25-09-2018

  Diretor : Ivo Moreira  |  Periodicidade : Diária

Sobre Nós  |  Fala Connosco     

Pela primeira vez no Tomorrowland, a editora de Hardwell, Revealed Recordings, irá ter um palco próprio, com nomes bem conhecidos da música eletrónica da atualidade, como Dannic, Joey Dale e Sick Individuals.
 
No Opera stage, irão subir à cabine os amigos de Carl Cox, tais como Dubfire, Dolomun e Javi Row, com a apresentação de MC Gunner.
 
Para o palco Ketaloco, foram também anunciados alguns artistas pela organização do Tomorrowland, bem como para o palco apresentado por Derrick Carter, onde apenas irão atuar DJs em modo B2B.
 
O festival Tomorrowland está marcado para os dias 24, 25 e 26 de julho, em Boom, na Bélgica.
 
Confere abaixo os artistas confirmados, nos respetivos palcos:
 
Hardwell presents Revealed (sábado, 25 de julho):
  • Dannic
  • Dyro
  • Hardwell
  • Headhunterz
  • Joey Dale
  • Jordy Dazz
  • Julian Calor
  • Kill The Buzz
  • Manse
  • Sick Individuals
  • Thomas Newson
 
Carl Cox & Friends (sexta feira, 24 de julho, apresentado por MC Gunner):
  • Carl Cox
  • Dufire
  • Javi Row
  • John Digweed
  • Jon Rundell
  • Monika Kruse
  • Nicole Moudaber
  • Solomun
 
Ketaloco (sábado, 25 de julho):
  • Andhim
  • Caspar
  • Don Cabron
  • Edu Imbernon
  • Karotte
  • Marc Romboy VS Stephan Bodzin
  • Nico Morano
  • No Shit Like Deep
 
Derrick Carter presents... Family and the Friends (sexta feira, 24 de julho):
  • Derick Carter B2B Eats Everything
  • Mark Farina B2B Seth Troxler
  • DJ Pierre B2B Riva Starr
  • Sven van Hees B2B Flapjackers
 
Publicado em Tomorrowland
A sua atuação no Tomorrowland está a dar que falar. Por um lado, muitos foram aqueles que apreciaram o seu espetáculo e o seu set, por outro, fazem-se críticas à prestação excêntrica do artista que muitos desconhecem e que só agora se tornou viral, muito por culpa da sua forma de estar atrás da cabine. Eis Salvatore Ganacci.

Mas quem é? Para a grande maioria, é um artista que, além de DJ, exibe uns passos de dança brilhantes que contagiam tudo e todos. Na verdade, Salvatore conta com uma sólida carreira no mercado da música de dança desde 2014, quatro anos depois de entrar para a escola Musikmakarna, na Suécia.

Ao longo da sua carreira, Ganacci já lançou várias colaborações com artistas de renome, como é o caso de Major Lazer, Dillon Francis, Sebastian Ingrosso, Axwell, Pusha-T, entre muitos outros. Do seu currículo fazem ainda parte vários remixes oficiais para os Swedish House Mafia, Knife Party, Dada Life, Afrojack, Snoop Dogg e Alesso.

Além da música eletrónica, o artista oriundo da Bósnia aprecia também moombahton, trap e dancehall. É também reconhecido por editoras como a Universal Music Group, STMPD RCRDS, Dim Mak, Def Jam Recordings, Virgin Records ou a Warner Music Group.

Depois de duas atuações em anos consecutivos no Tomorrowland e no Ultra Music Festival em Miami, quem não gostaria de ver este verdadeiro showman ao vivo em Portugal?
 
Publicado em Artistas
Deixou a carreira de professor de educação física e moral para se dedicar de corpo e alma ao djing e à produção musical. Quando se fala de Yves V, é inevitável referir o festival Tomorrowland, uma vez que o artista belga é considerado o DJ residente. Graças ao impacto das suas atuações transmitidas para todo o planeta, hoje em dia cumpre um dos seus maiores sonhos: viajar por todo o mundo acompanhado da sua música e dos seus fãs. O Portal 100% DJ teve a oportunidade de conversar com o produtor belga, sobre temas como a sua carreira atual, o nosso país e, claro, o festival que é a sua segunda casa.
 
 
És o DJ residente do Tomorrowland. Como te sentes ao fazer parte do maior festival do mundo?
É ótimo. Todas as pessoas me perguntam isso. Eu estou lá quase desde o início por isso eu vi toda a evolução. Agora tenho o meu próprio palco e atuei também no Main Stage, na edição do Brasil e dos Estados Unidos da América. Estou muito feliz por continuar lá e posso chamar-me de ‘DJ residente’ daquele festival, porque às vezes as pessoas não sabem onde é a Bélgica, a minha terra natal, mas sabem onde é o Tomorrowland.
 
Qual é a tua opinião sobre a expansão do Tomorrowland para outros países como o Brasil ou os Estados Unidos da América?
É muito bom, penso eu. Especialmente o Brasil, na minha opinião, é um grande mercado para mim. O público brasileiro e o Tomorrowland são uma combinação muito boa. A primeira edição ficou esgotada em duas horas e a edição americana também vendeu bem. Acho bem que não o façam em todos os países, mas sim em todos os continentes. É positivo expandir a marca.
 
Já atuaste várias vezes no nosso país. O que tens a dizer sobre Portugal e o nosso público?
Fantástico! Amo o clima, porque é muito diferente da Bélgica e o público tem sempre muita energia. Todos estão felizes e sabem as músicas, é uma das coisas que se consegue ver. A última vez que cá estive, havia pessoas no público com uma bandeira com o nome de uma faixa minha que ainda não tinha sido lançada, foi muito bom. 
 
Conheces algum DJ português?
Sim, o Kura. Que outros DJs portugueses me aconselham?
 
E para quando uma colaboração com um DJ português?
Atualmente estou a planear com o Kura para fazermos alguma coisa. Até agora não tenho nenhuma produção com um artista português mas nunca se sabe o que o futuro possa trazer.
 

(…) o meu maior objetivo: viajar pelo mundo e partilhar a minha música.

 
Qual é a tua colaboração de sonho?
É difícil dizer um só nome, mas se pudesse escolher seria alguém fora da música de dança. Alguém de uma banda de rock, de música clássica, ou um cantor. Algo totalmente diferente e que as pessoas não estejam à espera.
 
Como por exemplo?
Há muitos bons cantores, como por exemplo a Birdy. Ela tem uma voz muito boa que desperta muitas emoções. Iria ser uma excelente combinação. Mas há muitos outros bons nomes que seriam uma boa hipótese. 
 
Qual foi o melhor momento da tua carreira?
É óbvio que tenho de referir novamente o Tomorrowland. O mundo inteiro está a ver o Main Stage e aquilo que tu estás a reproduzir naquele momento. Cada vez que atuo lá, consigo ver as reações nas redes sociais. O Tomorrowland é sempre um momento alto na minha carreira.
 
Na tua opinião, quem merece a primeira posição do Top 100 DJs da DJ Mag?
É uma pergunta muito difícil. Mas acho que a resposta é Dimitri Vegas & Like Mike. São os meus irmãos da Bélgica. Na minha opinião é muito difícil dizer quem possa ser o melhor DJ do mundo, porque existem muitos bons artistas.
 
Que novidades podes desvendar acerca do futuro da tua carreira?
Tenho muitas novas produções a chegar. Espero que tudo corra bem. Vou estar em digressão e esse é o meu maior objetivo: viajar pelo mundo e partilhar a minha música.
 
Que mensagem gostarias de deixar aos seguidores e leitores do Portal 100% DJ?
Quero agradecer a todos que têm ido às minhas atuações e se nunca o fizeram, espero conhecê-los em breve num dos meus próximos shows. Continuem a apoiar a música eletrónica!
 
 
Segue Yves V nas redes sociais
     
 
Publicado em Entrevistas
quinta, 26 julho 2012 23:03

Mas afinal o que é o Tomorrowland?!

Nas últimas semanas, ou até meses, acreditamos que porventura tenha existido muitos leigos no assunto que se questionam com a pergunta que faz título a este artigo. Assumimos que é de facto uma boa pergunta. Não é tarefa fácil, explicar. Mas vamos tentar.
Não, nao é uma receita de waffles com caramelo e natas, nem uma marca de pizza de uma cadeia empresarial de comida italiana. Nada disso. Aliás... é melhor que isso!

Numa pequena nota: É um festival de música de dança que começa hoje, dia 27 de julho e termina no domingo. É por ter um tamanho considerável que é denominado de 'Festival'.
Sejamos práticos e diretos ao assunto: é uma discoteca em «ponto grande» com vários palcos, instalada num gigantesco jardim botânico da cidade de Boom chamado De Schorre. Boom situa-se a 26 quilómetros de Bruxelas.
 
Por ser relativamente perto, significa que até podes dar um saltinho à sede do Parlamento Europeu em Bruxelas, e cumprimentar sua excelência, o Drº Durão Barroso ou até mesmo a Drª Angela Merkel (porque não?!).
 
Ok. Política à parte - não vamos por aí.
 
O Tomorrowland é classificado por qualquer amante de música de dança, como o melhor festival da europa.
É idealizado e produzido por uma filial da ID&T na Bélgica. Uma das melhores e mais criativas produtoras de eventos quer a nível Europeu quer a nível Mundial. Sensation White, Sensation Black, Mysterland e Dirtdutch são apenas algumas das estrondosas produções desta produtora com sede na Holanda. O empresário Duncan Stutterheim é o seu cérebro e fundador. Duncan conhece bem Portugal. País onde esteve presente nas duas edições de Sensation White em 2009 e 2010 respetivamente.
"Os portugueses são muito conhecidos pelo seu espírito de festa que foi bem demonstrado na 1ª edição Portuguesa que se estreou em Portugal em Maio de 2009" disse Ducan à imprensa .
De salientar que no Brasil também já existe uma filial da ID&T desde o ínicio deste ano.

Voltando ao Tomorrowland... 2012 é o ano da 8ª edição. É um festival para todos os gostos musicais. Será possivelmente essa grande variedade musical que faz com que seja um evento tão procurado. Só em 2011, este festival registou mais de 100 mil participantes de todo o mundo. Apenas maiores de 18 anos, aqui podem entrar.

Espalhados pelo Jardim De Schorre, existem ao todo cerca de 16 palcos que são animados pelos melhores deejays e produtores de música do Mundo. São também palcos decorados com o tema específico de cada ano - um "conto de fadas misterioso" é tema de 2012. O palco MainStage é sempre o mais apetecível.
Há música para todos os gostos musicais - desde o mais comercial ao mais underground, recordando também a década de 90.
 
Não nos podemos esquecer da DreamVille - um gigantesco espaço equipado para campismo durante os dias do evento, dividido por três áreas distintas: 'Easy', 'Relax Room' e 'Mansion'. É separado do recinto do festival numa distância com cerca de 800 metros.

Agora a parte que também interessa: Preços e valores.
Em abril foi num abrir e fechar de olhos a corrida aos ingressos. Garantir lugar na melhor e maior edição de sempre, foi o objetivo primordial dos festivaleiros sortudos. Foi a loucura. Os bilhetes esgotaram em menos de 24 horas.
 
Ok, e os preços? 172,50€ um passe para os 3 dias de evento, e o passe regular diário 72,50€. Se se pretender estadia na DreamVille, a estes valores soma-se a estadia que varia entre 34,50€ (5 dias) e os 9.600€ para um máximo de 12 pessoas (5 dias).
É certo que não é um festival para todos os bolsos. No entanto, 'Crise' não é palavra que aqui entre.
 
Contudo, já levantámos um pouco a 'ponta do véu'. Mas o resto deixamos para o nosso repórter Nuno Dourado que está no festival e vai-nos dar a conhecer tudo sobre o Tomorrowland e os três melhores dias da sua vida.
 
Agora já percebeste o porquê do Tomorrowland ser melhor que um delicioso waffle encharcado de caramelo e natas?
 
 
Publicado em Tomorrowland
Dimitri Vegas & Like Mike acabam de anunciar o lançamento do tão esperado hino oficial do Festival Tomorrowland 2012.
'Tomorrow Changed Today' é lançado amanhã pela editora Le7els, a poucas horas da abertura das portas do evento que decorre até Domingo na Bélgica.

A música que sintetiza a atmosfera alucinante daquele que é amplamente considerado como o espetáculo mais original e inspirador da música de dança do planeta, estará disponível em exclusivo na loja digital - beatport.com - apenas e por enquanto em formato instrumental. Em breve a música será vendida com os magníficos vocais da artista internacional - Kelis.

Segundo a dulpa, a ideia de produzir uma música que transmitisse a magia e o estado de espírito do que é o Festival em apenas 6 minutos, não é tarefa fácil. No entanto, isso não foi problema para Dimitri Vegas & Like Mike.

Em 2011 o Hino do Festival com o título 'The Way We See The World' foi também produzido por Dimitri Vegas & Like Mike, Afrojack e pelas duas irmãs australianas NERVO.
 
Ouve o preview aqui o preview de 'Tomorrow Changed Today' e dá a tua avaliação nas estrelas.
 
 
Publicado em Tomorrowland
O festival belga Tomorrowland anunciou novos artistas que irão subir a três palcos alternativos, intitulados de Cocoon (vinyl), Paradise e Minus (minimal e techno).
 
O palco Cocoon tem como anfitrião Sven Vath e conta com Dana Ruh, Fred Hush, Josh Wink, Maceo Plex, Markus Fix e Seth Troxler para sábado, dia 25 de julho.
 
Jamie Jones irá apresentar Cajmere, The Martinez Brothers, Patrick Topping, Richy Ahmed, Robert James, wAFF, Cheap Charly Men e Smos no palco Paradise, na sexta-feira, dia 24 de julho.
 
Por fim, o palco Minus conta com as atuações de Bollen & Fichtner, Fabio Florido, Gaiser, Julian Jeweil, Justin James, Marc Houle, Matador e Richie Hawtin no domingo, dia 26 de julho.
 
Confere aqui os restantes artistas já confirmados para o festival Tomorrowland, que vai decorrer em Boom.
 
Publicado em Tomorrowland
Boom, na Bélgica, é uma cidade com menos de 20 mil habitantes. Durante os próximos dias 24, 25 e 26 de julho, a localidade vai receber milhares de festivaleiros unidos por um objetivo: a música eletrónica, vivida nos vários palcos do festival Tomorrowland.
 
A edição deste ano conta com nomes como Alesso, Avicii, David Guetta, Dyro, Nicky Romero, Oliver Heldens, Steve Aoki, Ummet Ozcan, W&W, Armin van Buuren, Axwell /\ Ingrosso, Blasterjaxx, Deorro, Martin Garrix e muitos outros.
 
Pelo segundo ano consecutivo, o Portal 100% DJ foi ao encontro de alguns portugueses que vão embarcar na experiência Tomorrowland e que têm uma única paixão: a música eletrónica.
 

“NÃO É UM FESTIVAL, É UMA RELIGIÃO!”

 
Já tentei explicar a centenas de pessoas. É mais do que um festival, é uma religião! Não se explica, sente-se. Uma vez ‘Tomorrowlander, Tomorrowlander’ até à morte! Estranho? Depois de lá irem vão entender”, são as palavras de João Santos, de 48 anos e natural de Sintra, que parte para o festival belga pela terceira vez. Na sua mala de viagem constam produtos de higiene e roupa prática para ver alguns dos seus artistas favoritos como Coone e Brennan Heart.
 
Em relação às expetativas para a edição deste ano, João afirma que “as lágrimas ameaçam quando começo a pensar só de entrar no avião e ouvir aquela mensagem arrepiante do comandante: ‘flight to Tomorrowland’”. O sintrense considera ainda que “este festival é muito caro, mas é um facto que as pessoas como eu, que adoram electronic dance music (EDM) e apesar da minha idade e de já ter ido duas vezes... ainda vou uma terceira. Isto tem a ver com um facto: o Tomorrowland não é um festival, é uma religião!”.
 
Apesar de achar que Portugal tem falta um evento deste género, João Santos não acredita “que fosse possível um espírito igual ao da Bélgica”.
 

“TENTO NÃO CRIAR EXPETATIVAS”

 
Bruno Alves tem 31 anos e vai ao festival pela primeira vez, diretamente de Vizela. “Tento não criar muitas expetativas para poder ser completamente surpreendido por tudo! Mas como é lógico, são elevadíssimas”, confessou o festivaleiro em exclusivo ao Portal 100% DJ. Na sua mala, além da bandeira nacional, leva a GoPro, telemóvel, óculos de sol e a camisola do seu ídolo: Francesco Totti (jogador do Roma).
 
No festival pretende assistir às atuações de Axwell /\ Ingrosso e Oliver Heldens, e destaca “o ambiente, os palcos que são mágicos, as pessoas e claro, a música”. Em relação a Portugal, Bruno considera que o público não se pode queixar com o que já tem, visto que já existem “eventos que vão decorrendo ao longo do ano e onde podemos ver os melhores DJs do mundo”.
 

“VALE TODOS OS CÊNTIMOS GASTOS”

 

Com 33 anos, Marco Reis parte da Trofa em direção à Bélgica pela segunda vez consecutiva. “Tudo no Tomorrowland é especial. É o festival que promove a magia e o amor. Isso nota-se a cada passo que damos: existe magia no ar e é tudo feito ao pormenor. Não se consegue exprimir em palavras o que é o Tomorrowland”, salientou Marco.
 
As suas expetativas “são sempre elevadas”, principalmente para “ver como será o palco Main Stage”. Na bagagem leva “o essencial”, como a máquina fotográfica e telemóvel “para registar todos os momentos e mais tarde recordar”, comida, bebida, um impermeável e objetos de higiene.
 
“É um festival caríssimo. Temos de poupar um ano inteiro para termos três dias de loucura inesquecível. Mas vale todos os cêntimos gastos. É talvez a maior e melhor memória que teremos para o resto das nossas vidas”, destaca Bruno.
 
O português garante que Portugal não necessita de um festival desta envergadura, pois existe o MEO Sudoeste e outras festas com grandes nomes da música eletrónica, porém, atesta que “o país em si, não inspira confiança para um festival do género”.
 

“É O MAIOR FESTIVAL DO MUNDO”

 
Rui Sá, natural de Braga, tem 22 anos e também é estreante no Tomorrowland, prometendo que vai “aproveitar ao máximo aquele que é o maior festival do mundo. Sentir o ambiente proporcionado pelos artistas e que entusiasma o público e, acima de tudo, conhecer malta que, tal como eu, ‘vive’ a música eletrónica!”.
 
A bandeira portuguesa e a camisola de Steve Angello, o seu “artista de eleição” que não quer perder, vão bem guardadas na mala de viagem. Para conseguir ir à Bélgica, Rui confessa que quem “tem o sonho de ir ao Tomorrowland, que nunca desista desse objetivo, pois mais cedo ou mais tarde, há-de conseguir”, apesar de não ser fácil economicamente.
 

“UM SONHO DO QUAL QUEREMOS FAZER PARTE”

 
Depois de viajar até ao Ultra Music Festival de Miami e Ultra Europe na Croácia, Cristina Lima parte agora para o Tomorrowland pela segunda vez. A portuguesa de 31 anos e natural do Porto confessou estar “bastante ansiosa por ver o Main Stage” e afirma que os organizadores do evento “vendem um sonho do qual queremos fazer parte”.
 
Dois pares de sapatilhas e uma câmara fotográfica “para captar os melhores momentos” são os objetos essenciais que destacou em exclusivo ao Portal 100% DJ. Após ver Tiesto no Ultra Europe, Cristina está “curiosa por vê-lo no Tomorrowland”.
 
“Em Portugal fazem-se festivais à medida das mentalidades. Neste momento temos bons festivais, com bons cabeças de cartaz de EDM”, respondeu a portuense quando questionada sobre a falta de um festival do género no nosso país. Para viajar até Boom, “desejar apenas não chega, é preciso querer. Quando se quer algo temos de fazer opções, ir menos vezes ao café, despender menos dinheiro na noite... para quando chegar a hora temos tudo a postos para comprar o sonho!” confessou Cristina Lima.
 

“É A DISNEYLAND PARA ADULTOS!”

 
Laëtitia Esteves, de 29 anos e natural de Guimarães, viaja pela terceira vez consecutiva até Boom e espera voltar a “ser surpreendida com a magia que se respira durante aqueles três dias”, destacando ainda “um dos momentos marcantes e mais emocionantes” de cada ano como “a descoberta do Main stage”.
 
“Na realidade, tudo é especial. Eu costumo dizer que não se consegue descrever, é preciso vivê-lo e toda a gente deveria de lá ir pelo menos uma vez na vida. Tudo é pensado ao pormenor de forma a marcar as nossas vidas para sempre. E marca mesmo!”, confessou Laëtitia.
 
A amante de EDM destaca ainda que “a música é sem dúvida o ponto alto do festival com os seus inúmeros artistas de renome internacional. Mas a decoração, a organização, o ambiente que se vive... é a Disneyland para adultos! São mais de 200 mil pessoas vindas dos quatro cantos do mundo com a mesma paixão. Não interessa a cor, raça, idade, sexo e nacionalidade, porque no fundo a música une-nos”.
 
Na mala de viagem não vai poder faltar a bandeira nacional, roupas leves, calçado confortável, óculos de sol, protetor solar e a camisola do seu ídolo, Alesso. Quando questionada sobre que atuações mais deseja assistir, Laëtitia salienta Alesso, Armin van Buuren, Steve Angello e Axwell /\ Ingrosso, deixando ainda uma sugestão à organização: “um dia gostava de ver Pete Tha Zouk no Tomorrowland. É o meu ídolo nacional”.
 
Relativamente aos seus gostos musicais, a vimaranense considera que Portugal tem falta de um festival como o Tomorrowland, mas tem dúvidas em relação à adesão das pessoas. E porquê? “A entrada para o Tomorrowland é cerca de três vezes mais cara do que a de um MEO Sudoeste” e “neste momento está enraizada uma ‘onda’ de Kizomba no nosso país. As casas foram praticamente obrigadas a apostarem nessa ‘onda’ porque é o que se vende”.
 
O investimento para uma aventura como estas não é “nada fácil”. “Termina um Tomorrowland e já estamos a poupar para o próximo, porque os bilhetes são vendidos cerca de seis meses antes da realização do festival. Fica caro pelo facto de serem apenas três dias, mas vale cada cêntimo investido”, confessou Laëtitia Esteves ao Portal 100% DJ.

 

{youtube}NtDG-Cnj-pw{/youtube}

 

Publicado em Tomorrowland
Os moradores da cidade de Schorre em Boom, local onde se realiza o Festival Tomorrowland - lançaram uma petição contra o segundo fim-de semana de evento, agendado para os dias 25, 26 e 27 de julho, estando em causa o incómodo causado pelo evento. O caso vai ser mesmo levado para tribunal.
 
Os habitantes exigem que o segundo fim-de-semana seja cancelado e que o ruído seja limitado durante o primeiro fim-de-semana de Festival (18, 19, 20 de julho). À comunicação social, o advogado dos moradores, alega que o Festival Tomorrowland não tem sequer as licenças necessárias.
 
Esta, não é a primeira vez que a organização do Festival se vê em apuros. Recorde-se que em 2009, duas pessoas foram afectadas pelos lasers instalados no palco alegando que foram afetadas nos olhos causando-lhes hemorragias.
 
Deste o inicio da sua realização, a produção do evento sempre tentou ser gentil para com os moradores de Schorre, inclusive os que vivem nas proximidades do Festival sempre tiveram bilhetes gratuitos de acesso. No entanto e ao que parece para algumas pessoas isso só não chega.
 
Entretanto e para fazer frente ao 'Contra', foi lançada uma outra petição a favor da realização do evento. Por enquanto resta mesmo esperar pelos desenvolvimentos desta situação que em nada está a favor dos fãs do evento que este ano celebra 10 anos.
 
 
Publicado em Tomorrowland
Uma das épocas mais esperadas do ano chegou. O festival Tomorrowland, que acontece nos dois próximos fins-de-semana, está de volta a Boom, na Bélgica, com um cartaz de luxo direcionado para os amantes da música eletrónica em todas as suas vertentes. Como já é habitual, são vários os festivaleiros portugueses que partem em direção ao evento, com o objetivo de viver os melhores dias das suas vidas repletos de música, amor e união. O Portal 100% DJ falou mais uma vez em exclusivo com três portugueses que neste momento já estão no Tomorrowland. 
 
“O Tomorrowland é um lugar mágico”
 
Dylan Silva, de 23 anos, parte de Paris em direção ao festival belga pela terceira vez. “O Tomorrowland é um lugar mágico. A primeira vez que lá vamos é o realizar de um sonho e nas vezes seguintes torna-se na nossa casa”, referiu o português em exclusivo ao Portal 100% DJ.
 
Coone, Alesso, Martin Garrix e Armin van Buuren são os artistas que não quer perder no festival. Em relação à segurança do evento, considera que “não devemos pensar nisso e sim aproveitar ao máximo esses dias”, uma vez que já conhece o Tomorrowland e o seu ambiente.
 
Quando questionado se Portugal merecia um festival como o Tomorrowland, a resposta de Dylan foi afirmativa, apesar de ser “impossível” e do nosso país não ter “organização para tanto”.
 
“Mística e envolvência do festival” 
 
Pela primeira vez no Tomorrowland, Daniel Dias foi atraído pela “mística e envolvência do festival em conjunto com os artistas que irão atuar”, afirmou o português de 24 anos, residente em São João da Talha.
 
Durante o evento promete não perder um segundo dos sets de Carl Cox, Solomun e Dimitri Vegas & Like Mike e refere ainda que não se irá sentir inseguro num dos maiores festivais de música eletrónica a nível mundial, apesar dos alertas de terrorismo.
 
Se o Tomorrowland viesse para Portugal, Daniel considera ainda que “não seria a mesma coisa” e que “não faz falta um evento destes” no nosso país.
 
“Sempre foi um sonho a concretizar”
 
Joana Lima, de Lisboa e com 26 anos, vai pela primeira vez ao festival de Boom. “O Tomorrowland sempre foi um sonho a concretizar. Sou fã de música eletrónica e todo o ambiente e pormenores do festival sempre me fascinaram”, referiu a festivaleira.
 
Armin van Buuren, KSHMR, Martin Garrix e Dimitri Vegas & Like Mike são os seus artistas de eleição, considerando-se fã e que não irá perder durante o evento. Quando questionada sobre a falta de um festival do mesmo género em Portugal, Joana considera que seria “incrível”, apesar de já existirem eventos do mesmo género “mas nenhum que se aproxime da qualidade do Tomorrowland”.
 
Em relação às ameaças terroristas que o mundo tem vindo a sofrer, Joana afirma que “é impossível não sentir alguma insegurança, mas a verdade é que o risco está em todo o lado. Prefiro não pensar nisso e simplesmente disfrutar daquele que será, provavelmente, uma das melhores experiências que irei ter na vida, num festival que apela ao amor e à união: ‘Live today, love tomorrow, unite forever”, concluiu.
 
Publicado em Tomorrowland
quinta, 23 julho 2015 21:06

Tomorrowland anuncia livestream

O festival Tomorrowland começa hoje para os campistas, mas o livestream para todo o planeta só terá início amanhã. Segundo a organização, através do site oficial vai ser possível assistir em direto a algumas atuações dos melhores artistas de música eletrónica do evento, de sexta-feira a domingo.
 
Para quem possui a aplicação Nowlive, pode viver uma experiência única do livestream do Tomorrowland. A transmissão em direto vai ser possível em computadores, tablets e telemóveis, em qualidade HD, possibilitando ainda aos seus utilizadores de assistirem a vários palcos ao mesmo tempo.
 
Tal como acontece nos diretos do Youtube, no Nowlive também vai existir um chat, para os fãs do festival comentarem as atuações. Segundo Brad Sexton, Presidente da Live Media Group, que detem o Nowlive, “a reputação do Tomorrowland como um dos festivais mais bem sucedidos de música eletrónica no mundo faz com que esta parceria deixe-nos muito anciosos. Construímos a tecnologia Nowlive especialmente para os fãs do Tomorrowland e TomorrowWorld, porque merecem uma melhor e controlada experiência de visualização, que é o nosso objetivo com esta plataforma”.
 
A Nova Era é, mais uma vez, a rádio oficial do Tomorrowland em Portugal e a partir de amanhã, até domingo, vai estar em direto desde Boom, na Bélgica.
 
Publicado em Tomorrowland
Pág. 1 de 9

Projeto editorial independente cujos valores se guiam pelo profissionalismo, isenção e criatividade, tendo como base de trabalho toda a envolvente da noite nacional e internacional, 365 dias online.

Acesso Rápido

Newsletter

Recebe novidades e conteúdos exclusivos no teu e-mail.