20-03-2019

  Diretor Ivo Moreira | Periodicidade Diária

Sobre Nós  |  Fala Connosco     

A sua atuação no Tomorrowland está a dar que falar. Por um lado, muitos foram aqueles que apreciaram o seu espetáculo e o seu set, por outro, fazem-se críticas à prestação excêntrica do artista que muitos desconhecem e que só agora se tornou viral, muito por culpa da sua forma de estar atrás da cabine. Eis Salvatore Ganacci.

Mas quem é? Para a grande maioria, é um artista que, além de DJ, exibe uns passos de dança brilhantes que contagiam tudo e todos. Na verdade, Salvatore conta com uma sólida carreira no mercado da música de dança desde 2014, quatro anos depois de entrar para a escola Musikmakarna, na Suécia.

Ao longo da sua carreira, Ganacci já lançou várias colaborações com artistas de renome, como é o caso de Major Lazer, Dillon Francis, Sebastian Ingrosso, Axwell, Pusha-T, entre muitos outros. Do seu currículo fazem ainda parte vários remixes oficiais para os Swedish House Mafia, Knife Party, Dada Life, Afrojack, Snoop Dogg e Alesso.

Além da música eletrónica, o artista oriundo da Bósnia aprecia também moombahton, trap e dancehall. É também reconhecido por editoras como a Universal Music Group, STMPD RCRDS, Dim Mak, Def Jam Recordings, Virgin Records ou a Warner Music Group.

Depois de duas atuações em anos consecutivos no Tomorrowland e no Ultra Music Festival em Miami, quem não gostaria de ver este verdadeiro showman ao vivo em Portugal?
 
Publicado em Artistas
O festival Tomorrowland está de regresso a Boom, na Bélgica, para mais uma edição que promete ficar para a história, nos dias 20, 21, 22, 27, 28 e 29 de julho. Com o tema “The Story Of Planaxis”, o evento vai contar com o habitual livestream.
 
A transmissão ao vivo vai estar disponível no site oficial do Tomorrowland durante os dias do festival, para todos aqueles que não conseguiram os tão desejados bilhetes. Até ao momento ainda não foram confirmados os artistas e palcos que serão transmitidos, mas a organização revelará novas informações em breve.
 
A edição deste ano do Tomorrowland conta com a atuação de grandes nomes como Armin van Buuren, Dimitri Vegas & Like Mike, Afrojack, os portugueses Diego Miranda e Kura, entre muitos outros. No dia 27 de julho, os festivaleiros vão ainda ter a oportunidade de assistir a um grande fenómeno natural: um eclipe lunar chamado de “Lua de Sangue”, que vai acontecer durante a atuação de Tiesto.
 
Publicado em Tomorrowland
Considerado pela crítica especializada como o melhor festival do mundo, o Tomorrowland realiza-se desde 2005 na cidade de Boom, na Bélgica, a 30 quilómetros da capital. É organizado pela ID&T Entertainment e tem vindo a ganhar cada vez mais destaque um pouco por todo o planeta, tendo já originado várias versões em países como os Estados Unidos da América e recentemente no Brasil.
 
Performances únicas, fontes de água, CO2 e bastante pirotecnia são alguns dos efeitos especiais utilizados, o que tornam o Tomorrowland num espetáculo único. Desde a sua primeira edição que o slogan oficial é “Yesterday is History, Today is a Gift, Tomorrow is Mystery”.
 
O objetivo principal da ID&T, cujos fundadores são os irmãos belgas Manu e Michiel Beers, era construir o Disney World da música eletrónica. A primeira edição, realizada no dia 14 de agosto de 2005, contou com a participação de 10 mil pessoas e atuações de artistas como Armin van Buuren, Sven Väth e Ferry Corsten.
 
Dois anos depois, o Tomorrowland alcançou um público de 20 mil pessoas e só em 2008 é que a organização decidiu aumentar o festival para dois dias de duração, a 26 e 27 de julho, com a participação de mais de 35 mil pessoas.
 
A partir do ano de 2009, o festival começou a ganhar outras proporções. Cerca de 90 mil pessoas marcaram presença no Tomorrowland, que pela primeira vez apresentou um Main Stage de maior dimensão e contou com a atuação de 200 DJs.
 
 
Em 2010, o festival superou a marca dos 130 mil participantes e a organização decidiu acrescentar mais um dia na edição do ano seguinte. O Main Stage do ano de 2011 teve como cenário uma árvore gigante, uma homenagem à cidade de Boom, cujo nome significa ‘árvore’ em belga. Avicii, Tiësto e Paul van Dyk foram recebidos de braços abertos por mais de 180 mil pessoas.
 
Com a evolução da internet, o Tomorrowland começou a ganhar cada vez mais seguidores, principalmente através dos famosos aftermovies, que alimentam os sonhos dos amantes da música eletrónica. Em 2012, o festival contou com mais de 400 DJs e mais de 185 mil pessoas de 75 países diferentes. Com o tema “The Book Of Wisdom” e com atuações de Afrojack, Above & Beyond, Carl Cox, Sander van Doorn, Swedish Housa Mafia, Fatboy Slim, Hardwell, Nicky Romero, Laidback Luke, Steve Aoki e muitos outros, o festival alcançou uma vez mais o sucesso absoluto.
 
Cerca de 96 nacionalidades diferentes de festivaleiros estiveram presentes no Tomorrowland de 2013, para onde foram vendidos 190 mil entradas. Uma parte dos bilhetes esgotou em 35 minutos e o restante em apenas 37 segundos. Todos os amantes da música eletrónica queriam fazer parte do festival belga.
 

Foram vendidos 400 mil bilhetes, que esgotaram em cinco minutos.

 
Para comemorar a 10ª edição do Tomorrowland, em 2014, o festival realizou-se em dois fins-de-semana no mês de julho. Foram vendidos 400 mil bilhetes, que esgotaram em cinco minutos, cujo tema era “The Key to Hapiness”. Neste ano, foi também lançado um livro sobre o festival, um documentário produzido pela MTV e ainda foi divulgada a nova localização do Tomorrowland por David Guetta: o Brasil.
 
CURIOSIDADES
 
  • Para quem quer viajar em direção à Bélgica, existem meios de transporte aéreos especiais para o efeito. As hospedeiras vestem-se de acordo com a ocasião e até há DJs a atuar durante a viagem para os festivaleiros se sentirem logo no clima de festa.
 
  • Se algum festivaleiro danificar um objeto de decoração do Tomorrowland, é expulso do recinto no mesmo minuto. Esta é uma das regras mais curiosas que se pode encontrar no regulamento do Festival.
 
  • Tal como em Las Vegas, no recinto do Tomorrowland existe uma “capela do amor”. Nesse local, os casais são recebidos por duas pessoas caraterizadas de freiras, que oferecem preservativos. Esse espaço tem uma cama para os casais fazerem o que quiserem durante um determinado período de tempo.
 
  • A famosa Dreamville, o campismo onde descansam os festivaleiros do Tomorrowland, não existiu durante os primeiros quatro anos.
 
  • David Guetta é o único artista que deu música aos festivaleiros do Tomorrowland em todas as edições até ao momento.
  •  
  • O primeiro ministro da Bélgica, Elio Di Rupo, marcou presença na edição do ano passado. Di Rupo conviveu com os festivaleiros e ainda tirou algumas selfies.
 
  • Na edição de 2012, os avós de Dimitri Vegas & Like Mike foram assistir à atuação dos netos no Main Stage logo na primeira fila.
 
  • Como em qualquer festival, o uso e tráfico de drogas é proibido. Antes de entrarem, os festivaleiros podem colocar as substâncias numa caixa especial, sem qualquer consequência.
 
  • O Youtube comemorou 10 anos em 2015 e para celebrar a data divulgou o Top 10 dos vídeos mais vistos em cada país. Em Portugal, o aftermovie do Tomorrowland de 2012 ficou colocado em oitavo lugar.
 
  • De forma a abranger vários gostos musicais, por todo o recinto estão espalhados 16 palcos diferentes.
 
  • Numa parceria entre o Tomorrowland e a Organização das Nações Unidas, foi colocado um novo painel na famosa One World Bridge, direcionada para o “People of Tomorrow”. Nessa mensagem pode-se ler: “Vamos trabalhar todos juntos para proporcionar dignidade a todos”. A ponte de madeira tem 600 metros e contem 210 mil mensagens de pessoas de todo o mundo.
 
  • As pulseiras de acesso ao Tomorrowland permitem que os festivaleiros adicionem novos amigos imediatamente no Facebook, com o aproximar de uma bracelete com outra.
 
  • Até ao momento Du'art e Huma-noyd foram os únicos DJs portugueses que atuaram no Tomorrowland, em palcos alternativos. 
 
Confere abaixo a evolução do palco Main Stage do Tomorrowland:
 

 
Publicado em Tomorrowland
O DJ e produtor Hardwell acaba de cancelar a sua atuação em Antuérpia, na Bélgica, incluída na digressão “I Am Hardwell United We Are”, devido a uma ameaça terrorista.
 
A atuação estava marcada para o próximo dia 13 de maio e os fãs do artista holandês foram avisados do cancelamento através de um e-mail. A equipa de Hardwell decidiu “que este não é o momento e o local certo para realizar este evento”, como se pode ler no comunicado oficial.
 
A digressão “I Am Hardwell United We Are”, que passou por Portugal em março do ano passado, vai terminar com uma atuação numa cidade europeia, numa data ainda a anunciar. Até ao momento, Hardwell não se pronunciou acerca deste cancelamento.
 
Recorde-se que a Bélgica continua em alerta máximo, depois dos atentados terroristas de 22 de março no aeroporto de Zaventem, local onde anualmente desembarcam todos os festivaleiros do Tomorrowland, que causaram a morte de mais de 30 pessoas e mais de 200 feridos.
 
Sobre o clima de insegurança, a redação do Portal 100% DJ falou com a organização do Tomorrowland, onde ficou claro que a equipa “está ciente de tudo o que se está a passar pelo mundo e como tal estamos em constante comunicação com todas as instituições governamentais na Bélgica e pelo mundo inteiro”, disse Debby Wilmsen, representante do festival, em exclusivo ao Portal 100% DJ.
 
Entretanto, o governo belga está a preparar uma nova proposta de lei, juntamente com a organização de grandes festivais como o Tomorrowland, que passa pela proibição da entrada de mochilas nos eventos.
 
{youtube}R1-sWDhzB50{/youtube}
Publicado em Eventos

 

Em comemoração dos 10 anos do Youtube, a empresa revelou ao público os 10 vídeos mais vistos pelos portugueses e também as músicas mais ouvidas. Nenhuma das faixas do Top 10 é de música eletrónica.
 
Uma das curiosidades acerca dos 10 vídeos mais vistos pelos lusitanos é a presença do aftermovie do festival Tomorrowland de 2012, em oitavo lugar.
 
Confere abaixo a lista divulgada:
 
  • 1 – Pintinho Amarelinho – DVD Galinha Pintadinha
  • 2 – Ruca e os Amigos
  • 3 – O Sapo não lava o pé – DVD Galinha Pintadinha
  • 4 – Charlie bit my finger – again!
  • 5 – James Arthur sings Shontelle’s impossible – The Final – The X Factor UK 2012
  • 6 – Bo tem mel by Diogo Morgado e Rui Unas
  • 7 – OLX – Como Inserir um Anúncio
  • 8 – Tomorrowland 2012 | official aftermovie
  • 9 – Nike Football: Winner Stays ft. Ronaldo, Neymar Jr., Rooney, Ibrahimovic, Iniesta & more
  • 10 – VOU TE ENCOXAR | Parodia PSY – GANGNAM STYLE
 
 
Publicado em Tomorrowland
sexta, 22 julho 2016 14:49

Tomorrowland 2016 - On Live

Acompanha todos os desenvolvimentos e pormenores do Festival Tomorrowland no Portal 100% DJ.
 

 
 
Publicado em Tomorrowland
O festival Tomorrowland comemora este ano o seu 10º aniversário e lançou um livro exclusivo e de edição limitada para os verdadeiros fãs do evento. “We Are Tomorrow” é o título da obra, que contem diversas histórias, imagens e entrevistas de um dos maiores festivais de música eletrónica a nível mundial.
 
David Guetta, Moby, Dimitri Vegas & Like Mike, Steve Aoki, Armin van Buuren, Hardwell, Yves V, Carl Cox, Hans Zimmer, Sérgio Herman, e Arne Quinze são alguns dos artistas que deram o seu testemunho para este livro de colecionador.
 
Podes adquirir o “We Are Tomorrow” na loja online oficial do festival por 39,99 euros.
 
Publicado em Tomorrowland
O DJ e produtor Eric Prydz acaba de anunciar que vai estrear no Tomorrowland um novo espetáculo ao vivo, chamado "Epic: Holosphere". Segundo o artista sueco, esta será de longe a produção tecnicamente mais avançada até à data, um re-design completo de qualquer espetáculo seu anterior. 

"Holosphere" será apresentado no festival Belga nos dias 19 e 26 de julho e demorou mais de dois anos a ser desenvolvido pela equipa de Eric Prydz que criou uma gigantesca estrutura tecnológica propositadamente para este espetáculo.

Eric é conhecido pelas suas atuações epicamente impressionantes com efeitos de videomapping e lasers que levam qualquer fã à loucura.

O festival Tomorrowland regressa à Bélgica nos dias 19, 20, 21, 26, 27 e 28 de julho sob o tema  "The Book Of Wisdom - The Return", uma reabertura do livro que celebra 15 anos de existência.

Publicado em Tomorrowland
Uma das épocas mais esperadas do ano chegou. O festival Tomorrowland, que acontece nos dois próximos fins-de-semana, está de volta a Boom, na Bélgica, com um cartaz de luxo direcionado para os amantes da música eletrónica em todas as suas vertentes. Como já é habitual, são vários os festivaleiros portugueses que partem em direção ao evento, com o objetivo de viver os melhores dias das suas vidas repletos de música, amor e união. O Portal 100% DJ falou mais uma vez em exclusivo com três portugueses que neste momento já estão no Tomorrowland. 
 
“O Tomorrowland é um lugar mágico”
 
Dylan Silva, de 23 anos, parte de Paris em direção ao festival belga pela terceira vez. “O Tomorrowland é um lugar mágico. A primeira vez que lá vamos é o realizar de um sonho e nas vezes seguintes torna-se na nossa casa”, referiu o português em exclusivo ao Portal 100% DJ.
 
Coone, Alesso, Martin Garrix e Armin van Buuren são os artistas que não quer perder no festival. Em relação à segurança do evento, considera que “não devemos pensar nisso e sim aproveitar ao máximo esses dias”, uma vez que já conhece o Tomorrowland e o seu ambiente.
 
Quando questionado se Portugal merecia um festival como o Tomorrowland, a resposta de Dylan foi afirmativa, apesar de ser “impossível” e do nosso país não ter “organização para tanto”.
 
“Mística e envolvência do festival” 
 
Pela primeira vez no Tomorrowland, Daniel Dias foi atraído pela “mística e envolvência do festival em conjunto com os artistas que irão atuar”, afirmou o português de 24 anos, residente em São João da Talha.
 
Durante o evento promete não perder um segundo dos sets de Carl Cox, Solomun e Dimitri Vegas & Like Mike e refere ainda que não se irá sentir inseguro num dos maiores festivais de música eletrónica a nível mundial, apesar dos alertas de terrorismo.
 
Se o Tomorrowland viesse para Portugal, Daniel considera ainda que “não seria a mesma coisa” e que “não faz falta um evento destes” no nosso país.
 
“Sempre foi um sonho a concretizar”
 
Joana Lima, de Lisboa e com 26 anos, vai pela primeira vez ao festival de Boom. “O Tomorrowland sempre foi um sonho a concretizar. Sou fã de música eletrónica e todo o ambiente e pormenores do festival sempre me fascinaram”, referiu a festivaleira.
 
Armin van Buuren, KSHMR, Martin Garrix e Dimitri Vegas & Like Mike são os seus artistas de eleição, considerando-se fã e que não irá perder durante o evento. Quando questionada sobre a falta de um festival do mesmo género em Portugal, Joana considera que seria “incrível”, apesar de já existirem eventos do mesmo género “mas nenhum que se aproxime da qualidade do Tomorrowland”.
 
Em relação às ameaças terroristas que o mundo tem vindo a sofrer, Joana afirma que “é impossível não sentir alguma insegurança, mas a verdade é que o risco está em todo o lado. Prefiro não pensar nisso e simplesmente disfrutar daquele que será, provavelmente, uma das melhores experiências que irei ter na vida, num festival que apela ao amor e à união: ‘Live today, love tomorrow, unite forever”, concluiu.
 
Publicado em Tomorrowland
Boom, na Bélgica, é uma cidade com menos de 20 mil habitantes. Durante os próximos dias 24, 25 e 26 de julho, a localidade vai receber milhares de festivaleiros unidos por um objetivo: a música eletrónica, vivida nos vários palcos do festival Tomorrowland.
 
A edição deste ano conta com nomes como Alesso, Avicii, David Guetta, Dyro, Nicky Romero, Oliver Heldens, Steve Aoki, Ummet Ozcan, W&W, Armin van Buuren, Axwell /\ Ingrosso, Blasterjaxx, Deorro, Martin Garrix e muitos outros.
 
Pelo segundo ano consecutivo, o Portal 100% DJ foi ao encontro de alguns portugueses que vão embarcar na experiência Tomorrowland e que têm uma única paixão: a música eletrónica.
 

“NÃO É UM FESTIVAL, É UMA RELIGIÃO!”

 
Já tentei explicar a centenas de pessoas. É mais do que um festival, é uma religião! Não se explica, sente-se. Uma vez ‘Tomorrowlander, Tomorrowlander’ até à morte! Estranho? Depois de lá irem vão entender”, são as palavras de João Santos, de 48 anos e natural de Sintra, que parte para o festival belga pela terceira vez. Na sua mala de viagem constam produtos de higiene e roupa prática para ver alguns dos seus artistas favoritos como Coone e Brennan Heart.
 
Em relação às expetativas para a edição deste ano, João afirma que “as lágrimas ameaçam quando começo a pensar só de entrar no avião e ouvir aquela mensagem arrepiante do comandante: ‘flight to Tomorrowland’”. O sintrense considera ainda que “este festival é muito caro, mas é um facto que as pessoas como eu, que adoram electronic dance music (EDM) e apesar da minha idade e de já ter ido duas vezes... ainda vou uma terceira. Isto tem a ver com um facto: o Tomorrowland não é um festival, é uma religião!”.
 
Apesar de achar que Portugal tem falta um evento deste género, João Santos não acredita “que fosse possível um espírito igual ao da Bélgica”.
 

“TENTO NÃO CRIAR EXPETATIVAS”

 
Bruno Alves tem 31 anos e vai ao festival pela primeira vez, diretamente de Vizela. “Tento não criar muitas expetativas para poder ser completamente surpreendido por tudo! Mas como é lógico, são elevadíssimas”, confessou o festivaleiro em exclusivo ao Portal 100% DJ. Na sua mala, além da bandeira nacional, leva a GoPro, telemóvel, óculos de sol e a camisola do seu ídolo: Francesco Totti (jogador do Roma).
 
No festival pretende assistir às atuações de Axwell /\ Ingrosso e Oliver Heldens, e destaca “o ambiente, os palcos que são mágicos, as pessoas e claro, a música”. Em relação a Portugal, Bruno considera que o público não se pode queixar com o que já tem, visto que já existem “eventos que vão decorrendo ao longo do ano e onde podemos ver os melhores DJs do mundo”.
 

“VALE TODOS OS CÊNTIMOS GASTOS”

 

Com 33 anos, Marco Reis parte da Trofa em direção à Bélgica pela segunda vez consecutiva. “Tudo no Tomorrowland é especial. É o festival que promove a magia e o amor. Isso nota-se a cada passo que damos: existe magia no ar e é tudo feito ao pormenor. Não se consegue exprimir em palavras o que é o Tomorrowland”, salientou Marco.
 
As suas expetativas “são sempre elevadas”, principalmente para “ver como será o palco Main Stage”. Na bagagem leva “o essencial”, como a máquina fotográfica e telemóvel “para registar todos os momentos e mais tarde recordar”, comida, bebida, um impermeável e objetos de higiene.
 
“É um festival caríssimo. Temos de poupar um ano inteiro para termos três dias de loucura inesquecível. Mas vale todos os cêntimos gastos. É talvez a maior e melhor memória que teremos para o resto das nossas vidas”, destaca Bruno.
 
O português garante que Portugal não necessita de um festival desta envergadura, pois existe o MEO Sudoeste e outras festas com grandes nomes da música eletrónica, porém, atesta que “o país em si, não inspira confiança para um festival do género”.
 

“É O MAIOR FESTIVAL DO MUNDO”

 
Rui Sá, natural de Braga, tem 22 anos e também é estreante no Tomorrowland, prometendo que vai “aproveitar ao máximo aquele que é o maior festival do mundo. Sentir o ambiente proporcionado pelos artistas e que entusiasma o público e, acima de tudo, conhecer malta que, tal como eu, ‘vive’ a música eletrónica!”.
 
A bandeira portuguesa e a camisola de Steve Angello, o seu “artista de eleição” que não quer perder, vão bem guardadas na mala de viagem. Para conseguir ir à Bélgica, Rui confessa que quem “tem o sonho de ir ao Tomorrowland, que nunca desista desse objetivo, pois mais cedo ou mais tarde, há-de conseguir”, apesar de não ser fácil economicamente.
 

“UM SONHO DO QUAL QUEREMOS FAZER PARTE”

 
Depois de viajar até ao Ultra Music Festival de Miami e Ultra Europe na Croácia, Cristina Lima parte agora para o Tomorrowland pela segunda vez. A portuguesa de 31 anos e natural do Porto confessou estar “bastante ansiosa por ver o Main Stage” e afirma que os organizadores do evento “vendem um sonho do qual queremos fazer parte”.
 
Dois pares de sapatilhas e uma câmara fotográfica “para captar os melhores momentos” são os objetos essenciais que destacou em exclusivo ao Portal 100% DJ. Após ver Tiesto no Ultra Europe, Cristina está “curiosa por vê-lo no Tomorrowland”.
 
“Em Portugal fazem-se festivais à medida das mentalidades. Neste momento temos bons festivais, com bons cabeças de cartaz de EDM”, respondeu a portuense quando questionada sobre a falta de um festival do género no nosso país. Para viajar até Boom, “desejar apenas não chega, é preciso querer. Quando se quer algo temos de fazer opções, ir menos vezes ao café, despender menos dinheiro na noite... para quando chegar a hora temos tudo a postos para comprar o sonho!” confessou Cristina Lima.
 

“É A DISNEYLAND PARA ADULTOS!”

 
Laëtitia Esteves, de 29 anos e natural de Guimarães, viaja pela terceira vez consecutiva até Boom e espera voltar a “ser surpreendida com a magia que se respira durante aqueles três dias”, destacando ainda “um dos momentos marcantes e mais emocionantes” de cada ano como “a descoberta do Main stage”.
 
“Na realidade, tudo é especial. Eu costumo dizer que não se consegue descrever, é preciso vivê-lo e toda a gente deveria de lá ir pelo menos uma vez na vida. Tudo é pensado ao pormenor de forma a marcar as nossas vidas para sempre. E marca mesmo!”, confessou Laëtitia.
 
A amante de EDM destaca ainda que “a música é sem dúvida o ponto alto do festival com os seus inúmeros artistas de renome internacional. Mas a decoração, a organização, o ambiente que se vive... é a Disneyland para adultos! São mais de 200 mil pessoas vindas dos quatro cantos do mundo com a mesma paixão. Não interessa a cor, raça, idade, sexo e nacionalidade, porque no fundo a música une-nos”.
 
Na mala de viagem não vai poder faltar a bandeira nacional, roupas leves, calçado confortável, óculos de sol, protetor solar e a camisola do seu ídolo, Alesso. Quando questionada sobre que atuações mais deseja assistir, Laëtitia salienta Alesso, Armin van Buuren, Steve Angello e Axwell /\ Ingrosso, deixando ainda uma sugestão à organização: “um dia gostava de ver Pete Tha Zouk no Tomorrowland. É o meu ídolo nacional”.
 
Relativamente aos seus gostos musicais, a vimaranense considera que Portugal tem falta de um festival como o Tomorrowland, mas tem dúvidas em relação à adesão das pessoas. E porquê? “A entrada para o Tomorrowland é cerca de três vezes mais cara do que a de um MEO Sudoeste” e “neste momento está enraizada uma ‘onda’ de Kizomba no nosso país. As casas foram praticamente obrigadas a apostarem nessa ‘onda’ porque é o que se vende”.
 
O investimento para uma aventura como estas não é “nada fácil”. “Termina um Tomorrowland e já estamos a poupar para o próximo, porque os bilhetes são vendidos cerca de seis meses antes da realização do festival. Fica caro pelo facto de serem apenas três dias, mas vale cada cêntimo investido”, confessou Laëtitia Esteves ao Portal 100% DJ.

 

{youtube}NtDG-Cnj-pw{/youtube}

 

Publicado em Tomorrowland
Pág. 1 de 5
100% DJ. Projeto editorial independente cujos valores se guiam pelo profissionalismo, isenção e criatividade, tendo como base de trabalho toda a envolvente da noite nacional e internacional, 365 dias online.

Newsletter

Recebe novidades e conteúdos exclusivos no teu e-mail.