24-09-2021
  Diretor Ivo Moreira  \  Periodicidade Diária
Os bares podem reabrir a partir deste domingo, mas sujeitos às regras aplicadas aos restaurantes no âmbito da pandemia da Covid-19, esclareceu ontem o Governo. Segundo informação disponibilizada, o Conselho de Ministros incluiu a reabertura dos bares, "sujeitos às regras da restauração", na primeira fase do plano de levantamento gradual das restrições que aprovou esta quinta-feira.

A partir de domingo os bares poderão funcionar com as regras de limites de lotação e de ocupação dos espaços impostas aos restaurantes. Assim, os clientes dos bares terão, por exemplo, de se manter sentados e limites no número de pessoas por mesa devem ser respeitados.

Esta informação corrige a que foi inicialmente divulgada no final do Conselho de Ministros e apresentada pelo primeiro-ministro, António Costa, segundo a qual os bares permaneceriam encerrados na fase de levantamento de restrições que se inicia no próximo domingo.

Segundo a informação disponibilizada no portal do Governo dedicado à pandemia, "os estabelecimentos de restauração e similares" passam, em 1 de agosto, a poder estar abertos até às 2h00 da madrugada e com "a regra do máximo de seis pessoas por mesa no interior ou 10 pessoas nas esplanadas".

"Os bares e outros estabelecimentos de bebidas sem espetáculo e os estabelecimentos de bebidas podem funcionar, com sujeição às regras estabelecidas para o setor da restauração e similares, desde que observem as regras e orientações em vigor e as especificamente elaboradas pela Direção-Geral da Saúde", especifica a informação disponível no mesmo site.

Já na fase três do plano esta quinta-feira aprovado pelo Conselho de Ministros, em outubro, os bares "reabrem atividade habitual mediante apresentação de Certificado Digital COVID da UE ou de um teste com resultado negativo", informa o Governo. Também será nesta terceira fase que as discotecas reabrirão, com as mesmas regras dos bares.
quinta, 29 julho 2021 20:08

Discotecas poderão reabrir em outubro

As discotecas devem continuar encerradas por mais dois meses. O primeiro-ministro, António Costa, indicou esta quinta-feira que o setor da diversão noturna - encerrado desde março do ano passado - deve só reabrir na terceira fase da abertura da sociedade. Estima-se essa fase ocorra em outubro quando 85% da população tenha a vacinação completa. Os bares podem reabrir já a partir de domingo, embora sujeitos às regras aplicadas aos restaurantes no âmbito da pandemia da covid-19.

Ainda assim, e quando as discotecas puderem abrir portas, a entrada dos clientes estará dependente da apresentação do certificado digital ou um teste negativo. Também nesta terceira fase - prevista para o arranque do quarto trimestre - os restaurantes deixam de estar com limitação ao nível do número de pessoas por grupo.

A proibição de álcool na via pública vai permanecer por tempo indeterminado, confirmou o primeiro-ministro. António Costa diz que esta restrição serve para "desincentivar os ajuntamentos" nas ruas. Festas e romarias apenas serão retomadas quando não existir risco em eventos com elevada aglomeração, algo que ainda não está previsto no plano do Governo.
O movimento "Sobreviver a Pão e Água" que reúne profissionais do setor da restauração e dos estabelecimentos de animação noturna, volta a sair à rua na segunda-feira, 5 de julho. 

Inconformados com as medidas anunciadas e com os escassos apoios dados pelo Governo, os setores da restauração e da noite voltam a concentrar-se frente à Assembleia da República, em Lisboa, pelas 15 horas. "Voltamos por Portugal e pelos Portugueses!", declaram.

Recorde-se que vários elementos deste movimento - proprietários de restaurantes, discotecas e bares e um DJ - levaram a cabo uma greve de fome de uma semana frente à Assembleia da República no final do ano passado, num protesto que contou com Ljubomir Stanisic, rosto mais mediático. Stanisic chegou a ser hospitalizado, regressando depois à manifestação. 

O grupo representativo dos referidos setores exigia ser recebido pelo primeiro-ministro, António Costa ou pelo Ministro da Economia, Pedro Siza Vieira. Tal não aconteceu e acabaram por ser recebidos pelo Presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina.

Durante a semana, restaurantes e cafés têm que encerrar às 22h30, estando obrigados a manter um limite de quatro pessoas por mesa no interior e seis nas esplanadas. Discotecas e bares continuam encerrados desde março de 2020.
A Direção-Geral da Saúde (DGS) atualizou esta terça-feira, 15 de junho, as regras referentes à Estratégia Nacional de Testes para SARS-CoV-2.
 
No descritivo apresentado, a DGS recomenda a realização de rastreios laboratoriais aos profissionais e participantes de eventos familiares, designadamente casamentos e batizados, bem como quaisquer outras celebrações similares, com reunião de pessoas fora do agregado familiar, sempre que o número de participantes seja superior a dez. 
 
Nos eventos de natureza cultural ou desportiva, a DGS recomenda a testagem "sempre que o número de participantes seja superior a 1000, em ambiente aberto, ou superior a 500, em ambiente fechado". 
 
Relativamente às empresas, a DGS recomenda a testagem com uma periodicidade de 14 em 14 dias, nos locais de maior risco de transmissão, como explorações agrícolas e o setor da construção, nos serviços públicos e nos locais de trabalho com 150 ou mais trabalhadores.
A Direcção-Geral da Saúde (DGS) rejeitou esta terça-feira que tenha havido erro técnico no tratamento de dados dos eventos-piloto da Cultura, ocorridos em Abril e Maio, mas admitiu que o processo está demorado.

Numa declaração enviada à agência Lusa, a DGS afirmou que "os trabalhos de monitorização de potenciais casos de infecção de SARS-CoV-2, após a assistência aos eventos culturais piloto de Abril e Maio, estão ainda em conclusão".

Admitiu ainda que a monitorização, "é necessário fazer corresponder a informação de identificação que foi utilizada para aceder aos eventos com o número de utente do Serviço Nacional de Saúde, o que torna o processo mais demorado".

Fonte da DGS disse à agência Lusa que a demora não se deve a qualquer erro técnico ou informático, como foi apontado por associações representativas do sector dos espectáculos.

Entre abril e maio foram realizados quatro eventos-piloto em Braga, Coimbra e Lisboa, com plateia sentada e em pé, e com a realização prévia de testes de diagnóstico, gratuitos, aos espectadores, em colaboração com a Cruz Vermelha Portuguesa.

O objetivo destes eventos era definir, segundo o Governo, "novas orientações técnicas e a realização de testes de diagnóstico de SARS-CoV-2 para a realização de espectáculos e festivais".

Mais de um mês depois, não foram ainda divulgadas as conclusões desses eventos-piloto, porque está ainda a ser feita a correspondência entre de dados de identificação dos espectadores que se submeteram ao teste de diagnóstico.

Sobre os eventos-piloto, a Associação de Promotores de Espectáculos, Festivais e Eventos (APEFE) disse à agência Lusa que foi informada, na sexta-feira, de que teria havido "um problema informático" com os dados dos espectadores que participaram nos eventos-piloto.
A Associação de Promotores de Espectáculos, Festivais e Eventos (APEFE) quer mais esclarecimentos da Direção-Geral da Saúde sobre a obrigatoriedade de realização de testes à covid-19 em eventos culturais, e lamenta a ausência de informações.

"Não sabemos o que está em causa, não está claro se [a testagem obrigatória] é para todos os espetáculos ou para os espetáculos acima de uma determinada lotação. Está confuso e parece-nos bizarro", afirmou Álvaro Covões à Lusa, da direção da APEFE.

Na passada quarta-feira, o Conselho de Ministros aprovou a obrigatoriedade de realização de testes de diagnóstico à covid-19 para a entrada em eventos desportivos e culturais e para a participação em eventos familiares, incluindo casamentos e batizados. Na conferência de imprensa, a ministra de Estado e da Presidência, Mariana Vieira da Silva, explicou que cabe à Direção-Geral da Saúde (DGS) definir o número de participantes por evento a partir do qual é exigida a realização de teste à covid-19.

As associações do setor dos eventos e espetáculos têm tido reuniões regulares com a DGS e o Governo, a última das quais na sexta-feira passada, e dizem ainda aguardar mais informações.

Em abril e maio, foram feitos vários eventos-piloto, em Braga, Coimbra e Lisboa, com plateia em pé e sentada, nos quais foi associada a realização prévia de testes de diagnóstico aos espectadores.

Esses eventos-piloto, realizados em articulação com a DGS e a Cruz Vermelha Portuguesa, tinham como objetivo, segundo o Governo, definir "novas orientações técnicas e a realização de testes de diagnóstico de SARS-CoV-2 para a realização de espetáculos e festivais". No entanto, mais de um mês depois, não foram ainda divulgadas as conclusões desses eventos.

Segundo Álvaro Covões, a DGS informou as associações na sexta-feira de que terá tido "um problema informático" com os dados dos espectadores que participaram nos eventos-piloto.

Álvaro Covões considera que a obrigatoriedade de teste de diagnóstico antes de eventos culturais, com custos para os espectadores, será "uma catástrofe para o setor cultural".
"Lady of Love" é o nome do novo EP da dupla Mayze X Faria e foi lançado pela editora italiana Switchlab. O trabalho musical contém duas faixas - "Lady of Love" e "Lady of Peace" - onde a Mulher é enaltecida no seu esplendor através do Amor e da Paz.

À nossa redação, Jonh Mayze e Miguel Faria explicam que tinham vontade de produzir músicas dentro do género que cada vez mais os inspira a entrar noutras aventuras como artistas, ou seja, o Melodic House. Em dezembro do ano passado produziram o projeto de vídeo "Originals" em Braga, onde apresentaram músicas autorais e daí surgiu o EP "Lady of Love". 

"Quando projetamos o vídeo - Originals - produzimos nove temas para o mesmo e sabíamos que tínhamos em mãos um naipe de cartas para lançar de acordo com várias editoras que prontamente se mostraram interessadas nas músicas pela sua vibe e pela combinação perfeita entre elas", referem os artistas. 

Sobre o nome do EP e a força da mensagem, a dupla conta que “são para definir as mulheres de todo o mundo pela sua grandeza e pelo que nos trazem para a nossa vida com toda a sua sensibilidade, ternura e energia positiva. Fazer esta fusão com o Melodic House é também para nós artistas uma forma de homenagear as mulheres através da nossa música, permitindo que cada um possa viajar através da melodia e das vozes destes dois temas.”

O EP "Lady of Love" está disponível em exclusivo no Beatport e chega às restantes plataformas digitais a 26 de junho.
 
Depois de se ter estreado em 2019 com uma passagem pelo Porto, a competição de danças urbanas assinada pela Red Bull está de volta em 2021. Lisboa é o cenário escolhido para o palco da Final Nacional, que decorre no dia 3 de julho, na Gare do Oriente, em Lisboa. 

A Final Nacional contará com 16 bailarinos, preenchidos através de wildcard (convite direto) e open spots. Os lugares em aberto serão preenchidos através de audições online, estando a escolha final por conta de um júri de três elementos com reconhecida reputação no meio das danças urbanas. A oportunidade de participação está aberta a todos até ao próximo dia 18 de junho.

Os finalistas vão competir num formato inovador, enfrentando um conjunto de rondas um para um, até à batalha final, ficando a cargo do público presente a escolha de qual dos bailarinos avança para a fase seguinte. O evento terá acesso livre, de acordo com as limitações do espaço. 

O vencedor irá representar Portugal na final mundial do Red Bull Dance Your Style 2021, num destino a anunciar brevemente. Aqui, o título mundial será disputado pela elite de 30 países. Na última edição, que decorreu em 2019 em Paris, o nosso país marcou presença com o bailarino Vítor Fontes.

O Red Bull Dance Your Style é uma série global de eventos com um formato de competição único, que desafia bailarinos e público a participar no que pretende ser uma celebração e encontro de estilos de danças urbanas. São, assim, esperados estilos tão diversos como o Hip Hop, House, Popping ou Locking.
 
Todas as informações sobre as audições serão disponibilizadas em www.redbull.com.
 
O Yamba Bar, espaço de restauração que ficou destruído na sequência de um incêndio a 23 de maio, lançou recentemente uma campanha de crowdfunding que terá como objetivo a sua reconstrução. 

"Dois anos de amor, criatividade, amizade, experiências e celebração da vida que ficaram reduzidos a cinzas", partilha o bar na página da campanha de angariação de fundos criada na plataforma GoFundMe.

O proprietário explica que os seguros foram negados e pede ajuda a todos para poder reerguer o espaço. "Neste momento, estamos a angariar fundos para apoiar a nossa equipa e iniciar a limpeza."

Nos últimos dias, foram já vários os artistas internacionais que se uniram em torno do apelo do Yamba, que neste momento arrecada mais de 74 mil euros para a sua reconstrução. O limite foi fixado nos 95 mil euros.
 
"O Yamba foi construído com amor, inclusão e trabalho de equipa. O nosso objetivo é reconstruí-lo da mesma forma, um passo de cada vez" acrescentou o proprietário.

Recorde-se que este espaço localizado na Praia do Castelo (Costa da Caparica) tinha sido nomeado pela revista norte americana Condé Nast Traveler como um dos melhores bares de praia do mundo para este verão de 2021.
 
As instalações do Yamba Bar, espaço de restauração localizado na Praia do Castelo, na Costa da Caparica, foram consumidas por um incêndio que deflagrou durante a noite do passado domingo. As causas estão a ser investigadas pela Polícia Judiciária de Setúbal.

Apesar dos danos materiais, não houve registo de vítimas, uma vez que o espaço encontrava-se vazio na altura do incêndio que foi dado como circunscrito ao início da madrugada de segunda-feira.

Estiveram envolvidos nas operações de rescaldo 50 operacionais e 19 viaturas das corporações de Almada, Amora, Cacilhas, Trafaria e da Associação Humanitária de Bombeiros Mistos do Concelho do Seixal.

O Yamba Bar tinha sido recentemente nomeado pela revista norte americana Condé Nast Traveler como um dos melhores bares de praia do mundo para este verão de 2021. O espaço tinha sido inaugurado o ano passado.
Pág. 1 de 74

Newsletter

Recebe novidades e conteúdos exclusivos no teu e-mail.