20-01-2019

  Diretor Ivo Moreira | Periodicidade Diária

Sobre Nós  |  Fala Connosco     

Backstage - Softwares VJ

Posted On domingo, 03 dezembro 2017 22:32 | Escrito por Sara Gouveia
Esta semana fazemos uma pausa na apresentação dos nossos VJ's e dos seus projectos para falarmos sobre softwares específicos que servem de base a este trabalho.
 
Fulldome, realidade virtual, 360º são termos que estão cada vez mais presentes no nosso dia-a-dia e com toda a certeza farão parte do nosso futuro.
A projeção está em todo o lado, deixa-nos boquiabertos, deixa-nos curiosos e constitui uma maneira de comunicarmos com multidões, permitindo que cada pessoa sinta o espectáculo e o perceba à sua maneira.
 
Neste sentido, existem diferentes ferramentas para a projeção de conteúdos – uma forma de manipular imagens e vídeos ao vivo, criar sequências de loops, definir controladores e originar um espectáculo coerente.
 
 
Preferências à parte, um VJ deverá ser conhecedor de diferentes softwares, de forma a responder aos mais diversos inputs, falemos em edição de imagem ou mesmo criação de conteúdos de raíz - 2D ou 3D.
 
O After Effects é na maioria das vezes unânime quando falamos de um software de auxílio para todo e qualquer tipo de edição de vídeo, ainda que o Premiere esteja cada vez mais actualizado - ambos se complementam sendo que para um VJ, não sendo obrigatório dominar, é uma mais-valia na execução e criação de elementos gráficos.
 
 
 
Quando falamos dos softwares de VJ em si mesmos, há alguns nomes que se destacam no mercado: Resolume, Arkaos Grand VJ, Modul8, VDMX são os que ganham em destaque e preferência dos VJ's mas existem muitos outros, cada um com as suas valências.
 
Muitos privilegiam uma interface mais clean por facilitar a organização, inclusivamente em multiscreen.
 
Esta é outra perspectiva de trabalho e de interação de conteúdos - o multiscreen permite a interação de conteúdos numa altura em que o set criativo está em todo o lado e pode ser qualquer coisa - a manipulação de vídeo e imagens incorporadas em objectos e monumentos, para além do painel de leds ou outras telas.
 
Falamos de videomapping cujo primeiro passo é exactamente a mapeação do espaço/set criativo.
 
 
 
Esta definição dos limites do nosso set é feita através de diferentes softwares, entre os quais, os softwares de Vj. (ex. MadMapper)
 
Lançamos aqui o tema. Aproveitem para trocar experiências e perceber as mais valias dos diferentes softwares: pontos fortes e pontos fracos.
 
Partilhem e continuem a acompanhar-nos nesta descoberta.
Este artigo foi lido 490 vezes
100% DJ. Projeto editorial independente cujos valores se guiam pelo profissionalismo, isenção e criatividade, tendo como base de trabalho toda a envolvente da noite nacional e internacional, 365 dias online.

Newsletter

Recebe novidades e conteúdos exclusivos no teu e-mail.