22-04-2019

  Diretor Ivo Moreira | Periodicidade Diária

Sobre Nós  |  Fala Connosco     

Como já é habitual, o canal de televisão SIC Radical vai transmitir todas as atuações do Palco Mundo do Rock In Rio Lisboa, que decorre nos dias 19, 20, 27, 28 e 29 de maio, no Parque da Bela Vista.
 
Para os amantes de música eletrónica, a transmissão em direto confirmada é de Avicii, uma vez que é o único DJ e produtor presente no palco principal do festival. Será certamente uma atuação muito especial para os fãs do artista sueco, uma vez que será a sua última performance em solo nacional antes do seu abandono do mundo das digressões.
 
No palco eletrónico do Rock In Rio Lisboa vão subir à cabine nomes como Carlos Manaça, DJ Vibe, Carl Cox, Diego Miranda, Alok, Beatbombers e Pedro Cazanova.
Durante os dias do festival, a SIC Radical transmite em direto todos os concertos do Palco Mundo a partir das 19 horas, com um equipamento composto por 16 câmaras de filmar, apresentadores e rubricas especiais.
 
Uma das novidades da transmissão em direto das atuações deste ano é que vai ser possível assitir em alta definição, num segundo canal de cabo que vai estar disponível em todos os operadores. Algumas das atuações vão estar em simultâneo em dois canais, como é o caso dos Queen + Adam Lambert, Marron 5 e Ariana Grande, que estão na grelha de programação da SIC Caras e da SIC Mulher.
 
O palco de música eletrónica conta este ano também com uma novidade: pool parties. As festas na piscina, com 50 m2 vão ter início às 18 horas e o seu acesso é apenas para vencedores de passatempos realizados pela organização ou patrocinadores. No total, o palco eletrónico do Rock In Rio Lisboa ocupa uma área de 1300 m2 e foi apresentado à comunicação social e artistas na passada sexta-feira.
 
{youtube}WcHpwzTbdbk{/youtube}
Publicado em Rock in Rio
Realizou-se na passada semana a cerimónia que marcou o arranque das obras na Cidade do Rock, em Jacarepaguá, no Rio de Janeiro. O presidente da Câmara, Eduardo Paes, o presidente do Comité Olímpico Brasileiro, Carlos Arthur Nuzman, e a vice-presidente do Rock in Rio, Roberta Medina, reuniram-se com outras entidades para anunciar o início das obras do Parque Olímpico Cidade do Rock, na Avenida Salvador Allende, s/n°, no Recreio dos Bandeirantes. A obra tem um investimento de R$ 37 milhões, a cargo da Câmara, e deverá ser finalizada em nove meses.

A instalação do Parque Olímpico Cidade do Rock é um desejo antigo da cidade, já que, actualmente, não há espaços destinados para grandes eventos ao ar livre. O Parque está previsto no dossiê da candidatura do Rio de Janeiro e é um equipamento fundamental para a realização dos Jogos, tornando-se mais um legado para a cidade após a realização da competição. A Câmara encontrou o local ideal na região da Baixada de Jacarepaguá, numa área de 250 mil m², que será provida com equipamentos desportivos e de lazer.

Para Roberta Medina, a parceria com a Câmara e o Governo Estadual garante um evento com absoluta perfeição. “A infraestrutura do Parque foi desenhada por nós em conjunto com a Câmara e garante as condições necessárias para receber 100 mil pessoas diariamente, e abrigará não só o Rock in Rio, mas outros eventos, de todos os portes, no Rio de Janeiro”.

Além do Rock in Rio 2011, a ideia é que o evento também seja realizado, pelo menos, em 2013 e 2015. De acordo com Eduardo Paes, o Rock in Rio traz retorno de imagem para a cidade, além de proporcionar criação de emprego, activação do sector de turismo e serviços. A estimativa é que só a edição de 2011 traga um retorno financeiro maior do que está a ser investido pela Câmara, incluindo R$ 7 milhões, verba destinada para a desapropriação dos moradores que residiam na área.  Em 2001, o Rock in Rio teve um impacto financeiro de 350 milhões de dólares na economia da cidade do Rio.
Publicado em Rock in Rio
Foram anunciados a noite passada os vencedores do Casting Rock in Rio SIC RFM. Inês Folque e Nuno Casanovas são os novos representantes da próxima edição do Rock in Rio-Lisboa, sucedendo a Sofia Brazão, vencedora da edição passada, e a Carolina Patrocínio (2008), Ana Rita Clara (2006) e Sílvia Alberto (2004).

O anúncio foi feito em directo na SIC Radical, num programa especial criado para o efeito, conduzido por Diana Bouça Nova, apresentadora do Curto-Circuito. Durante a emissão o público teve oportunidade de conhecer melhor os oito finalistas do Casting Rock in Rio SIC RFM e de os ver cumprir um último desafio: defender uma das dez acções finalistas do Pepsi Refresh Project, iniciativa da Pepsi que desafia os limites da criatividade e da imaginação dos jovens consumidores portugueses, e que patrocinou esta edição do Casting.

Inês Folque, de 24 anos, licenciada em Gestão pela Universidade Nova de Lisboa e Nuno Casanovas, de 22 anos, que frequenta o 3º ano do curso de Cinema, Vídeo e Comunicação Multimédia na Universidade Lusófona, demonstraram ter grande poder de comunicação, carisma e espírito de equipa durante a realização desta iniciativa.

Estes vencedores vão receber formação técnica em televisão e rádio, partem em Setembro para o Rock in Rio 2011 no Rio de Janeiro para gravar os anúncios de promoção da próxima edição portuguesa, vão fazer parte da equipa de reportagem da SIC e da RFM na edição brasileira de 2011 e na edição portuguesa de 2012 e recebem um cachet no valor de 1.000 euros cada um.

Centenas de jovens inscreveram-se nesta edição do Casting com o sonho de se juntarem ao maior evento de música e entretenimento do mundo. O público acompanhou de perto todo o processo, entre 31 de Maio a 27 de Julho: os vídeos dos participantes do Casting Rock in Rio SIC RFM instalados no site oficial do Rock in Rio-Lisboa foram visualizados mais de 690 mil vezes e registaram-se 342.003 votos online, correspondentes à 2ª e 3ª fases de selecção dos semi-finalistas.

Todas as informações sobre o Casting Rock in Rio SIC RFM estão disponíveis em www.rockinriolisboa.sapo.pt.
O Rock in Rio-Lisboa regressa ao Parque da Bela Vista nos dias 25 e 26 de Maio e 31 Maio, 1 e 2 de Junho de 2012.
Publicado em Rock in Rio
A organização do maior evento de música e entretenimento do mundo anuncia a primeira dupla confirmada para o Palco Sunset Rock in Rio: Luís Represas e Martinho da Vila prometem surpreender o público com uma actuação única!

O Sunset Rock in Rio, uma das fortes apostas do evento, é um espaço dedicado à experimentação, a encontros inesperados e a concertos únicos, e regressa este ano à Cidade do Rock ainda com mais novidades na fusão dos diversos estilos musicais, do hip-hop ao fado, do reggae ao pop, do rock à soul e a vários outros estilos. A sua principal característica é ser um palco de “encontros premium” no qual nenhum artista ou banda actua sozinho. A ideia é um artista/banda convidar outro e juntos criarem um concerto novo, único, para ser apresentado em exclusivo.

Vamos poder assistir ao encontro de Luís Represas e Martinho da Vila, dois artistas que cantam em língua portuguesa e que irão brindar o público com um programa musical diversificado.

Zé Ricardo, director artístico do Sunset Rock in Rio, afirma que “depois do sucesso da edição anterior do Sunset Rock in Rio, este ano estamos a internacionalizar o palco através de convites feitos a artistas de vários pontos do mundo para se juntarem aos artistas portugueses e nos brindarem com excelentes misturas musicais. O Sunset Rock in Rio apresenta um conteúdo artístico e estético muito estudado e cuidado que vai permitir a total liberdade aos músicos nas jam sessions improvisadas”. E termina convidando o público a visitar o Sunset Rock in Rio a partir das 17H e a assistir a espectáculos únicos criados exclusivamente para serem apresentados no maior evento de música e entretenimento do mundo.

O bilhete diário para assistir ao Rock In Rio Lisboa, é de 58€.
Publicado em Rock in Rio
A contagem decrescente já começou. A 8.ª edição do Rock in Rio-Lisboa tem data marcada para os dias 23, 24, 29 e 30 de junho 2018 e promete transformar, uma vez mais, o Parque da Bela Vista num gigante palco de experiências, com uma programação surpreendente que combina o melhor do entretenimento. 
 
Além de novas datas, a organização revela que o evento terá, na sua próxima edição, mais horas de entretenimento diário (com a Cidade do Rock a abrir as suas portas pelas 12h00 e a fechar às 02h00) e novos espaços, com novos conteúdos. 
“Não só estamos de regresso a Lisboa para mais uma grande edição do Rock in Rio, como estamos a reforçar a nossa aposta em Portugal, investindo em novos formatos de entretenimento que vão ao encontro daquilo que são as áreas de interesse do nosso público”, afirma Roberta Medina, rosto do evento.
 
Com o objetivo de expandir a sua oferta de entretenimento dentro do recinto, elevando a experiência vivida no festival a um novo patamar, o Rock in Rio prepara-se para introduzir, na Cidade do Rock, novas áreas e novos palcos, dedicados a algumas das principais tendências da atualidade. Um espaço que celebra a cultura pop e os seus principais ícones, um palco dedicado aos fenómenos digitais que traz um pouco do mundo online para o offline, uma nova área de gastronomia e uma nova Rock Street que viaja até às origens da música são algumas das novidades que marcarão a 8.ª edição do Rock in Rio-Lisboa. 
Publicado em Rock in Rio
Faltam 100 dias para a abertura de portas da Cidade do Rock que, este ano, vai transformar a Bela Vista num verdadeiro parque temático da música. Para marcar o início deste countdown, a Vodafone volta a espalhar as suas guitarras gigantes por Lisboa. Amoreiras, Forças Armadas e Segunda Circular são os locais por onde as guitarras de 9 toneladas e 7 metros de altura vão passar, até chegarem à Cidade do Rock. Além de assinalarem a contagem decrescente para o festival, as icónicas guitarras da Vodafone vão ainda veicular informações úteis sobre o evento, como cartaz, passatempos e horários.


O que há de novo este ano


Além de mais horas de entretenimento diário (com o recinto a funcionar do meio dia às 2 horas da madrugada), existirão diversas atividades e experiências espalhadas pelo Parque da Bela Vista. Começando pelo cartaz que reúne os maiores nomes, nacionais e internacionais, da atualidade – Bruno Mars, Katy Perry, The Killers, The Chemical Brothers, Demi Lovato, Anitta, Jessie J, Bastille, entre outros que sobem ao Palco Mundo e Carolina Deslandes, Capitão Fausto, HMB, Carlão, Anavitória e festas como o Revenge of the 90’s que animam o Music Valley – há ainda as famosas Somersby Pool Parties para refrescar os momentos mais quentes desta edição, ao som de vários DJ’s.

Outra das novidades deste ano é o Pop District, um espaço que celebra a cultura pop e os seus principais ícones, através das mais variadas atrações como jogos, lojas com produtos alusivos aos maiores ícones culturais das últimas décadas, performances e demonstrações artísticas, cosplay e muito mais. É também no Pop District que o público vai poder assistir às apresentações inéditas dos grandes fenómenos do entretenimento online. O Super Bock Digital Stage leva à Cidade do Rock nomes como Wuant, Windoh, SirKazzio, D4rk Frame, Mocê Dum Cabreste, Ric Fazeres, Owhana, MissMushrooms, Paulo Sousa, entre tantos outros, numa interação direta entre o público e os influenciadores, com a missão de transpor o mundo online para o universo offline e aproximar os diferentes públicos que passam pelo recinto da linguagem digital. 

A Worten Game Ring vai, certamente, despertar a curiosidade de todos. Trata-se da primeira arena de gaming a integrar um festival, em Portugal - um conteúdo inovador que o Rock in Rio estreou no Brasil e que se revelou um sucesso. Aqui haverá desafios, competições dos melhores jogos da atualidade e muito gaming.

Na EDP Rock Street vai ser possível viajar até ao continente africano e celebrar a música de uma forma global, através da arquitetura, dos espetáculos e performances de rua. Já no palco Street Dance, a dança volta a ser rainha, prometendo contagiar tudo e todos.

Outra das grandes novidades desta edição, uma estreia absoluta no Rock in Rio, é o Time Out Market Rock in Rio. Este mercado de alta cozinha contará com 380 lugares sentados e 14 propostas gastronómicas, entre as quais espaços da autoria de alguns dos melhores chefs portugueses como Alexandre Silva, Vítor Sobral, Henrique Sá Pessoa e Marlene Vieira. 

A 8.ª edição do Rock in Rio-Lisboa realiza-se a 23, 24, 29 e 30 de junho. Os bilhetes estão à venda nos locais habituais, sendo possível adquirir bilhetes diários pelo valor de 69 euros e passes para o segundo fim-de-semana pelo valor de 117 euros (para o primeiro fim de semana os passes já se encontram esgotados).
Publicado em Rock in Rio
segunda, 25 novembro 2013 21:45

Kit de Natal Rock in Rio já está à venda

A organização do Rock in Rio Lisboa acaba de lançar o Kit de Natal Rock in Rio-Lisboa 2014, que estará à venda em exclusivo na FNAC. Este ano, o Kit de Natal é inspirado na comemoração do 10º aniversário do evento em Portugal e, por isso, além do voucher que pode ser trocado por um bilhete para um dos dias do evento, o Kit inclui uma guitarra em miniatura, uma peça de coleção para os verdadeiros fãs do Rock in Rio.
 
Além disso, o Kit de Natal é também uma prenda muito especial para oferecer aos amigos e à família, pois garante entrada na próxima edição do evento, que regressa ao Parque da Bela Vista nos dias 23, 25, 30 e 31 de maio e 1 de junho de 2014. Na comemoração do 10º aniversário, a organização do evento pretende fazer uma grandiosa festa com os fãs e, por isso, está a preparar inúmeras surpresas.
 
À venda em exclusivo na FNAC, o Kit de Natal Rock in Rio-Lisboa 2014 tem o custo de um bilhete normal para o evento - 61 euros. Este Kit assegura o acesso a um dos dias do evento, à escolha do cliente. O voucher poderá ser trocado de 1 a 31 de março de 2014, sendo o dia escolhido garantido até esta data. Após 31 de março, o cliente continua com direito ao bilhete porém sujeito à disponibilidade para cada dia do evento.
Publicado em Rock in Rio
quinta, 24 maio 2012 00:48

Palco Mundo: ensaio de luz e som

Imagens captadas há momentos atrás do ensaio de som e luz do Palco Mundo com a participação especial dos Sepultura e os Tambours du Bronx, na Cidade do Rock.
 
 
 
Publicado em Rock in Rio
terça, 11 agosto 2009 14:47

Rock In Rio procura caras femininas

Desde ontem, 10 de Agosto, que começou a campanha de promoção do “Casting Rock in Rio na SIC” que vai desafiar as jovens portuguesas de todo o país a serem a cara do maior evento de música e entretenimento do mundo. O “Casting Rock in Rio na SIC” vai dar a oportunidade à vencedora de ser a cara da campanha do Rock in Rio-Lisboa a ser veiculada entre Janeiro e Maio de 2010 na SIC.

Composta por spots de televisão de 20”, suportes de imprensa e internet, a campanha do “Casting Rock in Rio na SIC” pode ser vista de 10 de Agosto a 21 de Setembro na SIC, no Diário de Notícias, Jornal de Notícias, Notícias Magazine e no portal SAPO - na home page, SAPO Fama e SAPO Vídeos.

A campanha do “Casting Rock in Rio na SIC” tem como protagonista a Carolina Patrocínio, última cara da SIC a dar a cara na campanha de 2008, que vai desafiar as jovens portuguesas a substituí-la na função de ser a cara do Rock in Rio-Lisboa. Na primeira fase da campanha, vai convidar as jovens portuguesas, entre 18 e 25 anos, a inscreverem-se no “Casting Rock in Rio na SIC”, seguindo-se a segunda fase em que o desafio é lançado ao público para votação online nos vídeos das 100 classificadas e em seguida, na terceira fase, nos vídeos das 20 semi-finalistas, em www.rockinrio-lisboa.sapo.pt. Por último, na quarta fase da campanha, os portugueses são convidados a votar telefonicamente nas quatro finalistas do “Casting Rock in Rio na SIC”.

Todas as informações sobre o “Casting Rock in Rio na SIC” estão já disponíveis no site oficial do evento, em www.rockinrio-lisboa.sapo.pt.
 
Publicado em Rock in Rio
É um dos nomes da dance scene nacional que todos devem ouvir, ver e lembrar. Com uma carreira além fronteiras, Moullinex pisou o palco Music Valley na edição deste ano do Rock in Rio Lisboa numa atuação energética que pôs todos os presentes a dançar. O Portal 100% DJ esteve à conversa com o artista português nos bastidores do  evento e além da sua carreira, falou-nos sobre as suas parcerias e ainda do seu novo tema editado pela famosa Majestic Casual.
 
Como surgiu a oportunidade de criares remixes para os Two Door Cinema Club ou Cut Copy?
Comecei por fazer remixes não oficiais. Colocava-os online e comecei a ter alguma atenção em blogs, com pedidos para remixes oficiais. O primeiro grande remix foi o dos Cut Copy e mudou muita coisa, começaram a chamar-me aqui e ali para tocar e fazer remisturas. Com os Two Door Cinema Club surgiu nesse mesmo contexto, foi a editora deles que fez o convite. De facto, fiquei muito contente com esse início, foi uma grande ajuda para tudo o que faço agora.
 
Juntamente com Xinobi, és proprietário da editora Discotexas e já trabalharam muitas vezes juntos. O que vos ligou?
Desde o início do projeto Moullinex que eu trabalho com o Bruno (Xinobi), em “modo ping-pong”. Na altura em que eu lhe comecei a falar foi quando ele estava numa banda de rock português, a Vicious Five, que eu gostava muito e quis fazer uma remistura deles. Quem me respondeu ao pedido foi o Xinobi, que era o guitarrista. A partir daí começámos o nosso processo de “ping-pong” que nos motivou muito e então fazia todo o sentido criar a editora. Nós somos praticamente irmãos e vejo-o como um irmão mais velho e o projeto da editora acabou por fazer todo o sentido, para podermos editar a nossa própria música com aquela excitação da ingenuidade, de achar que era tudo muito fácil. É claro que nem sempre é. Fazemos edições digitais e físicas, em vinil e CD, mas editar música digitalmente hoje é muito fácil. Temos a sorte de ter muita gente por todo o mundo que nos apoia.
 
 
Como é aceitar um convite de pisar palcos de grandes festivais como o NOS Primavera Sound ou o Rock in Rio?
É com muito empenho, sobretudo numa altura em que me colocam a tocar em horários nobres e então é um privilégio muito grande. Normalmente respondo a estes desafios com muito trabalho e quero sempre dar o melhor de mim e o melhor espetáculo possível.
 
E o público adere, certamente...
Sim. Tem sido assim e é muito bom sentir esse carinho.
 
Fala-nos do teu tema mais recente, “Dream On”, editado pela Majestic Casual.
Essa editora começou como um canal de Youtube, normalmente com uma fotografia nos vídeos de uma menina bonita ou de um pôr-do-sol, mas depois ficou associada a um certo estilo de música mais chill e alguma eletrónica mais etérea. Na altura, eu tinha esse tema terminado e queria editá-lo o mais rápido possível. A editora mostrou interesse imediato, uma vez que já tinham publicado alguns temas meus e decidimos experimentar. Não queria ter a pressão de associar a música a um álbum ou numa edição mais longa. Tem corrido muito bem. Estou contente.
 
 
O que podes desvendar acerca da tua carreira a curto prazo?
Ainda estou a tocar muito este álbum que saiu em outubro. Acho que funciona muito bem em espetáculo ao vivo com banda e o Ghettoven a interpretar as diferentes personagens que são os cantores convidados. Estou a trabalhar em faixas novas, apesar de ainda não saber se serão apenas singles ou se irei incluir num novo álbum. Tenho uma linha de montagem quase alinhada de coisas para sair e não quero estar à espera de ter 20 músicas prontas para editar um álbum. Vou lançando músicas à medida que elas estiverem prontas e se for caso disso, editá-las. Se depois fizer sentido, ou não, incluí-las num álbum logo decido. Mas, por causa de vir também do mundo da pista, gosto muito de álbuns porque cresci a ouvir artistas de álbuns mas, também venho do mundo das 12 polegadas e faz sentido que as coisas saiam depressa. É uma tirania ter uma música pronta e ter de esperar 5 ou 6 meses para que elas saiam e então gosto de subverter esse processo. Como somos donos da nossa própria editora e donos do nosso destino, temos recursos para o fazer. É um privilegio, claro.
 
Que mensagem gostarias de deixar aos leitores e seguidores do Portal 100% DJ?
Continuem a apoiar a música de dança feita em Portugal. Acho que estamos num momento muito saudável da música de dança portuguesa e é bom sentir isso tanto a falar com público mais jovem como os da velha guarda. Apesar de já não me sentir desta geração, admiro os dois lados e sinto-me um bocado no meio disto tudo. É bom sentir que estamos a viver um momento muito saudável e os artistas estão muito bem representados nos festivais nacionais e internacionais. Para mim, é um privilégio que haja também pessoas interessadas em cobrirem o que está a acontecer, como vocês, e desejo o meu maior apoio para o vosso trabalho.
 

Publicado em Entrevistas
Pág. 1 de 14
100% DJ. Projeto editorial independente cujos valores se guiam pelo profissionalismo, isenção e criatividade, tendo como base de trabalho toda a envolvente da noite nacional e internacional, 365 dias online.

Newsletter

Recebe novidades e conteúdos exclusivos no teu e-mail.