28-02-2020

  Diretor Ivo Moreira | Periodicidade Diária

Sobre Nós  |  Fala Connosco     

 

Dia 2
 
Acordámos cedo, talvez pela vontade de descobrir este mundo à parte que é Miami. São centenas as máquinas que desfilam pelas principais ruas de Miami, tais como Mustang, Roll Royce, Lamborghini, BMW, entre outras.
 
Dirigimo-nos até à praia, apreciando até lá todas as lojas. A praia é lindíssima e o cenário é perfeito: céu azul, areia branca, água azul turquesa, palmeiras... Há grupos de americanos que levam colunas enormes para a praia e ouvem música nas alturas a tarde toda.
 
São vários os promotores de festas, clubes e restaurantes que percorrem a praia a distribuir panfletos e tentar recrutar turistas para os seus estabelecimentos.
 
Aproveitámos a praia o dia todo. No final do dia chegaram mais portugueses assim como os DJs Steven Rod e KEVU. Jantámos num restaurante cubano e aproveitámos para passear pela Ocean Drive, com bares repletos de turistas.
 
 Amanhã é outro dia com festa no Nikki Beach.

Publicado em Ultra Music Festival
Seis semanas após a tragédia que aconteceu numa discoteca gay em Orlando, na noite passada duas pessoas morreram e 14 ficaram feridas após um tiroteio no espaço noturno Club Blu Bar and Grill em Miami, nos Estados Unidos da América.
 
O massacre aconteceu perto das 21 horas em Lisboa, 01h00 em Miami, depois de um homem armado entrar na área exterior da discoteca e disparado em todas as direções. Até ao momento estão confirmadas duas mortes e vários feridos, mas este número ainda não está confirmado oficialmente e pode aumentar.
 
A discoteca ClubBlu estava a receber uma festa direcionada para público adolescente. Segundo uma testemunha, foram disparados 30 tiros no local da tragédia e supõe-se que estavam presentes vários atiradores. No entanto, esta informação ainda não foi confirmada oficialmente pela polícia norte-americana.
 
Até ao momento foram detidas três pessoas suspeitas de estarem relacionadas com este tiroteiro. À mesma hora ocorreram outros dois incidentes na mesma zona, mas ainda não está confirmada a relação com o tiroteio na discoteca. As circunstâncias desta tragédia ainda são desconhecidas e as operações policiais continuam na área da discoteca, com várias patrulhas à procura de suspeitos.
 
A gerência do Club Blu Bar & Grill publicou há momentos um comunicado oficial na sua página oficial de Facebook referindo que lamenta “profundamente o que se passou com todos os envolvidos. Nós tentámos oferecer aos adolescentes aquilo que pensávamos ser um lugar seguro para passar um bom bocado”.
Publicado em Nightlife
Disse aos amigos, que no Ultra Music Festival, não se importava de tocar em qualquer lado, nem mesmo na roulotte das bifanas. Este ano, João Rosário, membro da dupla KEVU, estreou-se no cartaz do evento e atuou, não na roulotte, mas no palco The Arrival, que embora pequeno em tamanho, tem um significado gigante na sua carreira. Uns metros ao lado e pela segunda vez consecutiva, o jovem português, em conjunto com Mykris subiu à cabine do palco principal para apresentar o seu novo remix para Sean Paul. Além dessa experiência, nesta entrevista exclusiva realizada em Miami, quisemos também saber que oportunidades tem tido nos vários eventos internacionais por onde tem passado e que novidades tem na sua carreira.

Pelo segundo ano consecutivo subiste ao palco principal do Ultra Music Festival. Conta-nos como foi essa experiência.
Tanto este como no ano passado fui ao mainstage com o Mykris. O Ultra para mim é o melhor festival do mundo, além do Tomorrowland. Prefiro o Ultra porque gosto muito de Miami. Subir ao palco foi uma experiência incrível. Começámos a ver o livestream há 4 anos, ainda não eramos DJs e estarmos a ver na televisão é uma coisa e depois pisar o palco é um pouco surreal. Foi uma experiência espetacular que também me ajudou a nível de credibilidade da marca KEVU. Foi inesperado para muita gente e ajudou-nos também no nosso país. A experiência em si é surreal. 

Que expectativas tinhas para a edição deste ano?
A representar os KEVU, fui tocar num palco novo, pequenino, mas que já é um palco do Ultra. Eu disse aos meus amigos, que no Ultra, nem que fosse na roulotte das bifanas, eu não me importava de tocar. Toquei num palco bastante interessante, o The Arrival, penso que é para aqueles DJs que estão agora a entrar no Ultra. Quem sabe, para o ano, não tocamos no mainstage, não é impossível. Se há 4 anos eu nem sequer era DJ e agora estou aqui… tudo pode acontecer.

Qual é a sensação de representarem Portugal na Miami Music Week e também no Ultra Music Festival?
Portugal é um dos países mais fortes, senão o mais forte a nível de público e paixão pela música. Tivemos a oportunidade de estar na EDP Beach Party no ano passado e conseguir ver isso. É um orgulho imenso mas a vontade é cada vez chegar mais longe, para podermos continuar a crescer como marca e colocar o nosso país no mapa, porque há mesmo muito talento em Portugal.

Certamente que este tipo de eventos internacionais dá-vos a oportunidade de conhecer artistas e personalidades do meio da música eletrónica. Consideras que são importantes para a vossa carreira? Já vos abriram algumas portas?
Sim, quer seja o Ultra, a Miami Music Week ou o Amesterdam Dance Event na Holanda, são eventos onde está presente todo o negócio. Já conheci nestes dias muita gente, conversei com várias pessoas no backstage e depois surgem colaborações, troca de ideias e números de telefone. Ou seja, em casa não se conseguia fazer isto. Aqui há uma facilidade muito maior de se chegar a outros DJs de renome, a outras labels e fazer contactos com pessoas de outros países, como do México ou do continente asiático. São esse tipo de coisas que vamos falando no backstage e que vai ajudar-nos na carreira certamente.

Que novidades podem desvendar sobre o futuro dos KEVU?
Felizmente temos uma agenda muito preenchida daqui para a frente. Temos também quatro ou cinco músicas já assinadas em grandes labels mundiais, colaborações com Blasterjaxx a sair agora, com o MOTi também. 
 

Publicado em Entrevistas
A Organização do Ultra Music Festival acaba de surpreender tudo e todos ao divulgar um comunicado que anuncia o fim da Era do Ultra Music Festival em Miami, 20 anos depois.

O anúncio revela que após serem analisados vários feedbacks sobre a experiência do festival do passado mês de março, num novo local (o Virginia Key Beach Park), a organização percebeu que os festivaleiros não tiveram a melhor experiência no evento, facto pelo qual pesou no término do evento em Miami. "Decidimos terminar voluntariamente a licença com o Governo de Miami e estamos à procura de um outro local que possa ser a casa permanente do Ultra no Sul da Flórida", pode ler-se no comunicado.

Recorde-se que os dissabores com as autoridades de Miami começaram em novembro do ano passado onde foi recusada a realização do evento no Bayfront Park, colocando-se em cima da mesa o seu cancelamento. As queixas dos moradores, o barulho, a confusão e o facto do parque ficar fechado ao público durante muito tempo foram determinantes para que o festival rumasse até Virginia Key, que acaba agora por ser a sua última "casa".

Confere o comunicado na íntegra:
 
Publicado em Ultra Music Festival
Miami é todos os anos palco de um dos maiores eventos de música eletrónica a nível mundial: o Ultra Music Festival. Inserido na Winter Music Conference, o festival junta na mesma cidade DJs, produtores, agências, editoras e várias pessoas da área da música, onde são apresentados novos temas e projetos a cada ano que passa.
 
O primeiro Ultra Music Festival aconteceu em 1999, com a duração de um dia, num local diferente dos dias de hoje. South Beach, em Miami, era o sítio escolhido pela organização, fundada pelos empresários Russel Faibish, Bruce Braxton e Alex Omes, falecido no ano passado. No ano de 2006, devido ao seu crescimento em larga escala, o festival passou a ter a duração de dois dias, já no local atual, no Bayfront Park, a zona baixa de Miami. 
 
Esse crescimento deve-se também ao livestream feito através do Youtube, no canal UMFTV para todo o mundo, aumentando a sua notoriedade. A partir do ano 2007, o Ultra Music Festival começou a sua expansão para outros países. Espanha (Ibiza), Brasil, Argentina, Coreia do Sul, Chile, Croácia, África do Sul, Colômbia, Japão, Paraguai, Tailândia, Bali e Macau são alguns dos locais por onde o evento já passou e irá continuar a ser realizado. 
 
Este ano, o Ultra Music Festival acontece entre os dias 27 e 29 de março, em Miami. O cartaz de luxo, composto com alguns dos melhores artistas a nível mundial, inclui também RAC, um português, que sobe ao palco do evento no dia 27 de março. As rádios SiriusXM e UMF Radio irão transmitir os sets de vários artistas, bem como entrevistas exclusivas.
 
O Portal 100% DJ entrevistou em exclusivo alguns portugueses que irão viajar até Miami para vivenciar o Ultra Music Festival de 2015.
 
Filipe Pereira tem 27 anos e viaja pela primeira vez para Miami desde Oliveira de Azeméis. Para ele, a sua presença no festival é a “realização de vários sonhos, num só sítio”, e a nível de adereços levará camisolas da seleção nacional, do clube de fãs do Armin van Buuren, do Space Ibiza e a bandeira portuguesa na sua bagagem. Um dos espetáculos que mais quer ver é de Dash Berlin e afirmou ainda que em Portugal não há condições “para um festival de tal envergadura, tanto a nível logístico como financeiro”. O investimento feito para a viagem de sonho foi feito “com muito sacrifício” e muita vontade.
 
 
Natural do Porto, Cristina Lima, de 31 anos, parte em direção ao Festival de Miami pela segunda vez. As suas expetativas “são sempre altas”, pois “é um festival fantástico, enquadrado dentro da cidade de Miami, o que lhe dá um ambiente espetacular”. Cristina tem conhecimento da atuação do português RAC e está “ansiosa por vê-lo ao vivo”, porque “será um orgulho erguer a nossa bandeira na frontline!”. Na sua mala de viagem, “para além do bilhete e da nossa bandeira”, estão também “um bom par de sapatilhas, protetor solar e uma mochila com depósito de água”, um objeto que considera “essencial”. Entre os artistas que mais quer ver ao vivo, destaca a dupla Axwell /\ Ingrosso, no local onde “estamos todos unidos pela cultura da EDM”. Em relação ao Ultra, Cristina afirmou que “não é só o cartaz que conta”, destacando “as condições de segurança, higiene e organização” do mesmo. Em relação ao público alvo, deve ser um conjunto de pessoas “que viva a música”, para não tornar o evento num “festival de adolescentes” que pensam que são “umas férias para estarem com os amigos fora de casa”. Além de ir a Miami, Cristina vai também ao Tomorrowland e ao Ultra Music Festival na Croácia, pois “com planeamento e organização tudo se consegue”.
 
Diogo Lobo é um português de 34 anos, que vive na Dinamarca, e embarca este ano pela primeira vez em direção ao Ultra, apesar de já ter estado presente na Winter Music Conference em 2011. A escolha deste festival deve-se aos artistas, à “variedade de estilo” de música eletrónica, à “praia, calor e a um ambiente multicultural”. Kygo, Gordon City, Odesza, Armin van Buuren e Eric Prydz são alguns dos artistas que tem mais curiosidade em ver, mas “com sete ou oito palcos a atuar ao mesmo tempo, o difícil vai ser escolher quem ver/ouvir”. Para isso, vai “imprimir um horário e definir previamente” a quais pretende assistir. Diogo leva consigo “a carteira, protetor solar, óculos de sol e talvez um boné”, referindo ainda que “não há muito espaço para levar coisas, pois as regras de segurança são muito restritas”. Apesar do território português ter muitos eventos de música durante o verão, “um festival destes faz falta em Portugal, pois seria um estilo alternativo e um público bem mais internacional do que é habitual”. O investimento feito para ir a este Festival “para a maioria das pessoas que vivem e trabalham em Portugal não é fácil, pois tem um peso elevado no orçamento das pessoas”.
 
Vive na capital portuguesa, tem 26 anos e chama-se Armando Gomes. O lisboeta estreia-se este ano no Ultra. Bandeiras de Portugal e calções de praia são alguns dos objetos escolhidos para o acompanharem na viagem, enquanto vai ver alguns dos seus artistas favoritos: Armin van Buuren, Carl Cox, Eric Prydz, Axwell /\ Ingrosso, Kygo, Krewella e Knife Party. Em relação a Portugal, Armando tem a opinião de que “temos condições” para receber um festival deste género, afirmando que o “Ultra Europe bem poderia ser realizado cá”. Para realizar este sonho americano, o jovem revelou que “não é fácil”, pois “estamos a falar de mais de 1000 euros, só entre a viagem de avião e o bilhete do festival”, além do 
“alojamento e os gastos com comida”. Para poupar um pouco, Armando confessa que “requer um controlo orçamental relativamente rigoroso, mas, como é óbvio, um sonho é um sonho e quem corre por gosto, não cansa!”.
 
Com expetativas “muito altas, uma vez que o local é Miami”, Tiago Gomes, de 29 e natural de Cucujães (Oliveira de Azeméis), leva essencialmente alguns dólares, a moeda americana, que certamente lhe irão fazer muita falta. Hardwell e Armin van Buuren são os seus artistas de eleição e não quer perder a sua atuação. Tiago preferiu o Ultra Music Festival ao Tomorrowland “por ser no local que é” e considera que Portugal precisa de um festival do mesmo género.
 
 
 
 
Publicado em Mix
A partir desta sexta-feira dia 28 e até domingo, Miami vai voltar a estar nas bocas do mundo com mais uma edição do Ultra Music Festival. Para quem não tem oportunidade de se deslocar até ao Bayfront Park - Downtown, a organização do festival anunciou que mais uma vez vai disponibilizar a transmissão em direto do evento através da plataforma Youtube.
 
Só o ano passado e durante seis dias (dois fins-de-semana) estiveram ligados nesta experiencia online mais de 11 milhões de telespectadores oriundos dos quatro cantos do mundo. Este ano, a marca 7UP será patrocinadora desta ação levada a cabo pela UMF TV e que será também oferecida a todos os fãs do festival em alta definição (HD).
 
Os gigs que vão ser transmitidos em direto só serão conhecidos nos respetivos dias mas a organização já adiantou os horários de transmissão.
 
  • Sexta-feira, 28 março: 20:00h - 04:00h (hora portuguesa)
  • Sábado, 29 março: 19:00h - 04:00h (hora portuguesa)
  • Domingo, 30 março: - 19:00h - 04:00h (hora portuguesa)
 
Publicado em Ultra Music Festival
Carlos Manaça vai estar de novo na famosa conferência de música eletrónica mais importante do planeta, a Winter Music Conferece, onde já se desloca desde 1996.

Durante a WMC, o mito vivo da eletrónica de qualidade em Portugal, atuará no evento "Tkc Music Marathon" na "Discoteka", em downtown no dia 20 de março e no sábado 24 de março no evento "KULT Records 2012 Talent Showcase" no "Kyma Lounge", no terraço do Epic Hotel, à mesma em Miami.
O homem forte da Magna Recordings mais uma vez a levar o bom nome de Portugal além fronteiras.
 
A Winter Music Conference decorre de 16 a 25 Março em Miami - USA.
 
Publicado em Artistas
O cenário urbano do Bayfront Park, em Miami, que caracteriza o Ultra Music Festival pode estar prestes a mudar. Na passada quinta-feira foi realizada uma reunião com a comissão de Miami, que recusou a realização do evento no Bayfront Park.
 
Além dessa decisão unânime, o valor do aluguer do espaço foi aumentado e a próxima edição do festival pode estar em risco. O Ultra Music Festival tem datas marcadas para os dias 29, 30 e 31 de março do próximo ano.
 
Segundo o Miami Herald, a organização do festival está com esperança de chegar a um acordo com os moradores daquela zona, que têm feito várias queixas ao longo dos anos em relação ao barulho, à confusão e o facto do parque ficar fechado ao público durante muito tempo.
 
Recorde-se que o Ultra Music Festival chegou a decorrer no Bicentennial Park, em Miami, entre 2005 e 2011.
 
Publicado em Ultra Music Festival
O famoso e tão esperado livestream do Ultra Music Festival em Miami, que vai decorrer entre os próximos dias 18 e 20 de março, conta este ano com novidades.
 
A transmissão em direto das atuações do festival poderá ser visualizada no site oficial do evento, UMF Radio, Ultra Live e na aplicação exclusiva que está disponível para iOs e Android. Uma das novidades na UMF Radio é que será a maior transmissão mundial sobre música eletrónica, durante 8 horas para 50 rádios espalhadas por 38 países e apresentado por Andy Pate.
 
Em Portugal, a transmissão da UMF Radio vai também acontecer nas rádios Kiss FM, Nova Era, Top FM, Hiper FM, e Antena 3.
 
Até ao momento, está confirmada a transmissão das atuações de Afrojack, Armin van Buuren, Avicii, Aly & Fila, Andrew Rayel, Carnage, Cedric Gervais, The Chainsmokers, Dash Berlin, Fedde Le Grand, Galantis, Hardwell, Kaskade, KSHMR, Laidback Luke, Markus Schulz, Martin Garrix e W&W.
 
No recinto do festival e pela primeira vez vai estar presente um estúdio ao ar livre onde os amantes da música eletrónica poderão ter contacto com os artistas e convidados especiais, que vão estar junto dos apresentadores Andrea Feczko e Andie Helfrich.
 
O Portal 100% DJ vai acompanhar bem de perto todos os pormenores do festival, cujos conteúdos, alguns exclusivos, podem ser consultados no website e nas redes sociais como o Facebook e Instagram.
 
{youtube}oqxO0_4iVIE{/youtube}
Publicado em Ultra Music Festival
Está neste preciso momento a decorrer em Miami a 15ª Edição do Ultra Music Festival, evento inserido na 20ª edição da Winter Music Conference que pretende receber milhares de festivaleiros durante 6 dias de pura loucura, onde a música e a dança, se juntam para uma união perfeita.
 
No gráfico em baixo, damos a conhecer um pouco do Festival que anda – literalmente – nas bocas do mundo.
 
 
Publicado em Ultra Music Festival
Pág. 1 de 5
100% DJ. Projeto editorial independente cujos valores se guiam pelo profissionalismo, isenção e criatividade, tendo como base de trabalho toda a envolvente da noite nacional e internacional, 365 dias online.

Newsletter

Recebe novidades e conteúdos exclusivos no teu e-mail.