23-01-2019

  Diretor Ivo Moreira | Periodicidade Diária

Sobre Nós  |  Fala Connosco     

×

Erro

[sigplus] Erro crítico: A pasta da galeria de imagens RockInRio/apresentacaoeletronica deve ter um caminho relativo para a pasta base das imagens especificada na back-end.

[sigplus] Erro crítico: A pasta da galeria de imagens eventos-meoarena deve ter um caminho relativo para a pasta base das imagens especificada na back-end.

 

Ultimate DJ é o nome do novo reality show de talentos para a televisão, direcionado para DJs e produzido por Simon Cowell para a plataforma Yahoo Live, em parceria com a LiveNation e a Ultra Records. A data da estreia ainda não foi divulgada, mas está para breve.
 
O DJ vencedor do concurso televisivo vai assinar um contrato com a Sony Music e a Ultra Records e terá a oportunidade de atuar num grande festival de música. A votação ficará também a cargo do público, através da rede social Tumblr.
 
“A música eletrónica é um dos géneros mais importantes em todo o mundo e nós queremos respeitar o que está a acontecer no planeta”, afirmou Simon Cowell na conferência de imprensa e de apresentação do programa, na passada segunda-feira, em Nova Iorque.
 
O DJ e produtor Steve Aoki é um dos jurís do Ultimate DJ, depois de Fatboy Slim recusar o convite por achar que a iniciativa era uma “ideia terrível”, segundo o Digital Psy. Gordon City afirmou que será “mau para a indústria”.
 
Simon Cowell é uma das personalidades mais conhecidas da televisão mundial, tendo participado como mentor e jurí em reality shows como X-Factor, Britain’s Got Talent e American Idol. Leona Lewis, Cher Lloyd, One Direction, Fifth Harmony e Emblem 3 são alguns dos artistas descobertos pelo produtor.
 
Publicado em Mix

[sigplus] Erro crítico: A pasta da galeria de imagens RockInRio/apresentacaoeletronica deve ter um caminho relativo para a pasta base das imagens especificada na back-end.

São quase 30 artistas de música de dança confirmados para o Palco Eletrónico do Rock In Rio Lisboa, que vai decorrer entre nos dias 19, 20, 27, 28 e 29 de maio, no Parque da Bela Vista. A organização anunciou o cartaz do palco secundário do festival esta tarde, numa conferência de imprensa realizada no topo do hotel Epic Sana, um local com uma vista única e prestigiada sobre a cidade de Lisboa.
 
Carl Cox, DJ Vibe (residente), Carlos Manaça, Mano Le Tough, Alok, Diego Miranda, Pedro Cazanova, Beatbombers, Holly, Dan Maarten e Dynamic Duo foram alguns dos artistas confirmados para o Palco Eletrónico.
 
A lenda do techno Carl Cox tem atuação marcada no Rock in Rio no dia 20 de maio, juntamente com DJ Vibe e Carlos Manaça, dois dos grandes nomes nacionais da música eletrónica.
 
O palco da música eletrónica ganha este ano uma nova estrutura e uma piscina, que vai receber Pool Parties diárias, com inspiração de Las Vegas. As festas junto à piscina vão decorrer entre as 18 e as 21 horas, com vários DJs nacionais.
 
Miguel Marangas, Diretor Artístico do Palco Eletrónico do Rock in Rio há 12 anos, afirmou aos meios de comunicação presentes que a organização vai “tentar tirar partido do dia” com uma “forte componente de DJs nacionais que estão ao nível de todos os outros de qualquer parte do mundo” com as novas pool parties. Para a edição deste ano, o diretor artístico pretende oferecer “melhores condições” e um novo objetivo: alcançar um “público mais novo”.
 
Além de DJs e produtores, o palco secundário do Rock In Rio Lisboa vai receber ainda bandas como Gus Gus, Paranoid Londons e Octave One. Roberta Medina, em entrevista ao Portal 100% DJ, revelou que a aposta no palco de música eletrónica “começa acima de tudo com a diversidade, que é uma aposta do Rock In Rio desde que nasceu”, pois “os estilos musicais passaram a encontrar-se e acabou” a rivalidade entre géneros. “Não há dúvida nenhuma que a música eletrónica rompeu todas as fronteiras e nichos e hoje chega a milhares de pessoas, de vários estilos e diferenças, dentro do mundo da eletrónica”, afirmou a Vice-Presidente do evento.
 
O festival pretende também fortalecer “uma aproximação da música eletrónica com o público mais mainstream”, porque “naturalmente o Palco Mundo move massas de uma forma mais agressiva”. Apesar disso, “há quem passe o dia inteiro” no palco de música eletróncia mas “não é o foco principal”.
 
Em relação à novidade deste ano, as festas junto à piscina, Roberta admite que a organização tinha “pena de ter uma estrutura dinâmica e não aproveitar o dia”, como acontecia há alguns anos atrás no antigo Palco Sunset.
 

 
{gallery}RockInRio/apresentacaoeletronica{/gallery}
 
Publicado em Rock in Rio
segunda, 24 dezembro 2012 18:57

Eles oferecem prendas aos fãs

Para além de nos presenciarem com as suas magnificas produções e atuações ao longo do ano, os vários DJs e produtores nacionais e internacionais estão a oferecer música aos seus melhores fãs. Na lista em baixo apresentamos algumas das suas prendas.
Para fazeres o download, clica no ícone.
 
 
D-Note vs Chuckie & Junxterjack - Shed My Skin vs Make Some Noise (Massivedrum Btlg)
 
Xmas Pack - faixas originais e remixes - Deepblue
 
Mashups & Bootlegs - Hugo Rizzo
 
Club Banditz & Digital Militia ft Asta - Toxic Love (Radio Edit)
 
Flow 212 - Ritmo do meu Flow (Pini-Pon & Olivs Bootleg)
 
Buraka Som Sistema ft. Pongolove- Kalemba (Pini-Pon & Olivs Bootleg)
 
Kura - Synopsys (Original mix)
 
Psy - Gangnam Style (Freaky Swagger'z Remix)
 
Sandro Silva & Quintino vs Afrojack feat Ne-Yo – Let’s  The Epic Rock- (Roberth S Mashup)
 
Tony Igy - Astronomia (DJ Niro)
 
Xmas Pack - Mark Tha House
 
Pedro Freitas feat. Sina Key - Ya... Não Te Quero Mais (Charlie Spot & Groove Salvation Remix)
 
Strater's Mashup Pack - Feliz Natal!
 
Dannic - Countdown Promises For Tombo (Mauro Barros X-mas Mashup)
 
The XX - Fiction [Funkagenda Bootleg Re-Edit]
 
The Aston Shuffle Vs Tommy Trash Vs Tony Romera - Pandor Sunrise (Dj NEO Mash)
 
Kika Lewis - White Christmas Set
 
Kaiser-T 2012 Bootleg Pack Vol.2 (Xmas Gift)
 
Mini Bootleg Pack 2012 - Francisco Cunha
 
 
 
Para inserires aqui a tua prenda, envia-nos e-mail para djs[at]100-dj.pt.
Publicado em Música
 
Quatro crianças de diferentes idades foram desafiadas a responder a um pequeno questionário sobre música eletrónica e a figura do DJ. Em cerca de três minutos, e de forma quase inocente, as respostas destas quatro crianças revelam o seu 'QI' de conhecimento sobre música eletrónica, deixando qualquer pessoa boquiaberta. 
 
O vídeo foi produzido para o Madrid Music Days, evento que vai realizar-se de 7 a 10 de maio em Madrid, onde se pretende estabelecer um ponto de encontro para os principais agentes da indústria musical eletrónica.
 
Confere em baixo o vídeo que tem tanto de divertido como real.
 
 
Publicado em Mix

O seu nome artístico é Leo Smillle, é cego e está a concretizar um sonho. Após uma formação na Academia Internacional de Música Eletrónica (AIMEC) foi convidado por Alok, o DJ mais popular do Brasil, a subir ao palco do Happy Holi em Campinas e atuar para milhares de pessoas.

 
A AIMEC é considerada a melhor escola para DJs do Brasil e deu um grande apoio a Leonardo Freire durante o curso e na preparação para a atuação no Club 88 e no Happy Holli. “Hoje o meu coração transbordou de todos os sentimentos lindos que existem. Sem palavras: meu aluno Leo Smille tocando na Happy Holi com Alok! Obrigado por abraçar esta causa comigo parceiro!”, salientou Rafaella de Vuono, DJ e professora na AIMEC, na sua página pessoal de Facebook.
 
O próprio Alok já partilhou várias fotografias e testemunhos nas redes sociais, incluindo um vídeo de bastidores e da atuação de Leo Smille no Happy Holi, onde é possível observar a felicidade do brasileiro ao ouvir o público.
 
“Ele é cego... Mas quem disse que isso impede ele de sonhar? O sonho dele é se tornar um DJ e hoje ele pôde viver um pouco disso comigo no palco! (...) Não é preciso de visão para enxergar, mas de sensibilidade. A mesma sensibilidade que a música pede e isso o Leo tem de sobra, alem de muita determinação e força de vontade”, referiu Alok na sua página oficial de Facebook.

 

 

 
DJ Leo Smille

Não é preciso de visão pra enxergar, mas de sensibilidade, a mesma sensibilidade que a música pede, e isso o Leo tem de sobra, além de muita determinação e força de vontade. Que seja apenas o primeiro passo na sua carreira Leo!

Posted by Alok on Segunda, 6 de julho de 2015
Publicado em Artistas
Por vezes a criatividade e as ideias escasseiam - e é exactamente isso que este Tumblr mostra: as mais hilariantes poses fotográficas que um artista pode fazer. O 'Posing DJs' está a tornar-se viral nas redes sociais e a fazer um tremendo sucesso. Quem sabe, não vá inspirar uns quantos books fotográficos que alguns DJs pretendam produzir.
 
Com ou sem efeitos, incluindo adereços imagináveis, há fototografias para todos os gostos. 
Este blogue "sensação" dá para soltar umas valentes gargalhadas, não colocando - como é óbvio - em causa a qualidade dos artistas que lá aparecem.
 
Confere todas as fotografias e escolhe a tua preferida. Clica aqui.
 
Publicado em Mix
 
A plataforma que mede a audiência do mundo da indústria musical - JustGo -, divulgou os resultados de um estudo que fez sobre os 100 DJs que mais êxito obtiveram nas redes sociais no decorrer do ano 2013. A base do estudo esteve assente nas quatro principais redes sociais Soundcloud, Youtube, Twitter e Facebook. Este estudo teve também a parceria da Topple Track - a plataforma que protege produtores e editoras da pirataria. 
 
A maioria deste Top é composto por artistas da vertente mais comercial, onde Hardwell lidera o topo. Facto é, que nem Armin van Buuren nem Tiësto estão no Top 10 e, infelizmente o mérito e presença dos portugueses nas redes sociais não foi reconhecida neste Top 100.
 
O total desta lista ultrapassa os 295 milhões de fãs em todo o mundo, onde dois terços desses fãs são apenas no Facebook. Durante o ano passado, o número de fãs nas redes sociais registou um total de 34% mas o destaque vai para a plataforma Soundcloud que registou o maior crescimento na ordem dos 60%, tornando-se a rede social mais emergente.
 
Neste estudo, soube-se ainda os artistas que mais terão crescido em cada rede social. Foram eles, Quintino no Facebook, Dyro no Twitter, Disclosure no Youtube e Armin van Buuren no Soundcloud.
 
Também a plataforma Topple Track que salvaguarda a proteção dos produtores e das editoras colaborou neste estudo revelando os cinco DJs mais pirateados de 2013. E a ordem é: Hardwell, Calvin Harris, Dimitri Vegas & Like Mike, Nicky Romero e Zedd.
 
A infografia para conferir em baixo.
 
 
Publicado em Infografias
quinta, 08 março 2018 22:05

As mulheres na música eletrónica

Em quase todos os line-ups dos festivais internacionais, a presença de DJs femininas tem uma percentagem de apenas 10%. No ranking da revista Forbes, não existe nenhuma DJ feminina e no Top 10 da famosa tabela da DJ Mag, também nunca uma mulher figurou. O sexo forte representa apenas 4% de toda a lista. Quais foram as últimas três DJs mulheres que já ouviste ao vivo?

É do conhecimento geral que o mundo da música eletrónica é dominado pelo género masculino. Um mercado lucrativo em ascensão a nível mundial, onde a pouco e pouco as mulheres vão assumindo a sua posição de destaque na música de dança, área associada aos homens. 

"(...) neste campo uma mulher tem que trabalhar o dobro para alcançar metade do reconhecimento de um artista masculino", referiu Miss Sheila, na sua crónica de opinião publicada no Portal 100% DJ, “Djing no feminino”. No entanto, a artista portuguesa considera que “as coisas estão a mudar de uma forma mais positiva”.

Apesar desta lenta mudança de mentalidade, ainda é pouca a credibilidade que é dada às DJs, muito por culpa de algumas artistas que prejudicaram a imagem do género feminino da música eletrónica. Mariana Couto, na crónica de opinião publicada em 2014, intitulada "Teremos sempre Paris", criticava Paris Hilton por ter entrado no mundo da música eletrónica: "Presença habitual nos melhores clubs do mundo, Paris a Empreendedora conseguiu encontrar a forma certa de continuar a fazer dinheiro. (...) Mas é por isso que alguém "vai ver" a Paris Hilton? A expressão está lá: "ver", que ouvir é outra coisa. Afinal, ainda que separadas por um oceano de dinheiro, não há todo um segmento no mercado nacional que está na cabine para - essencialmente - ser visto?", remata.

Recentemente a dupla Krewella também comentou a presença de mulheres na área. “A indústria da música eletrónica pode ser assustadora para as mulheres. Se mais mulheres estiverem dispostas a assumirem grandes riscos e não terem medo do ridículo e quaisquer outros contratempos ou problemas, nós começaremos lentamente a ver mais mulheres a produzir músicas, espetáculos e festivais, e assim teríamos mais espaço no Top 100.”

É importante que a igualdade de género seja uma realidade e que a curto prazo consigamos ver mais DJs femininas no topo do mundo da música eletrónica. Em baixo, apresentamos algumas artistas nacionais e internacionais, referências na área da eletrónica, enquanto DJs e também produtoras de música.
 
  • - Miss Sheila
  • - Von di Carlo
  • - Kika Lewis
  • - Poppy
  • - Rita Zukt
  • - Joana Perez
  • - Rita Mendes
  • - Miss Pink
  • - DJoana
  • - Heartbreakers
  • - Lady M
  • - Lady Van
  • - Magalie
  • - Miss Blondie
  • - Miss Nutz
  • - Mónica Seidl
  • - NERVO
  • - Nicole Moudaber
  • - Krewella
  • - Juicy M
  • - Alison Wonderland
  • - Nina Kraviz
  • - Deborah de Luca
  • - Sophie Francis
  • - Ruby Rose
  • - Miss Nine
  • - Oriska
  • - Lovra

 

Publicado em Mix

[sigplus] Erro crítico: A pasta da galeria de imagens eventos-meoarena deve ter um caminho relativo para a pasta base das imagens especificada na back-end.

Desde que foi inaugurada, em 1998, pela maior sala multiusos do país já passaram inúmeros eventos, das mais diferentes tipologias, desde congressos, exposições, concertos e até mesmo provas desportivas.
 
Localizada às portas de Lisboa, a (agora) Meo Arena dispõe de uma área total de construção de 47 mil metros quadrados e na sua capacidade máxima pode albergar 20 mil pessoas em pé e 12.900 sentadas. Tem dois balcões (1.º e 2.º andar) e a área total da arena é de 5.200 metros quadrados.
 
A ideia de construir este edifício remonta às primeiras discussões sobre o Plano de Urbanização da Expo 98. Ao contrário de outras cidades europeias, Lisboa não possuía uma sala polivalente para acolher eventos de grande envergadura. As salas existentes, tanto na capital como noutros pontos do país, ou tinham lotação limitada - até 4000 lugares -, ou eram dificilmente adaptáveis a eventos não convencionais, como o desporto de alta competição em recinto coberto. Além disso, não dispunham do aparato tecnológico exigido para coberturas televisivas modernas ou pelos grandes espetáculos musicais ou teatrais.
 

Na sua capacidade máxima pode albergar 20 mil pessoas em pé e 12.900 sentadas.

 
Recuando atrás no tempo, durante os 132 dias de Expo 98, o edifício era designado Pavilhão da Utopia, onde era realizado, quatro vezes ao dia, um espetáculo de efeitos teatrais clássicos com as modernas tecnologias multimédia, designado "Oceanos e Utopias". A sua autoria foi de François Confino e Philipe Genty, produzido pela empresa Rozon. 
 
Esta construção não foi feita ao acaso. A localização foi um dos pontos fortes aquando da fase de projeto, pois tinha a vantagem de servir não só a população da maior área metropolitana portuguesa, mas também o país no seu conjunto, dada a proximidade da Estação do Oriente (onde se interligam os principais meios de transporte público) e dos principais nós rodoviários.
 
Ao longo dos últimos anos, além dos concertos que estamos habituados a assistir com banda, também os espetáculos de música eletrónica têm vindo a ganhar o seu lugar cativo nesta arena portuguesa e a atingir um público-alvo cada vez maior. O primeiro evento com DJs aconteceu em 2003. O conhecido “Olá Love 2 Dance” contou com uma gigantesca produção, onde em destaque esteve a música e todo o conjunto de efeitos multimédia. Roger Sanchez, Luís leite, Carlos Manaça, Diego Miranda e Miss Blondie estreavam desta feita a maior “discoteca” do país. 
 
Na timeline em baixo, poderás conferir todos os eventos de música eletrónica que decorreram na Meo Arena a partir do ano 2003. De recordar que os dois últimos ainda vão acontecer este ano, dias 18 e 31 respetivamente.
 
 
{gallery}eventos-meoarena{/gallery}
 
Agradecimentos 
  • Meo Arena
  • Unilever Portugal
 
Publicado em Infografias
domingo, 09 março 2014 23:27

Marketing musical: o Facebook e os DJs

 

É bastante comum ouvir produtores e DJ's em início de carreira dizerem que "só lhes falta o marketing" para conseguirem ter "sucesso" ou que "DJ tal ou produtor tal" só tem sucesso porque "tem uma máquina de marketing e publicidade por trás". Bem... em certa medida não deixa de ser verdade. A scene, actualmente (e desde sempre, diga-se de passagem) tem uma componente de marketing muito presente. Não há nenhum DJ ou produtor profissional que não empregue, pelo menos, uma ou duas pessoas no desenvolvimento de estratégias de marketing em torno da sua carreira. Eu não vejo este panorama com maus olhos, muito pelo contrário. O marketing e a publicidade sempre fizeram parte das nossas vidas em tudo. Desde o nosso nascimento, que consumimos produtos de marketing e até quando morremos há um sem número de funerárias a vender o seu produto. O marketing está em todo o lado e é impossível construirem uma carreira sem recorrerem a estratégias de marketing.
 
É importante recorrer a alguém profissional neste sentido? É. É possível cumprir os serviços mínimos sem o fazer? Também é. E foi por isso que decidi fazer este artigo para vos dar algumas dicas básicas de como gerir o vosso marketing, nomeadamente, a vossa página de facebook.
 
1. Foquem-se num ou dois sites de redes sociais no máximo. Mais vale trabalhar um ou dois bem, do que cinco ou seis mais ou menos. E acreditem, a não ser que não façam mais nada da vida, é impossível conseguir trabalhar bem mais do que um ou dois sites de redes sociais. A questão que parece subsistir é quais os mais importantes? Bem, eu diria que o facebook é essencial com o soundcloud logo atrás, mas o youtube e o twitter têm ganho bastante força ultimamente.
 
2. Mantenham o vosso público agarrado à vossa página. Isto é importantíssimo. De forma resumida, o facebook utiliza um algoritmo - chamado Edge Rank - para calcular o alcance da vossa página. Basicamente, se os vossos posts tiverem muitos likes, comentários e partilhas, mais facilmente aparcerão nos feeds de notícias dessas pessoas. Pensem assim, quando vocês fazem scroll down no vosso feed de notícias de quem são os conteúdos que aparecem? Certíssimo, das pessoas com quem vocês interagem mais. É por isso que é importante fomentar a interacção com a vossa página. É precisamente a isto que chamamos de engagement.
 
3. Escolham uma boa hora para fazer posts. Eu sei que são 5 da manhã, acabaram uma música e querem partilha-la com Portugal inteiro. Mas Portugal está a dormir - pelo menos grande parte dele. Escolham a melhor hora para fazer os vossos posts. O facebook diz-vos, na secção de estatísticas, qual a hora a que o vosso público mais está online. Pessoalmente aconselho a fazerem os posts mais importantes entre as 9 e as 11 da noite. Ainda assim, é importante que não deixem de fazer posts a outras horas. O meu horário de facebook não é o mesmo do meu vizinho.
 
4. Utilizem imagens sempre que possível. As imagens têm um retorno de engagement muito superior a vídeos e estados. Acompenhem, sempre que possível, os vossos posts com imagens.
 
5. Utilizem estratégias de call-to-action. Sim, eu sei que parece estúpido estar a pedir likes nas publicações às pessoas ou a fazer perguntas que parecem conversa de chacha. Mas como já referi, quanto mais likes, comentários e partilhas tiverem, maior é o alcance da vossa página. Por isso, sejam estúpidos e façam conversa de chacha. Resulta.
 
6. Usem publicidade segmentada. Duas questões se levantam neste aspecto. Em primeiro lugar: a publicidade no facebook é baratíssima. Com 1€ por dia conseguem revolucionar o alcance da vossa página. Mas têm que o aprender a fazer bem, caso contrário é dinheiro deitado à rua. Será que é igual publicitar a vossa página para o Sr. Fernando que tem 58 anos e trabalha numa mercearia enquanto ouve Tony Carreira, e para o Miguel, um estudante universitário de 21 anos que segue de perto o trabalho do Hardwell ou Avicii? Claro que não. Se tivessem 1€ para investir nestas duas pessoas, usavam 50 cêntimos no Sr. Fernando e outros 50 cêntimos no Miguel? Ou gastavam tudo no Miguel? Agora multipliquem isto por milhares de pessoas. Faz sentido gastar a mesma quantidade de investimento nos senhores Fernandos do que nos Miguéis? É por isso que segmentar o vosso público é essencial. Podem fazê-lo de forma básica, por idade, sexo ou geograficamente. Mas também o podem e devem fazer recorrendo a interesses específicos. Bandas, DJ's, produtores, etc...
 
7. Não comprem likes. Likes comprados são amigos imaginários. Eu sei que custa mais, mas mais vale de longe construirem o vosso público de forma consistente e a longo-prazo do que, de um dia para o outro, aparecerem com 20 mil likes turcos ou indonésios na vossa página - como alguns DJ's e produtores bastante conhecidos da nossa praça, diga-se de passagem.
 
E pronto, não me vou alongar mais. Se tiverem dúvidas ou sugestões, estou disponível no e-mail Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
 
Hugo Serra Riço
Publicado em Mix
Pág. 1 de 5
100% DJ. Projeto editorial independente cujos valores se guiam pelo profissionalismo, isenção e criatividade, tendo como base de trabalho toda a envolvente da noite nacional e internacional, 365 dias online.

Newsletter

Recebe novidades e conteúdos exclusivos no teu e-mail.