Diretor Ivo Moreira  \  Periodicidade Semanal
A música eletrónica ficou mais pobre. Mais conhecido por Guru Josh, Paul Walden, o autor do hit das pistas de dança “Infinity”, faleceu ontem aos 51 anos, na ilha espanhola de Ibiza. A morte foi confirmada pelo seu representante Sharron Elkabas ao The Guardian, mas sem causas conhecidas.
 
Além de empresário e produtor, o britânico foi o mentor do Guru Josh Project, que relançou o êxito “Infinity” em 2008 e invadiu os tops internacionais, alcançando o primeiro lugar em França, Holanda e Islândia.
 
A versão original foi lançada em 1989 e também teve algum sucesso, com a presença da faixa em vários tops do Reino Unido, Alemanha, Áustria ou Suíça. Entretanto, depois de vários temas originais, Guru Josh voltou a lançar “Infinity” no ano de 2012. Além desse projeto, Paul Walden iniciou uma nova carreira com o nome de Dr Devious.
 
O início do seu percurso no mundo da música aconteceu em Londres nos anos 80, pois fazia parte de uma banda que atuava num pub. Segundo Guru Josh, numa entrevista feita pelo The Guardian, numa noite um cliente do bar ofereceu-lhe uma pastilha de ecstasy durante o seu concerto e os efeitos da droga fizeram com que ele ganhasse uma nova visão sobre a vida.
 
O artista vivia em Ibiza desde o ano de 2001 e além da sua residência habitual, ganhou uma nova paixão pela criação de obras de arte, chegando a realizar exposições, como por exemplo em Madrid intitulada de “Reflections” e assinadas com o seu pseudónimo Louis Fabrix.
 
O projeto Guru Josh Project esteve presente em Portugal com um live show e DJ set na discoteca Loft em Lisboa, a 22 de maio de 2009.
 
{youtube}T2U07KFqmew{/youtube}
Publicado em Artistas
O comunicado foi divulgado esta tarde na Página Oficial no Facebook do artista. Peter Rauhofer perdeu a sua batalha contra um cancro que tinha no cérebro. Estava internado num hospital em Nova York desde o passado mês de abril.
 
"Ele partiu cedo demais, mas será para sempre que teremos o legado da música que deixou para nós. Através da sua música Peter viverá para sempre" pode ler-se num texto assinado pelo seu empresário Angelo Russo.
 
Peter foi internado após ter sofrido uma convulsão. Na altura, os exames médicos diagnosticaram tardiamente um tumor cerebral, cuja informação foi divulgada no passado dia 17 de abril.
 
Na nota, Angelo faz ainda um pedido especial - "Peço aos verdadeiros fãs do Peter que mantenham o seu legado vivo, compartilhando a sua música com aqueles que não tiveram a oportunidade de a ouvir por eles mesmos."
 
Peter Rauhofer foi DJ, remixer e produtor também conhecido como 'Club 69' ou 'Size Queen'. Nasceu em Vienna na Áustria, e foi famoso por ter remisturado vários temas que rodaram as pistas de dança de todo o Mundo vezes sem conta, como Cher - "Believe", Madonna - "Nothing Really Matters", "American Life", "Nothing Fails, "Nobody Knows Me", "Get Together, "Impressive Instant e "4 Minutes". Fez igualmente remisturas para Whitney Houston, Jessica Simpson, Britney Spears, Christina Aguilera, Yoko Ono, Pink e Mariah Carey. Esteve por trás da label de tribal house Star 69.
 
Fãs de todo o mundo utilizam as redes sociais para manifestar o pesar pela morte do DJ. O Portal 100% DJ aproveita a oportunidade para enviar as sentidas condolências à familia e amigos de Peter.
Publicado em Artistas
segunda, 21 setembro 2015 19:32

Faleceu Alan Green, o manager de David Guetta

Alan Green, manager do DJ e produtor David Guetta, faleceu no passado domingo de maneira inesperada, aos 46 anos. O empresário lutava contra a epilepsia há 20 anos, mas até ao momento a causa da morte não foi revelada.
 
Desde 2009 que Alan Green trabalhava com o artista francês, tendo também acompanhado a carreira de Sasha, Dave Clarke e Carl Cox, produzindo eventos como o Bestival, Radio One’s Big Weekend, The Warehouse Project e o festival Creamfields e clubs como Cream (Liverpool) e Tunnel (Glasgow), durante 25 anos no mundo da música. Alan era natural da Escócia.
 
David Guetta lamentou a morte do seu manager através da sua conta oficial do Twitter: “Alan, não consigo acreditar que tu partiste, meu amigo. Obrigado por tudo o que fizeste por mim. Perdi o meu manager e a comunidade da house music perdeu um amante de música. Estou muito triste e envio as minhas condolências a Lainie (esposa), amigos e família.”, afirmou o produtor francês na rede social.
 
Outros grandes nomes do mundo da música eletrónica também já deixaram os seus tesmundos nas redes sociais. “RIP Alan Green. Vamos ter saudades tuas. Uma pessoa verdadeira, um cavalheiro e genuína. Vou guardá-lo como recordação para sempre”, confessou Steve Lawler, segundo o Daily Record.
Publicado em Nightlife
Segundo a polícia e os investigadores, a morte de Avicii que aconteceu ontem, no Omã, não foi nenhum crime e quaisquer suspeitas foram excluídas. O corpo do DJ e produtor sueco já foi autopsiado.
 
A fonte anónima revelou à agência France Presse que “não há qualquer pista criminal ligada à morte” de Avicii e que a polícia do sultanato de Omã tem “todas as informações” sobre o falecimento mas “recusa divulga-las”, a pedido da família que já tinha pedido privacidade.
 
Segundo a TMZ, o artista foi visto a bordo de um iate com os seus amigos, visivelmente feliz e saudável, um dia antes da sua morte e durante a sua estadia no Omã tirou algumas fotografias com fãs. Neste momento, o seu irmão, David Berling, está no Omã à procura de respostas. O corpo do artista regressará à Suécia ainda esta semana.
 
Publicado em Artistas
A causa da morte trágica de Avicii pode ter sido finalmente revelada. Através de um comunicado oficial, a família do DJ e produtor sueco dá a entender que Avicii poderá ter-se suicidado.
 
Recorde-se que Avicii faleceu no passado dia 20 de abril, com apenas 28 anos. O seu corpo foi encontrado num quarto de hotel no Omã. Esta triste notícia comoveu a comunidade de música eletrónica internacional e muitas foram as homenagens prestadas ao autor de “Wake Me Up”.
 
Confere abaixo o comunicado na íntegra:
 
“O nosso amado Tim estava à procura de algo. Era uma alma artística frágil que procurava encontrar respostas para questões existenciais. Um perfecionista que viajou e trabalhou duro em ritmo que levou a um stress extremo. Quando parou com as digressões, queria encontrar um equilíbrio na vida entre ser feliz e conseguir fazer o que ele mais amava – música. Ele realmente enfrentou muitos pensamentos sobre sentido, vida e felicidade. Ele não conseguiu ir além. Ele queria encontrar paz. O Tim não foi feito para a máquina de negócios em que ele se encontrava; era uma pessoa sensível que amava os seus fãs, mas evitava os holofotes. Tim, tu serás amado para sempre e deixas muitas saudades. A pessoa que tu eras e a tua música vão manter a tua memória viva. Nós te amamos”.
 
Publicado em Artistas

 
A noite portuguesa, especialmente a lisboeta, ficou hoje mais pobre. Manuel Reis, fundador do Lux-Frágil e revolucionário da noite de Lisboa e do Bairro Alto faleceu este domingo, aos 71 anos, vítima de doença prolongada.
 
Manuel Reis foi um dos responsáveis pela renovação do Bairro Alto nos anos 80, fundando em 1982 o bar Frágil e em 1998 o famoso Lux-Frágil, que se tornou num dos grandes espaços e símbolos da capital portuguesa.
 
A abertura Frágil marcou a história da noite em Portugal e Lisboa. Era um espaço cultural onde se encontravam todos os grandes artistas nacionais e marcou uma época de mudança na forma da sociedade viver e se divertir. O bar foi inaugurado juntamente com o sócio Carlos Fonseca. Poucos anos depois, Manuel abre a discoteca Lux, em Santa Apolónia, considerada como uma das melhores do mundo pela revista DJ Mag.
 
Miguel Esteves Cardoso considerava Manuel Reis como “um génio de Lisboa, daqueles que emergem das lamparinas e que nos oferecem três desejos”, pode-se ler numa recente crónica do escritor português. Já o político João Soares, partilhou na sua página oficial de Facebook a seguinte mensagem: “Alguém de um bom gosto, sensibilidade e talento raros. A quem a cidade de Lisboa deve uma obra notável”.
 
Manuel Reis era algarvio e estudou em Lisboa, sempre associado ao teatro, moda e ao design. Antes de abrir alguns restaurantes como a Bica do Sapato, o empresário português foi assistente de bordo da TAP.
 
O corpo vai estar em câmara ardente na próxima terça-feira, no Teatro Thalia.
 
Publicado em Nightlife
Desde que a notícia trágica da morte de Avicii foi divulgada, muitos foram os amigos, colegas e profissionais da área da música em geral que prestaram as suas homenagens e recordações fotográficas através das redes sociais.
 
Apresentamos abaixo alguns exemplos que estão a ser partilhados nas redes sociais:
 

 

 

So Sad....... So Tragic. Good Bye Dear Sweet Tim. ? Gone too Soon.

Uma publicação partilhada por Madonna (@madonna) a

Publicado em Artistas
Klas Bergling, pai de Avicii, fez esta semana a sua primeira aparição pública desde a morte do filho, que se suicidou em abril aos 28 anos de idade. Bergling esteve presente na cerimónia de entrega dos prémios Rockbjörnen, realizados anualmente pela publicação sueca Aftonbladet aos melhores artistas do último ano. 

Ao aceitar um prémio em nome do filho, Klas agradeceu aos fãs pelo apoio prestado, não só ao longo dos últimos anos mas especialmente nestes últimos meses. "Obrigado pelas homenagens que fizeram ao Tim e à sua música. Por parte de todos os seus fãs e não só: igrejas, escolas, festivais e muito mais. Tem sido quase incompreensível e tem aquecido os corações de toda a família durante este período difícil. Muito obrigado", disse.

Recorde-se que o DJ e produtor sueco pôs termo à vida no passado dia 20 de abril, em Mascate, capital do sultanato de Omã, onde se encontrava há alguns dias de férias com amigos. Desde o seu desaparecimento e por todo o mundo têm sido registadas inúmeras homenagens, feitas não só por colegas DJs como por fãs do artista.

Avicii atuou três vezes em Portugal: em 2012, em Leça da Palmeira, Matosinhos, em 2013 no festival Sudoeste, na Zambujeira do Mar, Odemira, e em 2016 no Rock in Rio Lisboa, ano em que anunciou que iria deixar de atuar ao vivo.
 
Publicado em Artistas
quinta, 09 dezembro 2021 15:23

Faleceu o DJ Magazino

O DJ português Magazino (Luís Costa) morreu hoje, em casa, em Lisboa, dois anos após ter sido diagnosticado com uma leucemia, disse à Lusa fonte próxima da família.
 
Luís Costa nasceu em Setúbal, em 1977, cidade onde aos 17 anos começou a carreira de DJ, que acabou por o levar a vários palcos internacionais.
 
Em dezembro de 2019, foi diagnosticado com uma leucemia e ao longo últimos dois anos foi partilhando, através da rede social Instagram, a luta que travou “pela vida”, como disse numa entrevista em outubro.
 
À Família e amigos próximos do DJ, a redação 100% DJ endereça as sentidas condolências.
 
Publicado em Artistas
domingo, 24 agosto 2014 19:39

A noite ficou mais pobre

Um acidente vascular cerebral, vulgarmente conhecido como AVC, fez infelizmente mais uma vítima, o empresário da noite portuguesa Hugo Antunes.
 
Dado ao seu profissionalismo e reconhecimento, no meio, não se fala de outra coisa e são muitos os amigos, ou apenas conhecidos, que se juntam à dor desta perda prematura.
 
Hugo Antunes foi promotor de eventos e iniciou a sua carreira na noite como porteiro da Discoteca Coconuts em Cascais. Atualmente era sócio gerente do Alive Bar localizado em Santos, Lisboa.
 
A noite portuguesa fica mais pobre e de luto. Resta-nos apresentar à sua família e amigos as mais sentidas condolências, reconhecendo esta perda como insubstituível. Que descanse em paz.
 
Publicado em Nightlife
Pág. 1 de 3