Diretor Ivo Moreira  \  Periodicidade Semanal
A organização do Rock in Rio-Lisboa acaba de anunciar o plano de mobilidade para a 8.ª edição do festival que, este ano, conta com número recorde de operadores, prolongamento de horários nos principais serviços urbanos e maior abrangência nacional. Abreu, Budget, BusUp, Carris, Cityrama, CP (Urbanos e Longo-Curso), Fertagus, Metro de Lisboa, mytaxi, Transtejo e Soflusa e Rede Expressos juntam-se, assim, numa mega operação que visa, em simultâneo, incentivar os visitantes da Cidade do Rock a deixarem os carros em casa.

Com o objetivo de facilitar o acesso e saída do recinto, num evento que contou com mais de 300 mil pessoas na sua última edição em Lisboa, os operadores envolvidos neste plano oferecem packs e condições especiais para a deslocação dos fãs, bem como o reforço dos serviços urbanos habituais. O Metropolitano de Lisboa alargará os seus serviços nos dias do festival até às 3 horas da madrugada, as viagens nos comboios urbanos CP Lisboa da linha de Cascais e de Sintra serão gratuitas mediante a apresentação do bilhete para o festival, enquanto a Fertagus oferece o estacionamento nos seus parques automóveis ao longo das estações da margem sul. Além destas vantagens, a mytaxi vai, pela primeira vez, assegurar táxis coletivos na cidade de Lisboa a preços fixos e a organização do Rock in Rio-Lisboa colocará em circulação um shuttle com partidas de pontos estratégicos na envolvente de Lisboa que levará os fãs até à porta da Cidade do Rock pelo valor de 12 euros (ida e volta).

Para Roberta Medina, Vice-Presidente Executiva do Rock in Rio, "esta será a edição do festival com mais soluções de mobilidade para os nossos fãs. Acreditamos que o trabalho desenvolvido com estes operadores e empresas parceiras vai resultar numa maior adesão ao uso dos transportes coletivos, em detrimento do transporte individual, em linha com o nosso compromisso na construção de um mundo mais sustentável."

Metropolitano de Lisboa
Nos dias 23, 24, 29 e 30 de junho estará operacional até às 03h00, com 4 linhas abertas e cerca de 30 estações, com metros a sair a cada 6 minutos.

CP-Urbanos
Ao apresentar bilhete para o Rock in Rio-Lisboa - nas portas de acesso e a bordo dos comboios -, a CP oferece a utilização dos serviços nos Comboios Urbanos de Lisboa e nos comboios especiais do Cais do Sodré para Cascais e de Oriente/Roma-Areeiro para Sintra. Haverá ainda horários especiais com as últimas partidas às 02h40 (Lisboa Oriente), 02h47 (Roma-Areeiro em direção a Sintra - paragem em todas as estações) e 03h00 (Cais do Sodré em direção a Cascais - paragem em todas as estações).

CP Longo-Curso
O já famoso pack ROCKCard CP inclui bilhete para o evento, viagem de comboio intercidades ida e volta para Lisboa Oriente e transfer de autocarro Gare do Oriente – Cidade do Rock – Gare do Oriente. Estes pacotes têm um preço de 84 euros (partidas da Zona Centro) e 89 euros (partidas da Zona Norte). Na Linha do Norte a CP assegura, ainda, comboios especiais na madrugada seguinte a cada dia de evento, com partida de Lisboa Oriente e destino a Porto Campanhã.
CP Intercidades, InterRegionais e Regionais
Em todos os serviços CP Intercidades, InterRegionais e Regionais, é também possível usufruir de um desconto de 30% na viagem, mediante apresentação do bilhete Rock in Rio-Lisboa.

mytaxi
A aplicação para serviços de táxi, pretende oferecer uma forma de mobilidade simples e cómoda para os fãs se deslocarem de e para a Cidade do Rock. Basta descarregar a aplicação e sugere-se a reserva antecipada do serviço, selecionando os pontos de referência mytaxi disponíveis à volta do recinto. Haverá ainda táxis colectivos na cidade de Lisboa a preços fixos para deslocações até ao recinto e com partida deste.

BusUp
Através desta será possível escolher entre uma das rotas pré-definidas ou propor novas rotas que sejam mais convenientes. Uma nova forma de transporte coletivo, cómodo e sustentável.

Shuttle BusUp
A BusUp será, também, responsável pela operação do shuttle Rock in Rio-Lisboa com partidas em pontos estratégicos na envolvente da capital, nomeadamente Cascais Villa, Beloura Shopping, Oeiras Parque, Strada Outlet e Forum Montijo. Este transporte leva os fãs até à porta da Cidade do Rock por 12 euros (ida e volta), com partidas às 11h00, 14h00, 17h00 e 20h00, e regresso às 00h30, 01h00 e 02h30. 

Fertagus
Nos dias de Rock in Rio-Lisboa, a Fertagus vai disponibilizar um comboio com horários especiais da estação Roma-Areeiro e destino a Setúbal, efetuando paragens em todas as estações a partir do Pragal. As partidas estão marcadas para a 01h45 nos dias 23, 24 e 30 de junho, e para a 01h28 no dia 29 de junho. 
Além disso, ao apresentar bilhete para o festival na bilheteira da Fertagus, na compra de uma viagem ida e volta a Fertagus oferece o estacionamento.

Transtejo e Soflusa
As duas entidades irão operar os trajetos Cais do Sodré-Cacilhas (com o último barco a sair à 01h40) e Terreiro do Paço-Barreiro (com o último barco às 02h00).

Rede Expressos
Para quem reside fora de Lisboa, a Rede Expressos oferece mais de 250 pontos de partida nacionais em direção a Lisboa. Mediante a apresentação de bilhete Rock in Rio-Lisboa, os passageiros terão direito a 25% de desconto nas viagens nacionais. 

Abreu
A Agência irá transportar os fãs de Braga, Guimarães, Porto, Aveiro, Coimbra e Algarve. Por 79 euros é possível adquirir o pack Rock in Rio Express que inclui o bilhete para entrar na Cidade do Rock e transporte ida e volta para uma das cidades referidas.

Budget
A pensar nas famílias – público prioritário neste serviço -, os shutles Budget vão realizar o trajeto da Estação Roma-Areeiro até à Cidade do Rock.

Carris
A Carris irá assegurar vários trajetos que permitem a deslocação até ao recinto. Haverá autocarros a partir de quatro carreiras do lado de Chelas e três carreiras do lado da Av. Almirante Gago. A partir das 23h30, entra em funcionamento a Rede da Madrugada com o 208 a operar entre o Cais do Sodré e a Estação do Oriente.

Cityrama
A Cityrama oferece 25% de desconto para todos os portadores de bilhete Rock in Rio-Lisboa, no serviço de shuttle com partidas de Marquês de Pombal, Sete Rios e Cidade do Rock, nos seguintes horários: 12h00 – 20h00; 23h00 – 02h00. O preço é de 12,50 euros no local ou 10 euros se adquirido atempadamente. 

Eu Vou de Bicicleta
Em parceria com a Cofidis, o Rock In Rio disponibiliza um Bike Park para que todos os ciclistas possam deixar as suas bicicletas enquanto desfrutam do evento. 

Cooltra/eCooltra
Esta parceria contempla soluções com scooters elétricas, um pack de aluguer de mota exclusivo para os festivaleiros (um dia por 24,90 eurps ou por 2 dias por 49,90 euros, ambas as opções com capacete e top case incluídos), minutos grátis para aluguer através da eCooltra, estacionamento reservado para scooters do grupo Cooltra e apoio a toda a organização antes e durante o evento.
Publicado em Rock in Rio
segunda, 26 março 2012 19:05

Jameson Cult Film Club vai animar Coimbra

As festas "Jameson Cult Film Club" chegam no próximo sábado, 31 de março, a Coimbra.
O evento, presente no The Rock Planet, Fusion, Rock Café, Irish e NB Coimbra, convida os consumidores envolverem-se na experiência da marca que os convida a transformarem-se numa estrela de cinema.
 
"Jameson Cult Film Club" é o conceito que materializa o retorno da ligação de Jameson ao cinema, um culto onde o cinema e o whiskey se unem.
 
Com estas ações, a marca pretende aproximar-se de um maior número de consumidores, dando-lhes a oportunidade viverem uma experiência Jameson ao mesmo tempo que partilham o ambiente de um filme de culto.

A digressão "Jameson Cult Film Club" decorre em bares e discotecas de norte a sul do país.
Publicado em Marcas

Sol, praia e música eletrónica são a combinação perfeita para uma boa festa de verão. Foi esse o cenário da Where’s The Party by Carlsberg do passado sábado, 1 de agosto, no NoSoloÁgua em Portimão, onde reuniu a presença de vários DJs portugueses e internacionais. A praia de Portimão recebeu milhares de pessoas que dançaram das 16 às 04 horas da madrugada no extenso areal, que à noite foi também iluminado pela soberba Lua cheia no horizonte.

 
O mês de agosto do barlavento algarvio foi inaugurado com pleno sucesso, graças à presença dos portugueses Deelight, Tiago Vicente, Hugo Rizzo, Christian F, Diego Miranda, MC Katorz e Eddie Ferrer e ainda Danny Avila, Zoofunktion, Deorro, Dirty Audio e WAO que fizeram a festa ao longo de 12 horas sem parar.
 

NAÇÃO ELETRÓNICA EM DESTAQUE

 
 
Às 16 horas em ponto, o algarvio Deelight inaugurou a Where’s The Party by Carlsberg, com um set composto com vários temas bem ao estilo que lhe confere. Uma hora depois foi a vez de Tiago Vicente, seguido de Hugo Rizzo, que mais uma vez provou ser um dos próximos grandes artistas de música eletrónica em Portugal.
 
 
Christian F, já com o areal da praia de Portimão bem animado, demonstrou todo o seu talento de djing e de interação com o público, como estamos habituados nas suas atuações versáteis. Já na sessão da noite, foi Eddie Ferrer que realizou o warm-up de Danny Avila, com um set recheado de êxitos da música eletrónica do momento, bem como alguns temas de hip hop.
 

«NUESTRO HERMANO» CONQUISTOU PÚBLICO PORTUGUÊS

 
 
Danny Avila foi, sem dúvida, a atuação da noite. O jovem espanhol conseguiu cativar o público do início ao fim do seu espetáculo, com novos temas e êxitos como “I Want You To Know” de Zedd e Selena Gomez. O jovem talento oriundo do país de ‘nuestros hermanos’ demonstrou uma grande técnica na arte do djing, com uma excelente escolha de músicas durante cerca de 2 horas. Os efeitos visuais ajudaram e muito o artista espanhol, que contagiou tudo e todos com uma energia inesgotável. Depois de agradecer ao público, ergueu a bandeira portuguesa em cima da cabine, terminando desta feita a sua atuação.
 
Em breve poderás ter acesso à entrevista realizada pelo Portal 100% DJ a Danny Avila, minutos antes da sua entrada em palco.
 

DIEGO MIRANDA: O ESPETÁCULO GARANTIDO

 
 
Após as habituais fotografias e uma troca de palavras com Danny Avila, Diego Miranda assume os comandos da Where’s The Party do Algarve com um set enérgico e repleto de êxitos da música de dança internacional dos últimos anos. Um dos grandes momentos da noite foi a famosa “Ping Pong” de Armin van Buuren, que ganhou a habitual interação num dinâmico ‘jogo de braços’. O conhecido MC Katorz - membro da dupla Krash! - esteve presente em várias ocasiões no palco com Diego Miranda, animando o público com a sua inconfundível voz.
 
Bem ao estilo dos irmãos Dimitri Vegas & Like Mike, Katorz pediu ao público para abrir um corredor no meio do areal que depressa foi desfeito com um ‘moche’, demonstrando a loucura e o espírito de festa sentido pelos presentes.
 
Antes do final do seu set, Diego Miranda apelou ainda ao voto para o Top 100 da prestigiada revista DJ Mag, cuja sua posição atual é a 70ª. Durante a atuação foram distribuídos pelo público vários autocolantes do DJ português também com o objetivo de apelar ao voto.
 

O ZOOLÓGICO CHEGOU À PRAIA

 
 
Foi com a épica e inesquecível “Circle Of Life”, do filme “Rei Leão”, que Zoofunktion iniciou o seu set no NoSoloÁgua em Portimão. Nos ecrãs, várias imagens do filme despertaram a atenção dos presentes, que quiseram registar aquele momento.
 
Zoofunktion mostrou a sua grande energia em palco, sempre a interagir com o público. No final, o artista esteve à conversa em exclusivo com a equipa do Portal 100% DJ e admitiu, visivelmente satisfeito, que “não estava à espera daquele cenário”. Após entregar a cabine ao cabeça de cartaz, Deorro, dedicou ainda algum tempo para tirar fotografias com os fãs.
 

DEORRO & COMPANHIA

 
 
Após Zoofunktion dar o pontapé de saída da PandaFunk Tour na praia de Portimão, Deorro sobe ao palco onde era esperado por milhares de fãs. A sua técnica impressionante, aliada aos vários géneros musicais que reproduziu, desde o trap ao progressive house, captou as atenções do público. Durante a primeira hora esteve acompanhado da sua garrafa de Opta, um vinho branco português que o artista, detentor da editora PandaFunk, fez questão de degustar na noite quente algarvia.
 
Uma hora de set depois, juntam-se em palco Zoofunktion e Dirty Audio, dois artistas também pertencentes à PandaFunk, que realizaram um B2B com Deorro, enquanto que Zoo, como é tratado pelos amigos, tomou conta do microfone. Deorro teve ainda tempo de se juntar aos fãs na primeira fila, para captar algumas selfies.
 

WAO, O BRASILEIRO QUE TEM PERCORRIDO PORTUGAL

 
 
Quem já não é desconhecido por terras portuguesas, é mesmo o DJ e produtor Wao. Tem acompanhado Diego Miranda em várias atuações um pouco por todo o país e ficou a cargo de encerrar a noite da Where’s The Party by Carlsberg em Portimão. A uma hora do término do evento, WAO subiu ao palco e contagiou o público em grande escala com um set bastante eclético e transversal.
 

DE REGRESSO AGENDADO

 
O sucesso da Where’s The Party by Carlsberg está mais que assegurado e a organização pretende elevar a fasquia com uma data na MEO Arena, em Lisboa, no próximo dia 18 de dezembro. Até ao momento não foram revelados os artistas convidados, mas sabe-se que o cartaz irá impressionar muitos amantes da música eletrónica da atualidade.
 
Em breve poderás assistir a um 'aftermovie' gravado e editado pelo Portal 100% DJ, com imagens de bastidores e dos melhores momentos da noite.
 
Publicado em Reportagens
Se pensas já ter visto tudo sobre o 'Maior Evento de Música de Dança do Mundo'... Esquece! Estás enganado/a. E como diz o ditado: O melhor ainda está para vir.
A «sensação branca» está agora disponível em Lego nas versões 'The Ocean Of White' e 'Wicked Wonderland'.
 
Como podes visualizar nos vídeos em baixo, a perfeição está em ponto pequeno e deixa qualquer um boquiaberto.
O Construtor chama-se Kevin, vive em Miami e é aquilo que se chama um verdadeiro artista.
Deixamos alguns dados curiosos destas espectaculares construções.
 
The Ocean Of White:
27 dias de construção, 11.851 tijolos/peças, 16,73 metros de fio, pesa 13,7 quilos, 10 placas, 3 motores, 24 bolas.
 
Wicked Wonderland:
80 dias de construção, 8.584 tijolos/peças, 1,5 Km de fio, pesa 9,8 quilos, 19 placas, 6 motores, 14 monitores.
Publicado em Eventos
Sem margem para dúvidas o Tomorrowland é um dos maiores eventos de música eletrónica do mundo. A cada ano que passa, os mais mediáticos DJs visitam a cidade de Boom na Bélgica para fazer vibrar os milhares de festivaleiros que rumam até ao festival em busca do melhor fim-de-semana das suas vidas. Embora o recinto seja gigantesco, um evento desta magnitude não consegue comportar a lotação de todas as pessoas que desejam estar presentes. Foi por isso que no ano 2015 a organização decidiu criar o conceito "Unite With Tomorrowland", de forma a reunir em simultâneo o máximo de fãs do evento e que estes pudessem viver uma experiência similar ao festival, mas perto da sua casa. Nesse mesmo ano, o evento decorreu na Índia e no México e desde então tem percorrido os quatro cantos do mundo, como a Colômbia, Alemanha, Israel, Japão, Itália, Grécia, Espanha e agora a estreia em Portugal - confirmado no dia de hoje.

A notícia da estreia em terras lusas deixou os festivaleiros em êxtase, no entanto importa ter em conta que o Tomorrowland Unite que vai acontecer no próximo dia 27 de julho no Parque Oriental da cidade do Porto não é o Tomorrowland que estamos acostumados a ver na Bélgica. Porém, existem semelhanças e todo o conceito é inspirado no evento principal que este ano comemora 15 anos de existência e se realiza nos dias 19, 20 e 21 e 26, 27 e 28 de julho

O Palco
Todos os anos o festival Tomorrowland tem um tema. É a partir desse tema que é construída toda a estrutura do evento, que vai desde a decoração, ao cenário, performances, etc. O palco principal não é exceção, e é aí que se centram todas as atenções. Enquanto que no Tomorrowland existem vários palcos, no Tomorrowland Unite apenas existe um que será ocupado por vários DJs e por uma vasta panóplia de logística repleta de efeitos especiais e multimédia. Este ano o tema do festival belga será "The Book of Wisdom" (o livro da sabedoria), que já foi apresentado em 2012 e também no Tomorrowland Brasil, em 2015. 
 

Para ler também: 



Os Artistas
Embora ainda não tenham sido divulgados, os artistas que compõem o Tomorrowland Unite, serão na sua maioria DJs que atuam no evento na Bélgica e também artistas locais. No ano passado em Barcelona, além das transmissões (de Armin van Buuren; Afrojack e Dimitri Vegas & Like Mike) que foram apresentadas no ecrã gigante com imagens em direto da Bélgica, subiram ao palco os DJs Steve Angello, Steve Aoki, Galantis, Quintino, Yves V, Kungs, Albert Neve e Abel Ramos, Albert Gonzalez, Ofenbach e os Double Pleasure.

Os Bilhetes
O bilhete para um dia de Tomorrowland na Bélgica custa cerca de 100 euros. No Tomorrowland Unite os preços são mais baixos e a organização aconselha que todos os interessados se registem no site oficial até ao próximo dia 15 de abril de forma a garantirem a sua presença a um preço mais económico. Os valores ainda não foram divulgados mas haverá vários preços.

A Festa
Por último e não menos importante, é o que vai acontecer no Parque Oriental do Porto, magnífico anfiteatro natural, em parte semelhante ao recinto do Tomorrowland na Bélgica. A festa começará a partir das quatro da tarde e decorre em simultâneo em cinco locais distintos: Atenas, Malta, Barcelona, Porto e no seu berço, a Bélgica. Muito mais que um evento de música eletrónica, o Tomorrowland Unite é uma sincronização de sentimentos em torno do maior festival do mundo que nos permite ter uma experiência interativa e única, quer seja sozinhos ou rodeado de amigos.

Publicado em Tomorrowland
O maior festival do mundo está a chegar e este ano pretende oferecer o elixir da vida a todos os seus visitantes, que esperaram ansiosamente um ano pela abertura das portas. No fim-de-semana de 22 a 24 de julho, a cidade de Boom, na Bélgica, volta a tornar realidade os sonhos de qualquer amante de música eletrónica.
 
Deadmau5, Eric Prydz, Armin van Buuren, Diego Miranda, Blasterjaxx, Fedde Le Grand, Marshmello, W&W, Yves V, Dimitri Vegas & Like Mike, Don Diablo, Maceo Plex, Sven Väth e muitos outros artistas já confirmaram a sua presença. Este ano, a falta mais sentida pelos fãs do festival é de Hardwell, que a exemplo da edição brasileira, também estará fora do cartaz.
 
Apesar dos atentados terroristas que abalaram a Europa nos últimos meses, a organização do Tomorrowland não baixa os braços e pretende continuar com o festival, com redobrada atenção nas medidas de segurança. “Por vários anos seguidos a nossa maior preocupação e foco é a segurança dos visitantes. Baseados em diferentes fontes de informação, tomaremos decisões em conjunto com as autoridades locais de forma a garantir a maior segurança possível”, revelou Debby Wilmsen, representante do Tomorrowland, em exclusivo ao Portal 100% DJ.
 
LIVESTREAM
Mais uma vez o festival vai ser transmitido em direto para todo o mundo, através da conta oficial de Youtube do evento. Vão estar disponíveis várias câmaras, para que tenhas acesso aos teus palcos e artistas preferidos, durante os três dias de festa.
 
PAZ, CONVÍVIO E HUMILDADE
David Bessa tem 24 anos, vive no Luxemburgo e vai ao Tomorrowland pela terceira vez. “Os DJs são simplesmente o melhor que existe no mundo”, referiu o português em exclusivo ao Portal 100% DJ, destacando Dimitri Vegas & Like Mike, Tiësto e DJ Snake como os seus favoritos.
 
Entre os pormenores que mais gosta no festival estão a “paz, convívio e humildade das pessoas”, não esquecendo ainda do “ar mágico e misterioso ao mesmo tempo que o Tomorrowland nos faz sentir”.
 
Uma das dicas que deixa a quem gostaria de um dia realizar o sonho de ir ao festival é “estar bem organizado para tudo e para gastar o menos possível”. “Estou a ver cada vez mais portugueses interessados no Tomorrowland e seria bom o nosso país receber um festival deste género, para o mundo ficar a conhecer melhor Portugal”, concluiu David Bessa.
 
NÃO HÁ RAÇAS, POLÍTICAS NEM RELIGIÕES DIFERENTES
Pela segunda vez, Márcia Pinto, de 21 anos e natural de Lousada, parte para o Tomorrowland com as expectativas “muito elevadas”, pois “o facto de já ter estado presente na última edição deixa-me ainda mais ansiosa para que chegue o dia de levantar voo para os melhores dias da minha vida, porque não duvido que a organização vai-nos surpreender mais uma vez”, afirmou a jovem.
 
“O Tomorrowland tem tudo de especial. Tudo começa logo na viagem de avião, porque é aí que começa o convívio e a diversão. A organização até na viagem proporciona-nos momentos espetaculares como mais nenhum festival no mundo proporciona”.
 
Segundo a festivaleira, ao entrar no recinto “chegamos a uma terra encantada”, com tudo “pensado ao pormenor” e onde “não falha absolutamente nada”. “As pessoas vão única e exclusivamente pela música e para se divertir e aproveitar, ninguém está preocupado em arranjar confusões com ninguém, há um companheirismo muito grande e todos os dias a toda a hora conhecemos pessoas novas. Ali dentro não há raças, políticas nem religiões diferentes e todos se respeitam”, referiu.
 
Esta viagem “não é um investimento fácil e torna-se um bocado dispendioso. Se compararmos com o preço de outros festivais que são mais perto, como os portugueses, sem dúvida que a diferença de preço é muita”. Mas uma coisa Márcia sabe, “se há destino de ‘férias’ que merece cada cêntimo gasto é sem dúvida o Tomorrowland”.
 
BILHETE DOURADO É QUASE INACESSÍVEL 
Vindo da Suíça mas com nacionalidade portuguesa, Frédéric Cunha tem 30 anos e vai viver a experiência do Tomorrowland pela segunda vez. “As expectativas são altas, principalmente a nível temático. No ano passado fiquei estupefacto com a dimensão do palco e espero que este ano seja algo do género ou ainda melhor”, revelou o português ao Portal 100% DJ.
 
Uma das coisas que o faz regressar ao festival é o “ambiente multicultural, com o mesmo gosto pela música eletrónica”. Na mala leva consigo a camisola do Futebol Clube do Porto, a GoPro e uma roupa mais quente “porque no ano passado foi um pouco fresco”.
 
Relativamente ao garantir a sua presença no evento, Frédéric considera “que o maior problema não é a nível financeiro, mas sim a dificuldade em obter o bilhete dourado na ‘lotaria’ da venda”.
 
EXPERIÊNCIA A VIVER PELO MENOS UMA VEZ NA VIDA
Hugo Silva tem 31 anos e vai de Gondomar diretamente para o Tomorrowland pela primeira vez “Tenho a certeza que irá ser uma experiência única que se tem que viver pelo menos uma vez na vida”.
 
Para o festivaleiro, o evento belga “é simplesmente o maior evento musical do planeta” e “uma união de culturas, que consegue reunir pessoas de todos os cantos do mundo e toda a gente está unida para o mesmo. É como se fosse um mundo à parte de tudo o resto”.
 
Na sua mala leva uma GoPro “para registar os melhores momentos” e a bandeira de Portugal, para se destacar durante as atuações que mais quer ver: Alesso, Dimitri Vegas & Like Mike e Axwell /\ Ingrosso.
 
Esta não é a primeira vez que Hugo tenta ir ao Tomorrowland. “Desde 2013 que sempre tentei arranjar bilhete normal, por ser mais acessível, mas nunca consegui. Tive de juntar mais uns trocos para comprar um Global Journey e garantir a minha presença. Não é barato, mas na minha ideia cada euro gasto vai valer a pena”, admitiu.
 
 
 
 
VIVER O TOMORROWLAND COM A FAMÍLIA
Olivier Cunha, português de 22 anos e residente na Bélgica, vai com o irmão ao Tomorrowland. Para ele, “vai ser uma coisa de outro mundo e ainda por cima vou acompanhado por um membro da minha família”.
 
Olivier decidiu ir ao festival belga depois de ouvir a “experiência do ano passado que o meu irmão, um primo e um amigo viveram” e também depois de ver os aftermovies dos anos anteriores.
 
“A bandeira da nossa pátria” vai na sua mala e o festivaleiro não querer perder nem um minuto do set de Dimitri Vegas & Like Mike, apesar de querer “ver um pouco de todos”.
 
Na sua opinião, “Portugal tem muitos festivais” mas “tem falta de um festival como este, ou parecido. Um dos conselhos que deixa a quem gostaria de ir ao Tomorrowland é que “para quem tiver um trabalho estável, que vá juntando algum dinheiro” para depois conseguir viver uma experiência inesquecível.
 
MEDO DE NÃO QUERER SAIR 
Aos 26 anos, Sofia Ribeiro Silva deixa a capital, pela primeira vez, em direção a Boom, “apesar de já ter tentado no ano passado”.
 
“Não quero manter as expectativas muito altas, mas está a ser quase impossível”, confessou Sofia ao Portal 100% DJ. “Não tenho medo que alguma coisa me desiluda. O meu medo é... de não querer sair de lá!”
 
O ambiente e o cartaz que inclui os melhores DJs do mundo foi aquilo que mais lhe chamou a atenção. “Com milhares de pessoas reunidas com a mesma paixão, este é um ambiente mágico”, incluindo ainda a “música, ver o mainstage pela primeira vez, a decoração, o fogo de artifício, conhecer pessoas novas”, que no fundo são “três dias pensados ao máximo pormenor e que tenho a certeza que vão ser os melhores três dias da minha vida”, revelou.
 
Na mala de viagem leva calçado confortável como prioridade “para poder estar o mais à vontade possível e curtir o máximo”, óculos de sol, cachecol do Sport Lisboa e Benfica e a bandeira da Tomorrowland Crew Portugal, que vai marcar presença em grande número. Em relação a artistas que quer ver, estão entre as suas escolhas Alesso, Axwell /\ Ingrosso, Martin Garrix, Armin van Buuren e espera ainda “ser surpreendida por muitos outros”.
 
Na sua opinião, “Portugal ainda não tem logística para um festival deste género. Seria difícil alcançar um ambiente semelhante, com as mentalidades que ainda vamos tendo por cá. No entanto, acho que já se começa a notar uma evolução nos festivais em Portugal”.
 
Para realizar este sonho, Sofia afirma que “não é nada fácil, mas quem corre por gosto não cansa”. O investimento é “bastante grande” e que pode levar a que “por vezes termos de cortar um bocadinho mais ‘aqui e ali’”.
 
A PRIMEIRA DE MUITAS
Gaspar Magarreiro tem 50 anos e parte de Terrugem (Elvas) para o Tomorrowland pela primeira vez com “um desejo enorme que já vem desde há vários anos”. Esta viagem proporcionou-se numa conversa com um amigo que partilhava do mesmo desejo “e resolvemos ir. Espero que seja a primeira de muitas!”.
 
O responsável pela conceituada empresa “Retiros Místicos”, irá estar atento à parte mais técnica e da produção do evento, e espera que “o festival venha a servir de inspiração para eventos que estamos a preparar para o futuro, embora numa escala diferente” revelou.
 
“Estou curioso com os cenários, os efeitos especiais e a iluminação - são sempre deslumbrantes, certamente que ao vivo serão bem mais surpreendentes”, confessou Gaspar Magarreiro, referindo também que “as expectativas são enormes” e que está “curioso para ver a organização e a dinâmica do espaço”.
 
Agradecimentos: Laetitia Esteves (Tomorrowland Crew Portugal)
 
Publicado em Reportagens
O Time Out Market, no Cais do Sodré, em Lisboa, recebe este sábado dia 18, a terceira edição da "Fresh Liquid Night", uma produção assinada pela Kalimodjo e Grvve, e que desafiam todos a abrir a mente "numa viagem em família e muito animada".
 
Com início marcado para as 22 horas, nesta edição o público poderá esperar ritmos repletos de groove, passando pelo Hip Hop, Trap, Afro House, Garage, Soul, R&B, Eletrónica até ao essencial Drum N Bass. Por essa seleção musical ficarão responsáveis os DJs Satelite, Razat, Farix, DarkSunn e DJ Ketzal.
 
Os bilhetes podem ser adquiridos no site do evento e variam entre 6 e 20 euros, este último com uma t-shirt incluída.
 
Publicado em Eventos
Boom, na Bélgica, é uma cidade com menos de 20 mil habitantes. Durante os próximos dias 24, 25 e 26 de julho, a localidade vai receber milhares de festivaleiros unidos por um objetivo: a música eletrónica, vivida nos vários palcos do festival Tomorrowland.
 
A edição deste ano conta com nomes como Alesso, Avicii, David Guetta, Dyro, Nicky Romero, Oliver Heldens, Steve Aoki, Ummet Ozcan, W&W, Armin van Buuren, Axwell /\ Ingrosso, Blasterjaxx, Deorro, Martin Garrix e muitos outros.
 
Pelo segundo ano consecutivo, o Portal 100% DJ foi ao encontro de alguns portugueses que vão embarcar na experiência Tomorrowland e que têm uma única paixão: a música eletrónica.
 

“NÃO É UM FESTIVAL, É UMA RELIGIÃO!”

 
Já tentei explicar a centenas de pessoas. É mais do que um festival, é uma religião! Não se explica, sente-se. Uma vez ‘Tomorrowlander, Tomorrowlander’ até à morte! Estranho? Depois de lá irem vão entender”, são as palavras de João Santos, de 48 anos e natural de Sintra, que parte para o festival belga pela terceira vez. Na sua mala de viagem constam produtos de higiene e roupa prática para ver alguns dos seus artistas favoritos como Coone e Brennan Heart.
 
Em relação às expetativas para a edição deste ano, João afirma que “as lágrimas ameaçam quando começo a pensar só de entrar no avião e ouvir aquela mensagem arrepiante do comandante: ‘flight to Tomorrowland’”. O sintrense considera ainda que “este festival é muito caro, mas é um facto que as pessoas como eu, que adoram electronic dance music (EDM) e apesar da minha idade e de já ter ido duas vezes... ainda vou uma terceira. Isto tem a ver com um facto: o Tomorrowland não é um festival, é uma religião!”.
 
Apesar de achar que Portugal tem falta um evento deste género, João Santos não acredita “que fosse possível um espírito igual ao da Bélgica”.
 

“TENTO NÃO CRIAR EXPETATIVAS”

 
Bruno Alves tem 31 anos e vai ao festival pela primeira vez, diretamente de Vizela. “Tento não criar muitas expetativas para poder ser completamente surpreendido por tudo! Mas como é lógico, são elevadíssimas”, confessou o festivaleiro em exclusivo ao Portal 100% DJ. Na sua mala, além da bandeira nacional, leva a GoPro, telemóvel, óculos de sol e a camisola do seu ídolo: Francesco Totti (jogador do Roma).
 
No festival pretende assistir às atuações de Axwell /\ Ingrosso e Oliver Heldens, e destaca “o ambiente, os palcos que são mágicos, as pessoas e claro, a música”. Em relação a Portugal, Bruno considera que o público não se pode queixar com o que já tem, visto que já existem “eventos que vão decorrendo ao longo do ano e onde podemos ver os melhores DJs do mundo”.
 

“VALE TODOS OS CÊNTIMOS GASTOS”

 

Com 33 anos, Marco Reis parte da Trofa em direção à Bélgica pela segunda vez consecutiva. “Tudo no Tomorrowland é especial. É o festival que promove a magia e o amor. Isso nota-se a cada passo que damos: existe magia no ar e é tudo feito ao pormenor. Não se consegue exprimir em palavras o que é o Tomorrowland”, salientou Marco.
 
As suas expetativas “são sempre elevadas”, principalmente para “ver como será o palco Main Stage”. Na bagagem leva “o essencial”, como a máquina fotográfica e telemóvel “para registar todos os momentos e mais tarde recordar”, comida, bebida, um impermeável e objetos de higiene.
 
“É um festival caríssimo. Temos de poupar um ano inteiro para termos três dias de loucura inesquecível. Mas vale todos os cêntimos gastos. É talvez a maior e melhor memória que teremos para o resto das nossas vidas”, destaca Bruno.
 
O português garante que Portugal não necessita de um festival desta envergadura, pois existe o MEO Sudoeste e outras festas com grandes nomes da música eletrónica, porém, atesta que “o país em si, não inspira confiança para um festival do género”.
 

“É O MAIOR FESTIVAL DO MUNDO”

 
Rui Sá, natural de Braga, tem 22 anos e também é estreante no Tomorrowland, prometendo que vai “aproveitar ao máximo aquele que é o maior festival do mundo. Sentir o ambiente proporcionado pelos artistas e que entusiasma o público e, acima de tudo, conhecer malta que, tal como eu, ‘vive’ a música eletrónica!”.
 
A bandeira portuguesa e a camisola de Steve Angello, o seu “artista de eleição” que não quer perder, vão bem guardadas na mala de viagem. Para conseguir ir à Bélgica, Rui confessa que quem “tem o sonho de ir ao Tomorrowland, que nunca desista desse objetivo, pois mais cedo ou mais tarde, há-de conseguir”, apesar de não ser fácil economicamente.
 

“UM SONHO DO QUAL QUEREMOS FAZER PARTE”

 
Depois de viajar até ao Ultra Music Festival de Miami e Ultra Europe na Croácia, Cristina Lima parte agora para o Tomorrowland pela segunda vez. A portuguesa de 31 anos e natural do Porto confessou estar “bastante ansiosa por ver o Main Stage” e afirma que os organizadores do evento “vendem um sonho do qual queremos fazer parte”.
 
Dois pares de sapatilhas e uma câmara fotográfica “para captar os melhores momentos” são os objetos essenciais que destacou em exclusivo ao Portal 100% DJ. Após ver Tiesto no Ultra Europe, Cristina está “curiosa por vê-lo no Tomorrowland”.
 
“Em Portugal fazem-se festivais à medida das mentalidades. Neste momento temos bons festivais, com bons cabeças de cartaz de EDM”, respondeu a portuense quando questionada sobre a falta de um festival do género no nosso país. Para viajar até Boom, “desejar apenas não chega, é preciso querer. Quando se quer algo temos de fazer opções, ir menos vezes ao café, despender menos dinheiro na noite... para quando chegar a hora temos tudo a postos para comprar o sonho!” confessou Cristina Lima.
 

“É A DISNEYLAND PARA ADULTOS!”

 
Laëtitia Esteves, de 29 anos e natural de Guimarães, viaja pela terceira vez consecutiva até Boom e espera voltar a “ser surpreendida com a magia que se respira durante aqueles três dias”, destacando ainda “um dos momentos marcantes e mais emocionantes” de cada ano como “a descoberta do Main stage”.
 
“Na realidade, tudo é especial. Eu costumo dizer que não se consegue descrever, é preciso vivê-lo e toda a gente deveria de lá ir pelo menos uma vez na vida. Tudo é pensado ao pormenor de forma a marcar as nossas vidas para sempre. E marca mesmo!”, confessou Laëtitia.
 
A amante de EDM destaca ainda que “a música é sem dúvida o ponto alto do festival com os seus inúmeros artistas de renome internacional. Mas a decoração, a organização, o ambiente que se vive... é a Disneyland para adultos! São mais de 200 mil pessoas vindas dos quatro cantos do mundo com a mesma paixão. Não interessa a cor, raça, idade, sexo e nacionalidade, porque no fundo a música une-nos”.
 
Na mala de viagem não vai poder faltar a bandeira nacional, roupas leves, calçado confortável, óculos de sol, protetor solar e a camisola do seu ídolo, Alesso. Quando questionada sobre que atuações mais deseja assistir, Laëtitia salienta Alesso, Armin van Buuren, Steve Angello e Axwell /\ Ingrosso, deixando ainda uma sugestão à organização: “um dia gostava de ver Pete Tha Zouk no Tomorrowland. É o meu ídolo nacional”.
 
Relativamente aos seus gostos musicais, a vimaranense considera que Portugal tem falta de um festival como o Tomorrowland, mas tem dúvidas em relação à adesão das pessoas. E porquê? “A entrada para o Tomorrowland é cerca de três vezes mais cara do que a de um MEO Sudoeste” e “neste momento está enraizada uma ‘onda’ de Kizomba no nosso país. As casas foram praticamente obrigadas a apostarem nessa ‘onda’ porque é o que se vende”.
 
O investimento para uma aventura como estas não é “nada fácil”. “Termina um Tomorrowland e já estamos a poupar para o próximo, porque os bilhetes são vendidos cerca de seis meses antes da realização do festival. Fica caro pelo facto de serem apenas três dias, mas vale cada cêntimo investido”, confessou Laëtitia Esteves ao Portal 100% DJ.

 

{youtube}NtDG-Cnj-pw{/youtube}

 

Publicado em Tomorrowland
A escola de inteligência para DJs e produtores - i4DJ, promove este domingo o evento-convívio Connection Fest, que tem como objetivo unir o coletivo de artistas, alunos e ex-alunos e da i4DJ, numa celebração da música eletrónica e da amizade.

Além de unir amigos e DJs, pretende-se com este evento dar oportunidade a artistas de apresentarem os seus projetos em atuação com os melhores equipamentos do momento. O i4DJ Connection Fest realiza-se no Tamariz e tem início marcado para as 17 horas, terminando à meia-noite.

Os interessados em apresentar o seu projeto ou tocar no evento deverão obter mais informações junto da i4DJ.
Publicado em Eventos
À semelhança da prova de vela internacional que passou em Lisboa recentemente e que apelou à proeza e ao empenho dos velejadores, Fernando Alvim e a sua equipa, também internacional, estão a preparar a regata mais emocionante que Lisboa irá alguma vez assistir: uma regata de barquinhos a remos no Lago do Campo Grande.

A 1ª Grande Regata de Barquinhos a Remos vai contar com a apresentação de Fernando Alvim, cocktails servidos pela Jameson e DJs. O evento é uma ideia original de Fernando Alvim e é uma organização conjunta com a Câmara Municipal de Lisboa.

A 1ª Grande Regata de Barquinhos a Remos arranca às 15 horas deste sábado, 23 de junho, com a pré-eliminatória que tem como objectivo seleccionar os concorrentes para a competição oficial, que se prolonga ao longo da tarde.

Serão admitidos apenas 3 elementos por equipa, dois para remar (à vez) e um para dar instruções via megafone (vulgo O Engenheiro). A equipa vencedora ganhará uma taça e todas as equipas participantes levarão para casa uma garrafa do principal patrocinador da edição deste ano, a Jameson.
Publicado em Eventos
Pág. 1 de 2

Newsletter

Recebe novidades e conteúdos exclusivos no teu e-mail.