23-01-2019

  Diretor Ivo Moreira | Periodicidade Diária

Sobre Nós  |  Fala Connosco     

quinta, 02 agosto 2012 23:43

Delta Cafés aposta no mercado brasileiro

Delta Q foi a marca escolhida pela Delta Cafés para conquistar o mercado brasileiro, na sequência da decisão de estar presente diretamente naquele país. Uma decisão concretizada através da constituição da Delta Foods Brasil e da aquisição da Q-Brasil, que detinha a única loja da marca no país.
 
A entrada direta no mercado brasileiro visou capitalizar o potencial de crescimento que a economia brasileira em geral, e o mercado do café em particular, apresentam atualmente. Teve igualmente como objetivo acelerar o crescimento internacional do grupo, que já estava presente diretamente em Espanha, França, Luxemburgo e Angola. A estes países junta-se agora o Brasil.

No Brasil, o Estado de São Paulo foi o eleito para a projeção da presença direta da marca no Brasil, sendo, a partir de agora, a base do desenvolvimento da estratégia e serviços de apoio à expansão para este país.

Quanto à escolha da Delta Q deve-se ao facto de ser uma marca com um forte ADN de inovação, o que, segundo o grupo, constitui uma vantagem competitiva.
Publicado em Marcas
Emocionante e comovente são adjectivos que definem a abertura dos portões do maior evento de música e entretenimento do mundo. Os visitantes foram recepcionados pessoalmente por Roberto Medina, Presidente do Rock in Rio, que fez questão de receber e elogiar o público que entrava na Cidade do Rock às 14 horas em ponto de sexta-feira, dia 23 de Setembro.
O clima festivo e harmonioso marcou o primeiro fim-de-semana de Rock in Rio, que contou com lotação esgotada. Cerca de 100 mil pessoas visitaram diariamente o primeiro fim-de-semana da 4º edição do Rock in Rio, na cidade que o viu nascer.
Nos últimos 3 dias a área central do evento esteve repleta de fãs sedentos de música e espectáculo.

O primeiro dia de Rock in Rio foi caracterizado pelos ritmos Pop de artistas como Katy Perry, Elton John, Rihanna e pelos portugueses The Gift e Rui Veloso, no Palco Sunset. A abertura do Palco Mundo foi marcada por um espectáculo de fogo-de-artifício, que culminou com a actuação dos Paralamas do Sucesso e Titãs, com a participação especial de Milton Nascimento.
Já o segundo dia, 24 de Setembro, foi dedicado ao Rock com o destaque para as actuações de Snow Patrol e Red Hot Chilli Peppers. Na electrónica DJ Vibe animou os visitantes, com o seu som contagiante.
Por sua vez, dia 25 de Setembro, Domingo, deu a vez aos fãs de Heavy Metal, com as actuações de Motörhead, Slipknot e Metallica a fazerem as delícias do público presente.
A Rock Street, grande novidade desta edição de 2011, encantou todos os que se deslocaram à Cidade do Rock, com actuações de malabaristas, bandas de Jazz, artistas de sapateado, mágicos, acrobatas, estátuas humanas, entre muitos outros. Esta cidade cenográfica, inspirada em Nova Orleães, abre portas às artes performativas alargando o leque de diversão ao dispor dos visitantes do Rock in Rio.

O Rock in Rio regressa nos próximos dias 29 e 30 de Setembro e 1 e 2 de Outubro, com mais concertos e animação. Em Portugal os fãs podem continuar a acompanhar o evento através do site oficial rockinriolisboa.sapo.pt.
Publicado em Rock in Rio
Os Club Banditz arrancam em breve para uma nova tour internacional.
Primeiro vão até à Europa de Leste, assaltar a Lituânia, num fim-de-semana que promete agitar as hostes, a 7 e 8 de setembro.
Depois seguem para a terceira tour no Brasil em 2012. De 14 de Setembro a 20 de Outubro, a quadrilha vai rebentar, mais uma vez, com o seu som nas Terras de Vera Cruz.

Confere a agenda:

EUROPA DE LESTE
07.09.2012 - POP STAR - KAUNAS | LITUÂNIA
08.09.2012 - PORT- KLAIPEDA | LITUÂNIA

BRASIL TOUR
14.09.2012 - 2ME - BALNEÁRIO CAMBURIÚ | SC
15.09.2012 - FESTA FANTASIA - UBERABA | MG

28.09.2012 - BALLROOM - SÃO PAULO | SP

05.10.2012 - RAKENNE - ITAJAÍ | SC
06.10.2012 - CONFRARIA CLUB - FLORIANÓPOLIS | SC

12.10.2012 - CINEMA D - RIBEIRÃO PRETO | SP
13.10.2012 - OPERA CLUB - CONCÓRDIA | SC
Publicado em Artistas
O festival alternativo espanhol “Sónar” vai regressar à cidade maravilhosa já este ano. Na sua última edição, em 2012, recebeu mais de 30 mil pessoas e 48 artistas - entre eles Kraftwerk, Justice, Mogwai, Flying Lotus, Criolo, Cee Lo Green e James Blake - na Arena Anhembi.
 
Criado em 1994, em Barcelona, o evento já foi realizado em São Paulo outras duas vezes, em 2004 e 2012. A produtora Dream Factory confirmou a terceira edição brasileira do festival, que deve acontecer entre os dias 23 e 28 de novembro, novamente em São Paulo, num local a ser divulgado.
 
A confirmação oficial deve acontecer em abril, mês em que serão também revelados os artistas a figurar no line-up. Em 2013, a terceira edição estava marcada, porém “as dificuldades e a instabilidade do mercado de entretenimento no Brasil”, segundo a organização, foram motivos para forçar o cancelamento do evento que regressa agora para animar a comunidade eletrónica brasileira.
 
Publicado em Festivais
sábado, 30 setembro 2017 00:25

Paranormal Attack estreia-se no Ultra Brasil

Além de Diego Miranda, o DJ e produtor Paranormal Attack é outro dos artistas portugueses confirmados para a próxima edição do Ultra Brasil, que vai decorrer no Sambódromo do Rio de Janeiro entre os dias 12 e 14 de outubro.
 
A atuação de Paranormal Attack está marcada para as 19 horas locais no palco Ultra Music Festival Radio. O português também já esteve a oportunidade de subir a palcos de outros festivais internacionais como é o caso do Tomorrowland Brasil.
 
“Vamos Ultra Brasil! Mais um sonho concretizado!”, revelou o DJ na sua página oficial de Facebook.
 
Recorde-se que Paranormal Attack foi um dos artistas mais votados para estar presente no Top 30 de 2016 do Portal 100% DJ, tendo ficado colocado em 19º lugar e foi o mais recente entrevistado para o nosso portal.
 
 
Publicado em Ultra Music Festival
A maior rede de escolas de DJs do Brasil acaba de chegar a Lisboa, sendo a primeira escola internacional de música eletrónica presente em Portugal. A AIMEC (Academia Internacional de Música Eletrónica) foi fundada em 2004 e hoje já conta sete unidades espalhadas pelo Brasil. Na passada quinta-feira foi a vez de inaugurar o seu novo espaço, no 12.º andar do Edifício Castil em Lisboa.

Com amplas salas e uma incrível vista sobre a capital alfacinha, além de uma Academia de aprendizagem, neste novo espaço será possível estabelecer contatos com artistas, construir novos projetos e viver uma experiência imersiva dentro da música eletrónica. 


"Portugal precisa de uma escola como a nossa"

Foi precisamente essa a ideia, que Luísa Pyrrait e António Penalva tiveram em mente há cerca de dois anos atrás, quando, depois de 10 anos no Brasil, decidiram regressar ao país que os viu nascer, muito por culpa da família que "falou mais forte" conta Luísa. Além da agora nova Academia de Lisboa, Luísa e António são também proprietários das AIMEC de Balneário Camboriú e Florianópolis. "Feitos os estudos de mercado, e de encontrarmos o Bernardo, nosso sócio e peça fundamental para que a AIMEC Portugal hoje exista, resolvemos abrir esta escola" releva à nossa redação.

A oferta de um ensino de qualidade e a criação de uma comunidade são os principais objetivos desta Academia e Luísa Pyrrait garante que "o grande mérito da AIMEC é que além do seu ensino ser muito bom e das técnicas utilizadas serem únicas, é o conseguir sempre formar à sua volta uma comunidade e uma segunda família para os nossos alunos que não têm idade." A provar que a idade é apenas um número, Luísa conta que no Brasil existem "alunos com 10, 11 anos e temos também avós que fizeram cursos com os filhos na mesma turma".
 


Em termos comerciais, a AIMEC Portugal tem disponíveis cursos de DJ, Produção Musical, Produção Musical Avançada, Teoria Musical e Mixagem & Masterização. Embora o rol de professores não esteja totalmente fechado, alguns nomes já foram selecionados, como é o caso do DJ Handerson (Brasil) e DJ Nokin (Portugal).

"Primeiramente, conheçam a AIMEC, quero muito, de coração, que todos os leitores saibam o que é a AIMEC. Não queremos ser uma escola de DJs, mas sim uma Academia de música eletrónica, onde as pessoas possam vir, tenham convívio, tenham uma comunidade que envolva o país e até Europa inteira, e que os nossos alunos sejam cabeças de cartaz dos melhores festivais e clubs, tal como no Brasil" convida Allan Gee, também sócio da Academia de Lisboa.

Questionados sobre uma possível expansão na Europa, Luísa e Allan Gee não têm dúvidas que esse será o caminho a seguir, "mas primeiro pretendemos cimentar bem a marca em Portugal" afirmam.
 
Publicado em Reportagens
Steve Aoki, David Guetta, Hardwell e Armin van Buuren são alguns dos artistas da primeira fase, confirmados hoje pela organização do Tomorrowland Brasil. A edição carioca de um dos maiores festivais de música eletrónica vai decorrer de 1 a 3 de maio, em São Paulo.
 
Os brasileiros Alok, Ftampa e Gui Boratto também irão estar presentes no Tomorrowland, que promete escrever um “novo capítulo no ‘The Book Of Wisdom’”.
 
Confere abaixo o cartaz completo:

 

 

 

Publicado em Tomorrowland
sábado, 12 setembro 2015 22:46

Alok: 'O meu berço foi a música eletrónica'

Chama-se Alok e é um dos nomes da atualidade da música eletrónica brasileira, que mais destaque tem alcançado a nível internacional com atuações no Rock In Rio Las Vegas e em várias edições das famosas festas das cores Happy Holi. Depois de ser considerado como o DJ e produtor mais popular da terra do carnaval pela House Mag, o artista estreou-se em Portugal na edição de Cascais da Where’s The Party by Carlsberg. O Portal 100% DJ esteve à conversa com Alok numa entrevista exclusiva, acompanhada pelas filmagens do seu novo documentário, onde os temas destacados na mesma foram a sua carreira, o nosso país e o cenário da música eletrónica no Brasil.
 
 
O facto dos teus pais serem DJs influenciou a tua escolha desta profissão?
Com certeza. Eu nasci neste meio eletrónico. O meu berço foi a música eletrónica e os meus pais inspiraram-me muito e ainda inspiram.
 
Porque decidiste criar a tua própria editora “Up Club Records”?
Porque acho que há muitas pessoas talentosas por aí e muitas vezes não conseguem demonstrar o seu trabalho, porque não se conseguem encaixar ou adequar-se ao formato das editoras. A editora é aberta para todos os tipos de criatividade - o que importa é a criatividade, nós não rotulamos nada. É mais uma porta e uma oportunidade para as pessoas poderem mostrar o seu trabalho e não serem influenciados pelas editoras a criar a música que eles querem.
 
Que novos talentos tens debaixo de olho?
Há muito bom talento. É o caso de um rapaz chamado Illusionize - ele está a “rebentar”. Existe também o Dazzo, ele já toca há muitos anos, mas está agora a ter destaque. Também comecei a ver vários nomes novos que nunca tinha ouvido falar e vou fazer o lançamento. Possivelmente irei divulgar no melhor momento, depois de toda a parte burocrática, contrato, etc…
 

A editora é aberta para todos os tipos de criatividade - o que importa é a criatividade, nós não rotulamos nada.

 
Tens viajado em digressão por quase todo o Brasil. Qual é a tua visão do cenário da música eletrónica no país?
No Brasil, estamos a viver agora um momento de maior ascensão. Começamos a apercebermo-nos que as crianças hoje estão muito inseridas na música eletrónica e isso é algo inédito, porque anteriormente as pessoas só se inseriam na música eletrónica a partir dos 18 ou 19 anos.
 
Nos últimos meses, o Brasil tem recebido grandes e importantes festivais de música eletrónica, como é o caso do Tomorrowland, onde também atuaste. Qual foi a sensação de estar na cabine do Main Stage, daquele que é considerado o melhor festival do mundo?
Foi a realização de um sonho e não poderia ter sido melhor. Realmente foi o melhor gig da minha vida. Abriu portas a muitas coisas positivas na minha carreira, e bem... o Tomorrowland é um fenómeno, não é? Fiquei muito feliz por fazer parte desse palco e dividi-lo com grandes nomes.
 
Tencionas atuar na edição da Bélgica?
Este ano não, somente no TomorrowWorld, nos Estados Unidos da América.
 
Sabemos que o teu nome significa luz. Consideras a luz uma fonte de inspiração para as tuas produções?
Nunca tinha parado para pensar, mas pode-se dizer que sim.
 
Foste considerado pela House Mag como o DJ número 1 do Brasil. Com que sentimento recebeste essa distinção?
É curioso porque em todos os outros anos eu nunca tinha entrado. E na minha estreia, foi logo em primeiro lugar. Eu sei que há muitas pessoas muito boas no Brasil também, pela qualidade e até pessoas com mais técnicas que eu, só que de repente faltou um pouco de acreditar em si mesmo entendeu? E eu sempre acreditei, colhi frutos e acabei sendo... Os meus números falam muito alto, como o voto é de popularidade e não há juízes por trás, o DJ mais popular do Brasil hoje sou eu.
 
 
A tua vinda mais cedo para Portugal, deu para conheceres um pouco do nosso país?
Sim, eu dei uma volta por vários sítios e estou apaixonado. É muito porreiro.
 
Tencionas voltar?
Com certeza. Quero voltar e quero comer muito aqui nos restaurantes porque foi a melhor comida que comi na vida.
 
Como descreves a atuação no Where’s The Party em Cascais? Superou as expetativas?
Para ser sincero foi muito difícil... A minha sonoridade, no meio da “EDM” é muito mau para mim. Mas faz parte e nós temos que estar preparados para tudo. Criei muitas expectativas, uma ideia na minha cabeça e acabou por ser mais difícil do que eu imaginava. Nem tudo é assim tão fácil - o que é bom, porque saí da minha zona de conforto, que no Brasil para mim é tudo mais fácil, logo foi um desafio também.
 
Que artistas portugueses de música eletrónica conheces?
O Diego Miranda apenas.
 
Que projetos tens para desenvolver a curto e longo prazo?
A curto prazo vou lançar o meu álbum e a editora. Estamos também a produzir o documentário da minha vida que acho que vai levar um a dois anos para estar no ar, ou seja um projeto a longo prazo.
 
Vais fazer campanha este ano para o Top 100 da DJ Mag?
Estamos a fazer uma campanha muito forte. O ano passado nem apostámos muito e fiquei em 117º lugar.
 
Acreditas portanto na tua estreia no Top 100?
Vamos ver, acredito que sim.
 
Que mensagem queres deixar aos leitores do Portal 100% DJ?
Quero agradecer por me terem recebido tão bem aqui e quero voltar mais vezes, esperando que da próxima vez não me coloquem entre dois DJs de EDM, mas sim no horário certo.
 
 
Segue Alok nas redes sociais

     

 
Publicado em Entrevistas
A primeira edição do Tomorrowland Brasil decorreu durante o passado fim de semana, com grandes nomes como NERVO, Hardwell, Armin van Buuren e Laidback Luke a atuarem para milhares de pessoas.
 
Com sucesso absoluto, a organização do festival de música eletrónica confirmou a presença do evento no Brasil por mais 5 anos, até 2020. No próximo ano, o Tomorrowland Brasil decorre entre os dias 21 e 23 de abril.
 
Esta primeira edição, completamente esgotada, teve os seus momentos de euforia mas sofreu alguns problemas que foram divulgados pela imprensa brasileira.
 
Segundo a Folha de São Paulo, foi encontrado um corpo de um homem sem vida, com a pulseira do festival, num caixote do lixo. A vítima era um funcionário que prestava o serviço de montagem do Tomorrowland, apresentava ferimentos e foi transferido para o Instituto Médico Legal de Sorocaba, para ser feita a autópsia e descobrir as causas da morte.
 
O mesmo meio de comunicação social escreveu que foram atendidas no centro médico pelo menos 500 pessoas por dia, com sintomas de uso de drogas, desidratação e ferimentos derivados de quedas.
 
O site UOL destacou a forte presença policial no recinto do Tomorrowland Brasil, que até usou cães para procurar drogas entre os visitantes. No primeiro dia do evento, foram registadas 335 ocorrências junto das autoridades devido a brigas e furtos. Duas das pessoas detidas por possuírem pequenas quantidades de estupefacientes pertenciam à organização, que acabou por demiti-las de imediato.
 
Apesar das críticas em relação ao preço dos alimentos e das bebidas, chegou a esgotar vodka em alguns bares do Tomorrowland. O protetor solar foi outro produto que esgotou no evento. 
 
Publicado em Tomorrowland
A organização do festival Tomorrowland pretende expandir-se a nível mundial, tal como sucedeu no Brasil e com o TomorrowWorld nos Estados Unidos da América. A Ásia e a América Central podem ser os novos destinos.
 
Hoje foi divulgado um vídeo na página oficial de Facebook do festival, que anuncia um livestream especial, intitulado “Unite, the mirror of Tomorrowland”, no México (Cidade do México) e na Índia (Mumbai) no próximo dia 24 de julho, diretamente de Boom, na Bélgica, onde vai acontecer mais um Tomorrowland.
 
A última vez que isto aconteceu, foi quando David Guetta, a meio da sua atuação, anunciou a ida do festival belga para o Brasil, na edição do ano passado do Tomorrowland. Será que a organização do evento vai-se expandir para o México e a Índia? Os rumores de uma edição Indiana já circulam na internet há alguns meses.
Este livestream especial vai também ser acompanhado com atuações de DJs locais, a anunciar em breve. 
 
{youtube}qY0sX7IziRA{/youtube}
Publicado em Tomorrowland
Pág. 1 de 6
100% DJ. Projeto editorial independente cujos valores se guiam pelo profissionalismo, isenção e criatividade, tendo como base de trabalho toda a envolvente da noite nacional e internacional, 365 dias online.

Newsletter

Recebe novidades e conteúdos exclusivos no teu e-mail.