20-07-2019

  Diretor Ivo Moreira | Periodicidade Diária

Sobre Nós  |  Fala Connosco     

O North Music Festival, que vai decorrer nos dias 24 e 25 de maio na Alfândega do Porto, já tem o seu alinhamento completo. Além do palco principal, o evento conta ainda com um palco sunset.

Moullinex, DJ Kitten, Rich & Mendes, Cave Story, MurMur, Skills & The Bunny Crew, Stone Dead, Bush, Emir Kusturica & The No Smoking Orchestra, Expensive Soul, Franz Ferdinand, Bastille, Capitão Fausto e Glockenwise são os nomes confirmados para a edição deste ano do North Music Festival.

O recinto contará ainda com duas zonas de restauração, uma interior e exterior, onde os visitantes poderão usufruir de vários tipos de street food, wine gardens com provas de vinho e outras experiências.

Os bilhetes já se encontram à venda nos locais habituais com preços entre os 35 (bilhetes diários) e os 59 euros (bilhetes para os dois dias).
Publicado em Festivais
A Red Bull Music Academy Radio – plataforma que acaba de ser alvo de uma profunda renovação – irá disponibilizar via streaming em direto as atuações que a Academia levará até ao palco do Neopop no próximo sábado dia 11 de agosto.
 
Pelo segundo ano consecutivo, a Red Bull Music Academy volta a assegurar a curadoria da noite de encerramento do festival Neopop que decorre no Forte de Santiago da Barra, em Viana do Castelo. A música que Scuba, Moodymann, Julio Bashmore, Cobblestone Jazz, Auntie Flo, Jorge Caiado e W//ATEVER irão tocar, poderá ouvir-se no entanto muito para lá das imponentes paredes de pedra da centenária fortificação que serve de cenário ao Neopop: quem se ligar em rbmaradio.com terá acesso via streaming às atuações de um cartaz recheado de nomes de primeira linha do universo da eletrónica mais dançante. Com inicio às 23 horas e um final cerca das 08:30 horas do dia seguinte.

Jorge Caiado e Clip!, dois ex-participantes da Academia, juntaram-se numa espécie de frente ibérica e criaram o projeto W//ATEVER a quem foi entregue a responsabilidade do arranque e para uma noite de antologia.
Auntie Flo, um dos nomes mais badalos do momento, merecedor de aplausos de gente tão diversa como Ricardo Villalobos ou Gilles Peterson, levará a sua house tropical até Viana do Castelo, depois de ter ajudado a recolocar Glasgow no mapa. Em regime de live act serão apresentados os Cobblestone Jazz, projecto liderado por Mathew Jonson, um dos mais importantes arquitetos do moderno edifício techno. Scuba, homem do momento que a partir do dubstep tem lançado pontes para o techno, drum n’ bass e até trance é outra das presenças confirmadas num cartaz que ainda contempla Julio Bashmore, nativo de Bristol e distinto artesão do novo house com trabalho lançado em etiquetas como a Dirtybird de Claude VonStroke ou na Fabric, e Moodymann, um dos principais estetas contemporâneos das pistas de dança, com duas décadas de carreira e uma reputação inabalável.

Todos estes nomes poderão ser vistos de perto no Forte de Santiago da Barra, explorando múltiplas vias eletrónicas para a dança – do techno ao house, do disco ao jazz – ou sintonizados em rbmaradio.com. E com qualidade de 256kbps, para que todos possam disfrutar de forma ainda mais plena de toda esta música de espírito aberto e de groove vincado.
Publicado em Festivais
segunda, 11 agosto 2008 18:51

Boom Festival arranca hoje

Arranca hoje em Idanha-a-Nova o Boom Festival. Neste festival, a música electrónica e os DJs assumem a sustentabilidade ambiental e interculturalidade como lemas, adianta a organização.

O evento bienal, que acompanha a Lua Cheia de Agosto e este ano avança para a sétima edição, ocupa 150 hectares da Herdade do Torrão nas margens da Barragem Marechal Carmona e decorre este ano de 11 a 18 de Agosto.

Segundo Artur Soares da Silva, da organização, são esperados de 20 a 25 mil pessoas durante os oito dias do festival, a maioria das quais estrangeiras e alguns milhares optando por acampar no recinto.

Matt Black, fundador da editora Ninja Tune e membro dos Coldcut, pioneiro no desenvolvimento de software que sincroniza som e imagem, é um dos destaques do programa musical.

Programa só é conhecido nas bilheteiras
Os portugueses Blasted Mechanism e os Gocoo, uma banda de doze músicos com tambores taiko do Japão, são outros dos pontos altos do programa que se divide por quatro espaços onde a música electrónica e os DJs dominam.
O dia e hora dos espectáculos só são conhecidos na bilheteira, onde é entregue o programa detalhado. «É tradição. Queremos manter a surpresa», refere Artur Soares da Silva da organização.

«Há uns anos atrás, o programa detalhado só era conhecido no jornal do Boom, no próprio dia», recorda. Para além de um jornal, nos dias do festival vai estar também em funcionamento uma rádio, em FM, a cobrir na zona do festival.

O Boom tem casas de banho compostáveis e uma equipa de 150 pessoas a limpar o recinto.

Para lá da música, haverá conferências que contam com, entre outros, Erik Davis, autor de «Technognose: Mito, Magia e Misticismo na Era da Informação», e Mark Pesce, investigador e professor especializado em antropologia digital. Haverá workshops de ioga, kung fu, astrologia, lado a lado com diversão, como sejam artes perfomativas e teatro. Há também um festival de cinema dentro do Boom..

O Boom tem outras características em destaque: casas de banho compostáveis, uma equipa de 150 pessoas a limpar o recinto 24 horas por dia e uma área para crianças com actividades monitorizadas por educadores de infância. «Este é um verdadeiro festival multi-geracional. Encontramos aqui famílias inteiras e pessoas de todas as idades», sublinha Artur Soares da Silva.

As entradas para todo o festival custam 160 euros, a partir de dia 15 o preço baixa para 120. Residentes no concelho de Idanha-a-Nova e em países em vias de desenvolvimento pagam 80 euros. Todos os anos é escolhido um país em desenvolvimento a cujos residentes os bilhetes são oferecidos. Este ano é a Macedónia que beneficia da oferta.
Publicado em Festivais
quarta, 23 maio 2012 23:00

A Cidade do Rock (Mapa)

 
Publicado em Rock in Rio
Realizou-se ontem, sábado 12 de maio, a formação geral e específica dos 400 voluntários que vão integrar a equipa do Rock in Rio-Lisboa 2012. Cláudia Vieira, Embaixadora do Projeto de Voluntariado desta edição, deu as boas-vindas aos voluntários selecionados de entre 8.695 inscritos e apresentou-lhes a Cidade do Rock.

Após a ação de formação, os voluntários juntaram-se à equipa do Rock in Rio e a todos os fãs do evento que se inscreveram no site oficial (www.rockinriolisboa.sapo.pt) para compor um logotipo humano de 35 metros com cerca de 650 pessoas que formaram as palavras “EU VOU”.

Os 400 voluntários vão dividir-se por seções chave e dar um contributo indispensável à equipa durante a antecipação e concretização do evento, colaborando nas áreas de Gestão de Público, Assessoria de Imprensa, Área VIP e Áreas de Entretenimento da Cidade do Rock: Palco Mundo, Palco Sunset, Eletrónica Heineken, Rock Street e Street Dance.
 
Publicado em Rock in Rio

 

O Untold Festival, que decorre entre os dias 30 de julho e 2 de agosto em Cluj-Napoca, na Roménia, aceita doações de sangue em troca de bilhetes para o evento eletrónico.
 
O festival vai acontecer na região da Transilvânia, conhecida pelas suas histórias de vampiros, nomeadamente o famoso Drácula. “Uma vez que a Roménia luta contra uma escassez aguda de sangue nas instalações médicas, uma campanha inspirada nesses mitos, com o objetivo de chamar a atenção para um problema real é muito bem recebida”, afirmou Bogdan Buta, diretor do festival, ao “The Guardian”.
 
Quem doar sangue num dos 42 centros de transfusões sanguíneas do país até ao dia 24 de julho, terá um desconto de 30% nas entradas para o festival. Existe também uma unidade móvel em Bucareste.
 
David Guetta, Armin van Buuren e DJ Premier são alguns dos artistas que fazem parte do cartaz da edição deste ano do Untold Festival.
 
 
Publicado em Festivais
O Rock in Rio Lisboa associa-se às instituições Re-food e Dariacordar numa iniciativa pioneira contra o desperdício e a gestão das sobras alimentares. Durante os 5 dias do evento (25 e 26 de maio, 1, 2 e 3 de junho) a Dariacordar e a Re-food vão recolher as refeições não utilizadas na Cidade do Rock e encaminhá-las para famílias carencidadas, através de instituições de solidariedade locais.

A Re-food irá recolher todas as sobras alimentares dos bares oficiais do evento e de todos os stands alimentares das marcas presentes na Cidade do Rock e a Dariacordar irá juntar todas as refeições excedentes do catering da Área VIP e do catering da equipa de produção.

De modo a assegurar que estes alimentos chegam a quem mais precisa e em perfeitas condições a seleção das instituições que irão receber e encaminhar as refeições será feita pela Junta de Freguesia de Marvila e ambas as organizações seguem os critérios de exigência da ASAE. As refeições serão recolhidas assim que os stands e os caterings da Área VIP e da equipa encerrem e serão entregues a tempo de serem consumidas no almoço do dia seguinte à recolha.

O projeto da Re-Food4Good - Aproveitar para Alimentar consiste em resgatar alimentos em perfeito estado de conservação e entregar o mais rápido possível a quem precisa. A equipa envolvida atua localmente com baixa pegada carbónica, visto que a recolha de alimentos é feita com bicicletas, por uma equipa de voluntários.
A organização tem como objetivo espalhar os benefícios da iniciativa e influenciar a consciência e o comportamento humano, procurando que o “re-fooding” se torne uma prática universal.

No Rock in Rio-Lisboa 2012 o objetivo é combater o desperdício alimentar e a fome recolhendo os excedentes alimentares pelos vários stands.
 

A Dariacordar - Associação contra o desperdício é uma associação sem fins lucrativos contra o desperdício alimentar. O seu objetivo é combater o desperdício, seja qual for a sua natureza e tipo, procurando captar excedentes e competências ainda suscetíveis de (re) utilização, onde estes possam existir, promovendo e dinamizando a sua subsequente distribuição, reutilização e otimização.

A associação iniciou um movimento intitulado Zero Desperdício (www.zerodesperdicio.pt), uma solução encontrada para ajudar portugueses em dificuldades, através da qual se pretende “acordar” as pessoas e as instituições para a realidade, despertando ações comunitárias de boa vizinhança e de solidariedade. Procuram igualmente encaminhar adequadamente os desperdícios contribuindo para o “Carbono Zero” e para um planeta mais saudável.
 
Publicado em Rock in Rio
Tal como aconteceu com o aftermovie do festival Tomorrowland belga deste ano, o nosso país voltou a estar representado no filme “This Was Tomorrow”, que retrata as três edições deste ano (Bélgica, Brasil e Estados Unidos da América), através do grupo Tomorrowland Crew Portugal.
 
O filme, que estreou no passado dia 26 de novembro, na Bélgica, demonstra todos os pormenores vividos não só pelos festivaleiros como também pelos artistas, durante os dias dos festivais Tomorrowland e TomorrowWorld. No “This Was Tomorrow” são ainda destacadas várias histórias do “People Of Tomorrow” dos quatro cantos do mundo, com um lado emotivo e que retrata o verdadeiro espírito do festival.
 
Um grande grupo de portugueses destaca-se a meio do filme (minuto 29:45), representados com várias bandeiras portuguesas e com o Main Stage como pano de fundo. Laetitia Esteves, fundadora da Tomorrowland Crew Portugal afirmou em exclusivo ao Portal 100% DJ que “a sensação é indescritível. Conseguir estar no aftermovie e no filme no mesmo ano era algo impensável. Desde 2013 que tínhamos o desejo de deixar a nossa marca, a marca do nosso país na história do Tomorrowland e este ano conseguimos em dose dupla. Sem dúvida que ficámos muito felizes, e, acima de tudo bastante emocionados. Só nos dá vontade e força para continuar. Foi a primeira vez que Portugal apareceu desta forma num aftermovie do Tomorrowland - fizemos história! Num curto espaço de tempo, muita coisa aconteceu e sem dúvida que isto foi o auge de todo o nosso percurso. Só nos resta agradecer a todos que nos acompanham, aos mais de 10 mil seguidores e claro, ao meu grande amigo Pete Tha Zouk por todo o apoio que nos tem dado”.
 
FTampa, Afrojack, Dimitri Vegas & Like Mike, NERVO, Steve Angello, David Guetta, Steve Aoki, Armin van Buuren, Tiesto, Dave Clarke, Yves V, Richie Hawtin, Pete Tong e Hardwell são alguns dos artistas que deixam o seu testemunho acerca das edições deste ano do Tomorrowland, ao longo deste filme agora divulgado.
 
“É uma revolução”, diz Armin van Buuren sobre o festival, comparando-o ainda ao famoso Woodstock, enquanto que Steve Angello confessa que o Tomorrowland Brasil foi o melhor até ao momento. O mau tempo que levou ao cancelamento do último dia do TomorrowWorld também pode ser observado em alguns planos.
 
“This Was Tomorrow” está disponível gratuitamente até ao próximo dia 14 de dezembro, no site oficial do Tomorrowland ou no canal do festival no Youtube.
 
{youtube}xFgAOXTWDD0{/youtube}
Publicado em Tomorrowland
Começa hoje, na Zambujeira do Mar, a 22.ª edição do MEO Sudoeste. Embora ainda sem o palco principal em funcionamento, o festival de verão abre as portas do campismo neste sábado 4 de agosto, a todos os festivaleiros que pretendem aproveitar ao máximo uma semana de férias no Litoral Alentejano.

Os palcos Super Bock e Vila Santa Casa irão preencher a Herdade da Casa Branca de música e animação, até à chegada de nomes como Shawn Mendes, Hardwell, Don Diablo, J Balvin e Jason Derulo marcados para o próximo fim-de-semana.

Mais uma vez a música nacional estará representada com concertos de Blaya, Piruka, Mundo Segundo & Sam the Kid, Diogo Piçarra, entre muitos outros, que vão atuar nos vários palcos do MEO Sudoeste. No que à música eletrónica diz respeito, o cartaz conta com nomes como Ben Ambergen, Francisco Cunha, Putzgrilla e ainda uma curadoria de Carlos Manaça que levará ao evento os DJs D-Formation, Fauvrelle, Frank Maurel, Miss Sheila, XL Garcia e MC Johnny Def.

Os bilhetes estão à venda com valores entre os 55 euros, 120 e 210 euros.
 
Publicado em Festivais
Um pouco por toda a Europa, a época de festivais está ao rubro e a Holanda – em concreto a cidade de Haarlemmermeer - não é exceção, já que este fim-de-semana vai receber uma nova edição do Mysteryland, um dos maiores festivais de música eletrónica a nível internacional, e que desde 1993 é produzido pela gigante produtora ID&T. Este ano o palco do festival holandês será ocupado por nomes como Don Diablo, Afrojack, Diplo e muitos outros.
 
Este festival já esteve presente em outros países, como os Estados Unidos da América e o Chile, depois de mais de 20 edições na Holanda.
 
Quando é realizado um grande evento internacional de música eletrónica, é certo que no meio da multidão vão estar presentes festivaleiros portugueses. Como já vem sendo hábito nas reportagens sobre os principais festivais eletrónicos, o Portal 100% DJ falou em exclusivo com alguns festivaleiros que vão embarcar na aventura do Mysteryland, representando desta forma o nosso país.
 
João Pedro Vicente tem 49 anos e viaja para Haarlemmermeer com o intuito de “ouvir boa música e desfrutar simplesmente do ambiente.” Depois de três anos a marcar presença no Festival Tomorrowland, o festivaleiro de Agualva decidiu este ano conhecer outros dois festivais, e depois de procurar por alternativas ao festival belga, optou pelo Electric Love e pelo Mysteryland.  
 
João Pedro pretende ficar na fila da frente do famoso palco QDance onde, e como habitualmente, o hardstyle estará em grande destaque. 
 
“Portugal merece mesmo um festival deste género, mas suspeito que ainda podemos não estar preparados para isto. A verdade é que a média de idades nestes festivais (no estrangeiro) é muito mais alta que em Portugal. Penso que o ambiente não é o mesmo” refere o festivaleiro. 
 
 
Com as expectativas “muito altas” e a representar o sexo forte, estará Mariana Malcato, que parte de Lisboa com destino ao Mysteryland, acreditando que o evento “vai ser único e que não irá desiludir”. Para Mariana, todos os pormenores contam “desde a organização, o recinto, a decoração, os palcos, as pessoas e claro, a música”.
 
Depois de ir ao Tomorrowland durante dois anos consecutivos (2014 e 2015), Mariana reconheceu que “estava na altura de experimentar um festival novo”, e o facto do Mysteryland poder ser considerado o ‘pai’ do Tomorrowland “teve o seu peso na escolha. E ainda, a música, o espírito único e extravagante também foram fatores importantes” remata.
 
Martin Garrix é o artista que mais quer ver, no entanto, a festivaleira também está curiosa para assistir à atuação de “Laidback Luke e rever Coone e Brennan heart - dois artistas que há um ano atrás não conhecia mas que me surpreenderam muito.”
 
Mariana considera que "Portugal tem os requisitos necessários para receber um grande festival (clima, espaço, infraestruturas), e até fazemos muitos”, no entanto e na sua opinião “o que falta é o espírito festivaleiro e o verdadeiro gosto pelo estilo de música que em nada iguala os holandeses.”
 
 
Habituado a estas andanças e natural de Sintra, João Santos não esconde as suas expectativas “muito altas”. O festivaleiro refere mesmo que “na Holanda não se brinca e vindo dos mesmos produtores do Tomorrowland espero algo muito bom, mais pequeno mas cheio de qualidade.”
 
A decisão de viajar até ao festival de música eletrónica mais antigo da Europa não foi fácil e teve de escolher entre duas opções. “Depois de ter ido ao Ultra Miami, em março, ficou mais difícil fazer contas, quer aos dias de férias, quer ao dinheiro necessário... Com a hipótese do Tomorrowland e Electric Love afastados devido ao trabalho, rapidamente fiquei com a opção do Mysteryland ou do Creamfields - optei pela primeira! De entre vários motivos que pesaram na decisão, destaco o cartaz variado e não muito saturado (que nem sempre é bom) e o preço acessível, assim como o fator idade.”
 
Sobre os artistas que mais quer ver, o português de 23 anos, sublinha “Brennan Heart, Coone e Wildstylez, sem esquecer o grande Dave Clark”.
 
Sobre se o nosso país merece um festival do género, João Santos considera que há muita coisa a mudar antes disso acontecer. “Merece, mas não para já. Não enquanto o nosso público não souber estar nem respeitar um festival. Muita coisa tem de mudar. É pena porque considero que temos tudo, mas mesmo tudo para poder apostar numa coisa em grande. Para já, penso que não resultaria.”
 
 
 
Publicado em Reportagens
Pág. 1 de 12
100% DJ. Projeto editorial independente cujos valores se guiam pelo profissionalismo, isenção e criatividade, tendo como base de trabalho toda a envolvente da noite nacional e internacional, 365 dias online.

Newsletter

Recebe novidades e conteúdos exclusivos no teu e-mail.

Este site utiliza cookies. Ao navegares neste site estás a consentir a sua utilização. Para mais informações consulta a nossa Política de Privacidade.