14-12-2018

  Diretor : Ivo Moreira  |  Periodicidade : Diária

Sobre Nós  |  Fala Connosco     

A marca de telecomunicações é, segundo um estudo efetuado pela TNS Portugal, a mais associada à música. Desenvolvido para a marca, os resultados deste estudo são, para a Optimus, um reconhecimento da aposta que tem feito na área da música nos últimos anos, especialmente de há 6 anos para cá quando definiu um plano estratégico para marca uma maior posição neste território.

Os resultados do estudo partiram da pergunta 'Qual ou quais as marcas que estão mais associadas à música e aos patrocínios da música, em Portugal?'.
De acordo com esta fonte, em novembro de 2012, a Optimus registava um share de 19%, seguida da TMN com 18%, da Super Bock com 15%, Vodafone com 10%, Sagres com 6%, Millennium com 2% e Delta com 1%.

No mesmo documento, 44% dos indivíduos respondeu à pergunta "Qual a importância que a música tem para si?", como "muito importante", sendo o Rock e o Pop os estilos musicais preferidos dos inquiridos.

Hoje, a Optimus tem o seu nome associado a eventos como os festivais de música, que ocupam um lugar de destaque na área de patrocínios da marca, com o Optimus Alive, o Optimus Primavera Sound e o Optimus Primavera Club. Destaca-se, ainda, a editora Optimus Discos, a Optimus D'Bandada, o Optimus Clubbing, os Optimus Bailes Optimus, o Optimus Hype, um festival no Meco de música eletrónica, os [email protected], ou ainda os Optimus Secret Shows.

Os resultados do estudo partiram de uma amostra de 750 entrevistas, feitas por via telefónica, para números aleatórios, a pessoas entre os 15 e 45 anos de Portugal Continental. As entrevistas foram realizadas entre 28 de junho a 3 de junho de 2011, 19 a 24 março de 2012, 7 de maio a 17 agosto de 2012 e 19 a 23 novembro de 2012, segundo comunicado oficial da marca.
Publicado em Marcas
O novo tema de Pedro Cazanova e Antony Preston – Pedro Cazanova Introduces Antony Preston "Go Where The Love Is" – acaba de atingir o terceiro lugar na lista das 40 mais tocadas da Rádio Nova Era.
Esta distinção acontece pouco mais de um mês após a sua estreia na rádio, em exclusivo, a 2 de Maio passado na Nova Era.

Pedro Cazanova estreou o tema perante uma pista de dança de milhares de pessoas no passado dia 2 de Abril, na gala Melhores do Ano da Rádio Nova Era.
 
Com um sucesso tão rápido na rádio e com as inúmeras actuações que Pedro Cazanova terá este Verão por todo o país está encontrado um dos temas que fará a banda sonora desta estação. Go where the love is!
 
Publicado em Música
A vila de Odemira dispõe desde a passada terça-feira, 30 de junho, de um novo espaço cultural para produção, formação e promoção de música, representando um investimento de cerca de 166 mil euros. 
 
Chama-se Quintal da Música e é uma obra da responsabilidade da Câmara Municipal e teve o apoio do Programa de Desenvolvimento Rural, resultando da adaptação do edifício do antigo matadouro, situado junto à zona ribeirinha da vila.
 
“Com a abertura ao público deste novo equipamento cultural na vila de Odemira, pretendemos reconhecer e enaltecer esta importante manifestação artística e cultural que acompanha a evolução da humanidade desde os tempos mais primórdios, em todas as épocas ou regiões”, explica ao site Correio Alentejo a vereadora Deolinda Seno Luís, acrescentando que ao dotar a região e o concelho “com este novo espaço cultural de referência, é intenção da autarquia evocar e promover a produção, a formação e promoção da música nos seus mais variados géneros e estilos”.
 
O Quintal da Música é constituído por um espaço-esplanada com palco, áreas de apoio, receção, um bar e camarins, e vários estúdios individuais dedicados ao ensino de música. Assumir-se-á como um espaço de formação, pela mão de entidades vocacionadas e credenciadas para o efeito, promovendo o ensino/aprendizagem da música junto da população, com especial incidência junto das camadas mais jovens. 
 
 
“Paralelamente, e de forma mais intimista, a população poderá desfrutar de espetáculos musicais ao ar livre, cuja programação tentará evocar a multiplicidade de géneros musicais, do tradicional ao contemporâneo”, como explica Deolinda Seno Luís.
 
Fonte: Correio Alentejo.
 
Publicado em Mix
A Heineken estará pelo segundo ano consecutivo presente no Optimus Alive como premium sponsor e cerveja oficial do festival. Durante uma apresentação que teve lugar no Lux, em Lisboa, foram anunciados mais cinco nomes para o Palco Heineken e foi revelada uma ação de ativação que dará a hipótese aos consumidores de assistirem aos concertos em cima do palco.
 
No dia 13 de julho o palco recebe, para além dos artistas já anunciados, Rhye, Wild Belle, DIIV e The Legendary Tigerman, enquanto no dia 14 atuam os Brass Wires Orchestra.
 
Mafalda Pescaria, responsável de marketing da Heineken em Portugal, afirmou que o Optimus Alive é o festival que "faz melhor fit com a Heineken", daí a escolha da marca.
 
A responsável de marketing referiu ainda que a marca está a preparar uma ativação para os consumidores que se irá chamar "Sobe ao Palco Heineken", a qual permitirá a alguns consumidores assistirem aos concertos no próprio palco.
 
O fundador da Everything is New, Álvaro Covões, ressalvou a importância do Palco Heineken, não como um palco secundário mas sim alternativo, que atualmente cativa muitos festivaleiros. Acrescentando, ainda, que o Optimus Alive não é um festival que se "esgota somente num palco principal, mas sim no conjunto".
Publicado em Marcas
A maior e mais conceituada plataforma de venda de música on-line - Beatport - apresentou o top das faixas, artistas e géneros musicais que mais vendas registaram no decorrer deste ano, incidindo num período de tempo entre os dias 1 de janeiro e 1 de dezembro.
 
No que diz respeito às faixas mais vendidas, o top 20 é liderado pela melodiosa "Pushing On" produzida por Oliver $ e Jimi Jules. A "ganhar" sai também a editora Spinnin que possui sete faixas nesta lista. 
 
No top dos 20 artistas Martin Garrix afia as suas garras num redondo número 1, estando o seu vizinho e colega Hardwell a ocupar a segunda posição. Oliver Heldens fecha assim as primeiras três posições lideradas pela laranja mecânica - um verdadeiro caso holandês.
 
O Top dos géneros musicais mais vendidos, é liderado - pelo segundo ano consecutivo - pelo Deep House que cada vez mais tem sido abraçado pelos clubes e principalmente pelo público. O Minimal aparece em último lugar. 
 
Confere os gráficos em baixo.
 
 
 
 
Publicado em Mix

 

TIDAL é  nome do novo serviço de streaming, lançado por Jay-Z, que promete fazer uma forte concorrência ao Spotify. Ontem decorreu a conferência de imprensa de apresentação do TIDAL, que teve a presença de deadmau5 e Daft Punk, juntamente com as suas famosas máscaras.
 
O serviço de streaming oferece música e vídeos em alta qualidade e tem o apoio de grandes nomes da música como Calvin Harris, Madonna, Kanye West, Beyoncé, Rihanna, Alicia Keys, Nicki Minaj e Usher. Os perfis de Facebook e Twitter dos artistas ficaram totalmente azuis (foto de perfil e de capa) durante o dia de ontem, para comemorar o lançamento do streaming.
 
A plataforma musical já existia desde o mês de outubro, mas foi comprada por Jay-Z em fevereiro, por 56 milhões de dólares.
 
O TIDAL oferece dois serviços mensais. O primeiro a um preço de 19,99 dólares (áudio de alta fidelidade) e segundo a 9.99 dólares (qualidade normal).
 
 
Publicado em Mix
terça, 31 maio 2016 19:37

Menaka lança novo tema pela Vidisco

O novo tema de Menaka chama-se “Bonfire Light” e foi lançado no passado dia 26 de maio. A faixa está agora disponível em todas as plataformas digitais e tem o selo da editora Vidisco.
 
Menaka já conta com cerca de dez anos de carreira e outras produções de sucesso, como é o caso de “Sleepless Love” e “Silence”. O novo single representa a versatilidade e a capacidade do DJ e produtor português de se reiventar musicalmente e promete estremecer com as pistas de dança.
 
{youtube}1msU2sZV3pE{/youtube}
Publicado em Música
O Spotify recusa-se a apagar playlists criadas por utilizadores com alinhamentos exatamente iguais aos das compilações criadas pela Ministry of Sound. A acusação é feita pela editora londrina, que na segunda-feira interpôs uma ação judicial contra a plataforma de música.
 
O caso deverá fazer jurisprudência. Os 24 milhões de utilizadores que o Spotify tem atualmente, criaram desde o lançamento deste serviço de música online, em 2008, mais de mil milhões de playlists. É uma funcionalidade popular para reunir e partilhar conjuntos de canções com amigos - que também podem participar na construção dos alinhamentos - ou, nos casos de alguns sites, com leitores.
 
À escolha existem mais de 20 milhões de temas (dados de Dezembro de 2012), devidamente licenciados, que os utilizadores podem ouvir ou compilar. Entre eles estão os temas usados nas compilações da Ministry of Sound, que apenas detém os direitos para os editar em formato disco (físico ou digital) mas não para streaming
 
A Ministry of Sound, marca associada a uma discoteca de Londres com o mesmo nome, aceita essa contingência como uma dificuldade criada pela transformação da indústria da música no tempo da Internet. O que a deixa a lutar pelo que sobra - a curadoria. A editora defende que esse trabalho intelectual também deve estar protegido pela lei dos direitos de autor.
 
"O que fazemos é mais do que agrupar temas: há muita pesquisa na criação das nossas compilações e propriedade intelectual envolvida nisso. Não é apropriado que alguém faça corta-e-cola com elas", argumenta o presidente executivo da Ministry of Sound, Lohan Presencer, em declarações ao "Guardian", que deu a notícia do processo à imprensa.
 
A editora londrina - que se dedica à música de dança e já vendeu mais de 50 milhões de discos nos últimos 20 anos - exige na ação judicial que as playlists sejam apagadas, que o Spotify bloqueie de forma permanente a possibilidade de os seus alinhamentos voltarem a ser copiados e ainda uma indeminização que a compense por danos e custos com o processo.
 
O diário britânico lembra que, em 2010, houve um caso idêntico no Reino Unido, envolvendo as ligas de futebol inglesa e escocesa. Na altura, o Tribunal Superior deu razões a estes dois representantes dos clubes britânicos, que pretendia que os seus calendários (ordem dos jogos) fossem protegidos pela lei dos direitos de autor. Mas a decisão foi revertida na sequência de um recurso. No setor da música, é o primeiro caso a chegar à justiça.
 
Fonte: P3.
 
Publicado em Mix
domingo, 05 outubro 2014 22:09

Splice, o futuro das colaborações musicais

Apresenta-se como Splice e é a nova plataforma modernizada e revolucionária que pretende conectar os artistas para colaborar em novas músicas, por si produzidas.
 
Fundado por grandes artistas da música eletrónica como Tiësto, Steve Angello, Scooter Braun e outros nomes notáveis, o projeto de 4,5 milhões de dólares tem um incrível potencial de unir artistas para trabalhar em conjunto e da melhor maneira possível. 
 
Disponível desde o dia 19 de setembro, o Splice aposta na flexibilidade no termo de compatibilidade com DAWs, independentemente se o artista utiliza Ableton, Logic ou FL Studio. Esta nova plataforma guarda automaticamente o projeto e sincroniza qualquer alteração feita na produção recebendo também comentários nas secções particulares de algum projeto.
 
Além da troca contínua de música e ideias, a versão beta pública introduz o Splice DNA Player, que faz a visualização dos arranjos, plugins, amostras e anotações. Quando Henry Fong e J-Trick receberam a notícia deste novo projeto, não hesitaram e foram os próprios a oferecer-se para produzir um exemplo único e exclusivo do próximo single, "Scream". Para conferir no gráfico em baixo.
 

 
 
Publicado em Mix
sexta, 11 maio 2012 22:00

Miguel Rendeiro apresenta novo disco

Talento e astúcia são apenas algumas das características que fizeram de Miguel Rendeiro um dos nomes mais sonantes da cena musical electrónica portuguesa. Mentor e criador da maior beach party da Europa, a Energie Azurara, o produtor/DJ é um dos fundadores da Connect Music Agency, assim como do inovador Anti-Pop Music Festival, agora consagrado Neo Pop, como também do novo Energie Music Vilar de Mouros.

O seu gosto eclético aliado à destreza técnica e uma inteligência sagaz, já o recompensou com prémios, galardões e muitos convites para os melhores e maiores eventos nacionais e internacionais.
Dono de um disco de prata, para longe ficou os tempos em que atuava por brincadeira em bares e festas de faculdade. Hoje, é convidado a actuar em clubs como Watergate (Berlin), Chaca Chaca (Munique), City Hall (Barcelona) ou os londrinos 1001 e The Egg, e em festivais como o Creamfields e Rock In Rio. As suas produções para labels como Brick House Records (Alemanha), OKO Records (Londres) e para a consagrada Get Physical Music (Alemanha), colocaram-no no circuito mundial e valeram-lhe remisturas de Phonique, Lopazz ou Muzzaik, entre outros.

O seu último EP, “Mafaldinha”, co-produzido por Lopazz, recebeu elogios de artistas como Laurent Garnier, John Digweed, Luciano, Josh Wink ou 2000 and One, consagrando-o como um dos artistas portugueses de maior prestígio internacional .

Agora, Rendeiro apresenta-nos um disco novo "In my mind" feat Nick Maurer pela Circle Music - Alemanha, que conta com remixes de: M.in, Johnwaynes, Simon Wish e Nicolas Duvoisin.
Publicado em Música
Pág. 1 de 9

Projeto editorial independente cujos valores se guiam pelo profissionalismo, isenção e criatividade, tendo como base de trabalho toda a envolvente da noite nacional e internacional, 365 dias online.

Acesso Rápido

Newsletter

Recebe novidades e conteúdos exclusivos no teu e-mail.