Diretor Ivo Moreira  \  Periodicidade Mensal
A atuação de Kura na Queima das Fitas de Coimbra, que estava marcada para hoje, em formato sunset, foi cancelada pela WDB Management, agência que representa o artista “devido a dois incumprimentos de contrato”, segundo o comunicado oficial divulgado pela empresa.
 
Os dois incumprimentos relatados no comunicado publicado na página oficial de Facebook da WDB Management que levaram ao cancelamento da atuação de Kura baseiam-se na falta de pagamento e o facto da performance de Kura estar previamente marcada para o palco principal mas foi alterada ontem para um palco secundário “por aparente incompatibilidade com a ficha técnica” do mainstage da Queima das Fitas de Coimbra e dos artistas que iriam atuar a seguir, o conceito Revenge Of The 90’s.
 
Após conversações entre a Associação Académica de Coimbra e a WDB Management, a empresa acabou por cancelar a atuação de Kura desta noite. A associação académica prometeu esclarecer o sucedido através de uma conferência de imprensa marcada para esta tarde.
 
Para substituir Kura no sunset da Queima das Fitas de Coimbra, a organização escolheu Van Breda e a dupla KEVU.
 
Kura, através de um vídeo publicado na sua página oficial de Facebook, confessa-se “triste e chocado com os acontecimentos”, explicando tudo o que se passou na primeira pessoa. “Queria tocar no palco principal com visuais que tenho preparados especificamente para esta data e música nova” porque, segundo o artista, “era uma data especial” e pede desculpas aos seus fãs, no vídeo que podes assistir abaixo:
 
Publicado em Eventos
Carlos Monteiro, presidente do Município da Figueira da Foz afirmou na reunião de Câmara desta manhã que o festival RFM Somnii será transferido para o próximo ano.  

Segundo o jornal Diário de Coimbra, o presidente da autarquia acrescentou que está a trabalhar num evento para a passagem de ano, que "colmate esta lacuna", por forma a "ajudar a retoma do comércio e turismo".

Ao Diário das Beiras, Tiago Castelo Branco, diretor executivo da MOT, produtora do evento, afirmou que existe um "plano B" e que será anunciado quando o Governo tomar uma decisão relativa aos festivais de verão deste ano, que deve acontecer esta quinta feira dia 7 depois da reunião do Conselho de Ministros.

O RFM Somnii ia decorrer entre os dias 10 e 12 de julho na Praia do Relógio e o cartaz contava com vários nomes da cena eletrónica como Alan Walker, Dimitri Vegas & Like Mike e Alok.
 
Publicado em Festivais
O evento Carlsberg Where’s The Party na Marina de Cascais acaba de ser cancelado e mudou a sua localização para Portimão, no Algarve. O sunset irá decorrer no próximo dia 30 de julho, das 16 às 2 horas, no recinto do NoSolo Água.
 
O motivo desta mudança é devido a dificuldades de agenda e programação e o cartaz do evento vai ser anunciado em breve. Para quem já adquiriu bilhete, podem usá-lo para a edição algarvia ou solicitar a devolução do valor das entradas a partir de hoje até ao dia 30 de julho, nos locais onde foram adquiridos. É obrigatório que o bilhete esteja intacto.
 
A devolução pode também ser feita através do e-mail Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. ou pelo número 707 234 234. Para qualquer esclarecimentos, pode ser contactada a promotora do evento, WeLove Events, através do e-mail Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar..
 
A Carlsberg Where’s The Party volta assim à praia de Portimão, depois de no ano passado receber nomes como Deorro, Danny Avila, Diego Miranda, Eddie Ferrer, Rizzo e Christian F.
 
Publicado em Eventos
Aquele que é considerado o maior evento Chill Out do país não se realiza em 2011.

A sua quinta edição, inicialmente agendada para o próximo Sábado dia 27 de Agosto, foi cancelada pela sua entidade organizadora, a Câmara Municipal de Loulé.

Em comunicado, a Autarquia refere que pretende não comprometer a qualidade do evento com uma edição mais simples, sendo que 'esta decisão tem por base a necessidade de contenção orçamental, dado que este é um evento que envolve um grande investimento e que, por ser gratuito, não gera retorno financeiro directo '.

Esta foi uma decisão bastante reflectida e surge também da necessidade de definir prioridades de investimento num momento em que o país atravessa sérias dificuldades. Este cancelamento tem um efeito pontual, sendo objectivo da autarquia retomar a organização do evento assim que se reúnam as condições necessárias para a sua realização, refere o comunicado.

Concebida, organizada e promovida integralmente pela Autarquia de Loulé, a Noite Branca veste literalmente a cidade algarvia para a despedida do Verão desde o ano 2007. Numa noite, a cidade é transformada num palco gigante de animação, descontracção e cultura, onde os visitantes são os protagonistas. Centenas de artistas dão vida às ruas e ruelas de Loulé, com o branco como mote permanente e transversal às várias manifestações, que vão da música à animação de rua, da moda à pintura, do novo circo às artes plásticas. Os espectáculos inéditos, são criados em exclusivo para a ocasião, onde o factor surpresa é uma constante. Os locais mais inusitados são palcos de momentos que se pretendem inesquecíveis, desde a varanda de um prédio, à muralha do castelo, ou simplesmente o ar, onde alguns artistas actuam suspensos.

Recorde-se que a Noite Branca de Loulé foi distinguida na ‘Gala dos Eventos 2010’ como 'Melhor Evento Público’.
 

Transcrevemos na íntegra o comunicado da Câmara Municipal de Loulé.
A Câmara Municipal de Loulé, entidade organizadora e promotora da Noite Branca, torna pública a decisão de não realizar, no corrente ano, esta iniciativa.

A decisão tem por base a necessidade de contenção orçamental da autarquia, dado que este é um evento que envolve um grande investimento e que, por ser gratuito, não gera retorno financeiro directo. Assim, a autarquia preferiu não comprometer a qualidade do evento com uma edição mais simples, e adiar a sua realização.
Esta decisão surge também da necessidade de definir prioridades de investimento num momento em que o país atravessa sérias dificuldades.

A Câmara Municipal de Loulé, com esta decisão, procura assim uma melhor racionalização do erário público, focando a sua atenção no apoio às pessoas, nomeadamente os grupos sociais mais frágeis. O momento difícil pelo qual estamos a passar exige uma grande responsabilidade por parte das organizações públicas, pelo que esta decisão, que foi bastante reflectida, assume também ela um carácter simbólico que importa realçar, num quadro de empenho global para a recuperação económica da região e do País.

Este cancelamento tem um efeito pontual, sendo objectivo da autarquia retomar a organização do evento assim que se reúnam as condições necessárias para a sua realização.

 
A Origem da Noite Branca
Com origem em algumas cidades europeias e norte-americanas, o conceito da Noite Branca é normalmente associado a iniciativas de cariz humanitário ou de solidariedade social.

Na Europa, nas zonas turísticas, o conceito urbano de Noite Branca evoluiu entretanto para uma vertente também comercial, associando a música à animação de rua com o comércio aberto num novo conceito de lifestyle onde o glamour e a alegria ganham forma e onde as baixas das cidades ou os seus centros ganham, por uma noite, uma nova dinâmica.

Em Portugal, a Noite Branca tem apenas precedentes em Coimbra quando um grupo de alunos de Engenharia Biomédica da Universidade de Coimbra baseando-se na experiência de alguns estudantes que estiveram na cidade italiana de Turim, através do Programa Erasmus, tomou a iniciativa de realizar esta actividade depois de observar que em Itália havia uma boa participação por parte da população.

Assim nasceu em 2007 a Noite Branca em Loulé, um evento que atingiu, desde a sua primeira edição, níveis elevados de adesão por parte do público.
Publicado em Eventos

Com o crescente número de casos de coronavírus um pouco por todo o mundo e o respetivo cancelamento e adiamento de inúmeros eventos, a redação do Portal 100% DJ criou este liveblog pelo tempo que considerar necessário, de forma a que a informação que nos chega seja mais facilmente partilhada com os nossos leitores.

 

Publicado em 100% DJ
A Organização do Ultra Music Festival acaba de surpreender tudo e todos ao divulgar um comunicado que anuncia o fim da Era do Ultra Music Festival em Miami, 20 anos depois.

O anúncio revela que após serem analisados vários feedbacks sobre a experiência do festival do passado mês de março, num novo local (o Virginia Key Beach Park), a organização percebeu que os festivaleiros não tiveram a melhor experiência no evento, facto pelo qual pesou no término do evento em Miami. "Decidimos terminar voluntariamente a licença com o Governo de Miami e estamos à procura de um outro local que possa ser a casa permanente do Ultra no Sul da Flórida", pode ler-se no comunicado.

Recorde-se que os dissabores com as autoridades de Miami começaram em novembro do ano passado onde foi recusada a realização do evento no Bayfront Park, colocando-se em cima da mesa o seu cancelamento. As queixas dos moradores, o barulho, a confusão e o facto do parque ficar fechado ao público durante muito tempo foram determinantes para que o festival rumasse até Virginia Key, que acaba agora por ser a sua última "casa".

Confere o comunicado na íntegra:
 
Publicado em Ultra Music Festival
A edição deste ano do Ultra Music Festival acaba de ser cancelada devido ao vírus covid-19, segundo a imprensa internacional. O festival de música eletrónica ia decorrer entre os dias 20 e 22 de março em Miami.
 
A decisão foi tomada hoje, após uma reunião entre a organização do festival e o presidente de Miami, Francis Suarez. Até ao momento, a organização ainda não divulgou nenhum comunicado.
 
Este foi o segundo evento da família Ultra a ser cancelado devido ao novo coronavírus. Esta terça feira, a edição de Abu Dhabi, que iria começar amanhã, foi cancelada “por restrições de viagens impostas por alguns países e companhias aéreas, para indivíduos e grupos”, revelou a organização.
 
Esta é a primeira vez que o festival é cancelado desde a sua primeira edição, em 1999. O festival tem capacidade para acolher cerca de 55 mil pessoas por dia e contava, este ano, com as atuações de Major Lazer, Kygo, DJ Snake, Martin Garrix, entre muitos outros.
 
Os Estados Unidos da América já contam com 9 mortes e mais de 100 pessoas infetadas com o vírus covid-19. O coronavírus soma mais de 95,180 infetados, 3,254 mortes e 51,443 pessoas recuperadas a nível mundial.
 
Atualização (6 de março, 21h40): A organização do Ultra Music Festival emitiu logo um comunicado oficial acerca do cancelamento do festival, através da página oficial de Facebook do evento, lamentando a decisão do presidente de Miami e informou os festivaleiros que irão ser contactados através de e-mail a partir de segunda-feira, para procederem à devoluçao do dinheiro dos bilhetes.
 
O Ultra Music Festival regressa a Miami em 2021, entre os dias 26 e 28 de março.
 
Publicado em Eventos
A ministra da Saúde, Marta Temido, anunciou, esta segunda-feira, que eventos com mais de cinco mil pessoas realizados ao ar livre devem ser suspensos ou adiados. O mesmo deve acontecer com aqueles que reúnam mais de 150 pessoas e tenham lugar onde há grupos de transmissão. As medidas vão vigorar até, pelo menos, dia 3 de abril.

Marta Temido disse ainda que se deve ter "especial atenção" aos eventos que contem com a presença de pessoas da China, Irão, Itália. Foi ainda dito que "os profissionais de saúde devem abster-se de reuniões alargadas (conferências e/ou congressos) uma vez que são elementos fundamentais e necessários". 

Até ao momento existem 59 casos confirmados de coronavírus em Portugal, a maioria na região Norte.
Publicado em Eventos
A economia portuguesa irá sofrer um impacto superior a 1,6 mil milhões de euros com o cancelamento dos festivais de verão deste ano, devido à pandemia de covid-19.

De acordo com o relatório anual da Associação Portuguesa de Festivais de Música (Aporfest), em 2019 foram realizados 287 festivais de música, gerando cerca de 2 mil milhões de euros, por contraponto com os 400 milhões de euros previstos para este ano, na melhor das hipóteses.

Noticia hoje o JN, que estes valores levam em conta o dinheiro gasto em transportes, sobretudo de carro, mas também de avião, nas deslocações para os festivais. Esta rúbrica é de elevda importância, uma vez que só no ano passado foram gastos 1,7 mil milhões de euros. No entanto, há ainda cerca de 120 empresas que trabalham para festivais, muitas delas em exclusividade. A associação refere ainda que existe uma quebra de 80% no volume de negócios dessas empresas que operam indiretamente no setor.

Recorde-se que a realização de festivais e espetáculos de natureza análoga está proibida até 30 de setembro. A lei promulgada pelo Presidente da República estabelece que o consumidor não terá direito à devolução do preço do bilhete para os espetáculos que estavam marcados entre 28 de fevereiro e 30 de setembro de 2020 e que foram reagendados por causa da pandemia da Covid-19.

Os espetáculos abrangidos por esta lei "devem, sempre que possível ser reagendados", sendo que o reagendamento do espetáculo não dá lugar à restituição do preço do bilhete, nem pode implicar o aumento do respetivo custo para quem à data do reagendamento já fosse seu portador.
Publicado em Festivais
O velho ditado quando se aplica, bate sempre certo - 'Quando a esmola é grande, o santo desconfia' - neste caso o 'Cartaz'.
O Evento 'Academy Returns DJ 2010' há muito que anda a dar que falar e já tem história e título para um grande filme.

No dia 24 de Setembro a Agência 'Grooves Production' comunicava através do seu Facebook oficial que as artistas 'L&M Connection' não iriam actuar no evento 'Academy Returns DJ 2010' por falta de pagamento por parte da organização do evento. Desde aí, alguns artistas colocaram o 'pé atrás' no que diz respeito à credibilidade da produção.

O evento inicialmente estava agendado para ser realizado nos dias 8, 9 e 10 de Outubro no Estádio de Aveiro. Porém, e devido ao mau tempo que se fazia sentir nesse fim-de-semana (Alerta Laranja), a Protecção Civil de Aveiro e a Produção, decidiram adiar o evento para segurança de todos.
Posterior a esse dia em que foi adiado, a Produção anunciava as novas datas - 22 e 23 de Outubro - e em vez de ser Outdoor, sería Indoor numa tenda gigante.

Até há bem poucos minutos atrás, tudo, ou quase tudo, estava confirmado se não fosse a 'desorganização da Produção'  tal como descrevem vários artistas com actuações previstas para a noite de hoje e amanhã.
Citam também 'incumprimentos contratuais' e até mesmo 'a divulgação do nome no Cartaz, não estando o artista confirmado'.
 
Aquele que, possivelmente seria um grande evento de música electrónica hoje e amanhã em Aveiro não passará de uma 'banhada de água fria', não só para, os já portadores de ingressos, como também para os artistas e sponsors associados ao evento.

Se os artistas possuem termos e condições nos contratos, são para serem obrigatóriamente cumpridos. Caso contrário, os artistas ou os seus agentes estão no direito de cancelar a actuação dos mesmos. Foi o que vários nomes do cartaz fizeram até à minutos atrás.
'A produção não informou a tempo as horas, o local e dormida' e os 'telemóveis desligados também são uma realidade' - Queixam-se vários artistas indignados com a situação que se está a passar, à espera de uma justificação por parte da Produção e a menos de 5 horas de ser dado o inicío do evento.

É de profundo lamentar que situações como estas ainda aconteçam na noite portuguesa. Pois, só prejudicam a credibilidade e confiança de outras Produtoras de eventos, que lutam por boas Produções. No entanto, é situações como estas, que filtram as 'boas' das 'más'.
Publicado em Nightlife
Pág. 1 de 4

Newsletter

Recebe novidades e conteúdos exclusivos no teu e-mail.