14-12-2018

  Diretor : Ivo Moreira  |  Periodicidade : Diária

Sobre Nós  |  Fala Connosco     

A Sound Fusion apresenta os primeiros auscultadores, projetados e fabricados em Portugal, que oferecem uma qualidade de som profissional e que são totalmente personalizáveis, desde o molde até ao design.
 
Os verdadeiros amantes de música, que não dispensam auriculares de alta-fidelidade, vão ficar rendidos aos in ears da Sound Fusion. O molde é feito à medida, por técnicos profissionais, o que permite melhorar a qualidade do som obtido, e o seu design é personalizável, com uma diversidade de cores e insígnias à escolha do cliente.
 
A Sound Fusion é a única empresa em Portugal que produz auscultadores com este nível de personalização e qualidade, permitindo fazer o molde na sua loja. "Só assim é possível uma adaptação perfeita da cápsula ao pavilhão auricular, bloqueando o ruído parasita", esclarece Silas Rechau, fundador da Sound Fusion. Desta forma, deixa também de ser necessário enviar os auscultadores para outros países, caso seja necessário fazer ajustes. Além disso, todos os  materiais Sound Fusion são certificados.
 
O nível profissional dos in ears da Sound Fusion foi já comprovado por músicos e cantores como Boss AC, Maria João, Tiago Machado e Fernando Pereira, que já têm os seus auscultadores personalizados.
 
Clareza de som e proteção auditiva
Com um elevado nível de precisão e equilíbrio, cada auricular apresenta uma configuração interna composta por modelos de três e quatro vias utilizando auscultadores com Balanced Armature (BA) e um crossover integrado de duas vias. O resultado é uma resposta de frequência com graves fortes e detalhados, e uma clareza de som impressionante.
 
"A Sound Fusion nasceu com o objetivo de melhorar as condições de audição de todos os profissionais de som, de comunicação e músicos." refere Silas Rechau.
 
A proteção auditiva é outra das apostas da Sound Fusion. Desenvolvidos para proporcionar uma melhor proteção quando expostos a elevados níveis de ruído, os filtros da Sound Fusion permitem ouvir um som natural. Confortáveis e personalizados, estes filtros acústicos atuam por mais tempo e de forma segura, sem o risco de danificar a audição.
 
 
Publicado em Tech
São uma das duplas mais reconhecidas em Portugal e com mais ligações ao nosso país. ‘Nuestros hermanos’ Chus & Ceballos estão de volta a território nacional para duas atuações únicas, onde irão apresentar o seu mais recente álbum de originais “Nomadas”. O Portal 100% DJ esteve à conversa com Chus e Pablo Ceballos numa entrevista exclusiva, onde foram abordados vários assuntos de interesse como o nosso país, a sua editora Stereo Productions, o Iberican Sound e o presente e futuro da música eletrónica internacional.
 
 
O que podemos esperar das vossas próximas atuações em Portugal?
É com muito prazer que regressamos às pistas de dança portuguesas. Sempre tivemos grande sucesso no nosso país “hermano” pela proximidade do nosso som e as nossas raízes ibéricas. Desta vez estamos em digressão com o nosso álbum “Nomadas”, que mistura o caraterístico groove do Iberican Sound com melodias e sonoridades mais Deep. O reflexo na pista é uma explosão de ritmo para não parar de dançar. Uma viagem percorrida através do House e do Techno com a particular presença dos nossos bem conhecidos ‘Drums’. 
 
A noite portuguesa ficou fortemente marcada pela influência da Stereo Productions e do chamado Iberican Sound há alguns anos atrás. Que recordações guardam dessa época?
Foi realmente uma época muito especial na nossa carreira. Grandes recordações guardamos na nossa cabeça e muitas grandes noites que partilhámos com o magnífico público português. Foi também uma época onde tivemos a oportunidade de conhecer grandes talentos da cena underground portuguesa que sempre apoiaram o nosso som, tal como o DJ Vibe, Rui da Silva, Carlos Manaça, entre outros. Ficamos muito contentes ao comprovar que Portugal está a voltar às suas raízes musicais.
 
Preferem atuar enquanto dupla ou a solo? Porquê?
Nos primeiros anos da nossa carreira partilhávamos ambas facetas. Atuávamos tanto a duo como a solo, mas com os anos vimos que o impacto era maior enquanto dupla e fazia todo o sentido que os nossos fãs desfrutassem na cabine as grandes malhas que produzíamos em estúdio. 
 
Falem-nos um pouco sobre o vosso mais recente álbum “Nomadas”.
“Nomadas” é o resultado de muitos anos de experiência, de maturação do nosso som e, portanto, de evolução também. Um ano antes de terminar o álbum tivemos a magnífica oportunidade de atuar no festival Burning Man, que se realiza no deserto de Black Rock no estado de Nevada nos Estados Unidos da América. Foi uma experiência que nos mudou completamente, 'life-changing experience' mesmo. Proporcionou-nos o foco ideal para concretizar um projeto de álbum de originais que estava na nossa 'bucket list’ há alguns anos. É sem dúvida um grande passo na nossa carreira e o princípio de uma nova etapa para Chus & Ceballos. 
 
Como prevêem o mundo da música eletrónica nos próximos 10 anos?
Se olharmos para atrás, nos últimos 10 anos muita coisa tem mudado positivamente. É difícil prever uma coisa assim mas a lógica indica que continuaremos a desfrutar de música electrónica por muitos mais anos. Como tudo, a evolução, a aparição de novas tecnologias e as novas tendências vão marcar o caminho a percorrer. A nossa intenção é sempre acompanhar os desenvolvimentos e manter a nossa identidade. É fundamental para qualquer artista. 
 

a música de dança não é uma moda mas sim um modo de vida, um movimento cultural e uma filosofia universal.

 
Contem-nos a importância de Portugal para a vossa carreira, nomeadamente as atuações de DJ Chus na discoteca Kadoc.
Chus: Fui residente da Kadoc durante a década de 90, uma era dourada para a dance music mundial. Foi uma grande escola para mim e uma ‘ponte’ para o mercado americano onde tantos êxitos temos colecionado. Portugal era considerado um paraíso da musica eletrónica e pela cabine da Kadoc passaram as melhores lendas do house e techno mundial. Quando cresces rodeado de tanta qualidade, o resultado não pode ser outro: mais qualidade e, daí o nosso Iberican Sound, fruto da influência de estilos que existiam naquela época em Espanha e Portugal. Tanto a Kadoc como Portugal, para mim, tornaram-se nos maiores pilares da minha carreira. 
 
Sabemos que têm uma grande amizade com o DJ e produtor português Carlos Manaça e juntos já viveram momentos inesquecíveis. Qual é a vossa opinião sobre a carreira de Manaça?
O Carlos é um grande profissional com muitos anos de experiência. Um verdadeiro mestre para nós e um exemplo de dedicação e de devoção pela música de dança em Portugal. Ficamos muito orgulhosos de ver que continua em grande e com o poder de mexer as melhores pistas de dança portuguesas. O seu carisma faz com que o público acompanhe sempre as festas onde ele atua, sempre sinónimo de qualidade. Desejamos muitos anos de vida para o senhor Carlos Manaça.
 
Que país tem o maior volume de compras de músicas e produções da Stereo Productions?
Sempre tivemos um apoio sólido e forte no mercado Ibérico. Tanto Espanha como Portugal têm sido a grande base da Stereo ao longo dos anos e com a nossa expansão para o mercado americano, como o Canadá e Estados Unidos da América, tem crescido exponencialmente, tornando-se num dos nossos principais seguidores. Por proximidade cultural, todos os países latinos com grande presença em comunidades na América do norte, as compras têm crescido também nos últimos anos em países como México, Venezuela, Colômbia, Argentina, entre outros.   
 
Ultimamente a Stereo Productions tem aceite novos talentos?
A nossa política foi sempre essa: apoiar e descobrir novos talentos, artistas com uma filosofia semelhante à nossa, com ligações culturais, com paixão pela música de qualidade. Foram muitos os artistas que já passaram pela nossa editora. Neste momento, estamos focados num novo talento espanhol, natural de Sevilha e chamado Rafa Barrios, que tem desenvolvido um excelente trabalho, tanto de produção como de DJ, com presença ativa nos melhores eventos e festivais de Espanha e recentemente dos Estados Unidos da América. São muito poucos os artistas com que já fizemos B2B e o Rafa é um deles. Estamos a desenvolver este novo conceito, que já foi apresentado em Miami e que vamos voltar a repetir no club Space de Nova Iorque no final deste mês de abril com o evento ‘Iberican Republica’.
 
Que novidades podem revelar sobre o futuro da vossa carreira e da vossa editora?
Estamos num excelente momento, tanto a nível discográfico como artístico. O calendário da Stereo para este ano está praticamente preenchido com lançamentos semanais e compilações para celebrar os principais eventos onde a Stereo tem marcado presença como o BPM Festival de Playa del Carmen, Miami Music Week, Barcelona Off Sonar Week, Amsterdam Dance Event e Ibiza com o nosso álbum anual “Balearica”, entre outros. Temos também agendado para o final do ano um novo álbum titulado “Iberican Republica”. Nos últimos três anos muita coisa tem mudado na Stereo, para o bem, obviamente. Neste momento temos uma grande equipa de profissionais a trabalhar em sintonia com o nosso foco na expansão do som ibérico, dos brand events e os Stereo showcases. A dupla está mais forte do que nunca. Divertimo-nos com o nosso trabalho e este é o melhor dos prémios.  
 

o House e o Techno, que são estilos para um público exigente e adulto.

 
Que opinião têm sobre o panorama musical português?
Portugal foi uma grande referência para nós. Um país onde fomos sempre bem recebidos e onde passámos grandes momentos, marcados na nossa memória para sempre. Com a aparição da chamada ‘EDM’, as coisas mudaram bastante. Os gostos das novas gerações e a maneira de consumir a música eletrónica também mudou. São ciclos inevitáveis que ajudam, por outro lado, a expandir a cultura eletrónica. É sempre bom saber que esse novo público que a ‘EDM’ tem captado, agora está a evoluir e a crescer musicalmente e está a consumir outro tipo de música mais madura e sofisticada, tal como o House e o Techno, que são estilos para um público exigente e adulto. Este proceso tem acontecido não só em Portugal como em todo o planeta. O importante é saber-nos adaptar e evoluir, sem esquecer a nossa própria identidade. Portugal é um país com grande tradição cultural. A música de dança e o nosso património e com o trabalho dos profissionais, o legado ficará garantido. 
 
Que mensagem gostariam de deixar aos leitores e seguidores do Portal 100% DJ?
Devem-se sentir uns sortudos por fazer parte de um país com tanta história na dance music. Um verdadeiro legado de qualidade inquestionável com grandes figuras que dedicaram o seu trabalho e paixão pela música de dança. Apareçam neste fim de semana nas nossas festas em Aveiro e Viseu. Será um grande reencontro com o país que tanto nos deu e que tanto nos inspirou. Vamos celebrar da melhor maneira e defender que a música de dança não é uma moda mas sim um modo de vida, um movimento cultural e uma filosofia universal.  
 
 
Segue Chus & Ceballos nas redes sociais

     

Publicado em Entrevistas
Portugal está ao rubro com a confirmação do coletivo sueco de DJs - Swedish House Mafia - composto por Sebastian Ingrosso, Axwell e Steve Angello.
 
É já no próximo dia 18 de Dezembro, que os inúmeros fãs portugueses, vão poder ver ao vivo e a cores e sentir o gigantesco poder de três artistas mundialmente conhecidos pelos seus espectáculos arrepiantes, e pelas suas produções.
O Pavilhão Atlântico será palco desta atuação e os ingressos estão à venda nos locais habituais a partir de sexta-feira. Custam entre 40 e 80 euros.
 
A notícia de que os SHM poderiam atuar no nosso país, foi avançada pelo Portal 100% DEEJAY no passado sábado dia 22 de setembro.
 
Em 2011, este coletivo esteve agendado para o dia 7 de agosto no Festival Sudoeste, mas Axwell não atuou, (segundo um comunicado do mesmo) devido a uma infeção na garganta, que o impossibilitou de estar presente na Herdade da Casa Branca - Zambujeira do Mar. O live foi na altura assegurado pelos seus dois colegas Sebastian Ingrosso e Steve Angello, que levaram os milhares de festivaleiros ao rubro. No entanto, Axwell chegou a atuar no primeiro dia de evento - 3 de agosto.
 
Durante a última semana têm sido divulgadas inúmeras imagens na página oficial de Facebook, com o símbolo desta ‘One Last Tour’ também inscrita em diversos monumentos, incluindo a Torre de Belém em Lisboa, a Torre Eiffel, o Arco do Triunfo, entre outros.
 
Os SHM, estrearam-se nos palcos portugueses em 2010, como cabeças de cartaz da Beach Party organizada pela Rádio Nova Era e a sua mais recente e última produção intitula-se 'Don't You Worry Child'. No início do último Verão, através de um comunicado, anunciaram o seu término enquanto 'Swedish House Mafia' e prometeram seguir com as suas carreiras a título individual.
 
Publicado em Eventos
sexta, 27 setembro 2013 10:49

'I am Hardwell tour' confirmada em Portugal

O DJ e Produtor Holandês - Hardwell está de regresso a Portugal, para um espectáculo único, integrado na sua tour mundial 'I Am Hardwell', que deu o «pontapé de saída» em Amesterdão no passado mês de abril e já percorreu parte do planeta. Desde Jacarta, Singapura, Bangalore, Bombaim, Cidade do Cabo, Joanesburgo, Cidade do México a Tel Aviv, e chega agora a Lisboa.
 
Desta feita, o espetáculo apresentado pela rádio Mega Hits, realizar-se-á no sábado dia 14 de Dezembro no Meo Arena em Lisboa (Pavilhão Atlântico) a partir das 21:30 horas. Os bilhetes estão à venda na blueticket e locais habituais pelo preço de 35 euros (plateia em pé) e 25 euros (balcão 1.)
 
O warm-up, segundo conseguimos apurar, será feito pelo 'prodígio' de Hardwell, que também já esteve presente em Portugal - Dannic.
 
'I Am Hardwell' é uma extensão de tudo o que Hardwell representa como artista e a oportunidade de comunicar a sua visão da música eletrónica contemporânea. Da sua sonoridade big room, capaz de enfeitiçar audiências planetárias aos visuais e efeitos especiais, tudo foi desenvolvido pela ALDA Events a partir da visão única do DJ e produtor holandês. 
 
Hardwell é um dos mais importantes DJs mundiais, posicionado no número 6 no ranking mundial de DJs da revista DJ Mag (Top100), e é um artista que reúne o consenso do público e da crítica especializada no que toca ao seu talento e versatilidade musical. A atuação de Hardwell no festival Belga Tomorrowland gerou 18 milhões de visualizações online, o seu radioshow - transmitido em Portugal pela Mega Hits - gera semanalmente no Youtube mais de 200 mil visualizações, e é transmitido por 35 rádios internacionais. O seu mais recente single - “Never Say Goodbye" - é uma colaboração com Dyro e "Bright Lights" é um dos grandes êxitos de 2013.
 
 
Publicado em Eventos
O prestigiado evento mexicano The BPM Festival vai embarcar em Portugal em setembro deste ano. A organização do festival aproveitou o décimo aniversário do BPM, que decorre até ao próximo dia 15 de janeiro na Playa del Cármen, no México, para expandir a sua marca para o nosso país e para o Brasil.
 
No Brasil, o The BPM Festival vai decorrer entre os dias 27 e 30 de abril na Praia Brava (Itajai), em colaboração com uma das discotecas mais famosas do país, a Warung.
 
Para a edição portuguesa ainda não existem datas nem local, mas são esperadas novas informações para breve. O anúncio oficial foi feito recentemente através da página oficial de Facebook do evento. Em princípio, o festival seguirá a mesma linha e estilo do The BPM Festival mexicano.
 
Carl Cox, Marco Carola, Roger Sanchez, Erick Morillo e Paco Osuna são alguns dos artistas que marcam presença na edição deste ano do festival, que decorre no México.
 
{youtube}k6eF2fLDgn8{/youtube}
Publicado em Festivais
A Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) anunciou esta quarta-feira que foram instaurados 35 processos em festivais de verão, destacando-se como principal infração a venda e/ou disponibilização de bebidas alcoólicas a menores.
 
Através da Unidade Regional do Sul, a ASAE realizou diversas operações de fiscalização, no âmbito dos Festivais de Verão realizados durante o mês de julho e primeira semana de agosto.
 
Entre o público abrangido, destaca-se o NOS ALIVE 2016, no Passeio Marítimo de Algés, o Super Rock Super Bock (SBSR) no Meo Arena em Lisboa, o Festival Músicas do Mundo, em Sines e o MEO Sudoeste na Zambujeira do Mar.
 
Segundo a ASAE, no NOS ALIVE 2016 foram fiscalizados 86 operadores económicos, tendo sido instaurados 6 processos de contraordenação por venda e/ou disponibilização de bebidas alcoólicas a menores de 18 anos e 2 processos de contraordenação por incumprimento dos requisitos de higiene e falta de afixação de preços.
 
"No âmbito da fiscalização da lei do álcool foram identificados 7 menores com idades compreendidas entre os 15 e 17 anos", adianta a ASAE.
 
No festival MEO Sudoeste, foram fiscalizados 54 operadores económicos e foram instaurados 16 processos: 15 de contraordenação por venda ou disponibilização de bebidas alcoólicas a menores e falta de afixação de aviso obrigatório e ainda 1 processo-crime com detenção de indivíduo por usurpação.
 
Foram identificados 20 menores por consumo de bebidas alcoólicas com idades compreendidas entre os 14 e os 17 anos.
 
No Festival Músicas do Mundo, foram fiscalizados 30 operadores económicos e foram instaurados 3 processos: 2 processos de contraordenação por falta de aviso de álcool e 1 processo de contraordenação por venda de álcool a menores e foram identificados 2 menores por consumo de bebidas alcoólicas.
 
No Super Rock Super Bock instauram-se 8 processos, sendo 5 deles por contraordenação por disponibilização de bebidas alcoólicas a menores com identificação de 7 menores com idades entre 16 e 17 anos e 1 processo-crime por utilização de identificação alheia, por menor com 16 anos, para acesso a bebida alcoólica.
 
De acordo com a ASAE, foi ainda instaurado neste festival 1 processo de contraordenação por incumprimento do HACCP (Análise de Perigos e Controlo de Pontos Críticos) e 1 processo de contraordenação por falta de afixação na bilheteira da classificação etária de acesso ao evento (6 anos) e acesso de menor de três anos aos espetáculos (identificada criança de 2 anos) e foram fiscalizados 28 operadores económicos.
 
Fonte: Sic Notícias.
Publicado em Festivais
O número de festivais de música cresceu 18% em 2016, atraindo mais de dois milhões de espetadores, com um impacto na economia nacional de 100 milhões de euros, segundo uma informação divulgada na sexta-feira pelo Ministério do Ambiente. 
 
“Em 2016, realizaram-se em Portugal 249 festivais de música, o que representa um crescimento de 18% face ao ano anterior”, salienta o Ministério, que cita dados do Instituto Português de Administração de Marketing para referir que “o impacto desses eventos na economia portuguesa foi de 100 milhões de euros”. 
 
Considerado que estes eventos “têm de se diferenciar para se manterem uma referência”, o ministério liderado por João Matos Fernandes criou o programa “Sê-lo Verde” para incentivar os promotores dos festivais a adotar medidas visando a sustentabilidade ambiental. O programa será apresentado segunda-feira, em Lisboa e terá 500 mil euros vindos do Fundo Ambiental para apoiar soluções ambientais que permitam uma redução dos impactos resultantes da participação em festivais, relacionados, por exemplo, com o lixo produzido ou as emissões de dióxido de carbono. 
 
O Governo pretende também incentivar a utilização de novas tecnologias e de energias renováveis e a opção por ações que contribuam para uma sensibilização ambiental de todos os intervenientes nos festivais, dos espetadores aos patrocinadores e municípios.
Publicado em Festivais
domingo, 18 novembro 2018 22:30

O que deves saber sobre o TOP 30 - 100% DJ

Faltam poucos dias para terminar a única votação em Portugal que vai eleger o TOP 30 de DJs e produtores nacionais, numa ação levada a cabo pelo Portal 100% DJ. Os votos continuam a subir, ultrapassando recordes de dia para dia e os teus artistas favoritos contam com o teu voto para fazerem parte desta listagem. Em baixo apresentamos-te 10 importantes factos sobre esta iniciativa:
 
1. A votação está disponível até às 23:59 horas de 25 de novembro no site oficial www.top30.deejay.pt.
 
2. Os 30 artistas mais votados serão anunciados por ordem alfabética no dia 28 de novembro pelas 21 horas.
 
3. Pela primeira vez haverá um evento oficial do TOP 30. Acontece dia 12 de dezembro (quarta-feira) no MOME (antiga discoteca Main) em Lisboa. Neste evento serão divulgadas todas as posições e respetivos artistas. Haverá ainda uma after-party com DJs convidados que serão anunciados a 29 de novembro. As condições de acesso serão divulgadas em breve.
 
4. Esta é uma ação única em Portugal onde o principal objetivo é distinguir o trabalho e talento dos DJs e Produtores nacionais.
 
5. É o sétimo ano consecutivo em que o Portal 100% DJ distingue artistas portugueses.
 
6. Esta edição terá dois prémios à margem da votação. O "Prémio Talento" e o "Prémio Carreira" serão escolhidos inteiramente pela redação e divulgados no dia 12 de dezembro durante o evento oficial no MOME.
 
7. Do Techno ao Trance, do Deep ao Electro. Qualquer género de música eletrónica é aceite nesta votação. 
 
8. O voto do público é decisivo. Através da soma dos votos, os artistas ficarão dispostos da 1.ª à 30.ª posição.
 
9. Todos os artistas com nacionalidade portuguesa podem apelar ao voto/criar campanhas. Caso necessitem, existe um kit com material gráfico disponível para download gratuito e devidamente estruturado.
 
10. Esta votação é monitorizada em tempo real e os votos devem contemplar apenas e exclusivamente o nome correto de 4 DJs/produtores portugueses. Tudo o que seja diferente dessa regra, será classificado como inválido/voto nulo e não fará parte das contagens.
 
11. Conforme indica o ponto número 13 do Regulamento, todos os artistas que noutras edições se manifestaram ou venham a manifestar expressa vontade de não integrar esta ação, poderão receber votos por parte dos votantes, e mesmo sendo considerados válidos, não serão contabilizados nem serão incluídos neste TOP.
Publicado em 100% DJ
quarta, 16 novembro 2011 19:52

Carlsberg celebra apuramento de Portugal

A Carlsberg celebra com os adeptos portugueses o apuramento de Portugal para o UEFA Euro 2012. Assim, a marca vai oferecer "experiências únicas e exclusivas", tais como a possibilidade de um consumidor entregar o prémio Homem do Jogo Carlsberg, no final do campeonato. Para se habilitar aos prémios, basta ir à página oficial da marca no Facebook e participar no passatempo que lá decorre. Nele, os adeptos são desafiados a escrever um texto onde refiram aquilo que fariam para ver a selecção nacional jogar no Euro 2012. Cantar o hino nacional num espaço público ou ir para o local de trabalho, durante uma semana, com o equipamento da selecção são algumas das sugestões da marca.

A Carlsberg junta-se, assim, aos fãs na celebração do apuramento para mais um europeu de futebol, com uma série de actividades que decorrerão até à grande final do Euro 2012, que vão para além da oferta de bilhetes para o campeonato e merchandising
Publicado em Marcas
A rainha da música pop estará novamente em Portugal, desta vez no Estádio Cidade de Coimbra, por onde já passaram os U2 e os Rolling Stones.

O concerto terá lugar no domingo, dia 24 de Junho (Domingo), a começar às 20H00. Refira-se que a cantora e empresária norte-americana irá apresentar na madrugada de segunda-feira as datas da tornée mundial que a levará a todos os continentes.

Nas datas europeias, estará o nome de Coimbra, o que com certeza levará milhares de fãs à cidade.
Publicado em Eventos
Pág. 1 de 8

Projeto editorial independente cujos valores se guiam pelo profissionalismo, isenção e criatividade, tendo como base de trabalho toda a envolvente da noite nacional e internacional, 365 dias online.

Acesso Rápido

Newsletter

Recebe novidades e conteúdos exclusivos no teu e-mail.