21-02-2020

  Diretor Ivo Moreira | Periodicidade Diária

Sobre Nós  |  Fala Connosco     

O Shazam - aplicação que permite ao utilizador conhecer o nome e o artista de uma música que está a tocar simplesmente pelo reconhecimento do som - divulgou uma playlist com as dez faixas mais procuradas durante o Amsterdam Dance Event, que decorreu a semana passada em plena capital da Holanda. Além de várias conferências é também o maior festival mundial realizado em clubs, contabilizando-se anualmente mais de 2.200 artistas a atuar em mais de 300 eventos realizados em 85 locais diferentes que recebem cerca de 350 mil espetadores/visitantes. 
 
Entre as pesquisas mais efetuadas estão, "Outlines" de Mike Mago & Dragonette, "Here Tonight" de Dash Berlin e a faixa "Virus", do número 4 da DJ Mag, Martin Garrix. 
 
Confere a listagem completa em baixo.
 
10. Bassjackers & Makj - Derp
 
 
9. Oliver Heldens - Koala
 
 
8. Dr. Kucho! & Gregor Salto - Can't Stop Playing (Oliver Heldens & Gregor Salto Remix)
 
 
7. Patrick Topping - Forget
 
 
6. New World Sound - How To Twerk (Original Mix)
 
 
5. Sander Van Doorn & Oliver Heldens - This
 
 
4. Martin Garrix & MOTi - Virus (How About Now)
 
 
3. Eelke Kleijn - Mistakes I've Made (Original Mix)
 
 
2. Dash Berlin & Jay Cosmic Feat. Collin McLoughlin - Here Tonight
 
 
1. Mike Mago & Dragonette - Outlines
 

 

Publicado em Mix
terça, 26 novembro 2013 12:45

Uma aplicação nacional para amantes de gin

É a primeira aplicação portuguesa dedicada exclusivamente ao gin e pode ser descarregada gratuitamente. A 'App Gin Lovers' já se encontra disponível para smartphones.
 
Numa primeira fase, apenas estará na App Store, para iPhone e iPad. Em breve ficará também acessível no sistema Android. De acordo com os 'Gin Lovers', a aplicação permite aceder a novas receitas de gin tónico, sugestão de bares e outros locais para uma correta apreciação de gin, com a possibilidade de os selecionar com critério de aproximação geográfica em relação ao ponto onde nos encontramos, informação atualizada sobre o fenómeno do gin em Portugal e no mundo, entre outras possibilidades.
 
A aplicação será, no fundo, um complemento do site ginlovers.pt.
 
Publicado em Mix
O Spotify recusa-se a apagar playlists criadas por utilizadores com alinhamentos exatamente iguais aos das compilações criadas pela Ministry of Sound. A acusação é feita pela editora londrina, que na segunda-feira interpôs uma ação judicial contra a plataforma de música.
 
O caso deverá fazer jurisprudência. Os 24 milhões de utilizadores que o Spotify tem atualmente, criaram desde o lançamento deste serviço de música online, em 2008, mais de mil milhões de playlists. É uma funcionalidade popular para reunir e partilhar conjuntos de canções com amigos - que também podem participar na construção dos alinhamentos - ou, nos casos de alguns sites, com leitores.
 
À escolha existem mais de 20 milhões de temas (dados de Dezembro de 2012), devidamente licenciados, que os utilizadores podem ouvir ou compilar. Entre eles estão os temas usados nas compilações da Ministry of Sound, que apenas detém os direitos para os editar em formato disco (físico ou digital) mas não para streaming
 
A Ministry of Sound, marca associada a uma discoteca de Londres com o mesmo nome, aceita essa contingência como uma dificuldade criada pela transformação da indústria da música no tempo da Internet. O que a deixa a lutar pelo que sobra - a curadoria. A editora defende que esse trabalho intelectual também deve estar protegido pela lei dos direitos de autor.
 
"O que fazemos é mais do que agrupar temas: há muita pesquisa na criação das nossas compilações e propriedade intelectual envolvida nisso. Não é apropriado que alguém faça corta-e-cola com elas", argumenta o presidente executivo da Ministry of Sound, Lohan Presencer, em declarações ao "Guardian", que deu a notícia do processo à imprensa.
 
A editora londrina - que se dedica à música de dança e já vendeu mais de 50 milhões de discos nos últimos 20 anos - exige na ação judicial que as playlists sejam apagadas, que o Spotify bloqueie de forma permanente a possibilidade de os seus alinhamentos voltarem a ser copiados e ainda uma indeminização que a compense por danos e custos com o processo.
 
O diário britânico lembra que, em 2010, houve um caso idêntico no Reino Unido, envolvendo as ligas de futebol inglesa e escocesa. Na altura, o Tribunal Superior deu razões a estes dois representantes dos clubes britânicos, que pretendia que os seus calendários (ordem dos jogos) fossem protegidos pela lei dos direitos de autor. Mas a decisão foi revertida na sequência de um recurso. No setor da música, é o primeiro caso a chegar à justiça.
 
Fonte: P3.
 
Publicado em Mix
O YouTube pode deixar de ser apenas uma plataforma de vídeos online para passar a ser também um serviço de música por subscrição por streaming. De acordo com as informações apuradas o novo serviço do YouTube vai funcionar de maneira muito semelhante ao Spotify, mas terá os vídeos como fator "extra". 
 
A revelação é feita pela Billboard que cita inúmeras fontes próximas ao desenvolvimento do projeto. O projeto deve ser lançado ainda antes do final do ano e vai ficar disponível em duas modalidades - uma gratuita onde os utilizadores têm que conviver com anúncios, e outra paga que garante acesso a uma lista "ilimitada" de faixas musicais. 
 
O valor do serviço pago pode ascender aos 9,99 dólares - cerca de 7,25 euros - e vai também garantir acesso a músicas em formato offline. O principal foco do novo serviço do YouTube vai ser o segmento mobile, uma área onde as restantes propostas de mercado são mais "curtas". 
 
Entretanto surgiram ainda outros rumores de que a aplicação do YouTube está prestes a evoluir, por forma a permitir a reprodução de conteúdos em segundo plano - uma funcionalidade que daria jeito para a ferramenta de streaming. 
 
De acordo com as mesmas fontes um serviço de música por subscrição com componente de vídeo integrada não seria visto como um substituto direto do All Access da Google, e podia até ser a ferramenta de preferência para novas plataformas como os Google Glass.
 
Fonte: Sapo Tek.
 
Publicado em Mix

 

A aplicação Shazam, que permite aos utilizadores descobrir o nome dos artistas e a respetiva música que está a tocar, revelou a lista dos 10 temas mais procurados durante o festival Coachella, que decorreu entre os dias 10 e 19 de abril, na Califórnia.
 
DJ Snake tem duas músicas da sua autoria na lista, composta também por temas de Jack U, Deorro e Kygo.
 
Confere abaixo o Top 10:
 
  • 1 – DJ Snake & AlunaGeorge – You Know You Like It
  • 2 – The Weeknd – Earned It
  • 3 – Major Lazer feat. MO & DJ Snake – Lean On
  • 4 – Jack U feat. Justin Bieber – Where Are You Now
  • 5 – David Guetta feat. Nicki Minaj & Afrojack – Hey Mama
  • 6 – Chet Faker – No Diggity
  • 7 – Deorro – Five Hours
  • 8 – Kygo feat. Conrad – Firestone
  • 9 – Galantis – Runaway (U & I)
  • 10 – Action Bronson feat. Chance The Rapper – Baby Blue
 
 
Publicado em Festivais
Quando o álcool é consumido em demasia, pode haver momentos da noite que são esquecidos. Flashgap é a nova aplicação que pretende recordar a noite passada, inspirada no filme “A Ressaca”.
 
A aplicação é gratuita e já está disponível para download para iOS e Android. A Flashgap guarda as fotografias e vídeos num álbum privado, que só pode ser visto no dia seguinte, ao meio-dia. As memórias podem ser partilhadas com uma lista de amigos que é previamente escolhida.
 
Para a aplicação funcionar com sucesso, os utilizadores têm de criar o evento e adicionar os amigos. Cada fotografia pode depois ser vista durante 3 segundos, desaparecendo posteriormente.
 
 
Publicado em Mix
A partir de hoje há mais um serviço de streaming musical no mercado. O Beats Music foi lançado hoje no mercado norte-americano e já está disponível para equipamentos da marca da famosa maçã - Apple.
 
A plataforma vai permitir o acesso a mais de 20 milhões de faixas e suporta playback online e offline. Ao contrário da recente tendência freemium em serviços como o Spotify ou o Rdio, o Beats Music não vai funcionar gratuitamente nem será suportado por publicidade. O serviço funciona mediante uma subscrição mensal de cerca de 10 dólares.
 
Os utilizadores interessados terão à sua disposição um período gratuito de sete dias para decidirem se optam pelo serviço ou não. Um dos aspectos mais divulgados deste serviço está nas listas de música que podem ser personalizadas consoante as preferências e o contexto dos utilizadores.
 
O serviço também irá chegar brevemente ao Android e Windows Phone, além da Web. Desconhecem-se detalhes sobre uma eventual chegada ao mercado internacional.
 
 
Publicado em Mix

 

Segundo as estatísticas, cerca de 20% de todo o catálogo do serviço de streaming do Spotify, que corresponde a mais de 4 milhões de músicas, nunca foram ouvidas, ou seja, com zero reproduções.
 
O Forgotify foi criado para alterar essa situação e divulgar os artistas que nunca foram ouvidos.
 
São vários os artistas que, apesar do talento, não possuem reproduções e esta nova plataforma pode ser uma ajuda. Para funcionar, o utilizador terá de possuir conta no Spotify, que vai trabalhar em conjunto com o Forgotify. 
 
Publicado em Mix

 

Em comemoração dos 10 anos do Youtube, a empresa revelou ao público os 10 vídeos mais vistos pelos portugueses e também as músicas mais ouvidas. Nenhuma das faixas do Top 10 é de música eletrónica.
 
Uma das curiosidades acerca dos 10 vídeos mais vistos pelos lusitanos é a presença do aftermovie do festival Tomorrowland de 2012, em oitavo lugar.
 
Confere abaixo a lista divulgada:
 
  • 1 – Pintinho Amarelinho – DVD Galinha Pintadinha
  • 2 – Ruca e os Amigos
  • 3 – O Sapo não lava o pé – DVD Galinha Pintadinha
  • 4 – Charlie bit my finger – again!
  • 5 – James Arthur sings Shontelle’s impossible – The Final – The X Factor UK 2012
  • 6 – Bo tem mel by Diogo Morgado e Rui Unas
  • 7 – OLX – Como Inserir um Anúncio
  • 8 – Tomorrowland 2012 | official aftermovie
  • 9 – Nike Football: Winner Stays ft. Ronaldo, Neymar Jr., Rooney, Ibrahimovic, Iniesta & more
  • 10 – VOU TE ENCOXAR | Parodia PSY – GANGNAM STYLE
 
 
Publicado em Tomorrowland
É uma aplicação portuguesa e acaba de ser distinguida pelo portal FWA – Favourite Website Awards como mobile of the day: trata-se da VDS Wines, aplicação para smartphones desenvolvida para a Vinhos do Douro Superior pela Thing-Pink, agência de comunicação sediada no grande Porto.

Disponível na AppStore, esta aplicação assenta em tecnologia de última geração, nomeadamente na realidade aumentada e na georreferenciação. O motor de realidade aumentada permite ao utilizador apontar a câmara do dispositivo telefónico para qualquer garrafa de vinho VDS e aceder automaticamente a diversos conteúdos.

Já a georreferenciação dá ao utilizador a possibilidade de identificar os locais mais próximos onde pode encontrar vinhos VDS, de restaurantes a bares, passando por garrafeiras e outros espaços da distribuição moderna.

A aplicação da VDS apresenta ainda outras funcionalidades, tais como informações sobre os vinhos, o Douro Superior e últimas novidades. O apreciador de vinhos pode também colocar questões diretamente ao enólogo Rui Roboredo Madeira, bem como ter acesso a conteúdos multimédia exclusivos.

Através deste novo canal, a VDS - Vinhos do Douro Superior propõe-se interagir e estar mais perto do público dos seus vinhos, dando a conhecer os seus produtos, história e cultura.
Publicado em Mix
Pág. 1 de 3
100% DJ. Projeto editorial independente cujos valores se guiam pelo profissionalismo, isenção e criatividade, tendo como base de trabalho toda a envolvente da noite nacional e internacional, 365 dias online.

Newsletter

Recebe novidades e conteúdos exclusivos no teu e-mail.