18-10-2019

  Diretor Ivo Moreira | Periodicidade Diária

Sobre Nós  |  Fala Connosco     

×

Erro

[sigplus] Erro crítico: A pasta da galeria de imagens eventos-meoarena deve ter um caminho relativo para a pasta base das imagens especificada na back-end.

O documentário “Tecla Tónica”, que pretende retratar a história da música eletrónica em Portugal, já tem data de estreia marcada. A exibição será no dia 30 de abril, pelas 21h30, no Grande Auditório da Culturegest em Lisboa, inserida no Indie Lisboa – Festival Internacional de Cinema Independente.
 
Com uma cronologia demonstrada no documentário desde os anos 60 até à atualidade, nesta longa-metragem será possível viajar ao longo do tempo e dos diferentes géneros de música eletrónica.
 
“Tecla Tónica” é uma produção de Eduardo Morais, com entrevistas a artistas como Carlos Maria Trindade, José Cid, Carlos Zíngaro, Vítor Rua, Tó Pereira (DJ Vibe), Moullinex e muitos outros.
 
Após a estreia do documentário, a garagem da Culturgest receberá uma after-party com Ghost Hunt, WASTE Club e Rui Miguel Abreu no line-up até às 4 horas da madrugada. Os bilhetes estão à venda na Ticketline, site oficial do Indie Lisboa, na Culturgest e São Jorge.
 
{youtube}iITOO5AeDd4{/youtube}
Publicado em Mix
segunda, 07 abril 2014 23:03

Editar música não é um hobby

Depois do aparente sucesso do meu artigo do mês passado relativo às estratégias de marketing para redes sociais, decidi escrever um outro sobre uma outra temática que também tem sido bastante referida nas mensagens e mails que tenho recebido. Trata-se do envio de demos para editoras. É um assunto que dá pano para mangas e por isso decidi divir este artigo em duas partes.
 
A primeira parte vai ser inteiramente dedicada ao factor "timing". Afinal qual é a altura certa para enviar uma demo para uma editora?
 
Em primeiro lugar é preciso que percebam que as editoras - principalmente as maiores - são estruturas empresariais com o objectivo de lucrar com venda de música. É por isso quando contactas com elas deves ser sempre o mais profissional possível, apresentando uma proposta de valor. Esquece quando te "vendem" a ideia de que as editoras vão fazer tudo por ti, que te vão apoiar só porque no texto de apresentação que lhes envias dizes que a desde tenra idade a música é tudo para ti, porque 90% das apresentações de DJ's em Portugal começam assim. Tu não és especial. A tua música é. E é por isso que deves deixar sempre que a música fale por ti. Eu sou dos que acredita que para além do dinheiro, as carreiras ainda se constroem com talento e trabalho. Sem estes dois "pequenos pormenores" nada dura muito.

Eu sou dos que acredita que para além do dinheiro, as carreiras ainda se constroem com talento e trabalho.

 
E é aqui que o factor "timing" deve desempenhar o papel chave. Será que a tua música é suficientemente boa para se destacar no "lamaçal" de demos de todo o mundo que os A&R das melhores editoras recebem diariamente? Mas mais importante que isso, será que se uma editora mais pequena decidir aceitar editar a tua música, isso vai ser bom para ti?
 
Responde a estas três perguntas:
1. Será que a tua música está a um nível suficiente para ser editada? A tua música está bem produzida? Sentes-te confortável com ela? Quando a ouves depois de uma faixa do teu produtor favorito sentes-te satisfeito, desiludido ou achas que podia estar melhor?
 
2. Será que lançar a tua música "oficialmente" vai ser bom para mim? Se te dissessem - "Dentro de 1 ano, a tua editora favorita vai dar-te 10 minutos para mostrares alguns dos teus trabalhos já editados e decidir se investe em ti ou não com base neles" - editavas a tua música?
 
3. A tua música soa bem? Se o teu DJ favorito decidir tocar a tua música para 30 mil pessoas vai ficar desiludido com a forma como a música soa? Mas mais importante que isso, se eu quiser ouvir a tua música no meu telemóvel com uns phones de 20 euros vou ficar satisfeito com o som da tua música? E se a comparar com um tema editado na editora para onde pensas enviar a tua música vou notar alguma diferença? Se não te sentires totalmente satisfeito com a qualidade das tuas músicas é normal. São precisos anos e anos de experiência para conseguir misturar ou masterizar música de forma competitiva.
 
Depois de leres isto certamente ficarás a sentir-te desencorajado. Não sintas. Há tempo para tudo e não queiras começar a construir a casa pelo telhado.
 
Foca-te na tua produção. Experimenta, compara, aprende. Pensa no teu futuro. O que queres fazer com a tua carreira: é só um hobby ou os passos que deres agora vão ser importantes no teu futuro dentro de um ou dois anos? Mostra a tua música a pessoas com experiência no mercado. Pergunta-lhes o que acham honestamente. Não leves a mal críticas negativas. São elas que te fazem aprender. Não penses nunca que és um prodígio porque se o fores, só com humildade e trabalho poderás algum dia materializar o teu talento em música de qualidade. E por fim, não queiras fazer trabalho que não é teu. A ti compete-te ser criativo e produzir música, não soar como um produtor que teve o apoio de um engenheiro de som com 20 anos de experiência no mercado.
 
Em suma, editar uma música, a curto prazo, pode parecer bom. Editar uma música que vai ser uma mancha no teu currículo, a longo prazo, pode ditar a "morte do artista", ou seja, a tua.

 

Hugo Serra Riço
Publicado em Música

 

A editora I Bounce Records vai lançar no próximo dia  1 de julho, pelo quarto ano consecutivo, a compilação Algarve Summer Grooves. O álbum vai estar à venda em exclusivo nas lojas FNAC.
 
O Algarve Summer Grooves seguiu novamente as vertentes do deep e da house music, focando a época do verão que está à porta. Nesta compilação estão presentes novos talentos da música de dança nacional, bem como artistas já consagrados no panorama eletrónico, mixados por Charlie Spot e Bruno Zarra.
 
Confere abaixo o alinhamento:
 
  • 1 – Mário Marques feat. Latasha Jordan – Come See About Me (Labsoul & Mastercris Mix)
  • 2 – Sorcha Richardson –Alone (David K & Lexer Remix)
  • 3 – Sylva Drums feat. Ana Rostron & João Kaiano – The Sun Of Freedom
  • 4 – Hugo Villanova – Good Luv
  • 5 – Alex Moraia & PedroP – Summer Daze
  • 6 – Double B – Enjoy Life
  • 7 – Charlie Spot e Bruno Zarra feat. Miss Kim – Turn Me On
  • 8 – Bruno Zarra e Pedro P – All Alone
  • 9 – Carlos Mantilla – Can’t Fake The Feeling
  • 10 – Charlie Spot e Bruno Zarra – Trompette
  • 11 - &lez – Styless
  • 12 – Pete Tha Zouk feat. Ethan Thompson – Paradise (Algarve Lounge Mix) – Bonus Track
 
 
Publicado em Mix
 
Quatro crianças de diferentes idades foram desafiadas a responder a um pequeno questionário sobre música eletrónica e a figura do DJ. Em cerca de três minutos, e de forma quase inocente, as respostas destas quatro crianças revelam o seu 'QI' de conhecimento sobre música eletrónica, deixando qualquer pessoa boquiaberta. 
 
O vídeo foi produzido para o Madrid Music Days, evento que vai realizar-se de 7 a 10 de maio em Madrid, onde se pretende estabelecer um ponto de encontro para os principais agentes da indústria musical eletrónica.
 
Confere em baixo o vídeo que tem tanto de divertido como real.
 
 
Publicado em Mix
Os Booka Shade são os cabeças de cartaz do próximo Baixa Clubbing, a festa de culto à música House que a Baixa do Porto recebe todos os meses e cuja nova edição está marcada para este sábado, o primeiro dia de junho. 
 
Vinda de Berlim, a dupla alemã formada no início dos anos 90, é um nome incontornável da música House e Techno dos últimos anos e continua a encarnar o espírito da música eletrónica mais autêntica. Prova disso é o último álbum "Cut the Strings", lançado no ano passado, que nos leva de volta às raízes das pistas de dança e nos envolve em paisagens sonoras melodiosas. Ao longo do seu percurso, os Booka Shade têm somado vários álbuns e singles de sucesso, entre as quais faixas clássicas como Body Language, que ainda hoje contagia as pistas de música eletrónica um pouco por todo o mundo e que chega agora à pista do Baixa Clubbing.

Naquela que será a edição número 22 do Baixa Clubbing, será ainda possível dançar ao som da dupla Avant-Garde, projeto nacional liderado por Luís Ricardo e Luís Sales, que se afirma pelo ecletismo que se faz sentir em cada set e pela procura constante de novos sons e novas formas de passar uma mensagem que fica na memória de quem os ouve.

Como já é habitual, a festa vai decorrer das 23 às 06 horas da madrugada e o Portal 100% DJ é Media Partner Oficial deste conceito.
 
Publicado em Eventos
O Algarve é cada vez mais o destino turístico escolhido pelos clubbers de toda a Europa que procuram os mais diversos eventos de música eletrónica. Por esse facto a editora I Bounce decidiu lançar recentemente uma coletânea especial de Verão, fazendo com que o Algarve vá além fronteiras, para atrair novas ideias, novos investimentos, um novo público e uma nova dinâmica

Esta compilação conta com sonoridades bem atuais, e irá funcionar em pleno, tanto no panorama nacional como no internacional.

Os temas incluídos já foram testados por nomes da música de dança mundial que lhes deram feedbacks bastante positivos. É mais um passo importante na dance scene nacional. Tem o preço de 9,99 euros e é um exclusivo da Loja FNAC do Algarve Shopping estando prevista a sua distribuição pelo resto do país e ilhas.
 
Está também disponível em formato Unmixed digital próprio para deejays em mais de 300 lojas espalhadas pelo Mundo inteiro.
 
O Portal 100% DEEJAY já ouviu e aprova no seu todo esta excelente coletânea.
Publicado em Mix

 

A editora de Hardwell, Revealed Recordings, comemorou 5 anos de existência com o lançamento de uma compilação dos seus melhores temas, no passado dia 3 de abril.
 
As faixas foram escolhidas pelos fãs, através da página oficial da editora, que incluíram os hits “Never Say Goodbye”, “Spaceman” e “Apollo”. O Top 100 da Revealed Recordings está também disponível para audição através do Spotify.
 
“Cinco anos depois, o tempo voa quando nos divertimos! Eu sempre sonhei sobre criar a minha própria editora e uma plataforma para novos artistas, para ajudá-los a encontrar o seu caminho e a partilhar a música com o mundo”, revelou Hardwell sobre a sua editora, que lança agora a compilação intitulada “Revealed Recordings 5 Year Anniversary”.
 
Publicado em Mix

[sigplus] Erro crítico: A pasta da galeria de imagens eventos-meoarena deve ter um caminho relativo para a pasta base das imagens especificada na back-end.

Desde que foi inaugurada, em 1998, pela maior sala multiusos do país já passaram inúmeros eventos, das mais diferentes tipologias, desde congressos, exposições, concertos e até mesmo provas desportivas.
 
Localizada às portas de Lisboa, a (agora) Meo Arena dispõe de uma área total de construção de 47 mil metros quadrados e na sua capacidade máxima pode albergar 20 mil pessoas em pé e 12.900 sentadas. Tem dois balcões (1.º e 2.º andar) e a área total da arena é de 5.200 metros quadrados.
 
A ideia de construir este edifício remonta às primeiras discussões sobre o Plano de Urbanização da Expo 98. Ao contrário de outras cidades europeias, Lisboa não possuía uma sala polivalente para acolher eventos de grande envergadura. As salas existentes, tanto na capital como noutros pontos do país, ou tinham lotação limitada - até 4000 lugares -, ou eram dificilmente adaptáveis a eventos não convencionais, como o desporto de alta competição em recinto coberto. Além disso, não dispunham do aparato tecnológico exigido para coberturas televisivas modernas ou pelos grandes espetáculos musicais ou teatrais.
 

Na sua capacidade máxima pode albergar 20 mil pessoas em pé e 12.900 sentadas.

 
Recuando atrás no tempo, durante os 132 dias de Expo 98, o edifício era designado Pavilhão da Utopia, onde era realizado, quatro vezes ao dia, um espetáculo de efeitos teatrais clássicos com as modernas tecnologias multimédia, designado "Oceanos e Utopias". A sua autoria foi de François Confino e Philipe Genty, produzido pela empresa Rozon. 
 
Esta construção não foi feita ao acaso. A localização foi um dos pontos fortes aquando da fase de projeto, pois tinha a vantagem de servir não só a população da maior área metropolitana portuguesa, mas também o país no seu conjunto, dada a proximidade da Estação do Oriente (onde se interligam os principais meios de transporte público) e dos principais nós rodoviários.
 
Ao longo dos últimos anos, além dos concertos que estamos habituados a assistir com banda, também os espetáculos de música eletrónica têm vindo a ganhar o seu lugar cativo nesta arena portuguesa e a atingir um público-alvo cada vez maior. O primeiro evento com DJs aconteceu em 2003. O conhecido “Olá Love 2 Dance” contou com uma gigantesca produção, onde em destaque esteve a música e todo o conjunto de efeitos multimédia. Roger Sanchez, Luís leite, Carlos Manaça, Diego Miranda e Miss Blondie estreavam desta feita a maior “discoteca” do país. 
 
Na timeline em baixo, poderás conferir todos os eventos de música eletrónica que decorreram na Meo Arena a partir do ano 2003. De recordar que os dois últimos ainda vão acontecer este ano, dias 18 e 31 respetivamente.
 
 
{gallery}eventos-meoarena{/gallery}
 
Agradecimentos 
  • Meo Arena
  • Unilever Portugal
 
Publicado em Infografias

 

A compilação “Ibiza 2015” foi lançada para o mercado através da editora Cr2 e incluí os principais sucessos do verão da Europa. Este ano, o álbum contém 77 músicas de Steve Angello, Eric Prydz, Deorro, Chuckie, Oliver Heldens, AN21, Borgore e ainda a participação do DJ brasileiro Mario Fishetti.
 
Além dos hits, o “Ibiza 2015” possui quatro mixes exclusivos de 1 hora de artistas como Borgore, Matthew Heyer, Mr. Gonzo e Mario Fushetti. Esta compilação é produzida desde o ano de 2008 e tem alcançado a primeira posição na tabela de vendas da Apple, nos últimos dois anos e no Spotify nos últimos cinco.
 
 
Publicado em Mix
sábado, 03 novembro 2012 20:10

5 sets made in Portugal

Desta vez não selecionámos 5 músicas para animar o teu fim-de-semana, mas sim 5 sets de deejays portugueses, bem conhecidos de todos. Todos eles estão disponíveis para download gratuito.
DJ Nox, Pete Tha Zouk, Glove, The FOX e os Club Banditz são um exemplo da famosa velha máxima "O é Nacional é (sempre muito) bom."
 
Volume no máximo e Play!
 
1
 
 
2
 
 
3
 
 
4
 
 
5
 
Publicado em Mix
Pág. 1 de 5
100% DJ. Projeto editorial independente cujos valores se guiam pelo profissionalismo, isenção e criatividade, tendo como base de trabalho toda a envolvente da noite nacional e internacional, 365 dias online.

Newsletter

Recebe novidades e conteúdos exclusivos no teu e-mail.

Este site utiliza cookies. Ao navegares neste site estás a consentir a sua utilização. Para mais informações consulta a nossa Política de Privacidade.