23-01-2019

  Diretor Ivo Moreira | Periodicidade Diária

Sobre Nós  |  Fala Connosco     

quinta, 08 março 2018 22:05

As mulheres na música eletrónica

Em quase todos os line-ups dos festivais internacionais, a presença de DJs femininas tem uma percentagem de apenas 10%. No ranking da revista Forbes, não existe nenhuma DJ feminina e no Top 10 da famosa tabela da DJ Mag, também nunca uma mulher figurou. O sexo forte representa apenas 4% de toda a lista. Quais foram as últimas três DJs mulheres que já ouviste ao vivo?

É do conhecimento geral que o mundo da música eletrónica é dominado pelo género masculino. Um mercado lucrativo em ascensão a nível mundial, onde a pouco e pouco as mulheres vão assumindo a sua posição de destaque na música de dança, área associada aos homens. 

"(...) neste campo uma mulher tem que trabalhar o dobro para alcançar metade do reconhecimento de um artista masculino", referiu Miss Sheila, na sua crónica de opinião publicada no Portal 100% DJ, “Djing no feminino”. No entanto, a artista portuguesa considera que “as coisas estão a mudar de uma forma mais positiva”.

Apesar desta lenta mudança de mentalidade, ainda é pouca a credibilidade que é dada às DJs, muito por culpa de algumas artistas que prejudicaram a imagem do género feminino da música eletrónica. Mariana Couto, na crónica de opinião publicada em 2014, intitulada "Teremos sempre Paris", criticava Paris Hilton por ter entrado no mundo da música eletrónica: "Presença habitual nos melhores clubs do mundo, Paris a Empreendedora conseguiu encontrar a forma certa de continuar a fazer dinheiro. (...) Mas é por isso que alguém "vai ver" a Paris Hilton? A expressão está lá: "ver", que ouvir é outra coisa. Afinal, ainda que separadas por um oceano de dinheiro, não há todo um segmento no mercado nacional que está na cabine para - essencialmente - ser visto?", remata.

Recentemente a dupla Krewella também comentou a presença de mulheres na área. “A indústria da música eletrónica pode ser assustadora para as mulheres. Se mais mulheres estiverem dispostas a assumirem grandes riscos e não terem medo do ridículo e quaisquer outros contratempos ou problemas, nós começaremos lentamente a ver mais mulheres a produzir músicas, espetáculos e festivais, e assim teríamos mais espaço no Top 100.”

É importante que a igualdade de género seja uma realidade e que a curto prazo consigamos ver mais DJs femininas no topo do mundo da música eletrónica. Em baixo, apresentamos algumas artistas nacionais e internacionais, referências na área da eletrónica, enquanto DJs e também produtoras de música.
 
  • - Miss Sheila
  • - Von di Carlo
  • - Kika Lewis
  • - Poppy
  • - Rita Zukt
  • - Joana Perez
  • - Rita Mendes
  • - Miss Pink
  • - DJoana
  • - Heartbreakers
  • - Lady M
  • - Lady Van
  • - Magalie
  • - Miss Blondie
  • - Miss Nutz
  • - Mónica Seidl
  • - NERVO
  • - Nicole Moudaber
  • - Krewella
  • - Juicy M
  • - Alison Wonderland
  • - Nina Kraviz
  • - Deborah de Luca
  • - Sophie Francis
  • - Ruby Rose
  • - Miss Nine
  • - Oriska
  • - Lovra

 

Publicado em Mix
segunda, 06 abril 2015 19:16

Com que idade morrem os DJs?

 

Os DJs também são humanos. Com que idade morrem? As respostas podem ser consultadas num estudo publicado no site The Conversation, que incluí gráficos.
 
Em relação à idade, os artistas de música eletrónica podem morrer entre os 40 e os 45 anos (mulheres) e os 45 e os 50 anos (homens). As causas de morte podem ser várias, como acidentais (16,7%), suicídio (5,0%), homicídio (10,0%), relacionados com problemas de coração (15,0%) e cancro (25,0%), segundo o estudo.
 
Estes dados estão também relacionados com os hábitos dos artistas, como a dependência de álcool e drogas, horários irregulares, cansaço de digressões, elevados níveis de stress e ansiedade.
 
Publicado em Mix

 

Ultimate DJ é o nome do novo reality show de talentos para a televisão, direcionado para DJs e produzido por Simon Cowell para a plataforma Yahoo Live, em parceria com a LiveNation e a Ultra Records. A data da estreia ainda não foi divulgada, mas está para breve.
 
O DJ vencedor do concurso televisivo vai assinar um contrato com a Sony Music e a Ultra Records e terá a oportunidade de atuar num grande festival de música. A votação ficará também a cargo do público, através da rede social Tumblr.
 
“A música eletrónica é um dos géneros mais importantes em todo o mundo e nós queremos respeitar o que está a acontecer no planeta”, afirmou Simon Cowell na conferência de imprensa e de apresentação do programa, na passada segunda-feira, em Nova Iorque.
 
O DJ e produtor Steve Aoki é um dos jurís do Ultimate DJ, depois de Fatboy Slim recusar o convite por achar que a iniciativa era uma “ideia terrível”, segundo o Digital Psy. Gordon City afirmou que será “mau para a indústria”.
 
Simon Cowell é uma das personalidades mais conhecidas da televisão mundial, tendo participado como mentor e jurí em reality shows como X-Factor, Britain’s Got Talent e American Idol. Leona Lewis, Cher Lloyd, One Direction, Fifth Harmony e Emblem 3 são alguns dos artistas descobertos pelo produtor.
 
Publicado em Mix
O Capicua Forever, na Marina de Portimão, foi o local escolhido para a segunda festa do grupo de Facebook “Aos Nossos DJs”, um evento de solidariedade para com a Caritas da Paroquia Matriz da cidade algarvia, que vai decorrer no próximo dia 5 de setembro.
 
Além de muita animação e de recolha de alimentos, a cabine vai receber Bruno Amaral, Chris Marquez & Delkarmo, Marksoul, Matt Moore, Helena Isabel, Nelson Vaz e Pedro Ramalho. O Portal 100% DJ é Media Partner do evento que terá início às 16h00, com fim previsto para as 07h00, de entrada livre.
 
Para contribuíres para esta boa causa, prepara-te para a festa e leva contigo alguns alimentos como leite, conservas, massas, azeite, cereais, produtos de higiene, entre outros, para posteriormente serem entregues a famílias carenciadas de Portimão.
Publicado em Eventos
quarta, 03 outubro 2012 00:09

Kai Song: é DJ e tem apenas 8 anos

Na música pop há vários exemplos de talentos prematuros que viraram artistas de sucesso a nível internacional. O caso mais exemplar e conhecido de todos, é o do falecido Michael Jackson, que começou a cantar e dançar aos 5 anos de idade.

Recentemente e no género eletrónico, também existe um novo fenómeno de prematuridade artística. Falamos de Kai Song - um rapaz de 8 anos que mora em Brooklyn (Nova York).
É certo que ainda não é a estrela das pistas, mas no que depender da sua determinação e do seu empenho, é provavel que vire um 'Top DJ'.

Movido pela curiosidade típica de infância, Kai começou se interessar-se por música, usando os equipamentos do pai, que também é DJ. Clicando botões aqui e ali, e aprendendo alguns truques da profissão com o seu progenitor, Kai realizou o seu primeiro gig com apenas 3 anos no Children's Musem Of The Arts, em Manhattan. Desde então, virou uma espécie de celebridade local, e já segue uma agenda movimentada de gigs, tocando em festas de escolas, de amigos e em vários eventos. No entanto, confessa ainda ter dificuldade em manusear o 'pitch'.

Numa entrevista para o site Brokelyn, o rapaz esbanja personalidade e um certo feeling ao falar sobre os seus sets. "Se é uma festa para adultos, eu toco dance music. Uma das músicas que tem tido mais sucesso é a 'Titanium', do David Guetta. Nas festas de crianças, costumo tocar coisas mais pop, tipo a 'Dynamite', do Taio Cruz.”, diz Kai.

Além disso, este rapaz já realizou algumas pequenas proezas neste ano. Uma delas foi ir ao festival Electric Zoo, que decorreu no final do mês de agosto em Nova York, onde conseguiu tirar uma fotografia com o famoso Skrillex. "Acho espetacular a atitude dele. Reservou um tempo para receber os fãs no backstage. Conversámos e comparámos os nossos equipamentos. Ele tem as mesmas coisas que eu", revela.

Fã incondicional de David Guetta e Tiësto, Kai tem planos ambiciosos para a sua carreira. "Quero ser um grande DJ, estar no Top 10, e no mínimo entrar no Top 100", diz com afinco.
Confere a sua Página Oficial do Facebook em facebook.com/DJKaiSong.
 
Publicado em Artistas
A ‘campanha eleitoral’ para o Top 100 da DJ Mag deste ano já começou. Além dos artistas internacionais, são muitos os DJs e produtores portugueses que estão a apelar ao voto, utilizando, maioritariamente, as redes sociais.
 
Kura, que se estreou o ano passado na lista ocupando a posição número 42, iniciou a sua campanha através de um vídeo que mostra os bastidores da vida de DJ. “As votações da DJ Mag já começaram, o vosso apoio é mais importante do que nunca!”, revelou Kura na sua página oficial de Facebook.
 
Há também outros DJs portugueses empenhados a tentar a sua sorte para a edição deste ano do mais disputado TOP 100 de DJs, com apelo ao voto através das redes sociais, junto dos fãs. É o caso do DJ The Fox, que considera que “esta entrada em votação é idealizada de forma a querer mostrar mais do que se faz em Portugal. A produção é o foco e um resultado inesperado pode acontecer!”.
 
Tom Enzy também já iniciou a sua ‘campanha eleitoral’, afirmando que “tem sido um ano incrível” e que “é o momento certo para fazer isto acontecer!”. Depois de apelar votos aos seus fãs, agradece por tornar este “sonho em realidade”.
 
Depois de atuarem no mesmo palco de grandes nomes como Dimitri Vegas & Like Mike ou Steve Angello, a dupla Club Banditz decidiu também apelar ao voto. “As votações da DJ Mag já começaram, o vosso apoio é muito importante!”, relatam os DJs e produtores na página oficial de Facebook.
 
Diego Miranda é também outro português que quer continuar a marcar presença na lista mais cobiçada da música eletrónica. Além de apelar ao voto durante as suas atuações o DJ aposta ainda na distribuição de autocolantes pelos fãs. Através de um vídeo com alguns dos melhores momentos da sua carreira nos últimos anos, o DJ tem contado com o apoio dos seus seguidores para fazer história.
 
Desde o ano 1997 que a presença de portugueses na lista já vem sendo habitual. DJ Vibe foi o estreante, na posição número 36, a mais alta de um DJ nacional até aos dias de hoje.
 
Pete Tha Zouk, Diego Miranda e Kura também já estiveram presentes no Top 100 da DJ Mag nos últimos anos.
 
Em baixo poderás conferir todas as posições de DJs portugueses no Top da DJ Mag, nos respetivos anos:
 
DJ Vibe:
  • 1997 - #36
  • 1998 - #87
  • 2004 - #80
  • 2005 - #40
  • 2006 - #47
  • 2007 - #40
  • 2008 - #79
  • 2010 - #100
  • 2011 - #84
 
Pete Tha Zouk:
  • 2010 - #80
  • 2011 - #37
  • 2012 - #47
 
Diego Miranda:
  • 2013 - #94
  • 2014 - #70
 
Kura:
  • 2014 - #42
 
 
{youtube}b_fjj48U3zk{/youtube}
Publicado em Mix
A Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania da Câmara dos Deputados do Brasil aprovou no passado mês de novembro, um projeto de lei que regulamenta a profissão de DJ. Entretanto foi alterado e volta em breve ao Parlamento brasileiro para que possa ser novamente discutido e, por sua vez, votado.
 
Para exercer a profissão de DJ no Brasil, os artistas têm de ter frequentado um curso técnico de 800 horas, em instituições reconhecidas pelo Ministério da Educação. Para realizar o curso, é obrigatório ter pelo menos 16 anos e o ensino médio completo (ou estar ainda a frequentar).
 
Esta nova regra não se aplica aos profissionais que já estejam a trabalhar na área há, pelo menos, cinco anos, nem para os DJ estrangeiros que permaneçam no Brasil até um mês.
 
A duração do trabalho de um DJ profissional também foi tida em conta e não pode superar as seis horas por dia e ir até 30 horas por semana. Essa duração é o período de apresentação ao público, incluindo também ensaios e atividades de promoção do artista. O DJ deverá ainda ter direito a um intervalo para refeição e descanso de 45 minutos, no mínimo. Em relação às horas extras, o pagamento tem uma subida de 100% sobre o valor normal. Se o artista trabalhar em condições perigosas, o projeto de lei prevê ainda que o mesmo deva receber um pagamento adicional.
 
Em Portugal, “Disc Jockey” é reconhecido como um profissional das artes do espetáculo. Isto é, desde 2010 que o Instituto Nacional de Estatística inclui o “Djing” na Classificação Portuguesa de Profissões com o número 26.59.1 e é conferido o direito de usar o C.A.E. 90010 a quem iniciar/exercer a atividade com esse número.
 
Em termos burocráticos, recorde-se que a PassMúsica (entidade legal de proteção dos direitos autor ligados à música) possui uma licença - a Licença de Reprodução para DJs - que abrange todas as pessoas que exerçam a atividade de DJ (profissional ou acessória) cujo objetivo objetivo passa por permitir aos DJs a utilização de gravações musicais em formatos diferentes daqueles em que foram adquiriram originalmente. A licença tem o valor anual de 350 euros.
Publicado em Mix
Vai estar disponível dentro de poucas horas a mais popular e polémica votação de DJs de todo o Mundo, promovida pela revista Britânica - DJ Mag.
Até meados de setembro, os fãs dos artistas são mais uma vez convidados a votar nos seus cinco ídolos - por ordem de preferência (1-5) -, através da plataforma digital disponibilizada pela revista.
 
Nos últimos anos, esta votação tem-se revelado bastante polémica. Há registo de uma fraude que foi descoberta, quando vários DJs votaram várias vezes em si mesmos, utilizando softwares para camuflar o IP, e até mesmo uma venda de votos do Ebay por 1000 euros - situações que receberam inúmeras criticas e colocaram em causa a credibilidade da própria votação. No entanto ano após ano, a DJ Mag afirma que esta é uma eleição dos artistas mais populares e não necessariamente dos melhores da 'cena'.
 
É cada vez maior a preocupação da revista em melhorar a sua plataforma, a fim de evitar fraudes nas votações, e é também cada vez maior o número de candidatos em agressivas campanhas promocionais 'vota em mim'.
 
Recorde-se que o último vencedor foi Amin Van Buuren que voltou a conquistar o primeiro lugar, depois de em 2011, David Guetta lhe ter 'passado a perna' por apenas 1 lugar. Neste momento Van Buuren arrecada cinco primeiros prémios dos anos 2007, 2008, 2009, 2010 e 2012.
 
Pete Tha Zouk (47º), Diego Miranda (108º), e DJ Vibe (150º), foram os quatro portugueses que figuraram no Top, mas apenas Pete Tha Zouk ocupou lugar no Top 100.
 
A exemplo de outros anos, os resultados serão conhecidos no próximo mês de outubro na 18ª edição do ADE - Amsterdam Dance Event, que este ano decorre entre 16 e 20 de outubro.
 
 
Publicado em Mix
quinta, 05 novembro 2015 16:29

Reality show para DJs foi cancelado

O polémico reality show de DJs produzido por Simon Cowell intitulado “Ultimate DJ” foi cancelado pela Yahoo!, quando o mesmo ainda estava em fase de pré-produção. O programa era baseado no The X Factor e no American Idol, mas tinha como objetivo encontrar um novo DJ.
 
O cancelamento aconteceu devido à falta de receita que as transmissões no Yahoo! iriam arrecadar, segundo um comunicado oficial de Ken Goldman, diretor financeiro da marca. O reality show ia ser realizado em parceria com a Live Nation e a Ultra Records.
 
O vencedor do concurso televisivo iria assinar um contrato com a Sony Music e a Ultra Records, tendo ainda a oportunidade de atuar num grande festival de música. As votações iriam estar a cargo do público, através do Tumblr.
 
Este novo programa de Simon Cowell foi muito criticado nas redes sociais e por DJs reconhecidos, como Fatboy Slim que considerou uma “ideia terrível” e Gordon City que afirmou que seria “mau para a indústria”.
 
Steve Aoki e as irmãs NERVO eram dois dos nomes falados para fazer parte do painel de júris do programa.
Publicado em Mix
Uma listagem de regras, algumas hilariantes, está a tornar-se viral e a correr as redes sociais. O "regulamento" faz parte de um novo clube que vai abrir portas durante este mês de fevereiro, na cidade do pecado - Las Vegas.
 
No documento pode ler-se que não é permitido tocar alguns géneros musicais como trap, hip hop e até mesmo dubstep. Faixas de artistas como Hardwell, Calvin Harris, Martin Garrix, Tiësto, Swedish House Mafia e Wolfgang Gartner estão também proibidas de serem tocadas. Fora de questão, está também o DJ falar ao microfone. 
 
No remate final a administração do clube, que assina o documento, avisa que se alguma das regras for quebrada, o DJ sai imediatamente da cabine e não será renumerado. 
Que te parecem estas regras? Puro marketing?
 
 
Publicado em Nightlife
Pág. 1 de 5
100% DJ. Projeto editorial independente cujos valores se guiam pelo profissionalismo, isenção e criatividade, tendo como base de trabalho toda a envolvente da noite nacional e internacional, 365 dias online.

Newsletter

Recebe novidades e conteúdos exclusivos no teu e-mail.