07-12-2019

  Diretor Ivo Moreira | Periodicidade Diária

Sobre Nós  |  Fala Connosco     

O Algarve é cada vez mais o destino turístico escolhido pelos clubbers de toda a Europa que procuram os mais diversos eventos de música eletrónica. Por esse facto a editora I Bounce decidiu lançar recentemente uma coletânea especial de Verão, fazendo com que o Algarve vá além fronteiras, para atrair novas ideias, novos investimentos, um novo público e uma nova dinâmica

Esta compilação conta com sonoridades bem atuais, e irá funcionar em pleno, tanto no panorama nacional como no internacional.

Os temas incluídos já foram testados por nomes da música de dança mundial que lhes deram feedbacks bastante positivos. É mais um passo importante na dance scene nacional. Tem o preço de 9,99 euros e é um exclusivo da Loja FNAC do Algarve Shopping estando prevista a sua distribuição pelo resto do país e ilhas.
 
Está também disponível em formato Unmixed digital próprio para deejays em mais de 300 lojas espalhadas pelo Mundo inteiro.
 
O Portal 100% DEEJAY já ouviu e aprova no seu todo esta excelente coletânea.
Publicado em Mix
O Shazam - aplicação que permite ao utilizador conhecer o nome e o artista de uma música que está a tocar simplesmente pelo reconhecimento do som - divulgou a listagem das 100 faixas mais pesquisadas em Portugal.
 
Na extensa lista de músicas "shazamed" encontram-se temas como "Dangerous" do DJ e produtor francês David Guetta, "Heroes" de Alesso, "The Days" de Avicii e ainda vários temas assinados por Calvin Harris - artista cuja presença em terras lusas está marcada para o dia 6 de agosto no Festival Sudoeste realizado na Zambujeira do Mar.
 
A lista completa pode ser acedida em shazam.com/charts/pt_top_100 e também é possível filtrar o género musical, mas por enquanto essa seleção de géneros ainda se encontra limitada.
 
Publicado em Mix
À semelhança do que acontece em Miami ou em Amesterdão, com a Miami Music Week e o Amsterdam Dance Event respetivamente, o Dubai vai receber uma conferência mundial de música eletrónica.
 
A cidade dos Emirados Árabes Unidos tem vindo a crescer a cada dia que passa e tornou-se num grande destino de férias de luxo, com várias discotecas e clubs de prestígio internacional.
 
Esta nova conferência está prevista para acontecer entre os dias 18 e 19 de fevereiro do próximo ano, no hotel JW Mariott Marquis, com grandes nomes da música eletrónica a nível mundial, incluindo marcas e pioneiros da tecnologia. Tal como acontece em Miami e em Amesterdão, a conferência do Dubai vai contar ainda com um festival, que vai decorrer durante os mesmos dias do evento.
 
Em breve, serão revelados mais detalhes sobre a conferência e os respetivos artistas.
Publicado em Eventos
sábado, 03 novembro 2012 20:10

5 sets made in Portugal

Desta vez não selecionámos 5 músicas para animar o teu fim-de-semana, mas sim 5 sets de deejays portugueses, bem conhecidos de todos. Todos eles estão disponíveis para download gratuito.
DJ Nox, Pete Tha Zouk, Glove, The FOX e os Club Banditz são um exemplo da famosa velha máxima "O é Nacional é (sempre muito) bom."
 
Volume no máximo e Play!
 
1
 
 
2
 
 
3
 
 
4
 
 
5
 
Publicado em Mix
sábado, 27 outubro 2012 10:46

5 Músicas para ouvires neste fim-de-semana

Fim-de-semana é sinónimo de música, festa e boa disposição, mesmo com chuva. O Portal 100% Deejay apresenta-te as 5 músicas que não vais poder deixar de ouvir neste último fim-de-semana de Outubro. Estás em casa, frente ao computador, com o aquecedor ligado? Então vais ter de clicar no play.
 
 
1
 
 
2
 
 
3
 
 
4
 
 
5
 
Publicado em Mix
É uma notícia de última hora e uma das mais tristes de sempre para o mundo da música eletrónica internacional. O DJ e produtor Avicii faleceu hoje em Muscat, no Omã, aos 28 anos.
 
A notícia foi confirmada através de um comunicado oficial divulgado pelo representante do artista sueco: "É com profunda tristeza que anunciamos a perda de Tim Berling, mais conhecido por Avicii. Ele foi encontrado morto em Muscat, Omã, esta sexta-feira", pode ler-se no comunicado, onde ainda é referido que a família está "devastada" e que a privacidade dos mesmos "seja respeitada". A causa da morte ainda não foi confirmada.
 
Recorde-se que Avicii afastou-se dos palcos em março de 2016 devido a problemas de saúde, focando-se em estúdio a trabalhar em novas produções. No ano passado, lançou o EP "AVICI" com colaborações com Rita Ora, AlunaGeorge, entre outros.
 
Durante a sua carreira teve a oportunidade de subir à cabine dos melhores clubes e festivais internacionais como o Tomorrowland ou Ultra Music Festival além de ter lançado os álbuns “True” e “Stories” em 2013 e 2015 respetivamente. Para a posteridade, ficam os grandes hits "Seek Bromance", "Wainting For Love", "Wake Me Up", "Addicted To You", "Levels", "Hey Brother", entre outros.
 
Avicii teve presente várias vezes no nosso país, com atuações no MEO Sudoeste, Nova Era Beach Party, Rock In Rio Lisboa.
 
Publicado em Artistas
Mais um ano, mais uma edição do Amsterdam Dance Event, que decorreu na passada semana na capital da Holanda. Como é hábito, muitos foram os artistas portugueses que embarcaram na aventura daquela que é considerada como uma das maiores conferências da música eletrónica internacional.
 
O evento contou com palestras, conferências, meetings, troca de contactos entre personalidades da indústria, atuações, o Amsterdam Dance Event e ainda a cerimónia do Top 100 da DJ Mag, cujo vencedor foi Martin Garrix.
 
Von di Carlo, Club Banditz, Kura, Carlos Manaça, KEVU, Prilho, Branko, DJ Ride, Dan Maarten, Karetus, Ben Ambergen e Ewave foram alguns dos artistas portugueses que estiveram presentes no Amsterdam Dance Event.
 
 
O DJ e produtor Branko apresentou a sua editora Enchufada na discoteca Club Paradiso, em Amesterdão, ao lado de nomes como Rastronaut ou Dengue Dengue Dengue.
 
 
A semana de Kura durante o Amsterdam Dance Event foi muito agitada, a começar com a sua colocação no número 51 do Top 100 da DJ Mag de 2016, entregue durante o Amsterdam Music Festival. “Quero agradecer a todos o apoio nestas votações! A nossa bandeira vai voar cada vez mais alto!”, referiu Kura na sua página oficial de Facebook. Além de subir ao palco com Hardwell para apresentarem a nova colaboração, Kura atuou na boat party da Revealed Recordings e no espaço noturno Jimmy Woo ao lado de Julian Jordan e Jay Hardway.
 
 
Para Von Di Carlo, os dias passados no Amsterdam Dance Event foram uma “experiência fantástica”, ao lado de colegas como os Karetus e por ter sido a vencedora de uma competição de beats. O prémio selecionou a artista portuguesa para a ADE University.
 
 
Os Club Banditz também estiveram presentes na semana da música eletrónica de Amesterdão, a promover a sua carreira, música e o seu patrocínio da Monster Products. Por outro lado, Carlos Manaça esteve na capital holandesa sempre na companhia de amigos de longa data como D-Formation, David Penn e Ivan Pica, assistindo a espetáculos de verdadeira house music.
 
 
São uma das duplas revelação de 2016 e pelo segundo ano consecutivo marcam presença na ADE. Os KEVU partiram em direção a Amesterdão e passaram bons momentos com os seus colegas Olly James, Sick Individuals e Blasterjaxx. Uma das suas faixas foi reproduzida por Hardwell no Amsterdam Music Festival e a dupla teve ainda tempo de assumir a cabine da loja oficial da Don’t Let Daddy Know.
 
 
O jovem Prilho foi pela primeira vez ao Amsterdam Dance Event e teve a oportunidade de conhecer vários artistas como KSHMR e Sick Individuals. Segundo o que o artista partilhou na sua página oficial de Facebook, “o balanço foi muito positivo” e “vêm aí muitas novidades”
 
Os Karetus e DJ Ride também foram promover o seu trabalho a Amesterdão, enquanto que Ben Ambergen e Ewave tiveram a oportunidade de conhecer Hardwell pessoalmente. Ben Ambergen agradeceu ao antigo número 1 do Top 100 da DJ Mag por ter reproduzido a sua faixa “Earthquake” no radioshow “Hardwell On Air”.
 

 

Publicado em Reportagens
A maior e mais conceituada plataforma de venda de música on-line - Beatport - apresentou o top das faixas, artistas e géneros musicais que mais vendas registaram no decorrer deste ano, incidindo num período de tempo entre os dias 1 de janeiro e 1 de dezembro.
 
No que diz respeito às faixas mais vendidas, o top 20 é liderado pela melodiosa "Pushing On" produzida por Oliver $ e Jimi Jules. A "ganhar" sai também a editora Spinnin que possui sete faixas nesta lista. 
 
No top dos 20 artistas Martin Garrix afia as suas garras num redondo número 1, estando o seu vizinho e colega Hardwell a ocupar a segunda posição. Oliver Heldens fecha assim as primeiras três posições lideradas pela laranja mecânica - um verdadeiro caso holandês.
 
O Top dos géneros musicais mais vendidos, é liderado - pelo segundo ano consecutivo - pelo Deep House que cada vez mais tem sido abraçado pelos clubes e principalmente pelo público. O Minimal aparece em último lugar. 
 
Confere os gráficos em baixo.
 
 
 
 
Publicado em Mix
Decorreu este fim-de-semana em Lisboa o primeiro Congresso Profissional de Música Electrónica onde tive o prazer de estar presente e onde fui convidado para partilhar um pouco da minha experiência na conferência sobre "Carreiras e Agenciamento". Se é de saudar esta iniciativa, terei também de partilhar convosco o meu ponto de vista onde todos temos errado nesta indústria. 
 
Existem uma série de questões relacionadas com esta indústria que terão de ser resolvidas e este primeiro passo foi extremamente importante, no entanto, não consigo perceber o porquê de muitos dos interessados não terem estado presentes. Não sei se foi por falta de informação, se teriam estado todos a trabalhar num fim-de-semana à tarde ou se é o que eu penso e cada um só pensa no seu "umbigo" ou se fica com o "orgulho" ferido por não ter recebido um convite formal para estar presente. 
 
Neste Congresso, a conferência mais aguardada era a que iria colocar todos os presentes em "confronto/debate" com os representantes do IGAC, SPA e PASSMÚSICA.
A meu ver, nada do que se pretendia foi alcançado (apesar da abertura para debater os mais variados assuntos por parte das diferentes entidades). 
Esta Conferência e os assuntos relacionados com a mesma deveriam ter tido uma duração muito superior à que teve e onde houve muita gente que não teve oportunidade de colocar as suas questões e ver esclarecidas as suas dúvidas. Mais importante que isso, foi o facto de tudo o que ali foi falado, não adiantou em nada. Ficou por resolver (ou agendar/planear como e onde o resolver) a profissionalização da profissão de DJ, não ficou resolvida nenhuma questão relacionada com as plataformas musicais e apenas ouvimos mais do mesmo... FACTURAS E PAGAMENTOS. Possivelmente as melhores informações vieram da parte de onde menos se esperava (Passmúsica e IGAC) no que diz respeito às fiscalizações, onde as intervenções dos dois elementos ligados à fiscalização mostraram a abertura possível e explicaram que apenas exercem o que a lei (ou ausência dela) exige e o que os artistas/DJs deverão fazer e facilitar no caso de serem fiscalizados. 
 

(...) não consigo perceber o porquê de muitos dos interessados não terem estado presentes.

 
Um primeiro passo foi dado... há abertura por parte das entidades para ouvir os DJs, produtores e os seus representantes, no entanto nada disto irá acontecer porque continuamos nesta indústria a "assobiar para o lado" e ficamos à espera que haja alguém que a resolva em vez de haver uma união e que, em conjunto, seja exercida a devida pressão necessária, deixando "brechas" para que haja uns "iluminados" que abrem associações ilegais, sem estatutos e que não representam ninguém e onde apenas vivem para aumentar a sua conta bancária pessoal e o seu ego (falo directamente e abertamente da APDJs e do seu representante). 
 
Existem apenas 2 passos que podem ser tomados. A abertura LEGAL de uma associação e um sindicato para os DJs e Produtores de música electrónica (o que é praticamente impossível) porque terá de ser provado junto do Governo que a profissão é necessária e tem de ser legislada sendo de interesse público ou teremos de em conjunto com as entidades supracitadas (IGAC, SPA e Passmúsica) conseguir que as mesmas façam chegar essa informação a quem poderá efectuar a legislação devida para a "nossa" profissionalização. 
 
Existe algo que podemos usar como "trunfo" ou forma de conseguir ser ouvidos. A SPA é regida pelas normas "associativas", assim sendo, a única forma que temos disponível para que a nossa voz seja ouvida é termos voz activa dentro da SPA. Não podemos tentar lutar "de fora" e a única forma de fazer algo é estarmos dentro das Associações. Se os milhares de DJs e produtores de música electrónica formarem uma lista associativa (onde todos terão de estar inscritos como associados da SPA) e concorram com essa lista de elementos na próxima Assembleia Geral para a eleição dos órgãos sociais da SPA, com toda a certeza que seremos "olhados" de outra forma por parte de todas as entidades. Se conseguirmos fazer parte da solução e não do problema e conseguirmos ter voz DENTRO de quem realmente consegue ter voz e poderá ajudar, todos irão sair a ganhar com este processo. Temos de ser nós a dar o passo e não estar à espera que haja alguém que não tem ou não sabe o que pretendemos, que resolva o problema da nossa indústria onde o que se pretende é uma profissionalização e que não sejam os DJs e Produtores a pagar, entregar dividendos a autores e produtores que não fazem nada à uma série de anos, que não representam nada (actualmente) na indústria discográfica, dos espectáculos ou entretenimento e que principalmente as entidades percebam que a realidade da reprodução/produção e venda da musica já não é a mesma de à uns anos atrás. 
 

Temos de ser nós a dar o passo e não estar à espera que haja alguém que não tem ou não sabe o que pretendemos(...)

 
Não vamos conseguir explicar que as verbas terão de vir de uma taxa sobre quem fornece o serviço de Internet (operadoras) e que não pode ser imputada uma responsabilidade a quem pretende oferecer a sua música, seja ela para execução pública ou privada. Não vamos conseguir explicar que um "Remix" é uma obra nova (apesar de quando é editado a SPA já o considerar como tal), não vamos conseguir explicar que não temos documentos nem facturas quando uma "promo" ou uma faixa é disponibilizada para "free download" e que não podemos pedir (nem nenhum produtor o fará) um documento escrito com a identificação a quem foi "dada" uma determinada obra (imaginem o que seria se os U2 ou o Bono tivesse de passar um documento a todos os que descarregaram o último trabalho gratuito pelo iTunes). 
 
Só de dentro para fora poderemos ser escutados e se, de uma vez por todas, unirmos os esforços e assumirmos o compromisso que queremos ver legislada a "nossa" profissão e a forma como a desempenhamos bem como os meios que são utilizados. Esta é uma profissão e uma indústria que devidamente trabalhada é do interesse público, gera receitas e fontes de rendimento e inerentemente poderá trazer ao nosso País uma fonte de rendimento acrescida e contribuir directa e indirectamente para o seu crescimento.
 
Ricardo Silva
DWM Management
 
Publicado em Mix
O Museu de Música Eletrónica Moderna (MOMEM, na sigla em inglês) vai abrir portas no ano de 2017 em Frankfurt, na Alemanha, reafirmando o lugar daquele país como lar espiritual da música eletrónica. 
 
Dentro da forma musical inovadora este museu pretende "livrar-se" dos traços tradicionais de uma exposição e passará a oferecer um espaço que convidará os visitantes para o mundo sensorial da música eletrónica, explorando diversos aspetos da música, relatando tematicamente a sua história e relevância cultural.
 
Andreas Tomalla, conhecido no meio como Talla 2XLC, é o responsável pelo projeto deste museu. Amplamente creditado por inventar a palavra "techno", Tomalla - atualmente ativo como DJ e produtor trance - foi o pioneiro do género com os seus eventos na década de 1980, as conhecidas "Techno Party".
 
Segundo a organização, o museu vai incluir exposições assim como elementos interativos para os visitantes. Além disso, "oficinas de DJ" serão realizadas regularmente e haverá eventos ao vivo. A cidade de Frankfurt alugou o espaço para o MOMEM gratuitamente, no entanto o museu vai ser auto-sustentável e não terá qualquer apoio financeiro do estado.
Publicado em Mix
Pág. 1 de 5
100% DJ. Projeto editorial independente cujos valores se guiam pelo profissionalismo, isenção e criatividade, tendo como base de trabalho toda a envolvente da noite nacional e internacional, 365 dias online.

Newsletter

Recebe novidades e conteúdos exclusivos no teu e-mail.