementos musicais como violino e bateria orquestral.
 
 
Publicado em Música
Um dos maiores festivais de música do Brasil e chega este ano a Portugal. O Villamix Festival é conhecido pela sua diversidade de música brasileira no cartaz e vai decorrer na Altice Arena, em Lisboa, no dia 6 de outubro.
 
As primeiras confirmações para a edição portuguesa são Alok, Jorge & Mateus, Wesley Safadão e MC Kevinho, num evento que tem a duração de 10 horas. 
 
O Villamix Festival conta já com 7 anos de sucessos, tendo uma média de 30 edições por ano em 24 cidades brasileiras diferentes. Ao todo, já recebeu mais de 2 milhões de pessoas e foi certificado no Guinness World Records por ter o maior palco do mundo.
 
Esta é a primeira internacionalização do festival e para Marcos Araújo, diretor do evento, “fazia todo o sentido ser o país irmão do Brasil a porta de entrada no Villamix Festival na Europa. Há uma proximidade de língua, culturas e Lisboa é hoje um dos mais reconhecidos destinos turísticos e residenciais não só para brasileiros como para muitos outros países”.
 
Os bilhetes vão estar disponíveis a partir do dia 1 de junho na Blueticket, entre os 35 e os 120 euros.
 
Publicado em Festivais
Pires de Lima há muito que o queria: levar Água das Pedras para o mercado brasileiro. Agora conseguiu-o. A marca de águas com gás da Unicer chegou ao Brasil, tendo-se apresentado oficialmente na ExpoVinis, em São Paulo.
 
"A entrada da marca Água das Pedras no Brasil é mais uma importante etapa na estratégia de internacionalização da Unicer, um programa que pretendemos prosseguir com a entrada noutras importantes cidades cosmopolitas. É uma marca muito conceituada nos quatro cantos do mundo mas por ser um recurso limitado temos de gerir a sua exportação com muita atenção. É um recurso português que queremos e merece ser preservado", declarou António Pires de Lima, presidente executivo da Unicer.
 
No Brasil, a Água das Pedras vai integrar o segmento de águas de luxo "devido aos seus atributos mais valiosos, como a origem e as características únicas" e estará presente no universo gourmet, em restaurantes, hotéis e bares de categoria superior, bem como em retalho premium, informa a empresa.
 
Para apresentar a marca na ExpoVinis, aos críticos de gastronomia, sommeliers, enólogos e outros profissionais da restauração, foram desenvolvidas algumas iniciativas, como várias harmonizações de menus de chefs reconhecidos no Brasil com Água das Pedras - como, o chef português Vítor Sobral, restaurante Tasca da Esquina, em S.Paulo; chef Bel Coelho, restaurante Dui; e os chefs Ligia Karazawa e Raúl Jiménez, restaurante Clos de Tapas.
 
Com 140 anos, a Água das Pedras prossegue assim a aposta na sua internacionalização e prepara-se para entrar noutras cidades mundiais, como Nova Iorque e Berlim, onde pretende posicionar-se também no segmento premium.
Publicado em Marcas
O português Diego Miranda acaba de ser confirmado para a próxima edição do Ultra Brasil, que vai decorrer entre os dias 12 e 14 de outubro no Sambódromo do Rio de Janeiro. O autor de “Turn The Lights Out” torna-se assim o primeiro artista nacional a subir ao main stage do Ultra Brasil a 14 de outubro.
 
A atuação de Diego Miranda está marcada para as 19 horas locais, antecedendo a performance de Sander van Doorn. O DJ e produtor português tem vindo a participar em outras edições de festivais internacionais como o Tomorrowland ou o Ultra Music Festival nos últimos anos.
 
Alesso, Armin van Buuren, Knife Party, Paco Osuna, Steve Angello, W&W, Jamie Jones e David Guetta são outros dos artistas confirmados para a edição brasileira do Ultra Music Festival.
 
Os bilhetes estão à venda exclusivamente no site oficial do evento em ultrabrasil.com.
 
Publicado em Ultra Music Festival
terça, 26 agosto 2014 20:32

Cerveja Sagres quer conquistar o Brasil

A Cerveja Sagres anunciou hoje que está a produzir no Brasil, numa unidade da Heineken Brasil. O objetivo, para já, é comercializar no Rio de Janeiro a cerveja Premium Sagres Clássica adaptada ao perfil e gosto dos consumidores cariocas.
 
Com um teor alcoólico de 5%, a receita desta cerveja foi desenvolvida pelo mestre cervejeiro da Sociedade Central de Cervejas em parceria com o homólogo brasileiro da Heineken Brasil. A marca garante que para o lançamento foram realizados vários estudos de mercado junto dos consumidores brasileiros, assim como o desenvolvimento de ações de degustação em diversos pontos de venda.
 
Nuno Pinto de Magalhães, Diretor de Comunicação e Relações Institucionais da Sociedade Central de Cervejas referiu, em comunicado, que este lançamento "só é possível através da disponibilidade e oportunidade que a plataforma de produção e de distribuição local nos proporciona".
 
Fonte: Imagens de Marca.
 
Publicado em Marcas
segunda, 21 março 2011 15:23

Rock In Rio: Guns n’ Roses confirmados

A organização do maior evento de música e entretenimento do mundo anuncia todos os headliners que se apresentarão na Cidade do Rock nos seis dias do Rock in Rio 2011.
Atendendo a pedidos do público (de acordo com a votação realizada no site oficial foram mais de 450 mil votos, a maior mobilização feita por fãs para esta edição), a organização anuncia um dos mais aclamados grupos da história do rock e dos 26 anos do Rock in Rio: Guns N’ Roses volta ao Palco Mundo no dia 2 de Outubro. A roqueira baiana Pitty fará o concerto de abertura deste Palco na última noite do evento.

Os Guns N’ Roses, com mais de 100 milhões de discos vendidos no mundo inteiro, prometem na sua quarta apresentação no Rock in Rio, levar a sua legião de fãs ao delírio, repetindo o sucesso dos concertos históricos do Rock in Rio II, em 1991; e da terceira edição, em 2001, quando tiveram seu recorde de público, cerca de 250 mil pessoas na Cidade do Rock; e do Rock in Rio-Lisboa, em 2006. Pitty também participou na edição portuguesa de 2006, exactamente no mesmo dia, fazendo a abertura do Palco Mundo.

No dia 1 de Outubro Frejat subirá ao Palco Mundo, que dividirá a noite com a banda Coldpay e o grupo mineiro Skank.
Na mesma data, o Palco Sunset promoverá, conforme anunciado no último mês, quatro encontros especiais: Cidadão Instigado e Júpiter Maçã; Tiê e Jorge Drexler, Zeca Baleiro e Concha Buika, Erasmo Carlos e Arnaldo Antunes.
No dia 2 de Outubro, será a vez de: The Monomes e David Fonseca; Mutantes e Tom Zé, Titãs e Xutos & Pontapés, Marcelo Camelo e um convidado que ainda será anunciado.

Ao longo das próximas semanas a organização anunciará novidades do Rock in Rio e mais alguns artistas, ainda em negociação. Todas as novidades podem ser acompanhadas pelo site e pelas redes sociais do Rock in Rio, como Twitter – que já conta com mais de 152 mil seguidores –, Facebook (159 mil fãs) e Orkut (45 mil membros), entre outras.
Publicado em Rock in Rio
sábado, 12 setembro 2015 22:46

Alok: 'O meu berço foi a música eletrónica'

Chama-se Alok e é um dos nomes da atualidade da música eletrónica brasileira, que mais destaque tem alcançado a nível internacional com atuações no Rock In Rio Las Vegas e em várias edições das famosas festas das cores Happy Holi. Depois de ser considerado como o DJ e produtor mais popular da terra do carnaval pela House Mag, o artista estreou-se em Portugal na edição de Cascais da Where’s The Party by Carlsberg. O Portal 100% DJ esteve à conversa com Alok numa entrevista exclusiva, acompanhada pelas filmagens do seu novo documentário, onde os temas destacados na mesma foram a sua carreira, o nosso país e o cenário da música eletrónica no Brasil.
 
 
O facto dos teus pais serem DJs influenciou a tua escolha desta profissão?
Com certeza. Eu nasci neste meio eletrónico. O meu berço foi a música eletrónica e os meus pais inspiraram-me muito e ainda inspiram.
 
Porque decidiste criar a tua própria editora “Up Club Records”?
Porque acho que há muitas pessoas talentosas por aí e muitas vezes não conseguem demonstrar o seu trabalho, porque não se conseguem encaixar ou adequar-se ao formato das editoras. A editora é aberta para todos os tipos de criatividade - o que importa é a criatividade, nós não rotulamos nada. É mais uma porta e uma oportunidade para as pessoas poderem mostrar o seu trabalho e não serem influenciados pelas editoras a criar a música que eles querem.
 
Que novos talentos tens debaixo de olho?
Há muito bom talento. É o caso de um rapaz chamado Illusionize - ele está a “rebentar”. Existe também o Dazzo, ele já toca há muitos anos, mas está agora a ter destaque. Também comecei a ver vários nomes novos que nunca tinha ouvido falar e vou fazer o lançamento. Possivelmente irei divulgar no melhor momento, depois de toda a parte burocrática, contrato, etc…
 

A editora é aberta para todos os tipos de criatividade - o que importa é a criatividade, nós não rotulamos nada.

 
Tens viajado em digressão por quase todo o Brasil. Qual é a tua visão do cenário da música eletrónica no país?
No Brasil, estamos a viver agora um momento de maior ascensão. Começamos a apercebermo-nos que as crianças hoje estão muito inseridas na música eletrónica e isso é algo inédito, porque anteriormente as pessoas só se inseriam na música eletrónica a partir dos 18 ou 19 anos.
 
Nos últimos meses, o Brasil tem recebido grandes e importantes festivais de música eletrónica, como é o caso do Tomorrowland, onde também atuaste. Qual foi a sensação de estar na cabine do Main Stage, daquele que é considerado o melhor festival do mundo?
Foi a realização de um sonho e não poderia ter sido melhor. Realmente foi o melhor gig da minha vida. Abriu portas a muitas coisas positivas na minha carreira, e bem... o Tomorrowland é um fenómeno, não é? Fiquei muito feliz por fazer parte desse palco e dividi-lo com grandes nomes.
 
Tencionas atuar na edição da Bélgica?
Este ano não, somente no TomorrowWorld, nos Estados Unidos da América.
 
Sabemos que o teu nome significa luz. Consideras a luz uma fonte de inspiração para as tuas produções?
Nunca tinha parado para pensar, mas pode-se dizer que sim.
 
Foste considerado pela House Mag como o DJ número 1 do Brasil. Com que sentimento recebeste essa distinção?
É curioso porque em todos os outros anos eu nunca tinha entrado. E na minha estreia, foi logo em primeiro lugar. Eu sei que há muitas pessoas muito boas no Brasil também, pela qualidade e até pessoas com mais técnicas que eu, só que de repente faltou um pouco de acreditar em si mesmo entendeu? E eu sempre acreditei, colhi frutos e acabei sendo... Os meus números falam muito alto, como o voto é de popularidade e não há juízes por trás, o DJ mais popular do Brasil hoje sou eu.
 
 
A tua vinda mais cedo para Portugal, deu para conheceres um pouco do nosso país?
Sim, eu dei uma volta por vários sítios e estou apaixonado. É muito porreiro.
 
Tencionas voltar?
Com certeza. Quero voltar e quero comer muito aqui nos restaurantes porque foi a melhor comida que comi na vida.
 
Como descreves a atuação no Where’s The Party em Cascais? Superou as expetativas?
Para ser sincero foi muito difícil... A minha sonoridade, no meio da “EDM” é muito mau para mim. Mas faz parte e nós temos que estar preparados para tudo. Criei muitas expectativas, uma ideia na minha cabeça e acabou por ser mais difícil do que eu imaginava. Nem tudo é assim tão fácil - o que é bom, porque saí da minha zona de conforto, que no Brasil para mim é tudo mais fácil, logo foi um desafio também.
 
Que artistas portugueses de música eletrónica conheces?
O Diego Miranda apenas.
 
Que projetos tens para desenvolver a curto e longo prazo?
A curto prazo vou lançar o meu álbum e a editora. Estamos também a produzir o documentário da minha vida que acho que vai levar um a dois anos para estar no ar, ou seja um projeto a longo prazo.
 
Vais fazer campanha este ano para o Top 100 da DJ Mag?
Estamos a fazer uma campanha muito forte. O ano passado nem apostámos muito e fiquei em 117º lugar.
 
Acreditas portanto na tua estreia no Top 100?
Vamos ver, acredito que sim.
 
Que mensagem queres deixar aos leitores do Portal 100% DJ?
Quero agradecer por me terem recebido tão bem aqui e quero voltar mais vezes, esperando que da próxima vez não me coloquem entre dois DJs de EDM, mas sim no horário certo.
 
 
Segue Alok nas redes sociais

     

 
Publicado em Entrevistas
Pág. 1 de 6
100% DJ. Projeto editorial independente cujos valores se guiam pelo profissionalismo, isenção e criatividade, tendo como base de trabalho toda a envolvente da noite nacional e internacional, 365 dias online.

Newsletter

Recebe novidades e conteúdos exclusivos no teu e-mail.