21-07-2019

  Diretor Ivo Moreira | Periodicidade Diária

Sobre Nós  |  Fala Connosco     

Natural da Margem Sul do Tejo, é no país da cidade maravilhosa que faz vida há 10 anos. Começou a sua carreira na música com oito anos de idade, a estudar piano, tocou numa banda de baile, mas rapidamente percebeu que o "bailinho" era outro, com acordes mais eletrónicos e decibéis muito mais altos. Rui Oliveira é o rosto do projeto Paranormal Attack, que está comemorar 15 anos de existência. Nesta entrevista exclusiva ao Portal 100% DJ, ficámos a conhecer as suas influências e algumas novidades musicais, como foi a sua passagem pelo Festival Tomorrowland Brasil e quais os seus próximos projetos.
 
 
A música fez parte da tua infância. Estudaste piano, tocaste numa banda de baile e aos 20 anos começaste a produzir música eletrónica. Conta-nos como foi essa mudança da música de baile para a eletrónica.
Na verdade sempre odiei música de baile mas era uma boa fonte de dinheiro e dava-me tempo para poder produzir enquanto Paranormal Attack durante a semana. Sempre fui fã de Rock e Metal, nem prestava muita atenção ao som eletrónico até ao dia em que fui a uma rave e apaixonei-me completamente. Comecei logo a descobrir como se fazia aquilo. Os conhecimentos que tinha de música ajudaram-me muito na produção!
 
Na produção musical quais são as tuas influências?
No trance a minha maior influência sempre foi Skazi, além de ser como um irmão para mim também foi ele que me ajudou muito no início da carreira. No geral o meu produtor preferido é o Rob Swire dos Pendulum/Knife Party.
 
Já lançaste uma faixa em conjunto com os Karetus. Com que outros artistas portugueses gostarias de colaborar?
Os Karetus são grandes amigos meus e grandes produtores. Estou a terminar uma colaboração com os Ninja Kore e gostaria de fazer algumas coisas diferentes no mundo Pop também. Estou também a preparar uma colaboração com os Pratta.
 
Faz dois anos que fundaste a editora Fxxk Tomorrow. Como surgiu essa ideia e que balanço fazes da mesma?
Quando tive a ideia de criar a editora foi com o intuito de ter liberdade para lançar a minha música quando quisesse sem ter que esperar por agendas de outras editoras. As coisas foram crescendo e comecei a receber muitas demos e os planos foram sendo maiores. Já lançámos músicas de vários artistas, vários estilos e conseguimos alcançar alguns Top 100 no Beatport. Recentemente começámos a fazer eventos e temos grandes planos para Portugal a partir do próximo ano, que em breve serão revelados. Mas esperem grandes noites no nosso país.
 
Como vês a cena Trance tanto em Portugal como no Brasil?
São cenas muito diferentes. O Brasil devido ao tamanho do país e também ao tamanho a que o Trance chegou os eventos são mega produções com milhares de pessoas. E também o público é mais quente e mostra mais o quanto gostam do DJ. Já Portugal tem uma cena mais tradicional, mais underground e mais pequena e as pessoas são um pouco mais introvertidas. Mas amo os dois países. Cada um com as suas particularidades.
 
O ano passado tiveste uma atuação no Tomorrowland Brasil. Como foi essa experiência?
Foi uma experiência maravilhosa, poder estar num evento desses é o sonho que qualquer DJ provavelmente tem. Lembro-me que até chorei de felicidade no dia que saiu o meu nome no line-up. Foi uma emoção enorme.
 
Que diferenças encontras entre o público português e o brasileiro?
Como já disse, acho que a maior diferença é mesmo a reacção do público quando ouvem a minha música. Os dois países gostam muito do som mas no Brasil as pessoas gritam, pulam, levam placas com o meu nome, bandeiras de Portugal, etc. Em Portugal o público preocupa-se mais com a experiência de cada um durante o set. Dançam muito mas são mais contidos. Mas isto é uma coisa do Trance, porque vejo que noutro tipo de eventos o público português é bastante animado também.
 
No início do mês tiveste uma atuação na Costa de Caparica, margem do Tejo que te viu crescer. Como foi esse regresso? Pode-se afirmar a velha máxima de que "o bom filho à casa torna"?
Foi muito boa a festa, grande ambiente e o local escolhido foi muito bom também. Isto foi só o começo de uma caminhada que estamos a planear. Grandes notícias estão a caminho. Fico muito feliz de voltar ao meu país depois de estar 10 anos no Brasil.
 
O que representou para ti a entrada direta para o TOP 30 de 2016 levado a cabo pelo Portal 100% DJ?
Foi outra grande surpresa para mim e fiquei muito feliz com isso. O país onde nasci reconheceu o meu trabalho e consegui um 19.º lugar. Muita gente que não me conhecia ficou a conhecer e os que conheciam se calhar passaram a respeitar mais o meu trabalho. Espero que este ano suba mais umas posições nesse ranking.
 
Quais são os teus projetos musicais a curto e médio prazo?
Este ano vou lançar o álbum de 15 anos do projeto com 15 músicas e tenho algumas colaborações para sairem também em labels mais comerciais. Temos também grandes planos para eventos da Fxxk Tomorrow em Portugal.
 
E por último, a pergunta da praxe. Que mensagem queres deixar aos teus fãs/seguidores?
Quero agradecer a todos por me proporcionarem a vida que eu escolhi. Poder fazer aquilo que se ama é uma grande vitória na nossa vida. Nunca desistam dos vossos sonhos. Por vezes demoram a chegar mas o que é nosso está guardado e então a nossa hora sempre chega. Um abraço gigante a todos! Amo vocês!
 
Publicado em Entrevistas
Foi juntamente com o produtor brasileiro Rafa Carneiro, que Frechaut e Litos Diaz, ambos DJs e produtores portugueses, lançaram no passado dia 30 de junho, a faixa "Get Down", conseguindo esta, receber o importante destaque de "faixa oficial do festival Wonderland Brazil Anthem 2014".
 
Lançada pela editora L2K Music, a faixa que também conta com suporte do Portal 100% DJ, promete surpreender o público brasileiro do evento Wonderland, que vai realizar-se nos dias 3, 4 e 5 de outubro em Pernambuco (Recife) inspirado num conceito "Alice no País das Maravilhas".
 
Romeo Blanco, Felguk, Omnia são alguns dos artistas confirmados para pisar a cabine. O evento contará com quatro palcos: Main Stage, Vegas Stage, Mushroom Stage e o Sweet Stage.
 
 
 
 
Publicado em Música
O canal televisivo MTV vai transmitir uma compilação com os melhores momentos do festival Tomorrowland que decorreu no passado mês de maio (1, 2 e 3) em Itu, São Paulo.
 
Durante os próximos dois fins-de-semana, a rúbrica MTV World Stage vai ter em destaque inúmeros planos captados no festival de música eletrónica que esgotou 180 mil bilhetes em apenas três horas.
 
A estreia do evento por terras de Vera Cruz foi de tal maneira um sucesso absoluto que a organização não hesitou e confirmou a presença do evento no Brasil por mais cinco anos, ou seja até 2020. No próximo ano decorre entre os dias 21 e 23 de abril.
 
Pelo segundo ano consecutivo a MTV é a televisão oficial do Tomorrowland que este ano acontece nos dias 24, 25 e 26 de julho em Boom, na Bélgica. O cartaz artístico já se encontra fechado e dele fazem parte vários artistas da música eletrónica como é o caso de Afrojack, Oliver Heldens, Steve Aoki, Dyro, Romeo Blanco, Ummet Ozcan e The Martinez Brothers.
 
Recorde-se que no ano passado esta estação televisiva já tinha transmitido dois MTV World Stage exclusivos e um documentário que retratava os 10 anos de existência do festival.
 
Confere agora o horário da transmissão portuguesa do MTV World Stage:
  • Sexta-feira (19 junho) - 00:15 horas
  • Sábado (20 junho) - 10:00 horas 
  • Domingo (21 junho) - 00:45 horas
  •  
  • Sexta-feira (26 junho) - 00:15 horas
  • Sábado (27 junho) - 10:00 horas 
  • Domingo (28 junho) - 00:45 horas
Publicado em Tomorrowland
quinta, 02 agosto 2012 23:43

Delta Cafés aposta no mercado brasileiro

Delta Q foi a marca escolhida pela Delta Cafés para conquistar o mercado brasileiro, na sequência da decisão de estar presente diretamente naquele país. Uma decisão concretizada através da constituição da Delta Foods Brasil e da aquisição da Q-Brasil, que detinha a única loja da marca no país.
 
A entrada direta no mercado brasileiro visou capitalizar o potencial de crescimento que a economia brasileira em geral, e o mercado do café em particular, apresentam atualmente. Teve igualmente como objetivo acelerar o crescimento internacional do grupo, que já estava presente diretamente em Espanha, França, Luxemburgo e Angola. A estes países junta-se agora o Brasil.

No Brasil, o Estado de São Paulo foi o eleito para a projeção da presença direta da marca no Brasil, sendo, a partir de agora, a base do desenvolvimento da estratégia e serviços de apoio à expansão para este país.

Quanto à escolha da Delta Q deve-se ao facto de ser uma marca com um forte ADN de inovação, o que, segundo o grupo, constitui uma vantagem competitiva.
Publicado em Marcas
quarta, 27 outubro 2010 16:17

Pete Tha Zouk em tournée no Brasil

O mais desejado DJ Português está de regresso a terras de Vera Cruz para espalhar, uma vez mais, alegria e festa.
Pete Tha Zouk inicia a sua tournée na 'Trendy Kiss & Fly' de São Paulo já esta quinta-feira, dia 28 de Outubro.
 
A noite de Halloween, a 31, vai ser na Confraria das Artes, em Florianópolis, cidade que serviu de cenário às gravações do vídeo de “I’m Back Again”, o mais recente sucesso mundial de Pete Tha Zouk.
 
A noite de dia 1 de Novembro leva o DJ Português até Belo Horizonte para tocar no novíssimo Café De La Musique, marca que abriu este espaço na capital do estado de Minas Gerais recentemente. A 4 de Novembro chega a vez do Liqüe de Curitiba, o espaço que conquistou o prémio de melhor Club do Brasil, atribuído pela prestigiada Cool Magazine. Esta viagem acaba a 6 de Novembro, num Weekend muito especial em Maringá.
Publicado em Artistas
A Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania da Câmara dos Deputados do Brasil aprovou no passado mês de novembro, um projeto de lei que regulamenta a profissão de DJ. Entretanto foi alterado e volta em breve ao Parlamento brasileiro para que possa ser novamente discutido e, por sua vez, votado.
 
Para exercer a profissão de DJ no Brasil, os artistas têm de ter frequentado um curso técnico de 800 horas, em instituições reconhecidas pelo Ministério da Educação. Para realizar o curso, é obrigatório ter pelo menos 16 anos e o ensino médio completo (ou estar ainda a frequentar).
 
Esta nova regra não se aplica aos profissionais que já estejam a trabalhar na área há, pelo menos, cinco anos, nem para os DJ estrangeiros que permaneçam no Brasil até um mês.
 
A duração do trabalho de um DJ profissional também foi tida em conta e não pode superar as seis horas por dia e ir até 30 horas por semana. Essa duração é o período de apresentação ao público, incluindo também ensaios e atividades de promoção do artista. O DJ deverá ainda ter direito a um intervalo para refeição e descanso de 45 minutos, no mínimo. Em relação às horas extras, o pagamento tem uma subida de 100% sobre o valor normal. Se o artista trabalhar em condições perigosas, o projeto de lei prevê ainda que o mesmo deva receber um pagamento adicional.
 
Em Portugal, “Disc Jockey” é reconhecido como um profissional das artes do espetáculo. Isto é, desde 2010 que o Instituto Nacional de Estatística inclui o “Djing” na Classificação Portuguesa de Profissões com o número 26.59.1 e é conferido o direito de usar o C.A.E. 90010 a quem iniciar/exercer a atividade com esse número.
 
Em termos burocráticos, recorde-se que a PassMúsica (entidade legal de proteção dos direitos autor ligados à música) possui uma licença - a Licença de Reprodução para DJs - que abrange todas as pessoas que exerçam a atividade de DJ (profissional ou acessória) cujo objetivo objetivo passa por permitir aos DJs a utilização de gravações musicais em formatos diferentes daqueles em que foram adquiriram originalmente. A licença tem o valor anual de 350 euros.
Publicado em Mix

 

O projeto lei que foi aprovado no passado mês de novembro, pela Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania da Câmara dos Deputados do Brasil, que regulamentava a profissão de DJ, foi vetada pela presidente Dilma Rousseff.
 
Este novo projeto exigia um certificado de curso profissional para obter o registo no Ministério do Trabalho e estabelecia 6 horas diárias e 30 horas semanais de trabalho, além de alguns limites a DJs estrangeiros.
 
Esta foi a segunda vez que o projeto de lei foi vetado. A presidente brasileira Dilma Rosseff afirmou que a Constituição assegura o livre exercício da profissão de DJ e que a imposição de restrições deve ser feita apenas quando existir a possibilidade de dano à sociedade.
 
Publicado em Mix
Após ter comprado marcas como o Beatport, Tomorrowland e adquirido 50% do Rock in Rio, o grupo de entretenimento SFX criado em 2012, acaba de comprar da agência PlusTalent - uma das maiores empresas do Brasil liderada por Luiz Eurico Klotz, Edo Van Duyn e Silvio Conchon, responsável pelo agenciamento e management de DJs, e a criação e produção de eventos de música eletrónica, incluindo o Tomorrowland em terras de Vera Cruz.
 
“Ter os ingressos do Tomorrowland Brasil esgotados em tempo recorde é a consagração do poder da música eletrónica no Brasil. A Plus Talent é uma empresa talentosa, criativa e que possuí a mais profunda experiência no mercado brasileiro”, disse o presidente e CEO da SFX Robert F.X Sillerman em comunicado.
 
O Festival Tomorrowland - criado na Bélgica em 2005 - terá a sua primeira edição no Brasil nos dias 1, 2 e 3 de maio do próximo ano na cidade de Itu, interior de São Paulo. Com 870.000 pré-registos e 180.000 ingressos vendidos em menos de 3 horas, conseguiu-se constatar a força do mercado brasileiro no que diz respeito aos eventos de música eletrónica.
 
Além destas aquisições, a SFX obteve recentemente a marca de cerveja Skol - que já possui um longo e relevante histórico ligado à música eletrónica.
 
Publicado em Mix
Na sua primeira edição em terras de Vera Cruz, - no passado fim de semana - o festival belga Tomorrowland, deixou bem claro que o seu grande atrativo é o famoso Mainstage - amplo espaço outdoor que acolhe não só os melhores DJs da cena eletrónica, como também milhares de festivaleiros oriundos de todo o mundo. 
 
Com sucesso absoluto e ingressos completamente esgotados, a organização do Festival que nasceu na Bélgica e que agora está a ser exportado para outros países, confirmou a presença do evento no Brasil por mais cinco anos, ou seja, até 2020 e anunciou ainda as datas para o próximo ano: 21, 22 e 23 de abril.
 
Afrojack, Borgore, David Guetta, Dimitri Vegas & Like Mike, Nicky Romero, Nervo, W&W entre muitos outros artistas divididos por diversos palcos, transformaram a Arena Maeda, em Itu (São Paulo), numa gigantes discoteca que recebeu mais de 50 mil pessoas 
 
Na listagem em baixo, poderás conferir as músicas mais tocadas em pleno MainStage do Festival Tomorrowland Brasil, sendo que as últimas três, foram as mais remisturadas.
 
  • Dimitri Vegas, Martin Garrix, Like Mike - Tremor
  • Alesso - Heroes (We Could Be)
  • Armin Van Buuren - Ping Pong (Hardwell Remix)
  •  

 

  • Calvin Harris - Blame It On The Night (Feat. John Newman)
  • David Guetta, Ne-Yo, Akon - Work Hard, Play Hard
  • Darude - Sandstorm
 
  • Rhythm Of The Night - Corona
  • Oasis - Wonnderwall
  • Queen - We Will Rock You
Publicado em Tomorrowland
Steve Aoki, David Guetta, Hardwell e Armin van Buuren são alguns dos artistas da primeira fase, confirmados hoje pela organização do Tomorrowland Brasil. A edição carioca de um dos maiores festivais de música eletrónica vai decorrer de 1 a 3 de maio, em São Paulo.
 
Os brasileiros Alok, Ftampa e Gui Boratto também irão estar presentes no Tomorrowland, que promete escrever um “novo capítulo no ‘The Book Of Wisdom’”.
 
Confere abaixo o cartaz completo:

 

 

 

Publicado em Tomorrowland
Pág. 1 de 6
100% DJ. Projeto editorial independente cujos valores se guiam pelo profissionalismo, isenção e criatividade, tendo como base de trabalho toda a envolvente da noite nacional e internacional, 365 dias online.

Newsletter

Recebe novidades e conteúdos exclusivos no teu e-mail.

Este site utiliza cookies. Ao navegares neste site estás a consentir a sua utilização. Para mais informações consulta a nossa Política de Privacidade.