Diretor Ivo Moreira  \  Periodicidade Semanal
×

Alerta

JUser: :_load: Não foi possível carregar o utilizador com o ID: 62

O Melhor Bolo de Chocolate do Mundo está a marcar a sua presença no Rock in Rio-Lisboa. Para atingir uma maior notoriedade, a marca aposta na 11ª edição do evento de música, prevendo comercializar, no total dos cinco dias, milhares de fatias de bolo.

Para os interessados em provar, o famoso bolo vai estar numa loja no espaço Rock Street – a novidade deste ano. Da receita do bolo consta merengue, mousse e cobertura de chocolate.

Como elemento decorativo, e a assinalar esta estreia do MBCM, em frente à loja estará uma estátua de chocolate, parte integrante do alinhamento de animações do Rock in Rio-Lisboa.
 
Publicado em Rock in Rio
Depois de aftermovies e documentários, chegou a vez do maior festival do mundo lançar um filme. O Tomorrowland vai estrear no próximo dia 26 de novembro o filme “This Is Was Tomorrow”, na Arena Sportpaleis, na Bélgica.
 
São esperadas mais de 20 mil pessoas na estreia da longa metragem, que promete mostrar os melhores momentos da edição deste ano das diferentes edições do festival e do “People Of Tomorrow”. O cenário do local vai ser diferente, com efeitos especiais e vai contar ainda com a Orquestra Nacional da Bélgica, que este ano também pisou o palco do Tomorrowland.
 
Os bilhetes para a sessão de cinema vão ser colocados à venda no próximo dia 5 de outubro no site oficial do festival, com preços entre os 35 e os 43 euros (mais 5 euros de taxas de serviço).
 
{youtube}O49pbIFsDT8{/youtube}
Publicado em Tomorrowland
Um pouco por toda a Europa, a época de festivais está ao rubro e a Holanda – em concreto a cidade de Haarlemmermeer - não é exceção, já que este fim-de-semana vai receber uma nova edição do Mysteryland, um dos maiores festivais de música eletrónica a nível internacional, e que desde 1993 é produzido pela gigante produtora ID&T. Este ano o palco do festival holandês será ocupado por nomes como Don Diablo, Afrojack, Diplo e muitos outros.
 
Este festival já esteve presente em outros países, como os Estados Unidos da América e o Chile, depois de mais de 20 edições na Holanda.
 
Quando é realizado um grande evento internacional de música eletrónica, é certo que no meio da multidão vão estar presentes festivaleiros portugueses. Como já vem sendo hábito nas reportagens sobre os principais festivais eletrónicos, o Portal 100% DJ falou em exclusivo com alguns festivaleiros que vão embarcar na aventura do Mysteryland, representando desta forma o nosso país.
 
João Pedro Vicente tem 49 anos e viaja para Haarlemmermeer com o intuito de “ouvir boa música e desfrutar simplesmente do ambiente.” Depois de três anos a marcar presença no Festival Tomorrowland, o festivaleiro de Agualva decidiu este ano conhecer outros dois festivais, e depois de procurar por alternativas ao festival belga, optou pelo Electric Love e pelo Mysteryland.  
 
João Pedro pretende ficar na fila da frente do famoso palco QDance onde, e como habitualmente, o hardstyle estará em grande destaque. 
 
“Portugal merece mesmo um festival deste género, mas suspeito que ainda podemos não estar preparados para isto. A verdade é que a média de idades nestes festivais (no estrangeiro) é muito mais alta que em Portugal. Penso que o ambiente não é o mesmo” refere o festivaleiro. 
 
 
Com as expectativas “muito altas” e a representar o sexo forte, estará Mariana Malcato, que parte de Lisboa com destino ao Mysteryland, acreditando que o evento “vai ser único e que não irá desiludir”. Para Mariana, todos os pormenores contam “desde a organização, o recinto, a decoração, os palcos, as pessoas e claro, a música”.
 
Depois de ir ao Tomorrowland durante dois anos consecutivos (2014 e 2015), Mariana reconheceu que “estava na altura de experimentar um festival novo”, e o facto do Mysteryland poder ser considerado o ‘pai’ do Tomorrowland “teve o seu peso na escolha. E ainda, a música, o espírito único e extravagante também foram fatores importantes” remata.
 
Martin Garrix é o artista que mais quer ver, no entanto, a festivaleira também está curiosa para assistir à atuação de “Laidback Luke e rever Coone e Brennan heart - dois artistas que há um ano atrás não conhecia mas que me surpreenderam muito.”
 
Mariana considera que "Portugal tem os requisitos necessários para receber um grande festival (clima, espaço, infraestruturas), e até fazemos muitos”, no entanto e na sua opinião “o que falta é o espírito festivaleiro e o verdadeiro gosto pelo estilo de música que em nada iguala os holandeses.”
 
 
Habituado a estas andanças e natural de Sintra, João Santos não esconde as suas expectativas “muito altas”. O festivaleiro refere mesmo que “na Holanda não se brinca e vindo dos mesmos produtores do Tomorrowland espero algo muito bom, mais pequeno mas cheio de qualidade.”
 
A decisão de viajar até ao festival de música eletrónica mais antigo da Europa não foi fácil e teve de escolher entre duas opções. “Depois de ter ido ao Ultra Miami, em março, ficou mais difícil fazer contas, quer aos dias de férias, quer ao dinheiro necessário... Com a hipótese do Tomorrowland e Electric Love afastados devido ao trabalho, rapidamente fiquei com a opção do Mysteryland ou do Creamfields - optei pela primeira! De entre vários motivos que pesaram na decisão, destaco o cartaz variado e não muito saturado (que nem sempre é bom) e o preço acessível, assim como o fator idade.”
 
Sobre os artistas que mais quer ver, o português de 23 anos, sublinha “Brennan Heart, Coone e Wildstylez, sem esquecer o grande Dave Clark”.
 
Sobre se o nosso país merece um festival do género, João Santos considera que há muita coisa a mudar antes disso acontecer. “Merece, mas não para já. Não enquanto o nosso público não souber estar nem respeitar um festival. Muita coisa tem de mudar. É pena porque considero que temos tudo, mas mesmo tudo para poder apostar numa coisa em grande. Para já, penso que não resultaria.”
 
 
 
Publicado em Reportagens
segunda, 07 novembro 2016 22:59

Lisboa Dance Festival já tem confirmações

A segunda edição do Lisboa Dance Festival está a chegar e a organização acaba de divulgar as primeiras confirmações. Tokimonsta e Dekmantel Soundsystem são os primeiros nomes a constar no cartaz.
 
O evento, que decorre nos dias 10 e 11 de março do próximo ano, no LX Factory em Lisboa, contou no ano passado com a presença de 9 mil pessoas e o reconhecimento do Resident Advisor, que destacou o evento como “um novo conceito de festival de música”.
 
Este evento, além de diversas atuações, inclui ainda vários debates, seminários e uma área de market. Os primeiros bilhetes já estão disponíveis em edição limitada, a um preço de 25 euros para o passe de dois dias. 
 
{youtube}bLTkmf6PyV8{/youtube}
Publicado em Festivais
O novo festival de Lisboa - Nova Batida - vai ocupar este fim-de-semana a Lx Factory e o Village Underground, em Alcântara. O cartaz conta com mais de 50 artistas, processo longo que exigiu "muita reflexão e energia" conta a organização em entrevista ao Portal 100% DJ. Além de novos talentos a estreia deste festival traz a Lisboa os suecos Little Dragon, o britânico Gilles Peterson, a dupla Mount Kimbie, o nigeriano Seun Kuti, sem esquecer de talentos portugueses como é o caso de Riot, Octa Push e Rita Maia.
 
O festival começa a partir das 13 horas e além da componente musical terá ainda aulas de surf e ioga, festas em barcos e street food. Para saber quais as espectativas e o que podemos esperar desta primeira edição de festival Nova Batida, o Portal 100% DJ esteve à conversa com Dan Flynn, representante da Soundcrash, produtora londrina que organiza festas de música eletrónica em vários países. O Portal 100% DJ é Media Partner do evento.
 

Quais são as expectativas para a primeira edição de Festival Nova Batida?
Esperamos que a primeira edição seja uma experiência incrível para todos os envolvidos e mal podemos esperar que visitantes do Reino Unido e de outros países de todo o mundo testemunhem em primeira mão a vibração calorosa e acolhedora de Lisboa e dos seus residentes. Escolhemos Lisboa não só por causa da sua cena musical, mas porque é uma cidade próxima ao nosso coração por tantas outras razões. A perspetiva de ter a oportunidade de dar algo de volta à cidade é algo que é muito excitante para nós.

São mais de 50 artistas que fazem parte da programação. Foi difícil conseguir este cartaz? 
Foi um processo que levou muitos meses, então, é claro que demorou muito - construir um cartaz de festival exige muita reflexão e energia. Não poderíamos estar mais felizes com o nosso primeiro line up e estamos felizes em trazer um grupo tão talentoso de artistas. Também foi ótimo que tantos artistas de Lisboa estivessem tão entusiasmados em juntar-se ao cartaz e estamos muito contentes por ter tantos representantes da música eletrónica nacional.

Que critérios tiveram em conta na hora de escolher os artistas?
Dos artistas ao vivo que selecionámos, escolhemos artistas que tinham músicas novas a serem lançadas - garantindo que todas as apresentações no festival fossem frescas e excitantes para o nosso público. Como disse anteriormente, também queríamos que muitos artistas portugueses participassem - algo que certamente continuaremos em 2019.
É comum que nos festivais alguns artistas realizem alguns pedidos mais excêntricos à organização. Há algum que vos tenha surpreendido particularmente?
Depois de anos a trabalhar na indústria da música não há muito que nos surpreenda. Para a Nova Batida todos os artistas do line up deste ano mostraram-se muito humildes.

No que se diferencia o vosso festival dos outros?
Acho que é uma combinação de muitas coisas diferentes. O festival principal está dentro dos locais super coloridos e criativos do Village Underground e da LX Factory, mas também há uma festa na praia no domingo dedicada aos participantes que pretendem estar junto da natureza. Temos uma linha de música ampla, mas coesa, da qual estamos muito orgulhosos e sabemos que haverá alguns momentos loucos quando Little Dragon, Mount Kimbie e outros subirem ao palco, mas também mal podemos esperar que os festivaleiros descubram os seus novos DJs favoritos numa área diferente. Também é diferente em que há uma grande comunidade de amantes da música do Reino Unido, França e Alemanha a visitar a cidade, mas também haverá uma grande percentagem de moradores locais no coração da festa. Mal podemos esperar que as vidas destes amantes da música de toda a Europa colidam - vai ser um momento encantador.

Além da componente musical, o que poderão assistir os festivaleiros do Nova Batida?
Temos várias atividades extras disponíveis, desde aulas de surf até aulas de ioga, festas em barcos e muito mais.

Em futuras edições, a cidade de Lisboa continuará a ser o local de eleição para acolher este festival?
Sim, vamos colocar bilhetes da edição de 2019 à venda em breve, apenas um ano do Nova Batida em Lisboa não chega. Vemos isso como um projeto de longo prazo e esperamos ser muito, muito felizes aqui.

Que recomendações gostaria de deixar aos festivaleiros?
Para aqueles que ainda não tiveram a experiência de ir a um festival de música em Lisboa, vão ser bem recebidos. Para os que já foram a eventos do mesmo género, já sabem o quanto se vão divertir!
 
Publicado em Entrevistas
27 de julho de 2019 marca a chegada do UNITE with Tomorrowland a Portugal que irá juntar-se a mais três países na celebração dos 15 anos do Tomorrowland.
 
O Porto foi a cidade escolhida para a realização deste evento sem fronteiras que liga via satélite a Bélgica e o resto do mundo através de uma conexão live do palco principal do Tomorrowland. Os efeitos especiais sincronizados com o espetáculo na Bélgica, combinados com o cenário típico do Tomorrowland e um line up de artistas de peso ao vivo faz do UNITE with Tomorrowland um espectáculo único que nos leva para outra dimensão.

Ao fabuloso line up de DJs, nacionais e internacionais que vão atuar ao vivo no palco do UNITE with Tomorrowland Portugal juntam-se os The Amicorum Spectaculum. Este grupo de entertainers cujo nome tem origem no mítico tema do Tomorrowland de 2017 está a preparar-se para embarcar numa viagem fantástica até aos horizontes místicos da Grécia, Malta, Portugal e Espanha

Mais que um evento local, Unite with Tomorrowland é um evento que permite que públicos em diferentes cidades da Europa estejam juntos, numa perfeita sincronização via satélite, numa mesma emoção, numa mesma realidade, no ambiente único que caracteriza 

O pré-registo está disponível no site do evento onde é possível reservar um lugar no UNITE with Tomorrowland Portugal até ao dia 15 de abril. Ao efectuar este registo aumentam as hipóteses de garantir a entrada no evento e o bilhete fica mais económico.
 

Para ler também: 



Criado em 2005 pelos irmãos Beers, Tomorrowland é o maior festival de música na Bélgica e acontece em Schorre, na cidade de Boom. Famoso pelo seu ambiente mágico, onde não faltam os efeitos especiais e as decorações temáticas anuais, a celebração dos 15 anos revisita um dos mais emblemáticos temas do festival: The Book of Wisdom: The Return, onde se juntam mais de 1.000 artistas e uma audiência estimada em 400.000 pessoas.
 
Em Portugal, o evento acontece no Parque Oriental da cidade do Porto, é co-produzido pela UAU e a PEV Entertainment em parceria com a Câmara Municipal do Porto.
 
 
Publicado em Tomorrowland

 

A Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) identificou cinco adolescentes que estavam a consumir bebidas alcoólicas, nomeadamente cerveja e sidra, no festival Super Bock Super Rock, de acordo com a agência Lusa.
 
No festival, que decorreu no passado fim de semana no Parque das Nações, em Lisboa, a ASAE instaurou quatro processos de contraordenação por venda de álcool a menores de 18 anos e mais três processos por disponibilizarem bebidas alcoólicas a adolescentes. A ASAE fiscalizou, no total, 17 operadores económicos.
 
Devido à nova lei, a organização do Super Bock Super Rock colocou à disposição uma pulseira para os indivíduos maiores de 18 anos serem autorizados a consumir bebidas alcoólicas, mas a mesma não era de uso obrigatório.
 
Publicado em Festivais
segunda, 11 agosto 2008 18:51

Boom Festival arranca hoje

Arranca hoje em Idanha-a-Nova o Boom Festival. Neste festival, a música electrónica e os DJs assumem a sustentabilidade ambiental e interculturalidade como lemas, adianta a organização.

O evento bienal, que acompanha a Lua Cheia de Agosto e este ano avança para a sétima edição, ocupa 150 hectares da Herdade do Torrão nas margens da Barragem Marechal Carmona e decorre este ano de 11 a 18 de Agosto.

Segundo Artur Soares da Silva, da organização, são esperados de 20 a 25 mil pessoas durante os oito dias do festival, a maioria das quais estrangeiras e alguns milhares optando por acampar no recinto.

Matt Black, fundador da editora Ninja Tune e membro dos Coldcut, pioneiro no desenvolvimento de software que sincroniza som e imagem, é um dos destaques do programa musical.

Programa só é conhecido nas bilheteiras
Os portugueses Blasted Mechanism e os Gocoo, uma banda de doze músicos com tambores taiko do Japão, são outros dos pontos altos do programa que se divide por quatro espaços onde a música electrónica e os DJs dominam.
O dia e hora dos espectáculos só são conhecidos na bilheteira, onde é entregue o programa detalhado. «É tradição. Queremos manter a surpresa», refere Artur Soares da Silva da organização.

«Há uns anos atrás, o programa detalhado só era conhecido no jornal do Boom, no próprio dia», recorda. Para além de um jornal, nos dias do festival vai estar também em funcionamento uma rádio, em FM, a cobrir na zona do festival.

O Boom tem casas de banho compostáveis e uma equipa de 150 pessoas a limpar o recinto.

Para lá da música, haverá conferências que contam com, entre outros, Erik Davis, autor de «Technognose: Mito, Magia e Misticismo na Era da Informação», e Mark Pesce, investigador e professor especializado em antropologia digital. Haverá workshops de ioga, kung fu, astrologia, lado a lado com diversão, como sejam artes perfomativas e teatro. Há também um festival de cinema dentro do Boom..

O Boom tem outras características em destaque: casas de banho compostáveis, uma equipa de 150 pessoas a limpar o recinto 24 horas por dia e uma área para crianças com actividades monitorizadas por educadores de infância. «Este é um verdadeiro festival multi-geracional. Encontramos aqui famílias inteiras e pessoas de todas as idades», sublinha Artur Soares da Silva.

As entradas para todo o festival custam 160 euros, a partir de dia 15 o preço baixa para 120. Residentes no concelho de Idanha-a-Nova e em países em vias de desenvolvimento pagam 80 euros. Todos os anos é escolhido um país em desenvolvimento a cujos residentes os bilhetes são oferecidos. Este ano é a Macedónia que beneficia da oferta.
Publicado em Festivais
O DJ e produtor Holly regressa este ano ao palco do conhecido festival Coachella. É a segunda vez que o jovem talento português atua no evento californiano que se acontece nos fins-de-semana, de 15 a 17 e 22 a 24 de abril. 

Holly tem atuação agendada para a sexta-feira, 15 de abril, no palco Do Lab, dia onde também marcarão presença os DJs Purple Disco Machine, Black Coffee, The Martinez Brothers, Swedish House Mafia, entre outros. Os passes de entrada para três dias custam cerca de 500 euros.

Distinguido pela 100% DJ em 2019, com o "Prémio Talento", Holly, viu no início de março a sua música "HOT 44", co-produzida com o norte-americano Baauer, integrar a banda sonora do filme "The Batman", realizado por Matt Reeves.
 
Publicado em Artistas

 

Os DJs e produtores portugueses Cruz, Kaesar, Magazino, Serginho e Tiago Marques ficaram agora a cargo da matiné da Bloop Recordings, que vai acontecer no festival NEO POP, em Viana do Castelo, de 12 a 15 de agosto.
 
Entre as novidades para este ano, irá decorrer a festa de abertura do festival de música eletrónica, em Santa Luzia, no dia 12 de agosto, com entrada livre. No line up, constam nomes como Acid Symphony Orchestra (live), Biolive (by Oscar Mulero & Fium), Max Cooper (live), Reykjavik 606 (live), Echomental live (by Alex Fx), Space Exploration (by Lewis Fautzi live) e The Gold Of The Labyrinth Soundtack (by Mr. Herbert Quain).
 
Os bilhetes já se encontram à venda nos locais habituais, a preços entre os 75 (passe geral normal) e os 150 euros (passe geral com acesso à área VIP, WC privativa, 8 senhas de bebida, livro, t-shirt, chapéu e fita).
 
Confere abaixo todos os artistas confirmados até ao momento e os respetivos dias:
 
12 de agosto:
NEO Stage:
Alex.Do, Marco Carola, Son Kite (live), Freshkitos
Santa Luzia Opening Concert:
Acid Symphony Orchestra (live), Biolive by Oscar Mulero & Fium, Max Cooper (live), Reykjavik 606 (live), Echomental (live) by Alex FX, Marco Coelho, Space Exploration by Lewis Fautzi, The Gold Of The Labyrinth Soundtrack by Mr. Herbert Quain
 
13 de agosto:
NEO Stage:
DVS1, Joseph Capriati, Oscar Mulero, Robert Hood, Rodhad, Sven Vath, Bloop Recordings Matinee by Cruz, Kaesar, Magazino, Serginho, Tiago Marques
Anti Stage:
Don Williams, Eduardo de La Calle, Move D, Steevio & Suzybee (live), Dexter, Pixel82, Rompante (live)
 
14 de agosto:
NEO Stage:
Chris Liebing, Deep Dish, K!z, Recondite (live), Paco Osuna, Paul Ritch (live), Tiago Fragateiro
Anti Stage:
Abdulla Rashim, James Ruskin, Jonas Kopp, Tripeo (live), Vril (live), A Thousand Details (live), Terzi
 
15 de agosto:
NEO Stage:
Dixon, Loco Dice, Luciano, Mano Le Tough, Schwarzmann (live), The Martinez Brothers, Cardia, Frank Maurel
Anti Stage:
Dasha Rush (live), Karenn (live), Secluded (live), Shifted (live), Zadig, Lewis Fautzi (live), Nuno Di Rosso, Ruuar
 
Publicado em Eventos
Pág. 1 de 13