27-05-2019

  Diretor Ivo Moreira | Periodicidade Diária

Sobre Nós  |  Fala Connosco     

Os habituais copos de plástico descartáveis estão proibidos no recinto do Rock in Rio Lisboa, que vai decorrer nos dias 23, 24, 29 e 30 de junho, no Parque da Bela Vista, em Lisboa.
 
Para substituí-los, a organização do eventos lançou uma coleção exclusiva de copos reutilizáveis que vai ser oferecida a todos os festivaleiros que estiverem dentro da Cidade do Rock. Ao todo, são 10 copos diferentes que podes levar para casa, com um design inspirado na pop art, disponíveis nas medidas de 25, 40 e 50cl. Todos os que reutilizarem o copo irão ter um desconto na Super Bock, Somersby, 7Up e outros refrigerantes.
 
“Apesar de já apresentarmos uma excelente taxa de reciclagem e valorização, ao adotarmos esta medida dos copos reutilizáveis para consumo de bebida dentro do recinto, poderemos, também, diminuir significamente os resíduos produzidos, enquanto incentivamos o nosso público para uma atitude mais sustentável”, referiu Roberta Medina, vice-presidente executiva do Rock in Rio.
 
O festival Rock in Rio foi sempre reconhecido pelas suas iniciativas a pensar no bem-estar do planeta Terra e do seu ambiente, além de proporcionar uma experiência única com boa música aos seus visitantes, tudo “Por um Mundo Melhor”. Até ao momento, o Rock in Rio Lisboa é o único festival certificado a nível nacional com a norma ISSO 20121 – Eventos Sustentáveis.
 
O cartaz do evento encontram-se completo e no line-up constam nomes como The Chemical Brothers, Diego Miranda, Vintage Culture, Moullinex, DJ Vibe, Karetus, Kamala, Rich & Mendes e o famoso conceito Revenge Of The 90s.
 
Os bilhetes para a edição deste ano do Rock in Rio Lisboa encontram-se à venda com preços entre os 69 e os 117 euros.
 
 
Publicado em Rock in Rio
sábado, 26 maio 2012 11:57

Tu perguntas, Roberta Medina responde

A Vice-Presidente Executiva do Rock in Rio vai estar em direto para dar a sua opinião sobre o cartaz de dia 26, que conta com Limp Bizkit, Offspring, Linkin Park e Smashing Pumpkins no Palco Mundo.

O segundo dia de Rock in Rio-Lisboa 2012 conta ainda com uma dupla de veteranos no Palco Sunset. Os Xutos & Pontapés e os Titãs vão levar a sua geração a um espetáculo que junta os dois lados do Atlântico. Da lista de atuações no palco que assiste ao pôr-do-sol, fazem ainda parte as duplas Mafalda Veiga e Marcelo Jeneci, assim como Rita Redshoes e Moreno Veloso.

Mais tarde, às nove da noite, a Eletrónica abrirá a pista para DJs como Punks Jump Up, The Magician e Azari & III, a este último caberá a tarefa de encerrar a noite.
 
 
Publicado em Rock in Rio
A Fundação Luís Figo e a organização do maior evento de música e entretenimento do Mundo comemoraram ontem o Dia Mundial da Criança, recebendo cerca de 400 crianças de várias IPSS de norte a sul do país, na Cidade do Rock. As crianças juntaram-se à Fundação Luis Figo e aos seus voluntários para, juntamente com Luís Figo e Roberta Medina, formarem um cordão humano que recebeu os primeiros visitantes deste dia, ao som do hino do Rock in Rio.

As centenas de crianças e jovens que tiveram oportunidade de passar o seu “Dia” de forma muito especial no Rock in Rio-Lisboa, provêm de instituições de solidariedade social, como a Cruz Vermelha Portuguesa, a Santa Casa da Misericórdia, a Fundação O Século, a CrescerSer, o Movimento ao Serviço da Vida e a Casa dos Rapazes, tendo sido acompanhadas pelos responsáveis das mesmas.
Para além de lhes ter sido entregue pelos voluntários da Fundação Luis Figo um lanche, oferecido pelo Continente, puderam depois usufruir da Cidade do Rock, passar pela Rock Street e Street Dance, as novidades desta edição, e assistir aos concertos de Lenny Kravitz, Maroon 5, Ivete Sangalo, Expensive Soul, Boss AC, entre outros.

O trabalho da Fundação Luis Figo para comemorar o Dia da Criança não se ficou por aqui. Sara Souto, Directora-Geral da Fundação Luis Figo, acrescentou: “Assinalamos anualmente o Dia Mundial da Criança, fazendo questão de proporcionar sempre um dia diferente a várias crianças desfavorecidas e distribuindo presentes a nível nacional. Esta semana acabámos de distribuir 2500 presentes a instituições e hospitais de norte a sul do país”.
 
Publicado em Rock in Rio
A organização do maior evento de música e entretenimento do mundo apresentou, na tarde de ontem, a mais recente novidade do Rock in Rio: a Street Dance, um novo espaço cenográfico inspirado em Nova Iorque que pretende levar os diversos estilos de dança urbana à Cidade do Rock. Breakdancing, Hip-Hop e Funk Dance… o Parque da Bela Vista vai estar ao rubro!

Durante a apresentação, Roberta Medina, Vice-Presidente Executiva do Rock in Rio, referiu que “a Street Dance demonstra o empenho da organização em surpreender o público a cada edição. Este novo espaço inspirado em Nova Iorque vai trazer todo o espírito alegre e ritmado da dança urbana à Cidade do Rock. Lisboa vai ser a primeira a ver esta novidade, que depois segue para Madrid e, em 2013, para o Rio de Janeiro e Buenos Aires. Acreditamos que vai ser um verdadeiro sucesso”.   
 
Das 16H30 às 23H30 a dança urbana invade a Street Dance com diversas animações para o público, protagonizadas por um DJ e um MC e uma dance crew residente. Este novo espaço conta com Marina Frangioia como Diretora Artística. Bailarina, professora de dança e coreógrafa reconhecida, ganhou protagonismo junto do grande público quando fez parte do júri do concurso da SIC “Achas Que Sabes Dançar?”. A terminar o Mestrado em Criação Coreográfica Contemporânea na Escola Superior de Dança de Lisboa, Marina Frangioia trabalha regularmente com bailarinos e atores. Entre outros trabalhos, destaque para a Fábrica (work in progress), que criou para o Festival de Cinema de Animação de Lisboa.
 
“A street dance tem vindo a ganhar o seu espaço em Portugal e hoje as academias e escolas de dança contam com centenas de alunos entusiastas. Os media, a moda e a música foram um meio facilitador na promoção deste estilo de dança. O Rock in Rio vai agora procurar os melhores dançarinos de street dance do país”, referiu Marina Frangioia, Diretora Artística deste novo espaço.

O Jukebox Project será a dance crew residente da edição de Lisboa. Fundado em 2008 pelo jovem mas consagrado bailarino Vasco Alves, tem sido uma plataforma de criação para alguns dos melhores street dancers em Portugal, representando o país em campeonatos mundiais. As atuações do Jukebox Project vão acontecer durante os intervalos do Palco Sunset, às 17H50, às 19H30 e às 21H00 e prometem pôr toda a Cidade do Rock a dançar! Depois do Jukebox Project, é a vez dos cinco semi-finalistas do Casting Street Dance Portugal atuarem para os milhares de pessoas que se encontram no Parque da Bela Vista. Cada semifinalista atuará num dos dias do evento.

A festa da Street Dance começou já ontem na Praça Luís de Camões, onde foi montada toda a cenografia para a apresentação deste novo espaço, numa iniciativa conjunta com a Câmara Municipal de Lisboa. Em Portugal, a Street Dance é um projeto desenvolvido em parceria com a SIC Radical e a Mega Hits, e conta com o apoio do portal SAPO, responsável pela gestão técnica dos vídeos de inscrição e votos do público.
 
O Rock in Rio-Lisboa volta ao Parque da Bela Vista nos dias 25, 26 de maio e 1, 2 e 3 de junho de 2012 e já estão confirmadas as presenças de Metallica, Evanescence, Mastodon e Sepultura com os Tambours du Bronx no dia 25 de maio; Smashing Pumpkins, Linkin Park, The Offspring e Limp Bizkit no dia 26 de maio; Lenny Kravitz, Maroon 5, Ivete Sangalo e Expensive Soul no dia 1 de junho; Stevie Wonder, Bryan Adams, Joss Stone e The Gift no dia 2 de junho; e Bruce Springsteen & The E Street Band, Xutos & Pontapés, James e Kaiser Chiefs no dia 3 de junho.
 
Publicado em Rock in Rio
sábado, 06 novembro 2010 21:36

Rock In Rio 2011 já mexe (c/ vídeo 3D)

Com 25 anos de história, o Rock in Rio é hoje mais do que o maior evento de entretenimento e música do mundo. Ao longo de nove edições, três no Brasil (1985, 1991 e 2001), quatro em Portugal (2004, 2006, 2008 e 2010) e duas em Espanha (2008 e 2010), mobilizou um público de mais de cinco milhões de pessoas que assistiu, em 57 dias, a 653 atracções que passaram em mais de 780 horas de música, com transmissão para mais de um bilião de telespectadores, em 80 países. Ao todo, o investimento ultrapassou 247 milhões de euros. Além disso, mais de cinco milhões de euros foram destinados a projectos sociais. Mais do que números expressivos de público e investimento, o Rock in Rio movimentou a economia dos lugares por onde passou: foram criados mais de 39 mil empregos directos nesses anos.

Consagrado no Brasil, em Portugal e em Espanha, o Rock in Rio cresceu e amadureceu a sua fórmula de sucesso com uma equipa de produção internacional e, em 2011, de volta à sua terra natal, o Brasil, e a expectativa é que atraia mais 600 mil pessoas para desfrutarem com segurança e conforto as atracções que serão oferecidas, como os palcos Mundo, Sunset e Eletrónica, além de muitas outras novidades que vão transformar a Cidade do Rock num verdadeiro parque de diversões.

O evento acontece nos dias 23, 24, 25 e 30 de Setembro e 1 e 2 de Outubro de 2011, em Jacarepaguá, zona Oeste do Rio de Janeiro, o mesmo bairro onde estreou em 1985, numa posição geograficamente favorecida: 150mil m² e uma lagoa natural na paisagem. O “Parque Olímpico Cidade do Rock” é uma área que a Prefeitura do Rio de Janeiro está a ceder ao Rock in Rio, antecipando as obras do que será nas Olimpíadas de 2016 o parque para lazer dos atletas.

O Rock in Rio regressa ao Rio de Janeiro num momento promissor e de grandes investimentos: somado à conquista dos Jogos Olímpicos de 2016 e do Mundial de Futebol de 2014, que também contribuem para projectar de forma positiva a marca da cidade e gerar desenvolvimento económico.
Publicado em Rock in Rio
A organização do Rock in Rio-Lisboa recorda que a venda de bilhetes neste parceiro termina hoje, dia 20 de maio. Os interessados em adquirir bilhetes com 20% de desconto em cartão devem fazê-lo até ao final do dia de hoje. Depois só vão encontrar bilhetes para o Rock in Rio-Lisboa nos restantes pontos de venda oficiais: na FNAC, em 68 sucursais do Millennium bcp, nos postos de abastecimento da BP aderentes (33 euros + 1.500 pontos BP premierplus) e no site oficial do evento em www.rockinriolisboa.sapo.pt.

Para a edição de 2012 estão pela primeira vez disponíveis bilhetes VIP por 240 euros (site oficial e FNAC) e contemplam serviço de estacionamento e shuttle para a Cidade do Rock. Na FNAC existe também o pack “Nós Vamos” que inclui 4 bilhetes para a mesma data por 220 euros.
 
O Pack Abreu Rock in Rio Express inclui transporte de autocarro ida e volta de várias cidades do país para a Cidade do Rock e está à venda nas lojas da Agência Abreu por 77 euros.
 
A CP disponibiliza mais uma vez um passe que combina a viagem de ida em qualquer comboio Intercidades regular no eixo Porto-Campanhã/Lisboa Oriente e volta no comboio especial da madrugada.
O RockCard CP tem um preço único de 92 euros e inclui transferes entre a estação de Lisboa Oriente e a Quinta da Bela Vista Cidade do Rock, onde decorre o evento. Os comboios especiais, que estarão disponíveis ao público em geral, terão partida de Lisboa Oriente  e farão paragem em Santarém, Entroncamento, Pombal, Coimbra B, Aveiro, Espinho, Gaia e Porto Campanhã.
 
Recorde-se que os ingressos para o dia 26 de maio estão esgotados no Continente, mas poderão ser adquiridos através dos outros meios disponíveis.
 
Faltam 5 dias para a festa começar. Estás preparado/a?!
 
Publicado em Rock in Rio
DJay Rich e António Mendes são os DJs oficiais da emissora portuguesa RFM e residentes do festival RFM SOMNII. Quer a nível individual ou em dupla, jápercorreram muitos dos palcos nacionais mas agora são artistas indispensáveis de se ter no line-up de um festival. Detentores de uma energia única e contagiante, unem-se, ajudam, apoiam e incentivam os jovens talentos da música eletrónica e essa atitude éde louvar. O Portal 100% DJ esteve àconversa com a dupla portuguesa nos bastidores do Music Valley, momentos antes de subirem ao palco do Rock in Rio Lisboa.
 
Estrearam-se no Rock In Rio. Qual é a sensação desta primeira vez no festival?
Mendes: A sensação é óptima. Já tínhamos noção da dimensão do festival por causa da relação que temos através da RFM com o Rock in Rio, mas ter o nome no cartaz está a ter um feedback muito espetacular. As pessoas estão a dizer que é um outro nível. E isso é muito bom. 
 
Contam um verão preenchido: Rock in Rio, RFM Somnii, Algarve... O que é que o público pode esperar de vocês?
Mendes: Além desses locais, ainda vamos estar no RFM Beach Power na Madeira, nos Açores... 
 
Rich: Podem esperar o mesmo de sempre: muita alegria nos sets. Gostamos de tocar aquilo que apreciamos mesmo. Tentamos fazer sets diferentes, principalmente no RFM Somnii onde tocámos três noites, pois somos residentes do festival. Este ano levámos dois convidados, para fazer algo diferente: o Pete Tha Zouk e o Pedro Cazanova. São pessoas com quem lidamos e trabalhamos há muitos anos, portanto fazia todo o sentido convidá-los.
 
Como está a ser a aceitação da vossa nova música com o Michael Teixeira?
Rich: A música é muito boa. Tem um hook muito forte e muito fácil e nós tocámos o remix no Rock in Rio pela primeira. Ainda está um pouco em segredo, mas já temos alguns DJs internacionais interessados em fazer remixes. Estamos muito satisfeitos com o resultado final e ter um contacto como o Michael que, para além de ser um excelente produtor, está nos Estados Unidos da América e dá-nos a vantagem de termos vozes norte-americanas. Essa é uma das nossas preocupações quando lançamos um tema cantado em inglês, porque quando temos alguém cá a cantar inglês, temos de estar sempre a mandar corrigir as letras lá fora para ver se existe alguma coisa que não faça sentido. Assim, manda-se a ideia, trabalha-se a ideia, discutimos, faz-se um rascunho e fica perfeito. 
 
Cláudio.Photos
 
No vosso radioshow dão algum destaque a novos talentos. Como é que encaram a nova geração da música eletrónica em Portugal?
Mendes: Essa tem sido sempre uma preocupação nossa: dar espaço a novos talentos. Mesmo no recente concurso que fizemos para o RFM Somnii, tivemos muitas participações e a dificuldade foi mesmo escolher e chegar ao lote de 10 finalistas. Apareceram-nos faixas muito bem produzidas nos vários sub-géneros da música eletrónica, o que é sempre bom. Diria que há muito bom talento em Portugal nesta área. 
 
Rich: Na área da produção, vemos chegar músicas brutais. As pessoas que participam pensam muita coisa. Houve DJs conhecidos a concorrerem ao concurso e não passaram. Nós não os escolhemos porque quisemos ser fiéis à nossa opinião e as pessoas têm que aceitar que nós fomos o júri. Foi a nossa opinião e foram as músicas que nós mais gostámos, independentemente de haver muito boa produção. Foram 267 participações e quando começámos a reduzir chegámos às 150 e ficámos sem saber o que fazer. Eram 150 artistas que nós gostávamos de meter numa página a votação. Tínhamos de escolher 10 e foi a nossa opinião em termos de gosto e foi isso que prevaleceu. Já fizemos algo semelhante, não tão absorvida como esta, para o disco do RFM Somnii e lançámos um desafio o mais transparente possível. Também escolhemos sete produtores, eram para ser cinco mas não conseguimos e abrimos exceção. Foram sete artistas para o disco e a votação nessa altura foi através de downloads do iTunes. A escolha foi completamente transparente como foi no site, desta última vez. Quem ganhou foi quem conseguiu mais votos, independentemente daquilo que conseguisse fazer. É sempre complicado não conseguir, mas o importante é participar e há que respeitar a decisão das pessoas. 
 
Mendes: O importante é os participantes acreditarem em si próprios, não desistir. Frustrações e coisas que correm mal, toda a gente tem. Se acreditas, continua a acreditar. 
 
Querem dar alguns exemplos de novos talentos que estejam debaixo de olho?
Mendes: Ao dizer nomes não ia ser politicamente correto. Se destacar um ou dois nomes, vamos sempre correr o risco de deixar alguém de fora. É um pouco difícil. 
 
Rich: Nessa perspetiva, nós já trabalhámos com jovens produtores. O ano passado no RFM Somnii levámos dois produtores novos para cima do palco. Acho que isso é um incentivo magnífico para eles. Foram o Batista e o Khamix. É muito importante para estes artistas tentar trabalhar com alguém que já tenha nome no mercado e que tenha ferramentas e meios para divulgar o trabalho. Não conseguimos dar a todos mas não somos aqueles produtores que dizem: “Não vamos fazer música com produtores desconhecidos”… Não, nós adoramos a nova produção, ‘fazemos bandeira’ no RFM Somnii Radioshow e queremos divulgar novos talentos e incentivá-los. As oportunidades surgem. As coisas não caem do céu. É trabalho, é sorte, são oportunidades que temos de agarrar. Temos de estar dispostos a muita coisa para que isso aconteça. Às vezes há muitos destes jovens que pensam que, por exemplo, o Martin Garrix que fez uma música e foi um sucesso, que vai ser igual. Mas, outro exemplo, o Avicii foi o produtor que durante muito tempo ninguém lhe ligava nenhuma. O próprio Bob Sinclar ou o David Guetta que em 2004 esteve no Porto e ninguém se lembra disso. Quando ele rebentou, foi a loucura. Ele não caiu do céu. Se as pessoas olharem, há, de facto, jovens talentos que começam logo e há outros que só começam a aparecer mais tarde. 
 
Que novidades podem revelar sobre o futuro da vossa carreira?
Mendes: Estamos a preparar mais umas músicas. 
 
Rich: Nós levamos isto muito na boa. Já não estamos cá há dois dias. Porque os nossos objetivos profissionais foram outros, apesar de que esta sempre foi uma carreira que ficou sempre. Nunca tivemos o objetivo de ser vedetas. Gostamos disto e levamos a nossa carreira de uma forma muito descontraída. A prova disso é que nós somos muito pouco ‘facebookianos’. 
 
Que mensagem gostariam de deixar aos leitores e seguidores do Portal 100% DJ que estão a ler esta entrevista?
Rich: Sigam os nossos conselhos.
Mendes: E, sobretudo, divirtam-se!
 
 
Publicado em Entrevistas
A organização do maior evento de música e entretenimento do mundo tem o prazer de anunciar que Robbie Williams é o cabeça-de-cartaz do dia 25 de maio no Rock in Rio-Lisboa 2014. O Parque da Bela Vista vai vibrar com o regresso, há muito esperado, do cantor britânico ao nosso país.
 
A última vez que Robbie Williams esteve em Portugal foi em 2003, quando deu dois concertos no antigo Pavilhão Atlântico. Após onze anos, o cantor regressa novamente a Portugal, desta vez para atuar na Cidade do Rock. 
 
Williams vai interpretar músicas do seu novo álbum "Swings Both Ways", lançado a 18 de novembro, onde revisita canções da era swing, reinterpretando clássicos como Dream A Little Dream, I Wanna Be Like You e Puttin' on The Ritz, assim como canções originais escritas com Guy Chambers, como No One Likes a Fat Popstar e o single Go Gentle.  
 
O Rock in Rio-Lisboa 2014 realiza-se nos dias 23, 25, 30 e 31 de maio e 1 de junho, no Parque da Bela Vista. Além de Robbie Williams, que vai atuar no dia 25 de maio, estão já confirmadas as presenças de Arcade Fire, no dia 31 de maio, e de Justin Timberlake, no dia 1 de junho. A organização anunciou que os bilhetes para a edição do próximo ano vão manter-se inalterados, no valor diário de 61 euros.
 
 
Publicado em Rock in Rio
Dez anos após a última edição brasileira (2001) o maior evento de música e entretenimento do mundo regressa à cidade que o viu nascer.
O Rock in Rio 2011 começa hoje e prolonga-se pelos dias 24, 25, 29 e 30 de Setembro e 1 e 2 de Outubro, na Lagoa de Jacarapaguá, Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro.
Confere a programação em www.rockinrio.com.br/pt/live/lineup.php.

 


A Cidade do Rock
O Rock in Rio vai utilizar durante os seus sete dias cerca de 12 mil KWA, energia que dá para abastecer o equivalente a 600 casas. O recinto tem dez torres de som e luz, com o formato de rabo de peixe, com 15 metros de altura e 10 toneladas cada. Cerca de 600 pessoas trabalharam diarimante na construção da Cidade do Rock, que tem 40 mil m² de relva sintética, mais de 200km de cabos, 7 ecrãs gigantes e um total de 3 mil toneladas de material utilizado para a montagem das estruturas.
Ao todo foram montados 16 stands, 46 lojas, 12 quiosques, mais de 11 bares e restaurantes, cinco caixas multibanco e cinco cabines anti-ruído espalhadas pelo espaço.
A zona frontal da Cidade do Rock tem 1km de extensão, com 2,5km de perímetro na área que compreende o Palco Mundo e o Palco Sunset e 150m de distância entre os dois espaços. Para encontrar uma área de restauração ou sanitários o público não vai precisar de andar mais do que 60m.

 

 

 

Palco Mundo
O Palco Mundo vai receber grandes nomes da música brasileira e internacional. Tem 86m de frente de palco, 25m de altura, pesa 600 toneladas, e os artistas estarão a uma altura de 2,5m. O revestimento cenográfico é composto por painéis dinâmicos côncavos e
convexos arredondados em placas de metal, uma forma de representar a interactividade entre palco, artistas e público. Estes painéis ampliam os efeitos da iluminação durante a noite, transformando-o num espectáculo à parte.

 

 

 

Palco Sunset
Palco dos grandes encontros ao pôr-do-sol, onde artistas brasileiros e internacionais se vão juntar em jam sessions especiais, inusitadas e inesquecíveis, o Palco Sunset tem 31m de frente, 15m de altura e pesa 100 toneladas. Esta estrutura é menor que a anterior para que os concertos sejam mais intimistas e o público se sinta mais próximo dos artistas que estarão apenas a 2 metros de altura. A ideia por trás deste projecto é oferecer um espaço onde os músicos têm total liberdade para experimentar, onde podem interpretar o reportório uns dos outros, convidar mais nomes para subir ao palco, libertar a criatividade em concertos especialmente preparados para o evento. O conceito estende-se aos bastidores, com os camarins voltados para um lounge, um espaço com instrumentos para os artistas se aventurarem e improvisarem, podendo depois levar essas criações para palco.

 

 

 

Tenda Electrónica
Os melhores DJ’s do mundo vão fazer dançar os fãs da música electrónica numa área com 40m de diâmetro com capacidade para mais de 5 mil pessoas. A Electrónica é composta por equipamentos de som e luz de última geração, além de 6 megafones gigantes, de 9 metros de altura, que pesam em conjunto 20 toneladas, ecrãs gigantes para projecção de imagens e plataformas onde vão estar os bailarinos, assim como um espaço especial para o DJ comandar a festa.

 

 

 

Diversões e Village
A Cidade do Rock será dedicada não apenas à música mas também ao entretenimento, com uma série de atracções que vão para além dos concertos. O Slide com 200 metros de extensão vai permitir o “voo” sobre o público à frente do Palco Mundo, inclusive durante os concertos. Com 28 metros de altura, a Roda Gigante vai oferecer uma vista panorâmica da Cidade do Rock. O Free Fall, localizado à entrada da Rock Street, vai despertar fortes emoções nos adeptos de actividades radicais, com uma queda livre de 17 metros de altura. A Montanha Russa é o único divertimento a encerrar o funcionamento juntamente com os concertos do Palco Mundo.
Para quem gosta de compras, o Village funcionará como um espaço com stands focados em gastronomia, lazer, compras, cada um com uma decoração própria, apresentados ao longo de 200 metros. Um total de 28 lojas de 45m2 cada, sendo 12 de alimentação e 16 de marcas, que funcionam das 14 horas às 4 horas.

 

 

 

Rock Street
A Rock Street é a grande novidade do Rock in Rio 2011 e promete surpreender o público. Esta rua cenográfica é inspirada em Nova Orleães (EUA) tem 160 metros de dimensão e terá 20 lojas, bares e restaurantes onde o público vai encontrar todos os dias, desde a abertura de portas (14h00) às duas horas da manhã, actuações de artistas do mundo do jazz e do blues, músicos que vão circular pela rua, artistas de sapateado como Stephen Harper e Max Pollack, malabaristas, acrobatas, mágicos, estátuas humanas, caricaturistas entre outras surpresas que a organização preparou.

 

Publicado em Rock in Rio
sábado, 26 maio 2012 15:38

Eletrónica Heineken 26.05.2012

Tenda Eletrónica Heineken 26 maio 2012
 
Azari & III Live (CN)
O concerto dos canadianos Azari & III promete ser um dos pontos altos de hoje. Os produtores Dinamo Azari e Alixander II e os vocalistas Fritz Helder e Cedric Gasiada ficaram conhecidos mundialmente pelo single “Hungry for Power” e apresentam-se pela primeira vez no Rock in Rio, um ano depois de terem dado um concerto memorável em Lisboa.

Miguel Quintão (PT)
Miguel Quintão é um dos mais conceituados DJ's e apresentadores de rádio em Portugal. É ainda o criador dos projectos Zig Zag Warriors (com Zé Pedro, dos Xutos & Pontapés) e Bons Rapazes (com Álvaro Costa), programa de rádio da Antena 3 que é um sucesso de audiências.

The Magician (BEL)
O belga Magician vem ao Rock in Rio mostrar porque é um dos DJ's mais requisitados da atualidade. Este “mágico” tem mais do que um truque na manga e por isso mesmo não será dificil vê-lo a tocar numa discoteca de Moscovo num dia e em Santiago do Chile no dia seguinte. A sua sonoridade é descrita como dream pop e alternative disco. Recentemente, The Magician produziu o tema “I Follow Rivers” de Lykke Li, video que já tem mais de 11 milhões de visualizações no Youtube. As suas influências passam por Brian Ferry, Supertramp, Human League, Visage, Abba, entre outros. The Magician é também mentor e parte da dupla Aeroplane.

The Discotexas Band Live (PT)
Constituída por Who, Moullinex, Xinobi e Da Chick, The Discotexas Band vai atuar pela primeira vez no Rock in Rio-Lisboa para apresentar o trabalho desenvolvido pelos quatro DJ's portugueses.

Punks Jump Up (UK)
Os Punks Jump Up são uma dupla constituída pelo londrino Joe e pelo sueco David. Apesar de gostarem de batidas mais agressivas, os Punks Jump Up não abdicam de linhas melódicas e por isso mesmo já fizeram remixes de artistas como Gossip, Crystal Castles, Lykke Li, Chromeo, Kele, Miike Snow, Robyn, Tiga, Yelle, Peter Bjorn & John ou Ladytron.

Mirror People (Rui Maia/X Wife) (PT)
Rui Maia, membro dos X-Wife, aposta na sonoridade disco-house para colocar o público a dançar. Deu os primeiros passos enquanto DJ com apenas 16 anos e desde então a sua carreira tem vindo a crescer a grande velocidade. Atualmente é “as mãos” por detrás de Mirror People e tem tocado um pouco por toda a Europa.
 
 
Publicado em Rock in Rio
Pág. 1 de 14
100% DJ. Projeto editorial independente cujos valores se guiam pelo profissionalismo, isenção e criatividade, tendo como base de trabalho toda a envolvente da noite nacional e internacional, 365 dias online.

Newsletter

Recebe novidades e conteúdos exclusivos no teu e-mail.