17-07-2019

  Diretor Ivo Moreira | Periodicidade Diária

Sobre Nós  |  Fala Connosco     

O mais famoso e polémico Top de DJs a nível internacional está de volta e as votações arrancaram hoje, no site oficial do Top 100 DJs da DJ Mag. Este ano, a iniciativa é uma parceria com a UNICEF.
 
No ano passado foi o jovem Martin Garrix a ficar colocado no topo da tabela da DJ Mag, lista onde também estiveram presentes os portugueses Diego Miranda e Kura, nas posições 58 e 51, respetivamente.
 
As votações decorrem até ao próximo dia 13 de setembro. Os resultados vão ser apresentados em outubro, durante o Amsterdam Dance Event.
 
Publicado em Mix
A discoteca Lux, localizada na capital portuguesa, subiu 38 lugares na tabela dos melhores clubs do mundo realizada pela revista DJ Mag. O prestigiado espaço de diversão noturna alcançou a posição número 58, depois de no ano passado ter estado colocada em 96º lugar.
 
O Top 3 da lista, divulgada hoje, é composto pelo Space Ibiza, Green Valley e Amnesia, em primeiro, segundo e terceiro lugar respetivamente. No ano passado, o pódio era ocupado por Green Valley, Space Ibiza e Hakkasan.
 
Confere a lista completa:
 
  • 1 – Space Ibiza (Espanha)
  • 2 – Green Valley (Brasil)
  • 3 – Amnesia (Espanha)
  • 4 – Pacha Ibiza (Espanha)
  • 5 – Octagon (Coreia do Sul)
  • 6 – Zouk (Singapura)
  • 7 – Hakkasan (Estados Unidos da América)
  • 8 – Ushuaia (Espanha)
  • 9 – Sirena (Brasil)
  • 10 – BCM Planet Dance (Espanha)
  • 11 – Papaya (Croácia)
  • 12 – DC10 (Espanha)
  • 13 – Echostage (Estados Unidos da América)
  • 14 – Paradise Club (Grécia)
  • 15 – Fabric (Reino Unido)
  • 16 – Berghain/Panorama Bar (Alemanha)
  • 17 – Bootshaus (Alemanha)
  • 18 – Anzu (Brasil)
  • 19 – Motion (Reino Unido)
  • 20 – Noa Beach Club (Croácia)
  • 21 – Warung (Brasil)
  • 22 – Cavo Paradiso (Grécia)
  • 23 – Ministry Of Sound (Reino Unido)
  • 24 – Guaba Beach Club (Chipre)
  • 25 – Cocorico (Itália)
  • 26 – Zouk KL (Malásia)
  • 27 – Sankeys (Espanha)
  • 28 – The Warehouse Project (Reino Unido)
  • 29 – Baum (Bogotá)
  • 30 – Air (Holanda)
  • 31 – Digital (Reino Unido)
  • 32 – Omnia (Estados Unidos da América)
  • 33 – Exchange (Estados Unidos da América)
  • 34 – Arma 17 (Rússia)
  • 35 – Marquee (Estados Unidos da América)
  • 36 – Elrow (Espanha)
  • 37 – Matahari (Brasil)
  • 38 – Club Space (Estados Unidos da América)
  • 39 – Barbarellas (Croácia)
  • 40 – El Fortin (Brasil)
  • 41 – Yalta (Bulgária)
  • 42 – Avalon (Estados Unidos da América)
  • 43 – Icon (Estados Unidos da América)
  • 44 – Guendalina (Itália)
  • 45 – Aquarius (Croácia)
  • 46 – New City Gas (Canadá)
  • 47 – Fabrik (Espanha)
  • 48 – Output (Estados Unidos da América)
  • 49 – White Club (Emirados Árabes Unidos)
  • 50 – Surrender/Encore Beach Club (Estados Unidos da América)
  • 51 – Versuz (Bélgica)
  • 52 – Privilege (Espanha)
  • 53 – Cacao Beach (Bulgária)
  • 54 – Egg LDN (Reino Unido)
  • 55 – Womb (Japão)
  • 56 – D-Edge (Brasil)
  • 57 – Lost Beach Club (Equador)
  • 58 – Lux (Portugal)
  • 59 – Sub Club (Escócia)
  • 60 – Myst (China)
  • 61 – The Palace (Filipinas)
  • 62 – Beach Club MTL (Canadá)
  • 63 – Sankeys MCR (Reino Unido)
  • 64 – Colosseum Club (Indonésia)
  • 65 – Elements (China)
  • 66 – Duel:Beat (Itália)
  • 67 – Rex Club (França)
  • 68 – Watergate (Alemanha)
  • 69 – Mint Club (Reino Unido)
  • 70 – Drai’s (Estados Unidos da América)
  • 71 – La Huaka (Peru)
  • 72 – Cielo (Estados Unidos da América)
  • 73 – E11even (Estados Unidos da América)
  • 74 – Concrete (França)
  • 75 – Revelin (Croácia)
  • 76 – Xoyo (Reino Unido)
  • 77 – Tresor (Alemanha)
  • 78 – Dragonfly (Indonésia)
  • 79 – Light Nightclub (Estados Unidos da América)
  • 80 – Chinese Laundry (Austrália)
  • 81 – Club Cubic (China)
  • 82 – Foundation Seattle (Estados Unidos da América)
  • 83 – Velvet (Paraguai)
  • 84 – Modo Ultra Club (China)
  • 85 – Loft Metropolis (França)
  • 86 – Phonox (Reino Unido)
  • 87 – Kitty SU (Índia)
  • 88 – Razzmatazz (Espanha)
  • 89 – Cé La Vi (Malásia)
  • 90 – Mad Club (Suíça)
  • 91 – Verboten (Estados Unidos da América)
  • 92 – Illuzion (Tailândia)
  • 93 – Stealth (Reino Unido)
  • 94 – Coda (Canadá)
  • 95 – Rainbow Venues (Reino Unido)
  • 96 – X2 (Indonésia)
  • 97 – Studio 338 (Reino Unido)
  • 98 – Space Ibiza NY (Estados Unidos da América)
  • 99 – Robert Johnson (Alemanha)

 

Publicado em Mix
A icónica discoteca lisboeta Lux Frágil voltou a entrar no Top 100 dos melhores clubs do mundo, divulgado hoje pela revista britânica DJ Mag. O espaço de referência na noite nacional subiu uma posição relativamente ao ano passado e ocupa agora a número 82.

A liderar a listagem e pela quarta vez está a discoteca brasileira Green Valley. "É muito importante para nós o reconhecimento do público e da crítica especializada. Esta colocação no ranking é a consolidação de um trabalho constante de renovação e esforço para nos mantermos entre os melhores mesmo com os problemas económicos do país", afirmou Eduardo Phillips, sócio-gerente da discoteca de Camboriú que este ano comemora 11 anos de existência.

O segundo lugar é ocupado pela Echostage localizada em Washington e o terceiro pelo conhecido Ushuaia de Ibiza que desceu uma posição em relação a 2018. Confere aqui a listagem completa.
Publicado em Nightlife
Segundo os últimos resultados do mais famoso e polémico ranking de DJs - divulgado no passado sábado, 18 de outubro - Hardwell, sem grandes surpresas, volta a alcançar o número 1 de uma listagem de 100 artistas. O DJ e produtor holandês recebe, desta feita, a medalha de “mais popular do mundo”, com Dimitri Vegas & Like Mike e Armin van Buuren a completar o pódio, no segundo e terceiro lugar respetivamente.
 
A lista tem recebido inúmeras críticas relacionadas com o desajustado posicionamento de alguns DJ's reconhecidos mundialmente, como é o caso de Carl Cox, ou pela ausência de Erick Morillo, por exemplo.
 
Pelo terceiro ano consecutivo, o Portal 100% DJ lançou o desafio a três rostos conhecidos e influentes na noite nacional para participar no Vox Pop, onde a pergunta é: "Qual é a sua opinião sobre o Top 100 da Revista DJ Mag?"
 
O nosso terceiro e último convidado a opinar é o DJ e produtor Hugo Rizzo.
 
A Redação 100% DJ.

 
Para mim o top 100 da DJ Mag é um top de popularidade referente a um período de tempo. E acho que o motivo de tantas críticas é que pouca gente o encara como tal.
 
É óbvio que os resultados são sempre controversos. Não há vivalma que consiga compreender que artistas como Erick Morillo, Fatboy Slim, Licle Louie Vega, Danny Tenaglia, Roger Sanchez ou Bob Sinclar fiquem de fora de um Top que avalia os melhores do mundo. Não há também vivalma que consiga conceber uma dimensão em que projectos com tão pouca história - apesar da sua inequívoca qualidade - como Martin Garrix, DVBBS ou Blasterjaxx fiquem melhor posicionados do que artistas como Daft Punk ou Carl Cox. Nem mesmo haverá vivalma que ache normal que artistas de topo de géneros musicais como o Tech House, Techno, Deep House ou mesmo Hip Hop sejam completamente excluídos desta votação ano após ano.
 
Eu simplesmente acho que o problema não é o TOP mas sim as expectativas que são criadas em seu redor. Isto não é o TOP do DJ tecnicamente mais evoluído, se não certamente que o nosso Ride era dos mais votados. Não é o top do DJ com melhor leitura de pista se não certamente que há por aí dezenas de DJs residentes por esse mundo fora que não ficariam de fora. Não é o TOP do DJ mais eclético ou evoluído musicalmente ou onde estariam nomes como Laurent Garnier?

Eu simplesmente acho que o problema não é o TOP mas sim as expectativas que são criadas em seu redor.

É este o meu argumento principal nas conversas que tenho tido com várias pessoas sobre isto.
 
O Top 100 da DJ Mag é um top de popularidade referente ao ano de 2014. Ou seja, os DJs que mais alcançaram ou mantiveram popularidade no último ano foram os melhores classificados. Ponto final. Não façam dele mais do que é.
 
PS: Eu sei que vou chover no molhado mas como raio é possível não destacar o desempenho excepcional do Kura este ano? Foi sem dúvida uma grande notícia para a scene portuguesa. E se alguém algum dia duvidou que o trabalho compensa... já estará convencido do contrário certo?
 
DJ e Produtor
 
Publicado em Mix
Após a divulgação dos resultados do Top 100 DJs deste ano, que deu a vitória à dupla Dimitri Vegas & Like Mike, a revista DJ Mag divulgou hoje as posições entre os números 101 e 150, sem portugueses na lista.
 
Alguns artistas cuja falta foi notória no Top 100 estão presentes nestas novas posições, como é o caso de Fatboy Slim, Jay Hardway, FTampa, Jamie Jones e Paul Kalkbrenner.
 
No entanto, há DJs e produtores como Martin Solveig, Erick Morillo ou Bob Sinclar que continuam de fora da tabela mais conhecida e polémica do mundo da música eletrónica.
 
Confere abaixo a lista entre as posições 101 e 150:
 
  • 101 – Twoloud
  • 102 – 3 Are Legend
  • 103 – DJ Feel
  • 104 – Bobina
  • 105 – Ran D
  • 106 – Zomboy
  • 107 – Noisecontrollers
  • 108 – Kryder
  • 109 – Carl Nunes
  • 110 – Adaro
  • 111 – DJs From Mars
  • 112 – Infected Mushroom
  • 113 – Atmozfears
  • 114 – Flume
  • 115 – Merk & Kremont
  • 116 – Ftampa
  • 117 – MOTi
  • 118 – Vintage Cultura
  • 119 – Tony Junior
  • 120 – Alvaro
  • 121 – The Chainsmokers
  • 122 – Jamie Jones
  • 123 – Maceo Plex
  • 124 – Felguk
  • 125 – Wasted Penguinz
  • 126 – 3LAU
  • 127 – TJR
  • 128 – Omnia
  • 129 – Dubvision
  • 130 – Julian Jordan
  • 131 – Orjan Nilsen
  • 132 – E-Force
  • 133 – Heatbeat
  • 134 – Angger Dimas
  • 135 – Arty
  • 136 – Jay Hardway
  • 137 – Marco Carola
  • 138 – Dzeko & Torres
  • 139 – Dada Life
  • 140 – Psyko Punkz
  • 141 – Sasha
  • 142 – Paul Kalkbrenner
  • 143 – Bobby Puma
  • 144 – Fatboy Slim
  • 145 – Gunz 4 Hire
  • 146 – Loco Dice
  • 147 – Korsakoff
  • 148 – Seth Troxler
  • 149 – Joey Dale
  • 150 - Flosstradamus
 
{youtube}Dp4_-GwZNW0{/youtube}
Publicado em Mix
Segundo os últimos resultados do mais famoso e polémico ranking de DJs - divulgado no passado sábado, 18 de outubro - Hardwell, sem grandes surpresas, volta a alcançar o número 1 de uma listagem de 100 artistas. O DJ e produtor holandês recebe, desta feita, a medalha de “mais popular do mundo”, com Dimitri Vegas & Like Mike e Armin van Buuren a completar o pódio, no segundo e terceiro lugar respetivamente.
 
A lista tem recebido inúmeras críticas relacionadas com o desajustado posicionamento de alguns DJ's reconhecidos mundialmente, como é o caso de Carl Cox, ou pela ausência de Erick Morillo, por exemplo.
 
Pelo terceiro ano consecutivo, o Portal 100% DJ lançou o desafio a três rostos conhecidos e influentes na noite nacional para participar no Vox Pop, onde a pergunta é: "Qual é a sua opinião sobre o Top 100 da Revista DJ Mag?"
 
O nosso primeiro convidado a opinar é o DJ Van Breda. Nos próximos dias, apresentaremos mais duas importantes opiniões deste Vox Pop que incide sobre o tão falado Top 100.
 
A Redação 100% DJ.

 
O Top 100 DJ Mag, é para mim, o catálogo de DJs da moda.
 
A DJ Mag faz um top 100 de DJs desde 2004, ou seja há 10 anos e só nos últimos 4 ou 5 é que o comum consumidor de música electrónica tomou consciência da sua existência e testemunhou o galopante crescimento da sua importância na dance scene mundial. E tudo isto, porquê? A meu ver, o destaque que tem sido dado nos últimos anos a este top 100, deve-se a um conjunto de factores:
 
Deve-se à crescente necessidade que os festivais e casas nocturnas de todo mundo têm de fazer valer os seus investimentos, ou seja, quando contratam um artista, além do comum "DJ X autor do hit Y e Z", podem agora vangloriar-se de ter na sua casa um DJ que consta na posição “tal” do top 100. Até que ponto é isto bom para um artista?
 
Imaginem o seguinte, um clube comprou o Cristiano Ronaldo, qual a noticia que faz mais sentido? "Clube Y compra Ronaldo" ou "Clube Y compra Ronaldo, que marcou 234 golos, ganhou 10 campeonatos, faz a depilação, não tem pé de atleta e namora com a Irina.”?
 
Não que eu ache que fazer referências da carreira de um artista na publicidade do mesmo esteja de alguma forma a denegrir a sua imagem, mas quando temos que explicar ao cliente desalmadamente quem ele é, se calhar ele não é assim tão bom ou tão famoso.
 
O Top 100 veio fazer dos DJs os deputados do mundo da noite, entristece-me e irrita‐me ver DJs de todo o mundo literalmente envolvidos em campanhas eleitorais, a fazerem todo o tipo de publicidade ao seu nome, à sua carreira e a relembrar os seus fans que chegou a hora de votarem neles. É do senso comum que a competição existe e é importante se for saudável, da mesma maneira que todos já nos apercebemos que hoje em dia os DJs são mais que artistas e entertainers, são marcas gigantes, com branding e marketing elaborado e é normal que nenhuma marca quer ficar fora seja de que top for.
 
Mas é curioso ver alguns DJs (e por sinal muito bons) a criticarem e até mesmo a boicotarem o top 100, como por exemplo o Diplo e o Dillon Francis que frequentemente falam disso em entrevistas. Existem outros DJs que apesar de figurarem no top não se gabam do mesmo, nem deixam que as casas o façam, a meu ver, uma decisão acertada para quem acha que o seu nome e o seu trabalho fala mais alto.
 

(...) prefiro um dia ser referenciado ou destacado por uma instituição de renome que por um público embebido em campanhas e opiniões distorcidas.

No ano passado fui analisar o top 100 e encontrei um nome que me suscitou imensa curiosidade pois nunca tinha ouvido falar, uma DJ de Hong Kong com pouco mais de 20 anos, até aqui tudo bem, não fosse o seu facebook parecer uma revista masculina reles, ao que eu me pergunto: "Como pode esta criatura estar ao lado de monstros como Carl Cox, Daft Punk ou Axwell?".
 
Não sou contra este top, sou contra o frenesim criado à volta do mesmo. Se este top é realmente para quem tem a melhor campanha e tem mais votos, é algo do qual eu nunca quererei fazer parte, prefiro um dia ser referenciado ou destacado por uma instituição de renome que por um público embebido em campanhas e opiniões distorcidas.
 
Não podia deixar de referenciar a entrada no nosso Kura para o lugar 42, a quem dou os meus mais sinceros parabéns, não só por este objectivo concretizado, mas sim por todo o trabalho e sucesso alcançado ao longo dos últimos anos, ele já constava no meu top muito antes de entrar neste.
 
Para finalizar lanço um exercício mental, imaginem a revista Rolling Stone criar anualmente o top 100 de bandas Rock, quantas acham que se iam envolver nisto?
 
Vemo-nos na pista de dança.
 
DJ
Publicado em Mix
Conhecido pela sua simplicidade e profissionalismo explosivo, o DJ algarvio, acarinhado por todos os portugues venceu na noite de ontem um importante prémio que valoriza por completo a sua carreira de DJ.
Levada a cabo pela Revista DJ Mag, o TOP 100 DJ's é uma importante votação a nível Mundial na dance scene que se realiza todos os anos, através de uma votação que é disponibilizada na web. Este ano, 500 mil pessoas votaram nos seus DJ favoritos.
Pela primeira vez, um DJ Português alcançou um lugar no TOP bastante reconhecedor.
Pete Tha Zouk subiu 44 posições e arrecadou este ano o 37º lugar. Sendo que é 2010 deu entrada neste importante TOP no lugar 81º.
O TOP também é ocupado pelo português DJ Vibe (84º) que subiu 16 posições em relação a 2010 que estava no último lugar (100º).
Esta dupla vitória é sem dúvida um orgulho para Portugal. 'O que é Nacional, é bom!'
Em jeito de 'medir a pulsação' e ainda na euforia do lugar alcançado, o Projecto 100 % DJ foi ao encontro de Pete Tha Zouk.

 

O que representa para ti estar entre os 100 melhores DJ’s do Mundo?
Representa todo o reconhecimento de um trabalho enquanto DJ, que faço com todo muito gosto, adoro aquilo que faço, principalmente sentir que faço muitas pessoas felizes enquanto estou a tocar!

Esta é uma excelente forma de recompensar o teu trabalho até agora desenvolvido?
Sim, é óptimo ter obtido esta classificação, para mim é quase indescritível o que senti quando vi a tabela deste ano... fiquei MUITO FELIZ!!!

Que mensagem deixas aos teus fiéis seguidores?
LUTEM PELOS VOSSOS SONHOS... mesmo que vos digam em algum ponto da vossa vida... Não vais conseguir!

 

Parabéns Pete Tha Zouk e DJ Vibe!
Publicado em Mix
A ‘campanha eleitoral’ para o Top 100 da DJ Mag deste ano já começou. Além dos artistas internacionais, são muitos os DJs e produtores portugueses que estão a apelar ao voto, utilizando, maioritariamente, as redes sociais.
 
Kura, que se estreou o ano passado na lista ocupando a posição número 42, iniciou a sua campanha através de um vídeo que mostra os bastidores da vida de DJ. “As votações da DJ Mag já começaram, o vosso apoio é mais importante do que nunca!”, revelou Kura na sua página oficial de Facebook.
 
Há também outros DJs portugueses empenhados a tentar a sua sorte para a edição deste ano do mais disputado TOP 100 de DJs, com apelo ao voto através das redes sociais, junto dos fãs. É o caso do DJ The Fox, que considera que “esta entrada em votação é idealizada de forma a querer mostrar mais do que se faz em Portugal. A produção é o foco e um resultado inesperado pode acontecer!”.
 
Tom Enzy também já iniciou a sua ‘campanha eleitoral’, afirmando que “tem sido um ano incrível” e que “é o momento certo para fazer isto acontecer!”. Depois de apelar votos aos seus fãs, agradece por tornar este “sonho em realidade”.
 
Depois de atuarem no mesmo palco de grandes nomes como Dimitri Vegas & Like Mike ou Steve Angello, a dupla Club Banditz decidiu também apelar ao voto. “As votações da DJ Mag já começaram, o vosso apoio é muito importante!”, relatam os DJs e produtores na página oficial de Facebook.
 
Diego Miranda é também outro português que quer continuar a marcar presença na lista mais cobiçada da música eletrónica. Além de apelar ao voto durante as suas atuações o DJ aposta ainda na distribuição de autocolantes pelos fãs. Através de um vídeo com alguns dos melhores momentos da sua carreira nos últimos anos, o DJ tem contado com o apoio dos seus seguidores para fazer história.
 
Desde o ano 1997 que a presença de portugueses na lista já vem sendo habitual. DJ Vibe foi o estreante, na posição número 36, a mais alta de um DJ nacional até aos dias de hoje.
 
Pete Tha Zouk, Diego Miranda e Kura também já estiveram presentes no Top 100 da DJ Mag nos últimos anos.
 
Em baixo poderás conferir todas as posições de DJs portugueses no Top da DJ Mag, nos respetivos anos:
 
DJ Vibe:
  • 1997 - #36
  • 1998 - #87
  • 2004 - #80
  • 2005 - #40
  • 2006 - #47
  • 2007 - #40
  • 2008 - #79
  • 2010 - #100
  • 2011 - #84
 
Pete Tha Zouk:
  • 2010 - #80
  • 2011 - #37
  • 2012 - #47
 
Diego Miranda:
  • 2013 - #94
  • 2014 - #70
 
Kura:
  • 2014 - #42
 
 
{youtube}b_fjj48U3zk{/youtube}
Publicado em Mix
Pelo segundo ano consecutivo, o DJ holandês Hardwell ficou classificado em 1º lugar no Top 100 da conceituada revista DJ Mag, arrecandando o título de "melhor DJ do mundo". Depois de receber e agradecer o prémio no Amesterdam Music Festival, o artista demonstrou aquilo que faz de melhor: a arte de djing, numa atuação cheia de energia.
 
Nos restantes lugares do pódio, Dimitri Vegas & Like Mike ficaram colocados em segundo lugar, enquanto que Armin van Buuren, também já eleito o melhor do mundo em edições anteriores, ficou-se pelo 3º lugar. Uma das grandes surpresas do Top 5 foi Martin Garrix, que com apenas 18 anos, alcançou a quarta posição.
 
Portugal marcou presença no Top 100, com destaque à estreia de Kura na 42ª posição. Diego Miranda continua na tabela, com uma subida de 24 posições em relação a 2013, ficando em 70º lugar.
 
A nível do "Top 50", recorde-se que Vibe atingiu a posição número 40 em 2007 e Pete Tha Zouk o 37º lugar em 2011. Em 2012 o algarvio desceu 10 posições alcançando o número 47.
 
A nível de ausências, foram muitas as que se fizeram notar num ano de grande ascenção para vários artistas, como é o caso de Tommy Trash, Sunnery James & Ryan Marciano, o brasileiro FTAMPA, Cedric Gervais, Alvaro e Jay Hardway que por diversas vezes marcou presença em Portugal.
 
A votação para o Top 100 DJ Mag esteve aberta desde 12 de julho até 15 de setembro, no site oficial da revista.
 
Os resultados foram divulgados via Twitter e no Amesterdam Music Festival, transmitido em direto através do Youtube, com cerca de 14 mil pessoas a assistir online.
 
Confere em baixo, além do histórico de vencedores, a listagem completa e oficial.
 
 
Histórico de Vencedores TOP 100 da DJ Mag:
1997 - Carl Cox
1998 - Paul Oakenfold
1999 - Paul Oakenfold
2000 - Sasha
2001 - John Digweed
2002 - Tiësto
2003 - Tiësto
2004 - Tiësto
2005 - Paul van Dyk
2006 - Paul van Dyk
2007 - Armin van Buuren
2008 - Armin van Buuren
2009 - Armin van Buuren
2010 - Armin van Buuren
2011 - David Guetta
2012 - Armin Van Buuren
2013 - Hardwell
2014 - Hardwell
 
Publicado em Artistas
Com as votações encerradas, só resta contabilizar os resultados da tabela mais famosa e polémica da história da música eletrónica. O Top 100 da DJ Mag, realizado anualmente, vai decorrer no próximo dia 19 de outubro no Heineken Music Hall em Amesterdão.
 
No ano passado, o topo da tabela foi conquistado pela dupla Dimitri Vegas & Like Mike e houve ainda espaço para os portugueses Diego Miranda e Kura, colocados nas posições 58 e 61, respetivamente.
 
A cerimónica de entrega dos prémios do Top 100 da DJ Mag vai ser acompanhada ao vivo e com atualizações ao minuto a partir do Portal 100% DJ e nas redes sociais associadas, numa cobertura com direito a conteúdos exclusivos.
 
A festa na Holanda continua entre os dias 22 e 23 de outubro no Amsterdam Music Festival que conta com nomes como Alesso, Armin van Buuren, Blasterjaxx, Dash Berlin, Hardwell e Steve Aoki.
 
{youtube}Dp4_-GwZNW0{/youtube}
Publicado em Mix
Pág. 1 de 6
100% DJ. Projeto editorial independente cujos valores se guiam pelo profissionalismo, isenção e criatividade, tendo como base de trabalho toda a envolvente da noite nacional e internacional, 365 dias online.

Newsletter

Recebe novidades e conteúdos exclusivos no teu e-mail.

Este site utiliza cookies. Ao navegares neste site estás a consentir a sua utilização. Para mais informações consulta a nossa Política de Privacidade.